28 jun09:25

Surfistas cegos batem recorde em Itajaí

Grupo registrou marca histórica na Praia do Atalaia

do Jornal de Santa Catarina

Fernando Arruda

Uma onda, poucos segundos, oito pessoas buscando a superação e um recorde brasileiro quebrado. Ontem, oito deficientes visuais surfaram a mesma onda na Praia do Atalaia e entraram para a história. A mobilização fez parte da segunda edição do evento Superação nas Ondas.

- Este recorde é um incentivo à superação. Isso mostra a capacidade do deficiente visual não apenas no surfe, mas no seu dia a dia. Mostra que eles podem trabalhar, estudar e fazer diversas atividades como qualquer pessoa – afirma o idealizador do evento, Jailson Fernandes, instrutor da Escola de Surf Amigos da Atalaia.

Os recordistas vieram de outras partes do Estado e do Brasil, como Santos, Joinville, Gaspar, Brusque e Balneário Camboriú. Um auditor e o diretor do Livro dos Recordes Rank Brasil estiveram na Praia do Atalaia para registrar a marca.

- Foram cerca de dois segundos, mas os oito ficaram em pé na mesma onda, ao mesmo tempo e quebraram o recorde brasileiro. A marca anterior foi estabelecida ano passado, aqui mesmo, com sete surfistas – explica o diretor do Rank Brasil, Luciano Cadari.

Eduarda Zimmermann Becker, 18 anos, nunca havia surfado. Ela saiu da água cansada, mas entusiasmada com a experiência:

- É uma sensação muito boa e emocionante. Levei vários tombos, mas não tem problema, é legal cair e levantar para começar tudo de novo.

Para o presidente da Federação Catarinense de Desportos de Cegos e Baixa Visão (Fecadesc), Carlos Roberto Sestrem, a iniciativa deve ser repetida em outros municípios:

- Eu nunca tinha surfado, mas é mais um esporte que vou seguir praticando. Vamos tentar implantar o surfe no calendário oficial da Federação. Tem mais praias em Santa Catarina que merecem receber esse evento – analisa Sestrem.

Por

Comentários