Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Apple"

5 segredos sobre o aplicativo Secret

14 de agosto de 2014 2
Imagem: Thinkstock

Imagem: Thinkstock

O Secret é mais um dos muitos aplicativos polêmicos. Ele é anunciado como uma nova maneira de compartilhar ideias e sentimentos, mas, diferente de outros lugares onde os perfis das pessoas são bem detalhados, quem publica nele fica “anônimo”. Então aí entra uma questão complicada: o anonimato na internet, que é um assunto muito debatido, pois tem muitos prós e contras. A fama e a polêmica do Secret surgiu justamente com seu uso negativo (incluindo a #zuera e a #sacanagem), com usuários compartilhando segredos dos outros (não os próprios como é o objetivo). Porém, poucos desses sabem alguns segredos do próprio aplicativo.

secret

1. O Secret não é tão anônimo assim… 

É possível denunciar o conteúdo das postagens do aplicativo e até revelar a pessoas responsável por compartilhar o “segredo”. Além disso, os perfis do Secret são vinculados com número telefônicos e/ou perfis do Facebook – uma ação judicial pode requisitar os dados de quem emitiu determinada postagem. Também é possível entrar em contato com os desenvolvedores pelo e-mail legal@secret.ly e resolver problemas direto com eles (clique aqui para mais detalhes).

2. O Secret foi criado com um objetivo nobre

A ideia do aplicativo é servir como um espaço para que as pessoas compartilhem seus próprios segredos, de forma anônima. Isso porque muita gente sente dificuldade de expor seus medos, angustias ou dúvidas próprias – e assim seria mais fácil de buscar ajuda. É mais ou menos como o serviço prestado pelo CVV, mas em uma versão adaptada como uma rede social.

3. Não é culpa do Secret, ou de qualquer outra rede social, o conteúdo ofensivo ou destrutivo da internet 

Segundo psicólogos, as pessoas que reclamam constantemente ou atacam as outras fazem isso pela insegurança que sentem ou como um mecanismo de defesa. “A reclamação muitas vezes acaba sendo um tipo de esporte coletivo que pode gerar um sentimento de proximidade com outros através da rejeição mútua de uma pessoa ou situação” (clique aqui para ler mais detalhes). Ou seja, o aplicativo é apenas uma ferramenta para as pessoas divulgarem o que querem. Seu uso depende da intenção de cada um.

4. O Secret é considerado ilegal por juristas brasileiros

Inclusive já há uma ação civil que pede para a Apple e o Google retirarem o aplicativo de suas lojas. Na teoria, todos tem o direito de manifestação, desde que não agridam terceiros. Vale lembrar também que com a “Lei Carolina Dieckman” ficou mais fácil buscar os direitos em crimes sofridos pela internet. E também um advogado sempre pode orientar melhor sobre o que fazer nestes casos.

5. Tem uma página no Facebook que reúne as melhores publicações do Secret

No Vou te contar um Secret (www.facebook.com/voutecontarumsecret) tem humor, sofrimento, lamentação e tudo o que há de mais bizarro no aplicativo. Nada que envolva nomes ou queimação de filme (de forma destrutiva), apenas a #zuera.

secret-app-1-642x336

 

Bookmark and Share

Android ou iOS?

27 de julho de 2014 0

[soundcloud url="https://api.soundcloud.com/tracks/160556871" params="auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false&visual=true" width="100%" height="450" iframe="true" /]

Meus amigos Luís e Vinícius me convidaram para um papo bem legal no podcast No Fim do Universo sobre um dos grandes “combates” do mundo da tecnologia: Android ou iOS? Conversamos sobre as vantagens e desvantagens de cada um nos celulares e outros dispositivos móveis, além de como cada um deles é ideal para cada perfil de usuário. É só clicar no play acima e ouvir (ou se quiser, você também pode baixar para ouvir mais tarde aqui: http://bit.ly/Android_iOS_).

E tem também uma discussão bem interessante que surgiu no perfil do Kauê (dias depois de eu ter gravado o programa). Vale conferir também:

Leia mais »

Bookmark and Share

Taca-le o pau, Forrest Gump!

06 de julho de 2014 0

RunForrestRun1

Depois de “tocar o pau” no jogo inspirado nas aventuras do Marcos, agora é a vez de correr com um dos personagens mais queridos dos cinemas. Depois de 20 anos que estreou, Forrest Gump ganha um jogo tipo endless runner, no mesmo estilo de Temple RunSubway Surfers: o Run Forrest Run (disponível gratuitamente por enquanto só para dispositivos iOS).

Como é comum neste tipo de jogo, o objetivo é desviar de obstáculos, coletar moedas e poderes especiais, tentando chegar o mais longe possível. Tudo é claro no clima e cheio de referências ao filme. Apesar da simplicidade do jogo, os gráficos que lembram desenhos animados e a nostalgia ao personagem valem bons momentos de diversão.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Zz68qdrBVI8]

Bookmark and Share

Caem na internet possíveis imagens do novo iPhone 6

13 de fevereiro de 2014 0

iphone6

Um misterioso perfil no Twitter divulgou uma série de imagens na noite de quarta-feira (12/2) do que seria o novo iPhone 6 da Apple. Logo mais tarde, o blogueiro Sonny Dickson também divulgou algumas imagens muito semelhantes, também chamando o aparelho de novo iPhone (apesar dele dizer que não tem 100% de certeza ainda). Mas vale lembrar que foi ele quem vazou as primeiras características do iPhone 5c feito de plástico, do iPad Air e do iPad Mini com tela retina.

Como alguns rumores sugerem, a tela será maior. O projeto vai ser como um cruzamento entre o Air iPad e o iPod Touch – e pelas fotos será muito mais fino do que o atual iPhone 5S. Além disso, a cor cinza de metal escovado segue a linha de muitos outros produtos da Apple.

A Apple não divulgou nenhum detalhe oficialmente sobre o sucessor dos iPhones 5s e 5c e não há data de lançamento anunciada. Porém, é especulado que o lançamento será em junho, quando vai acontecer a conferência destinada a desenvolvedores da Apple.

BgS1azQCQAAXN2P   BgS1GwJCMAAqlrx BgTAXPBCIAANwHt

Imagens retiradas do perfil www.twitter.com/mornray886

Bookmark and Share

Mulheres se livraram do Tubby, mas não do Clube do Bolinha

10 de dezembro de 2013 3

clube

Enquanto todas estavam preocupadas com o Tubby (que se revelou uma farsa), alguns desenvolvedores trabalharam para existir uma resposta ao Lulu. E com isso foi lançado o Clube do Bolinha,  mais um aplicativo integrado com o Facebook que permite avaliar as pessoas. Ele está disponível para aparelhos com Android e deve chegar até o fim da semana para iPhones e outros dispositivos que rodam o iOS, da Apple (e azar sem previsão para quem tem Windows Phone e outros sistemas menos famosos). A diferença dos outros programas do tipo, segundo os próprios criadores, é que é “menos ofensivo”

As perguntas da avaliação do Clube do Bolinha são: “já pegou?” (sim ou não), “já comeu?” (sim ou não), “na cama ela é…” (dá pro gasto, horrível, merece um diploma, sabe o que está fazendo, faz de tudo) , “no rolê ela…” (torna o rolê inesquecível, adora dar um showzinho, não fede / não cheira, finge estar bêbada, agrega valor ao camarote), “responsabilidade” (a balada, o trabalho, a igreja, as amigas, a casa), “pegaria?” (só bêbado, essa é prá casa, nem na balada, perderia uns 5 minutos).

Já as hashtags de classificação negativas são #Ficaesperto, #Camarão, #Bigodinho, #SóFazMiojo, #Patricinha, #MariaGasolina, #AmigasFifi e #VidaLoka. Os itens positivos são #TopCapadeRevista, #ChefeDeCozinha, #RainhaDaPista, #Parceira, #SabeOQueFaz, #BeijaBem e #GostosaDaAcademia. No final é gerada uma nota geral para cada perfil feminino avaliado.

Mas o Clube do Bolinha tem outro detalhe perigoso: para ter acesso ao aplicativo, usuários precisam dar seus dados pessoais do perfil, que podem ser usados para os mais diversos fins pelos desenvolvedores do aplicativo. Leia aqui como isso funciona.

Como tirar o perfil do Clube do Bolinha?

Acesse o link da página do aplicativo no Facebook (aqui o atalho: http://goo.gl/IgOmES), depois clique “bloquear” (se aparecer a opção “remover”, clique também). Porém, algumas mulheres mesmo após este procedimento continuam disponíveis para avaliação. E não adianta instalar o aplicativo, pois nele não há uma opção clara de “excluir perfil”.

Vale lembrar também que o Ministério Público está questionando todos os aplicativos do gênero. Ou seja, caso não funcione a remoção e você se sentir lesada, procure um advogado.

 

Bookmark and Share

Dots é o novo sucesso dos jogos para celulares e tablets

20 de agosto de 2013 0

 dots
Imagem: Dots / Divulgação

O objetivo é simples: conectar o máximo de pontos da mesma cor em 60 segundos ou 30 jogadas. Dots é um novo jogo gratuito para smartphones e tablets que lembra muito o “jogo dos pontinhos” (comum nas escolas). Cada sequência feita soma uma determinada quantidade de pontos ao placar. Quanto mais pontos ligados, melhor o resultado (e melhor ainda se forem fechados quadrados da mesma cor).

Os pontos ganhos em cada partida podem ser convertidos em Power Ups, bônus nas jogadas que incluem tempo adicional, eliminar um ponto específico ou mesmo todos os pontos da mesma cor de uma vez. Tudo para contribuir no placar final, que pode ser comparado com os amigos ligados ao Facebook e ao Twitter.

Dots garante uma diversão casual rápida, mas que prende pela busca de placares melhores. Inclusive, o jogo já está sendo considerado um novo Candy Crush.  Na Apple Store, por exemplo, ficou entre os mais baixados durante uma semana. E agora também está disponível para dispositivos Android.

apple android-app-on-google-play-01

Bookmark and Share

Gradiente explica a diferente entre o iphone e o iPhone

26 de dezembro de 2012 0

A notícia um tanto curiosa de que a Gradiente lançou uma linha de produtos com o nome iphone mexeu com o mundo tecnológico nesse fim de ano. A reação dos usuários nas redes sociais foi de humor e ódio, entre afirmações de que “agora qualquer um vai poder ter um iphone” ou “vergonha de ser brasileiro pela cópia da marca”.

Acontece que a Gradiente tem tudo registrado certinho no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) desde 2008, quando houve o parecer favorável. Ou seja, apple maníacos choram a empresa brasileira de eletrônicos pode comercializar sem problemas (mas o pessoal da maçã mordida provavelmente vai acionar sua equipe iDvogados, como fez com a Samsung).

E para ajudar os consumidores a entender melhor a diferença entre o iphone o o iPhone, a Gradiente lançou um vídeo explicando as principais características de ambos. O destaque são os sistemas operacionais, onde justamente o Android, que é o concorrente direto da Apple, foi escolhido.

Um detalhe que não está no vídeo, mas que é a maior diferença no meu ver, são os preços. Enquanto um iPhone 5 da Apple é vendido pela média de R$ 2.400,00, o preço base de um iphone da Gradiente é de R$ 600,00.

Veja também:
> Configuração completa do iphone da Gradiente
> Configuração completa do iPhone da Apple

Bookmark and Share

Dicas para driblar problemas do iOS 6 da Apple

01 de outubro de 2012 0

A Apple lançou a nova versão do sistema operacional para dispositivos móveis, o iOS 6, mas as alterações causaram polêmica. Usuários reclamam nas redes sociais sobre falhas na usabilidade do sistema, principalmente na hora de atualizar o iPhone ou o iPad. Um dos problemas de maior repercussão está no aplicativo Mapas (que inclusive virou motivo de muitas piadas na web).

Um defeito na segurança do software também tem deixado os usuários bastante preocupados. A Apple liberou a opção de publicação tanto no Twitter quanto no Facebook, a partir do Centro de Notificações. Entretanto, mesmo que a tela esteja bloqueada e protegida por senha, é possível postar nas redes sociais sem digitar o código que libera o aparelho.

Em carta divulgada no site oficial da Apple, o CEO Tim Cook pediu desculpas aos usuários da empresa e garantiu que a equipe responsável está fazendo de tudo para melhorar as funcionalidades dos aparelhos.

Enquanto a solução é providenciada, o pessoal da Hi Soluções (empresa de Blumenau, única na região especializada e autorizada oficial em produtos Apple) compartilha algumas dicas para driblar os problemas do iOS 6:

• Tente reiniciar o sistema operacional do aparelho. Reinstalar todo o sistema também pode ajudar.

• Em se tratando da conexão Wi-Fi, muitos usuários recomendam apagar as configurações de rede e mudar a opção de “HTTP Proxy” para “automática”.

• “Enquanto estamos melhorando o Mapas, você pode testar alternativas ao baixar aplicativos de mapas da App Store como Bing, MapQuest, e Waze, ou usar os mapas do Google ou Nokia ao acessar seus sites e criar um ícone na sua tela inicial para o web app deles.” (Tim Cook)

• Na pequena página “dobrada” no canto inferior do aplicativo Mapas, você encontra a opção “Reportar um problema”. Faça bom uso dela!

• Para impedir a invasão de trolls em suas redes sociais, bloqueie o Siri quando a tela do aparelho estiver travada. É muito simples: vá até o menu Ajustes, clique na opção Geral e depois em Bloqueio por Código. Marque a opção “Permitir acesso quando bloqueado” e pronto: é só desmarcar o Siri para estar seguro mais uma vez. Assim, outras pessoas não poderão acessar o aplicativo para publicar conteúdo indesejado no Twitter ou no Facebook.

Este post teve a colaboração do técnico certificado pela Apple, Lisandro Hruschka.

Bookmark and Share

Guia rápido de etiqueta online

25 de setembro de 2012 0

Se você ainda pensa que está tudo liberado na internet, fique sabendo que a coisa não é bem assim. Os serviços online e redes sociais têm políticas de uso, muitas vezes ignoradas pelos usuários na hora de criar uma conta. As medidas servem para ajudar a organizar e preservar os próprios locais na web, da mesma forma que existem certas regras na escola ou trabalho, por exemplo.

A discussão do que pode ou não pode ficou bem mais intensa aqui no Brasil com o período eleitoral. Prova disso foram as ações que chegam a ser absurdas contra os serviços online, como o Vídeo com candidatos de Balneário que poderia tirar o Youtube do ar ou o recente (novo) mandato de prisão do presidente do GoogleBrasil, Fabio Coelho. Mas aqui mesmo foi defendido que a Responsabilidade deve ser do gerador de conteúdo, não da plataforma que hospeda.

Um Marco Civil da Internet no Brasil está em discussão com regras sobre direitos e deveres dos cidadãos na web. Infelizmente a tramitação está emperrada, pois a questão da neutralidade na rede não está clara para quem está montando as regras, além da falta de consenso entre empresas de telecomunicações, provedores de serviço, governo e setores que defendem a ampla liberdade no ambiente online. Vale muito a pena acompanhar a desdobramento (e até mesmo contribuir nas discussões) do que pode ser uma espécie de “Constituição” para o mundo virtual.

Perfil no Facebook da revista The New Yorker foi punido por uma charge, pela alegação de violar a política de uso sobre  anti-nudez e pornografia. A empresa pediu desculpar pelo erro e retirou o material.

O jornal Folha de São Paulo publicou uma matéria bem interessante sobre liberdade de expressão na rede. Também é uma boa leitura, mas a parte mais interessante é um apanhado das  políticas e proibições de cada um dos principais serviços online, que  compartilho a seguir:

Para saber mais - Programa da TV Brasil sobre SOPA, PIPA, ACTA, Marco Civil da Internet e Lei Azeredo.

Bookmark and Share