clicRBS
Nova busca - outros
13 mar11:21

Calor persiste até o fim de março em Santa Catarina

Às 2h14min da próxima terça-feira, o verão dará espaço ao outono, mas o calor vai se estender. Friozinho, só em abril. Até lá, os cuidados com a hidratação e com a exposição solar devem continuar. Em Florianópolis, a umidade do ar está tão baixa que se assemelha à de Brasília, capital conhecida nacionalmente pelo tempo seco. 

Confira imagens da onda de calor que está dominando Santa Catarina

O verão, que iniciou em 22 de dezembro de 2011, seguiu a tendência prevista por meteorologistas na entrada da estação. Não chegou a bater grandes recordes de calor, mas, na Capital, deixou a população quase sem fôlego entre os dias 30 de janeiro e 9 de fevereiro, com 11 dias consecutivos de temperaturas acima dos 30ºC.

Por outro lado, para aqueles que gostam de renovar as energias em um banho de mar, a água se manteve gelada durante toda a estação por influência do fenômeno La Ninã. Esta condição também deve permanecer no Estado durante boa parte do outono. 

De acordo com previsão meteorológica do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia do Estado (Epagri/Ciram), a estação deve chegar ao Estado no período programado, não tardiamente, como o verão. A tendência é de normalidade, com chuvas e temperaturas dentro da média histórica esperada. O calor no início do outono é considerado normal. 

— Boa parte de março ainda terá características de verão, com temperaturas mais elevadas, podendo chegar as primeiras massas de ar frio, fracas e de curta durabilidade, no fim do mês. Mas é a partir de maio que as ondas de frio mais intensas atuam no Estado, com geadas generalizadas em todas as regiões e possibilidade de neve — explica a meteorologista Marilene Lima.

Outra característica do outono são os nevoeiros nas primeiras horas da manhã e a grande amplitude térmica diária (diferença entre a temperatura mínima e a máxima) em um mesmo dia. As manhãs começam com temperaturas mais baixas, na casa dos 20ºC, e durante a tarde, com a presença do sol, sobem e faz calor. 

Banho com menos arrepio

Quem não teve coragem de entrar no mar este ano pode ir preparando o biquíni ou a sunga. Segundo o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Gil Russo, a previsão indica que o fenômeno La Ninã já está indo embora. Com esta condição, é possível que na primeira quinzena de abril, com calor ainda atuando no Estado, a água do mar possa estar menos fria e se encaminhando para a normalidade. 

— Não podemos dizer que estará quente, mas também não estará gelada como no verão — diz Russo. 

Para o o oceanógrafo da Epagri- Ciram Argeu Vanz, o resfriamento das águas do Pacífico Equatorial não é o motivo da água mais fria no Sul do Brasil. Segundo ele, foram as correntes marítimas que diminuíram a temperatura do mar. 

Vanz explica que a corrente costuma ganhar força no decorrer de dezembro e janeiro e diminuir a atuação na chegada do outono. 

Frente fria vai passar rápido

Nesta terça-feira, o tempo segue seco com temperaturas altas e sem chuva. Mas na quarta-feira, a chegada de uma frente fria deve mudar este cenário, que se repete no Estado há cerca de 10 dias. Neste dia, o tempo fica instável, podem ocorrer pancadas isoladas de chuva e até risco de temporal isolado do Oeste ao Litoral Sul. As temperaturas caem e na quinta-feira a máxima, que hoje está em 35ºC, passa para 28ºC. As mínimas ficam em 20ºC.

DIÁRIO CATARINENSE

Por

Comentários