Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Sites maliciosos crescem e 233% em um semestre, diz Websense

28 de setembro de 2009 0
The following two tabs change content below.

Guilherme Neves

Jornalista, fã de gadgets e traquinanas tecnológicas em geral. Linux user convicto, mas não xiita.

A Websense divulgou nesta segunda-feira os resultados do relatório semestral Websense Security Labs, State of Internet Security, Q1-Q2 2009. Foi detectado um crescimento de 233% na quantidade de sites maliciosos no último semestre e 671% de crescimento no número de sites maliciosos durante o ano passado.

No primeiro semestre de 2009, 77% dos sites que possuíam códigos maliciosos eram legítimos. Esse aumento da porcentagem deve-se, em grande parte, aos ataques do Gumblar, Beladen e Nine Ball por meio de campanhas de spams em massa.

Sites de Web 2.0 que permitem conteúdos gerados por usuários estão no topo da lista de ataques dos cyber-criminosos e spammers. A Websense identificou que 95% dos comentários gerados por usuários em blogs, salas de bate-papo e mensagens contêm spams maliciosos.

Esforços ineficazes

Uma pesquisa da Websense revelou que ferramentas de segurança utilizadas em sites como YouTube e Blogspot tem 65 a 75 de ineficiência na proteção do usuário contra riscos de segurança e conteúdos suspeitos.

A Web “suja” está cada vez mais suja: 69% de todas as páginas da Web que possuem conteúdos classificados como “suspeitos” (sexo, conteúdos adultos, jogos, remédios) apresentaram pelo menos um link malicioso.

Estes assuntos estão cada vez mais difundidos, já que em 78% de novas páginas Web, analisadas no primeiro semestre de 2009, tiveram pelo menos um link malicioso.

O Websense Security Labs conclui que 37 por cento dos ataques maliciosos a Web estão relacionados ao roubo de senhas, demonstrando que os invasores estão interessados nas informações essenciais e dados.

Comentários

comentários

Envie seu Comentário