Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Percalços linguísticos com a família hospedeira em Malta

11 de junho de 2012 3

Talita com Jenny e André

A família que hospeda um estudante no exterior é peça chave no tipo de experiência que se vai ter. Quando a gente se dá bem com eles, a vida fica muito mais fácil e a adaptação não demora nadinha para acontecer. A Talita Orsolini, de 26 anos, está em Malta e deu bastante sorte com seus pais “emprestados”.

A relações públicas está por lá desde fevereiro e a relação com Jenny e Andre vai deixar saudade e algumas confusões linguísticas divertidas para contar. Confira o relato dela:

“Todas as pessoas que conheço e vivem com Hostfamilies por aqui dizem que tive sorte com a que “aluguei” e confesso concordar, pois eles são maravilhosos. Literalmente se colocam como família, preservando nossa privacidade e diferenças culturais. Estão sempre dispostos a nos ajudar. Também nos convidam para assistir filmes, corrigem nosso inglês e fazem questão de tomar o café da manhã e jantar conosco para não nos sentirmos muito sozinhos e conversarmos no idioma. Jenny e André, meus pais postiços aqui em Malta, são adoráveis e essa convivência tem ajudado a não sentir muita saudade da família. Sem contar que a comida da minha  hostmother é maravilhosa: temos entrada, prato principal e sobremesa. Melhor do que nos restaurantes. Sim, nunca imaginei comer tão bem na Europa.

Normalmente somos cinco estudantes na casa. Quando cheguei havia uma japonesa, um suíço e um espanhol. Nos cursos aqui é muito comum mães de famílias asiáticas tirarem uns meses de férias para um período de seis meses estudando inglês. Mas mesmo diante desse contexto curioso sobre as mulheres asiáticas, as diversidades culturais e inúmeras outras peculiaridades, visto estar em um país com forte influência árabe. Ainda me sinto o assunto mais exótico das pessoas com quem convivo. É surpreendente a expressão de encanto e as inúmeras perguntas que fazem quando digo ser brasileira. Porém, o que realmente me deixa surpresa é a curiosidade deles para entender a política brasileira, porque o Brasil tem tanta pobreza e o que é a pobreza como são as favelas.

Malta e sua paisagem exuberante

O idioma já me proporcionou umas situações engraçadas por aqui, em especial algumas confusões com a pronúncia. Um dia estávamos conversando sobre lixo na janta. E fui fazer um comentário sobre as novas lixeiras de Porto Alegre. Errei a pronúncia da palavra e disse sem querer  disse que estava me drogando. A família e os alunos que entendem melhor inglês pararam de jantar, me olharam e disseram:  “Tem certeza que você quis dizer isso?” e eu disse “SIM, na minha cidade isso é muito comum. Aqui não?” Então, eles disseram: “Você tem certeza que sabe o que disse?” E começaram a fazer mímicas para eu entender que havia dito que estava me drogando. Que gafe.

Também aconteceu um outro momento em que estava indo pra aula e derrubei no meu quarto óleo para corpo. Quando desci para pedir um pano disse que havia “vomitado” óleo por todo meu quarto. Jenny e André se apavoraram e, enquanto eu limpava tudo, ouvi uma movimentação nas escadas.  De repente, os dois bateram na minha porta, arrumados para me levar ao hospital. Pois vomitar óleo era algo muito sério!

Eu não me dei conta que ao invés de “dropped” falei “throw up”. Havia estudado phrasal verbs antes de descer para o café da manhã. Eles estavam com uma expressão muito preocupada e eu não conseguia entender porque essa história de vomitar óleo. Até que pedi para entrarem no meu quarto, para olharem o que eu havia derrubado e por mímicas mostrei o que havia acontecido.”

_______________________
Se você tiver alguma história com sua família hospedeira e quiser compartilhar com a gente é só entrar em contato pelo bruna.amaral@zerohora.com.br ;)


Comentários (3)

  • Helton diz: 11 de junho de 2012

    hahah, vomitar óleo parece mesmo muito sério! rsrsr Muito engraçado este post! Boa estadia!

  • Thais Winck diz: 11 de junho de 2012

    Nossa,
    eu e meu namorado planejamos ir pra Malta :D
    Só falta grana e férias.. eheheh

    Quem sabe não encontramos uma família hospedeira assim também…

  • Fumy Santana diz: 11 de junho de 2012

    Muito engraçada a matéria e, como em 2013 pretendo ir para Malta, não pude deixar de ler. É um destino precioso e que, por ser pouco explorado pelos brasileiros, merece mais pautas.

Envie seu Comentário