19 mai09:13

Regata do Porto de Miami, neste sábado, pode mudar classificação geral da Volvo Ocean Race

A classificação geral da Volvo Ocean Race 2011/2012 mostra que a regata de volta ao mundo não está nada definida. O Telefónica, que parecia imbatível, viu a vantagem de mais de 20 pontos cair para 11. O Groupama, segundo colocado, é ameaçado de perto pelo Camper e pelo Puma. Uma combinação de resultados pode mudar a ordem dos classificados e agitar ainda mais a disputa. Apenas Abu Dhabi e Sanya estão distantes do grupo da ponta. 

Por isso, quatro das seis equipes que disputam o título colocam a Regata do Porto como fundamentais na disputa. A In-port Race de Miami neste sábado (19) terá transmissão ao vivo do canal Bandsports, às 14h. No dia seguinte, os barcos partem dos Estados Unidos para Portugal em um percurso de quase 7 mil quilômetros pelo Atlântico Norte.

Apesar de dar menos pontos do que uma perna (6 contra 30 para o vencedor), a prova de aproximadamente uma hora poderá ser fundamental no final.

- O importante é somar o maior número de pontos possível. Por isso, as equipes fazem todos os esforços para vencer – diz o comandante do Camper, Chris Nicholson.

- Tratamos a Regata do Porto com seriedade desde o início. A prova ganha mais destaque porque estamos chegando perto da definição do título. 

Inconstante nas últimas etapas, o Telefónica quer retomar o caminho das vitórias. O comandante Iker Martínez relata que sua equipe está confiante depois uma série de treinamentos nos Estados Unidos.

- Estamos prontos para a regata. Tudo isso se traduz em treinos. Na prática, o objetivo é largar bem e manter a velocidade. Temos que voltar ao pódio - acrescenta o espanhol.

Vencedores da Regata do Porto DHL de Itajaí, no mês passado, os franceses do Groupama não se consideram favoritos. Na avaliação de Franck Cammas, Telefónica e Camper são mais consistentes nesse tipo de prova.

- Eles são os únicos que têm mais chance de ganhar, mas todos cometem erros. Por isso, a tática é ficar perto e aproveitar as chances – diz o comandante do Groupama.

Em Itajaí, o Telefónica liderava a Regata do Porto quando cometeu um erro de contorno de boia e acabou em último.

O Puma, que tem a melhor médias das últimas pernas com duas vitórias, corre em casa e espera fazer a festa dos torcedores locais.

- Temos fé no barco e fé na equipe. Está tudo dando certo e vamos continuar esse trabalho vencedor, sem focar em um adversário – acrescenta Ken Read, comandante do Puma.

O Abu Dhabi, mesmo em quinto e quase sem chances de título, espera voltar a vencer. Até o momento, os árabes venceram duas Regatas de Porto, em Alicante e em Abu Dhabi.

- Treinamos em Miami para a terceira vitória. Não existem favoritos e espero que sábado seja mais uma vez nosso dia – explica o líder Ian Walker.

O retorno da equipe do Sanya a Volvo Ocean Race também é o destaque da prova em Miami. Os chineses foram obrigado a abandonar a quinta perna e nem foram para a cidade de Itajaí.

- A nossa tripulação quer retomar o caminho com um vitória. Não seremos nada conservadores – conta Mike Sanderson, que está com apetite de voltar a velejar depois de mais de dois meses.

Classificação geral da Volvo Ocean Race – após seis pernas:
1º – Telefónica – 164 pontos
2º – Groupama – 153 pontos
3º – Camper – 149 pontos
4º – Puma – 147 pontos
5º – Abu Dhabi – 68 pontos
6º – Sanya -25 pontos

Com informações da Assessoria de Imprensa da Volvo Ocean Race

Por

Comentários