Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Laboratório aponta média de 3 mil tentativas de visita a sites pornográficos por minuto

30 de março de 2011 2
The following two tabs change content below.

Um levantamento do laboratório de segurança online Kaspersky aponta que ocorrem, em média, mais de 3 mil tentativas de visita a sites pornográficos por minuto em todo o mundo. O sistema Parental Control da empresa – usado para monitorar e restringir o acesso em redes domésticas – recebeu, diariamente, mais de 4 milhões de alertas de pornografia.

Os bloqueios a conteúdos de caráter sexual explícito ocorrem principalmente à noite, por volta de 23h. Na América Latina, no entanto, de acordo com o analista de malware da companhia no Brasil, Fábio Assolini, as detecções concentram-se em maior número no horário entre 15h e 20h, com pico às 16h.

- É o horário em que as crianças que estudam pela manhã chegam em casa, após as atividades vespertinas. A partir das 18h, o índice passa a cair, pois os pais estão chegando em casa – explica.

Envie TECNO para 46956 e receba as últimas novidades do mundo tecnológico. O custo por mensagem recebida é R$ 0,31 para todas as operadoras.

Comentários facilitados: para quem ainda não percebeu, o blog não está mais exigindo cadastro para comentar. Deixe sua opinião!

Twitter: receba as atualizações do blog. Sigam-nos os bons!
@crespani
@bloginfosfera

Comentários

comentários

Comentários (2)

  • Marcos diz: 31 de março de 2011

    Caro,

    Baseado em que dados você pode afirmar que a culpa pelo acesso a sites de conteúdo “sexual explícito” é das crianças na América Latina?

    No mínimo você teria que mapear todos os IPs da América Latina, verificar todos aqueles que são residenciais e não de empresas, depois disso fazer um levantamento (pelo menos estatístico) de quantas destas residências possuem crianças e ainda quantas destas estudam pela manhã, para depois fazer uma afirmação baseada em um ‘achismo’ barato.

    Como é que a RBS deixa um cara escrever um lixo destes.

    Resposta: Marcos, acho que tu não leste o post com o devido cuidado. Trata-se de uma interpretação de um analista da Kaspersky acerca de dados coletados por ferramentas da própria companhia. Não é uma afirmação minha.

  • Podcast Backup 106 – pornografia online, spams e a arte do podcast | Infosfera diz: 8 de abril de 2011

    [...] de japonês, André “moshi moshi” Crespani e Natália Cagnani debatem ainda sobre as tentativas de acesso a esse tipo de material pelas crianças no [...]

Envie seu Comentário