Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Ministro ouve hackers, pequenos empresários e representantes de associações do software livre

01 de julho de 2011 2

Após falar em palestra no fisl12 sobre o desenvolvimento da indústria de TI e telecomunicações no país, o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, participou de encontro com hackers no Centro de Eventos da PUCRS. A reunião teve a participação não apenas de representantes de movimentos hacker, como também de empresários do software livre, que aproveitaram o encontro para levar demandas das micro e pequenas empresas de tecnologia ao governo.

No encontro, que durou mais de uma hora, os temas foram variados: dos ataques aos sites de governo às modalidades de financiamento à inovação. O estímulo à criação de patentes brasileiras na indústria do software, defendido pelo ministro em sua palestra no fisl, foi criticado pelo público presente no evento.

- Não se mede a velocidade de um carro pelo tamanho do freio. Também não se deveria medir progresso científico pelo número de patentes – questionou Alexandre Oliva, conselheiro da Fundação Software Livre América Latina.



Mercadante participou de encontro na PUCRS



O empresário Tadeu Cascardo reclamou dos problemas que as micro e pequenas empresas brasileiras de hardware e software enfrentam no acesso a crédito:

-Temos que pensar não só em como as grandes empresas vão fabricar hardware no Brasil (se referindo a incentivos para companhias como a Foxconn), mas também em como as pequenas empresas vão fazer isso.

A coordenadora do Tranparência Hacker, Daniela Silva, pediu maior velocidade na liberação de informações do governo na rede para facilitar o controle do uso do dinheiro público por parte da sociedade. Para Daniela, as tentativas de invasão aos sites oficiais deveriam servir para acertar o foco de como o governo pretende liberar as informações de transparência de despesas daqui para a frente:

- Por que as informações de governo ficam guardadas apenas nos servidores de governo? Isso não é mais necessário, poderiam estar circulando em redes peer-to-peer, à disposição das pessoas. Muitas vezes esses sites acabam sendo pouquíssimo úteis, com quase só conteúdo editorial. Esses dados poderiam estar na mão da sociedade há muito mais tempo.

Comentários

comentários

Comentários (2)

  • André Rosa diz: 1 de julho de 2011

    Por isso que o pais não emplaca, ministro da Tecnologia que não entende nada de TI. Estes ministros pulam de area em area e nunca sabem de nada.

  • Elton diz: 1 de julho de 2011

    Isso aê não vai dar certo.
    é furada.

Envie seu Comentário