clicRBS
Nova busca - outros
31 ago16:48

Policial acusado de matar estudante em Itajaí diz que mirou em bandido

O silêncio tomou conta da sala do júri no momento em que o policial militar Hemelino Noé Caetano,suspeito de ter matado o estudante Rafael Mendonça, foi chamado para depor.

Nervoso, Noé relatou à juíza Sônia Moroso o que ocorreu entre o momento em que foi chamado para atender a ocorrência de assalto ao Banco do Brasil junto ao Porto de Itajaí e o instante em que o jovem foi baleado.

Noé afirmou ter mirado em um dos assaltantes com o intuito de imobilizá-lo, e não em Rafael. Mas admitiu que o estudante foi confundido com os bandidos. O promotor Isaac Guimarães disse que há contradições entre a versão apresentada por ele hoje e a que consta na ficha da ocorrência policial da PM.

A justificativa do soldado foi que o texto, na época, lhe foi ditado por um superior. Além da defesa e da acusação, os jurados também fizeram várias perguntas ao policial para esclarecer o depoimento.

Se condenado pelo assassinato de Rafael, a pena de Noé pode chegar a 20 anos de prisão.

>>> LEIA TODAS AS INFORMAÇÕES DO CASO RAFAEL

Por Jornal de Santa Catarina

Por

Comentários