Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Finalmente, a tela de apresentação dos browsers no Windows europeu

02 de março de 2010 2
The following two tabs change content below.

Guilherme Neves

Jornalista, fã de gadgets e traquinanas tecnológicas em geral. Linux user convicto, mas não xiita.

O leitor do Infosfera deve lembrar que acompanhamos com interesse o desenrolar do processo de 10 anos envolvendo o navegador de internet da Microsoft na União Europeia. Para recapitular: a MS foi processada por práticas que comprometiam o mercado, mais especificamente, por “embarcar” no Windows o Internet Explorer (IE), seu próprio browser.

No ano passado, a corte decidiu aceitar a proposta da MS, de oferecer alternativas ao navegador “oficial” do Windows.

A polêmica seguinte foi a ordem de apresentação dos navegadores na tela em que o usuário optaria por um dos programas. Líder de mercado? Significaria privilegiar o IE. Ordem alfabética? No final, a primeira sugestão poderia não ser a melhor para o público. Ganhou o aleatório e mais sete navegadores não tão conhecidos como o Sleipnir e o K-Meleon.

Então, segue o print, retirado do site do jornal The Telegraph, com a tela de apresentação dos navegadores.

Comentários

comentários

Comentários (2)

  • marcio diz: 2 de março de 2010

    continuo achando que, a UE deveria sim impor que a MS abrisse o codigo de varios produtos e promover a interoperalidade entre todos, isso sim, os codigos fechados é que impedem as empresas concorrentes de crescer

  • Guilherme Mac diz: 2 de março de 2010

    Ficou muito bom assim. Mas a ordem de apresentação tbm poderia ser aleatória dinâmica, ou seja, um código que cada usuário que abrisse seria mostrado uma tela diferente, de modo aleatório (é bem simples fazer isso). Mas não que eu esteja reclamando. Seria só uma sugestão.

    Mas quem não gostou da decisão da UE, saiba que a empresa tem que respeitar a legislação local. Esse tipo de controle acontece em qualquer lugar do mundo e em todos os seguimentos. É uma prevenção para desequilíbrios de mercado e uma garantia para que os consumidores, que são a parte fraca, ficarem protegidos. Até escrevi sobre isso (impossível escrever tudo aqui) no meu blog:
    http://guilhermemac.blogspot.com/2010/01/organismos-de-controle-interesse.html

Envie seu Comentário