Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Street Chaves – a vingança do Seu Madruga

03 de março de 2008 4
The following two tabs change content below.


 
Sabe quando a gente tá vendo o Chaves e a Dona Florinda vem e mete um tapa na cara do Seu Madruga sem que ele tenha culpa de nada? Não dá vontade de dar um pau na velha, ou de sacudir o magrelo pra ver se ele se defende? Pois bem, existe um meio para tornar isso realidade: Street Chaves.
  
Como no nome sugere, Street Chaves é uma versão “chaves” para o clássico mais clássico entre os clássicos dos games de luta, o Street Fighter. No game, em lugar de Ryu, Ken, Blanka e Cia., estão disponíveis para a pancadaria Chaves, Chiquinha, Seu Madruga, Dona Florinda, Professor Girafales, Godines, Quico, Paty, a Bruxa do 71 (ops, Dona Clotilde), Nhonho, Senhor Barriga e Senhor Furtado (aquele ladrão mequetrefe que só vi em um episódio).
 
Na versão mais recente que consegui, temos ainda Dona Neves, Glória (a vizinha gostosa) e o carteiro Jaiminho (este não estava presente na versão anterior provavelmente porque preferiu evitar a fadiga). Só senti falta de uma participação especial do Chapolin como personagem secreto.
 
 
Clique na imagem para ver ampliada e com legendas
 
Os cenários são ambientados em localidades conhecidas pelos fãs do seriado – as casas de Dona Florinda e Seu Madruga, os pátios da vila, a barbearia, o restaurante da Dona Florinda, etc. E as músicas são um show à parte. A trilha é composta por canções daquele velho LP (LP!!) do Chaves que foi lançado no Brasil, com pérolas como “Quico, Quiiiico, rá, rá, rá”, “Se você é jovem ainda, jovem ainda, jovem ainda” ou “Seu Madruga se perturba, pisa em cima do chapéu quando ouve falar em aluguel”.
 
Ao final da luta, entra a fala do vencedor com alguma frase retirada do próprio seriado. O Seu Madruga, por exemplo, diz o “só não te dou outra porque…“. Para cada personagem, o “chefão” final é diferente. A última luta revive situações de episódios do programa, como o Seu Madruga indo buscar seu violão de volta na casa da Dona Florinda, ou o Quico fazendo o Chaves devolver a bola que não havia emprestado.
  
 
Clique na imagem para ver ampliada e com legendas
 
O game é bastante bem feito para um jogo projetado de forma amadora. Em alguns cenários, os objetos do fundo quebram se alguém for jogado na direção deles, como a mesa na casa do Seu Madruga. Também é possível fazer combos no estilo Super Street Fighter. A maioria dos golpes se baseia nos ataques do game de luta da Capcom: Seu Madruga tem golpes semelhantes aos de Chun-li; Professor Girafales aos de Sagat; Nhonho aos de E-Honda (só podia); e assim por diante. Personagens dos jogos de luta da SNK aparecem eventualmente jogando “comida” para dentro do ringue, o que recupera a energia dos combatentes.
 
Quem ainda não conhece e quiser jogar, é só procurar nesse portal que tem o jogo, e vários outros games com personagens do seriado, sobretudo o Seu Madruga. Além de outras informações e conteúdos sobre o imortal criador de Chaves.
 
Uma dica para jogar: aperte os botões todos e mexa o direcional desordenadamente como um maluco-compulsivo-psicótico. Seu personagem vai sair dando um monte de especiais e você ganha a luta. Não falha.
 
Agora é com vocês.
 
Aí vem o Chaves, Chaves, Chaves… FIGHT!
 
Confira todos os capítulos do Games memória: Street Fighter
Parte IParte IIParte II e ½ - Parte III - Parte IV - Parte V (final)
  
Imagens reprodução

Comentários

comentários

Comentários (4)

  • Gustavo diz: 3 de março de 2008

    muito bom o jogo..
    o godines e a gloria sao as makinas do jogo… ahahahaha

  • Infosfera » Blog Archive » Games memória: Street Fighter – parte I diz: 30 de dezembro de 2009

    [...] Parte I – Parte II – Parte II e ½ - Parte III - Parte IV - Parte V   >>>Veja também Games memória: Street Chaves - a vingança do Seu Madruga    Imagens [...]

  • Infosfera » Blog Archive » Games memória: Street Fighter – parte final diz: 31 de dezembro de 2009

    [...] [...]

  • Jonnathan diz: 9 de agosto de 2012

    que gloria Gustavo

Envie seu Comentário