Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Ubuntu: mais boca-a-boca do que mainstream

27 de outubro de 2009 13
The following two tabs change content below.

Guilherme Neves

Jornalista, fã de gadgets e traquinanas tecnológicas em geral. Linux user convicto, mas não xiita.

Como pode um sistema operacional crescer no mercado de desktops? Se você pensa que isso se consegue apenas com parcerias entre desenvolvedores e fabricantes e propagandas caras, deveria ouvir a opinião de Mark Shuttleworth, CEO da Canonical, a organização por trás do Ubuntu, uma das distribuições Linux mais populares da atualidade.

Para Mark, a meta do Ubuntu não é atrair, ou mesmo se divulgar, para a massa:

– Temos que ser bons o bastante não para as pessoas testarem por si só, mas bons os suficiente para as pessoas recomendarem o Ubuntu. Essa é a nossa meta.

A declaração veio depois de uma pergunta feita por mim num conference call nesta segunda, divulgando a nova versão da distribuição, o Ubuntu 9.10 (Karmic Koala). A pergunta foi sobre migração do Windows para o Linux e como o Ubuntu pode ajudar.

– Algumas das coisas que aconteceram nas últimas versões do Ubuntu melhoraram as habilidades dos usuários para terem mais confiança no sistema antes de mudarem. Agora você pode baixar o Ubuntu num pendrive e rodar todo o sistema operacional via USB sem tocar no HD.

Segundo Mark, isso torna possível verificar se o sistema trabalha bem com o hardware e se é compatível com outros dispositivos, permitindo ganhar confiança para uma instalação no hardware.

Outro destaque de Shuttleworth é a integração com o Windows. Atualmente, o Ubuntu pode rodar na mesma partição que o sistema da Microsoft. Tudo pela confiança do usuário. Mas o maior trunfo está fora dos Live CDs ou live USBs:

– Ganhamos as pessoas um amigo de cada vez. As pessoas têm uma experiência positiva, elas compartilham essa experiência e acabam agindo como a primeira linha de suporte para os problemas que seus amigos talvez tenham.

Comentários

comentários

Comentários (13)

  • Marcelo diz: 27 de outubro de 2009

    Ubuntu apesar de gratuito não fica devendo nada para os sistemas pagos.
    Isso se deve a sua crescente comunidade de usuários que se ajudam.

  • Fabio diz: 27 de outubro de 2009

    Isso é muito verdade, as pessoas testam o Ubuntu e, num primeiro momento acham diferente. As que se dispõem a aprender algo novo (tantos anos de monopólio… pode ser complicado de mudar) em pouco tempo gostam tanto que nunca mais querem voltar para o Windows e acabam se tornando defensores do Ubuntu, divulgando entre os amigos, a família, etc.
    Isso se deve, naturalmente, às próprias qualidades do sistema (simples, bonito, funcional, personalizável), mas também à sensação de estar usando algo livre, desenvolvido e aprimorado por uma comunidade internacional, à qual todos podemos participar e colaborar, ajudando e sendo ajudados por pessoas ao invés de enriquecer empresas multinacionais à qual usuários devem obediência.

  • Anderson Lima diz: 27 de outubro de 2009

    Parece ser difícil de usar por não ter um ou outro programa que precisa de uma linha de texto a ser digitada, mas basta buscar na internet, pois o fórum do ubuntu sempre tem a resposta, ou alguém disposto a responder. E isso está mudando, tenho percebido que cada vez mais o sistema elimina essas linhas de comando chatas. É muito mais estável e seguro que o windows, e é isso que importa, não o Aero -.-

  • Luka.san(Gilmar) diz: 28 de outubro de 2009

    Eu uso o Ubuntu como meu Sistema Operacional ,realmente não fica devendo nada ao meu antigo XP OEM.
    recomendo aos amigos e dou copias para testarem, a maioria fica satisfeito e troca o SO.

  • Rondinelli diz: 28 de outubro de 2009

    O Ubuntu é com certeza uma das distribuições mais simples e confiáveis para o usuário doméstico que quer se familiarizar com o Universo Linux.

  • Landex diz: 28 de outubro de 2009

    Simplesmente o melhor S.O. de todos os tempos desde o primeiro dia que eu experimentei nunca mais larguei.

  • Pedro diz: 28 de outubro de 2009

    O Ubuntu é incrivel! Comecei o Linux com o Kurumin, quando este morreu em 2007 eu mudei pro Ubuntu e nunca me arrependi.

  • Cidney diz: 28 de outubro de 2009

    Em 1989 comecei a utilizar a plataforma mac, mas com o tempo as actualizações ficaram onerosas, foi então que fui obrigado a migrar para windows. Em 2006 voltei a usar mac e agora em 2009 uso ubuntu rodando em máquina virtual no meu macbook e no trabalho somente ubuntu.
    Tenho em casa uso media center totalmente ubuntu, inclusive o controle remoto da marca microsoft se adaptou muito bem ao linux.
    Tenho apenas uma dificuldade comum no osx e ubuntu que é a falta de um navegador de internet 100% compatível com o Internet Explorer, alguns sites importantes só tenho acesso rodando esse navegador.
    Parabéns a toda a comunidade linux.

  • Twitter Trackbacks for Infosfera » Blog Archive » Ubuntu: mais boca-a-boca do que mainstream [clicrbs.com.br] on Topsy.com diz: 28 de outubro de 2009

    [...] Infosfera » Blog Archive » Ubuntu: mais boca-a-boca do que mainstream wp.clicrbs.com.br/infosfera/2009/10/27/ubuntu-mais-boca-a-boca-do-que-mainstream/ – view page – cached « Campus Party Brasil abre inscrições e antecipa novidades para a edição — From the page [...]

  • MC Graner diz: 29 de outubro de 2009

    O Ubuntu supre as necessidades da maioria dos usuários. O que ainda falta, é a empresa que desenvolve o AutoCad, usar também o Linux. Temos o ShockWave – ainda não entendo o porque da Adobe não desenvolver o Shock para Linux, assim como o fez com o Flashplayer; Dicionários como o Aurélio e o Houais precisariam ser desenvolvidos para serem instalados em Linux.

    Um abraço a todos.

  • elcio garcia torquato diz: 29 de outubro de 2009

    sou um usuario do windows,a pouco tempo comecei a descobrir o universo linux e desde então me apaixonei,fico ainda meio perdido,mas as tarefas mais comuns ja consigo realizar,comecei com o ubuntu 9.04 e não via a hora de chegar no dia 29/10/2009 para fazer o download da nova versão,realmente estão de parabens os presidentes e responsaveis pelo sistema,que acima de tudo ainda é gratis. E realmente um sistema que funcione com qualidades graficas em efeitos e programas bastante util
    VALEU

  • Yangson Fantini diz: 31 de outubro de 2009

    O Ubuntu é sem dúvida um bom sistema operacional, igual ao mandriva ou fedora ou opensuse.
    O “bug” maior está na cabeça do usuário burro que nao se importa de usar windows pirata. Todo mundo usa, ele tambem usa, ninguem liga pra nada… O importante é funcionar.

  • Gleidson Galindo diz: 3 de janeiro de 2010

    Com certeza o Ubuntu vem conseguindo seu espaço e melhorando o seu nome entre os usuários. Se toda a comunidade de software livre estivesse unida em um só propósito de desenvolver poucas distribuições, mas com bastante qualidade e força, aí sim, iriamos ver o Linux crescendo cada dia mais, e pessoas abandonando o certo monopólio que há, por conta dos softwares da Microsoft. O que precisamos é de diversidade! Em seguida, os fabricantes de hardware e aplicativos comerciais, passariam a enxergar o sistema operacional do pinguim com outros olhos!

Envie seu Comentário