08 set08:49

Balneário Camboriú vertical

Três das 10 cidades brasileiras mais verticalizadas são catarinenses. Estudo do Ibope Inteligência revela que Balneário Camboriú aparece em segundo lugar no ranking nacional, atrás apenas de Santos (SP). Florianópolis ocupa a sexta posição e São José a nona.

Campeã no Estado, Balneário Camboriú também deverá abrigar, a partir de 2016, o segundo maior edifício da América do Sul, um projeto com 63 andares. Hoje, 57% dos imóveis da cidade são apartamentos – em Santos, o índice é de 63%.

Com uma densidade demográfica 54,8% superior à da líder Santos, a cidade catarinense tem no tamanho de seu território o maior limitador para passar à primeira posição no ranking do Ibope. Mas projetos não faltam para elevar o índice.

A Empresa Brasileira de Edificações (Embraed) prevê finalizar, até novembro do ano que vem, o Villa Serena Residence. Composto por duas torres com 46 andares cada uma, o maior empreendimento em construção da cidade fica na Rua 3.706 e tem dois apartamentos por andar.

Mas as obras mais ousadas têm a assinatura da FG Empreendimentos, há oito anos no mercado. A construtora tem seis empreendimentos em andamento, incluindo o Alameda Jardins Residence, um prédio de 45 andares e aproximadamente 140 metros de altura na Barra Norte. Lançado no último Carnaval e com conclusão prevista para setembro de 2015, o prédio está 70% vendido, segundo Toninho Roncaglio, gerente comercial da FG.

Mas são os próximos lançamentos que deverão colocar a construtora e Balneário Camboriú no mapa dos grandes empreendimentos do país. Segundo Roncaglio, em dezembro será lançado o projeto do prédio com 63 andares e quase 200 metros de altura na Barra Norte. Em número de andares e em tamanho, o empreendimento vai ultrapassar o maior edifício brasileiro, o Mirante do Vale, em São Paulo (que tem 51 andares e 170 metros).

Também há possibilidade de construir um prédio de 70 andares na Barra Sul. De acordo com Roncaglio, o novo projeto está em fase de definição do perfil do produto, mas a empresa pretende lançá-lo ao público ainda em 2012.

– Percebemos, nos últimos anos, que a verticalização ficou mais acentuada em Balneário Camboriú. Isso porque, pelo espaço territorial limitado, não há crescimento sem que ele passe pela verticalização – resume Roncaglio.

Verticalização municipal preocupa secretário de planejamento

O presidente do Sindicato da Habitação de SC (Secovi-SC), Sérgio Luiz dos Santos, concorda com esta tendência. Mas a verticalização da cidade preocupa o secretário de Planejamento Auri Pavoni, que defende uma revisão do Plano Diretor que, atualmente, não restringe o número de andares que um prédio pode ter, por exemplo. Na opinião de Pavoni, devem ser colocados limitadores para a verticalização municipal para que a cidade não perca a capacidade de oferecer qualidade de vida para os seus habitantes.

>>> Morando nas alturas

>>> Desafio é crescer com planejamento


Por Alessandra Ogeda, Diário Catarinense

Por

2 Comentários »

  • Edmilson disse:

    Bal Camboriu antes de pensar em ser top em construção de prédios deveria se preocupar com a infraestrutura das ruas que não comporta o volume de predios e carros, assim como o tratamento de esgoto que todos estes “lindos” predios jogam no mar, e no alto verão você não consegue se quer tomar um banho no mar, devido a péssima qualidade da agua, culpa da ocupação desordenada.

  • asteywwwsjw disse:

    Daqui a pouco se acontecer em Santos assim como acontece na cidade do Mexico que os predios começarem a pender por que o terreno nao comportar a quantidade de grandes predios por metro quadrado ai sim vai ser a tal da Maravilha do Atlantico estilo Torre de Piza.

Comentários