Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Como encontrar iPod no picolé?

14 de dezembro de 2007 6


>> Atenção, leitor, este texto é um relax para sexta-feira, ok?

 

Dada a promoção da Kibon, que vai colocar 10 mil iPods Shufle nos seus picolés, consultamos os especialistas da FARSA (Faculdades Ambíguas Realmente Sacanas da América) atrás de sugestões para atingir o objetivo básico de qualquer consumidor em uma promoção: levar vantagem.

Diretamente do núcleo de ciência política, o Prof. PhD. Dr. FdP. Vicente Aquino, sugere um procedimento:

– Numa primeira instância, se poderia oferecer alguma vantagem financeira ao sorveteiro, quem sabe ao fornecedor.

– O senhor está sugerindo subornar o cara do carrinho da Kibon?

– Subornar não! Dar uma gorjeta, sabe, assim, por “generosidade”. Em troca, ele também seria generoso e deixaria você realizar “provas” nos produtos – respondeu, assinalando as aspas com as mãos.

De posse dos picolés, chega a hora dos testes. A primeira sugestão veio do departamento de ciências biológicas:

– Todos nós temos um avançado aparato óptico que nos permite detectar e diferenciar nuances de tonalidades em matérias mono ou policromáticas quando expostas a ambientes em que uma grande concentração de luz é lançada sobre elas, graças ao mecanismo dos bastonetes e cones. Ainda que haja uma profusão policrômica, conquanto nos posicionemos ante o objeto, após a fonte de energia luminosa, há uma possibilidade de detectarmos corpos estranhos em formações cristalizadas revestidas – explicou a professora e doutora nipo-britânica Xana Chi Foh.

– Seria olhar o picolé contra o sol?

– Dito de forma muito, muito resumida, sim.

Do centro de Físico-Química, as hipóteses são mais ousadas. Segundo o especialista em imersão e comparação empírica da FARSA, Caio Armando, há um teste bem simples para resolver o problema:

– De posse de um recipiente relativamente médio, submerge-se ambos os objetos em uma solução de cloreto de sódio e água. Observa-se, então, a ação das leis de empuxo e do princípio de Arquimedes.

– Sua sugestão é mergulhar os picolés na salmoura… mas como saber qual tem o aparelho?

– Isso exigiria uma pesquisa mais aprofundada.

Outras sugestões coletadas nos corredores da FARSA sugerem estudos com radiação, interrogatórios na linha de produção, espionagem industrial e até o desenvolvimento de algorítimos. Mas o coordenador do centro de pesquisas gerais dá a sugestão mais objetiva: chupe.

Postado por Guilherme Neves

Comentários

comentários

Comentários (6)

  • Guilherme Neves diz: 15 de dezembro de 2007

    Gustavo, os especialistas da Farsa garantem a eficácia de seus métodos!

  • Alex diz: 13 de janeiro de 2008

    O picolé não é de verdade, então uma pequena pressão com a unha no mesmo deverá delatar o “falso”

  • Angel diz: 14 de dezembro de 2007

    Ahahah. Muito bom.

  • Gustavo diz: 14 de dezembro de 2007

    Duvido que alguma coisa funcione, mas tá engraçado. Valeu pessoal.

  • Guilherme Neves diz: 14 de dezembro de 2007

    Aqui na redação pintou também a seguinte sugestão: discretamente, desligar o freezer do super/mercadinho/lojinha, esperar uns minutinhos e ver quais não derretem…. Matreiro, hein!

  • nathalia diz: 17 de janeiro de 2008

    Impressionantes os dados revelados nesta pesquisa da FARSA. Sou jornalista e pretendo substituir minhas pesquisas do Datafolha por estas desta excelente entidade. Parabéns aos integrantes, exemplos de informação de qualidade e seriedade…

Envie seu Comentário