Campeonato Catarinense

04 abr18:00

Marcílio Dias dispensa jogadores às vésperas de enfrentar o Camboriú

A diretoria do Marcílio Dias decidiu dispensar parte do elenco profissional. As demissões, que são acertadas nesta quarta-feira, devem alcançar cerca de 10 jogadores. Por enquanto, os nomes dos dispensados ainda não foram divulgados.

Rebaixado por antecipação na 6ª rodada do returno do Catarinense 2012, o Marinheiro precisa economizar:

- O clube tem interesse em colocar os atletas da base para jogar, e não gerar despesa sem necessidade – diz o gerente de futebol do clube, José Carlos Goulart Junior.

Nesta quarta-feira quatro jogadores da base treinaram com o elenco principal, e devem integrar a equipe que entra em campo na noite de quinta, contra o Camboriú.

BLOG DO LITORAL

Comente aqui
02 abr13:47

Atlético de Ibirama vence o Camboriú de virada, no final

O Atlético de Ibirama venceu o Camboriú por 2 a 1 neste domingon no Estádio da Baixada, em Ibirama. O time da casa saiu atrás do placar no primeiro tempo, conseguiu empatar no começo do segundo tempo e virar no fim do jogo.

O time visitante abriu o placar aos 20 minutos do primeiro tempo com um gol de Willian Feijó. Depois de um cruzamento na área, ele cabeceou sozinho e marcou. No começo do segundo tempo, ao um minuto, Matosinho empatou, também de cabeça. Aos 48 do segundo tempo, matosinho fez o segundo e selou o placar final.

ATLÉTICO DE IBIRAMA 2

Giovani; João Rodrigo (Michel), Jajá, Alemão e Santos; Xipote, Fabrício, Matosinho e Maicon (Rogério); Adriano e Mateus (Quilder). Técnico: Giovani Nunes.

CAMBORIÚ 1

André; Mendes, Ferreira (Peixoto), Bruno Garcia e Rodolfo; Willian Feijó, Gesiel, Ramon e Geninho; Clênio e Thiago Henrique (Diego Jardel). Técnico: Suca.

Gols: Willian Feijó (C) – 20′/1º tempo
Matosinho (A) – 1′/2º tempo
Matosinho (A) – 48′/2º tempo

Amarelos: Alemão, Jajá, Santos e Xipote (A); Diego Jardel, Geninho, Mendes e Ramon. Arbitragem: Luiz Carlos Pereira, auxiliado por Nadine Schramm Câmara Bastos e Thiago Americano Labes. Local: Estádio da Baixada, em Ibirama.

JORNAL DE SANTA CATARINA

Comente aqui
31 mar12:45

Camboriú enfrenta Atlético em Ibirama

Atlético e Camboriú se enfrentam domingo, às 18h30min, no Estádio da Baixada. Cinco pontos atrás do Metropolitano na classificação geral (26 contra 21), os donos da casa jogam mais uma decisão na luta por uma vaga na Série D do Brasileiro, no segundo semestre.

Aliviado e sem a pressão do rebaixamento, o Camboriú quer manter a boa fase e buscar fora de casa a subida na tabela.

– Agora a pressão muda. Estamos livres do rebaixamento, mas precisamos alcançar bons resultados – disse o técnico Suca.

O treinador espera entrar em campo com a mesma equipe que jogou contra o Brusque, mas tem dúvidas, como o atacante Clênio e o volante Mendes, que sentiram o ritmo pesado das últimas três partidas.

Já o Atlético, independente da briga contra Metropolitano, o técnico Giovane Nunes quer que o time busque os três pontos.

– Não importa mais o adversário. Temos que jogar para ganhar – comentou.

Nunes não poderá contar com a dupla de zagueiros Vitor Hugo e Sílvio Bido, suspensos. Dessa forma, deve montar um time mais ofensivo, trocando o trio de zagueiros por dois homens de criação no meio-campo.

Ficha Técnica

JORNAL DE SANTA CATARINA

Comente aqui
31 mar10:09

Valeu o troféu vergonha

Dagmara Spautz, Jornal de Santa Catarina

Marcílio Dias e Brusque entraram em campo, sexta-feira à noite, com a ingrata missão de cumprir tabela no Catarinense 2012. As duas equipes, rebaixadas por antecipação dois dias antes, encontraram o Estádio Hercílio Luz diferente. As arquibancadas estavam praticamente vazias.

Se antes a voz do animador enchia o campo, no início da partida, agora permanece o silêncio, interrompido apenas pelos gritos dos cerca de 150 heróis que foram testemunhar um dos piores jogos do campeonato. Nem tanto para mostrar apoio à equipe, mas para despejar nos jogadores a frustração de ver o time do coração (no caso, ambos) voltar à divisão de acesso.

– A gente comparece porque torcer é como um casamento, tem que estar presente na alegria e na tristeza – disse Juarez Uller, 48 anos.

Em campo, nada do foguetório que marcava o início dos jogos do Marinheiro. Nos prédios ao redor do estádio, a vizinhança, pelo jeito, arrumou outro programa para fazer. Nas sacadas, não se via ninguém.

Bastou a bola rolar para uma coleção de xingamentos reverberar pelo estádio, intercalada com os risos de deboche, a cada bola perdida pelo Marcílio Dias. Houve ainda quem se deu o trabalho de fazer um protesto silencioso. Como Orlando Rodrigues, que levou ao estádio uma lanterna estragada e a apelidou de Troféu Vergonha do Marinheiro.

– É uma lanterna que não funciona, para um time que não joga – sentenciou.

No espaço reservado aos torcedores do Brusque, a arquibancada ficou vazia. Quem achou coisa melhor para fazer não viu um jogo morno, mas que resultou ao menos na segunda vitória da equipe em todo o Estadual: 2 a 1, de virada.

O Marinheiro começou marcando, com um gol de Junior aos nove minutos do 1º tempo. O Brusque fez o dele aos 28, numa cobrança de falta de Luiz Henrique, e voltou na etapa final com vontade de vencer. Chegou com perigo ao gol e marcou aos 39, novamente com a assinatura de Luiz Henrique.

Ao torcedor do Marcílio Dias, sobrou a revolta. Com o resultado, o Brusque subiu para oito pontos. O Marinheiro segue com apenas seis, agora fazendo jus à lanterna dada pelo torcedor na arquibancada.

Orlando Rodrigues protestou com uma lanterna estragada

1 comentário
30 mar15:59

Marcílio Dias e Brusque têm futuro incerto

Everton Siemann, Jornal de Santa Catarina

Os caminhos dos clubes no Catarinense de 2013 será diferente. A rodovia Antônio Heil, uma das mais importantes do Vale do Itajaí, por exemplo, ficará de fora do mapa da bola no ano que vem. A SC-486, que liga Brusque a Itajaí, foi riscada do roteiro dos times da elite na quarta-feira à noite, com a confirmação da queda de Marcílio Dias e Brusque para a Divisão Especial, a Segundona catarinense.

Tradicionais, donos de um título estadual cada (Marcílio em 1963, Brusque em 1992), os clubes fizeram campanhas medíocres (veja os números nas tabelas) e, a três rodadas do fim do Estadual, nada mais pode ser feito. Restou aos dirigentes dos dois clubes avaliar o que deu errado.

No Brusque, a queda foi encarada com naturalidade. O presidente Mauricy Pereira de Souza lembrou que, até o início da gestão dele, o clube caminhava para uma licença dos jogos oficiais.

– Com pouco recurso e com dívidas para pagar, montamos um time com o que tínhamos. Infelizmente, não deu – resignou-se.

Souza credita a queda a um conjunto de fatores que deram errado, principalmente a falta de dinheiro, impossibilitando a montagem de uma equipe mais competitiva. Nada, porém, que faça a direção jogar a toalha:

– Não é o fim do Brusque. Vamos nos levantar e em 2014 estaremos de volta à elite, melhor estruturados.

A incerteza ronda o futuro do clube. Com vaga garantida na Série D do Brasileiro, no segundo semestre, o presidente não soube afirmar se o clube disputará a competição nacional.

– Se em abril conseguirmos recursos, vamos jogar. E acredito que vamos conseguir – finalizou.

Parceria fez Marinheiro naufragar

No Marinheiro, a direção achou um culpado: Jamelli. Ou melhor, a desastrosa parceria com o ex-jogador ainda na preparação para o Estadual.

– Apostamos tudo na parceria (com Jamelli), na comissão técnica e em jogadores indicados por ele, e não deu certo. Quando tentamos remendar, o barco já estava afundando – afirmou Nildo Cassaniga, vice-presidente e diretor de Futebol do Marcílio.

O dirigente lamentou a péssima campanha, que, segundo ele, foi na contramão do trabalho extracampo conduzido pela direção. Com a queda, a intenção é retomar o investimento nas categorias de base e apostar nos talentos revelados pelo clube.

– Agora, temos que recomeçar tudo e passar mais uma vez pela Segunda – completou, lembrando que o Marcílio disputou a Especial em 2010.

OS NÚMEROS
Raio-X das péssimas campanhas da dupla do Vale Brusque
15 jogos
5 pontos
1 vitória
2 empates
12 derrotas
Está há 14 jogos sem vencer
9 gols marcados (pior ataque)
30 gols sofridos
Marcílio Dias
15 jogos
6 pontos
1 vitória
3 empates
11 derrotas
Ficou oito jogos sem vencer
11 gols marcados
45 gols sofridos (pior defesa)
Comente aqui
29 mar15:21

Conheça o Homem Pedra, mascote do Camboriú

Após a votação que definiu o Homem Pedra como o novo mascote Tricolor, o artista camboriuense Leandro Francisca pôs em prática a ideia de Maikeli e Luana, vencedoras da promoção, e deu vida ao nosso mais novo representante.

Conheça o Homem Pedra do Camboriú FC!



1 comentário
29 mar08:48

Camboriú vence e decreta rebaixamento do Brusque no Estadual

Anderson Silva, Jornal de Santa Catarina

Terminado o jogo desta quarta-feira à noite, em que o Brusque perdeu dentro de casa por 2 a 1 para o Camboriú, o treinador do time brusquense, Joceli dos Santos, foi direto:

– Faltam quatro jogos e 15 dias de trabalho, não tem razão para eu continuar aqui e eles me pagando durante esse tempo. Fiquei no cargo porque eles me pediram e manchei meu currículo com um rebaixamento.

O técnico desabafou nas entrevistas o que estava guardado desde que assumiu a equipe, no meio do Catarinense. Ontem à noite, Joceli comandou o time na 12ª derrota do Brusque no Estadual. Mas essa derrota foi diferente. Ela selou o rebaixamento da equipe para a Divisão Especial do Catarinense de 2013. Com apenas cinco pontos, o time está matematicamente rebaixado e vai cumprir tabela nos últimos três jogos.

O time que iniciou a partida lembrou o que venceu o Metropolitano, em Blumenau, na primeira rodada do campeonato. Porém, o restante do jogo foi igual ao desempenho da equipe em todo Estadual. O Brusque até saiu na frente, com um gol de Felipe Oliveira, aos 33 minutos do primeiro tempo. No entanto, o Camboriú virou com dois gols de Thiago Henrique, aos 36 e 41, ainda na etapa inicial.

No segundo tempo, o Brusque deu os últimos suspiros. Até tentou, mas esbarrou na falta de qualidade para armação de jogadas e no goleiro André. Ao fim do jogo, os poucos torcedores que estiveram no Estádio Augusto Bauer protestaram. Com faixas, pediram a saída do presidente do Brusque, Mauricy de Souza. Enquanto isso, ao lado do campo, Joceli continuava a disparar contra a falta de planejamento:

– Faltou um pouquinho de experiência na hora de contratar. Pedi oito reforços quando cheguei, só vieram quatro.

Joceli não poupou críticas ao próprio time:

– Só jogamos 15 minutos hoje (ontem), mais nada.

Do outro lado do campo, o clima foi de festa. Suca (que tem história no Augusto Bauer) comemorava. Com a vitória, e a derrota do Marcílio Dias para o Avaí, o Camboriú se mantém na elite do Estadual para 2013. Por ironia, Suca foi o treinador que tirou o Brusque da Divisão Especial em 2008.

Ficha técnica

Brusque
João Ricardo; Marcelo Guerreiro (Willian), Cleyton, Heverton e Rafinha; Pereira, Evandro (Renan), Cleberson e Felipe Oliveira; Cris e Thiago Maestri. Técnico: Joceli dos Santos.

Camboriú
André; Peixoto (Diego Jardel), Ferreira, Bruno Garcia e Rodolfo; Gesiel, Ramon, Mendes e Geninho; Clênio (Willian Feijó) e Thiago Henrique (Kau). Técnico: Suca.

Gols: Felipe Oliveira (B) 32/1º, Thiago Henrique 36/1º e 40/1º.
Amarelos: Rafinha (B), Willian (B) e Thiago Maestri (B).
Arbitragem: Jeferson Schmidt, Eberval Lodetti e Carlos Felipe Schmidt.
Local: Estádio Augusto Bauer.

Comente aqui
29 mar08:42

Marcílio Dias é rebaixado após goleada diante do Avaí

Com uma goleada de 6 a 1, o Avaí confirmou o rebaixamento do Marcílio Dias, nesta quarta-feira, na Ressacada. Com os tropeços de Joinville e Figueirense, o Avaí voltou a sonhar com o título do returno. O atacante Felipe Alves marcou três gols na vitória azurra.

• Confira a galeria de fotos da partida
• Assista aos gols do confronto

Ofensividade no esquema

Com um esquema mais ofensivo, no 4-4-2, o Leão levava perigo constante à meta do Marcílio. Ao mesmo tempo, o adversário aproveitava os espaços do setor defensivo para os contra-golpes. 

A primeira boa chegada do Avaí foi aos 5 minutos. Aelson cruzou e o goleiro Segalla se adiantou, evitando o chute de Nunes. Dois minutos depois, Nunes recebeu de Arlan dentro da área, girou e bateu fraco. O goleiro defendeu. 

O Marcílio chegou forte aos nove. Nilson Sergipano cobrou falta direto e Diego afastou, por cima, para a linha de fundo. Aos 10, o Leão voltou a assustar. Arlan cruzou para Nunes, de cabeça, mandar perto do gol de Segalla. Aos 12, Cleber Santana arriscou uma bomba de fora da área. 

Estreia com categoria 

De tanto insistir, o Leão abriu o placar aos 21 minutos do primeiro tempo. O estreante Felipe Alves recebeu cruzamento de Arlan e, de cabeça, mandou para o fundo da rede. Aos 24, quase que o Avaí ampliou. Cleber Santana mandou uma bomba em um chute cruzado, para Segalla, mas o goleiro fez grande defesa. 

Mas a noite era mesmo do estreante Felipe Alves. Aos 35, com categoria, o garoto de 21 anos rebeceu dentro da área, tirou André Luís da jogada e bateu para ampliar para 2 a 0.

E se o Leão já estava na frente do placar, ficou também com vantagem numérica. Aos 40, Thiaguinho, por reclamação, recebeu o segundo amarelo e foi expulso. No minuto seguinte, Anelka se chocou com Nunes. O atacante cobrou o pênalti, o goleiro defendeu, a bola explodiu na trave e, no rebote, Felipe Alves não perdoou e garantiu o 3 a 0 aos 43. 

Antes do final do primeiro tempo, o técnico Mauro Ferreira já fez a primeira troca: Leandro Mello na vaga de Júnior.

Marinheiro ensaia reação

O Marcílio começou a partida correndo atrás do placar. No primeiro minuto de jogo, Kadu cabeceou rente à trave. Com a vantagem elástica no escore, o Avaí tocava a bola, sem pressa. Aos quatro, Saldanha arriscou de longe e o goleiro defendeu. Aos seis, foi a vez de Cleber arriscar, para fora.  Aos nove, Nunes tentou de bicicleta. A bola bateu na defesa e saiu.

Aos 12, o Marinheiro surpreendeu. Nilson Sergipano cobrou falta direto e a bola encobriu o goleiro Diego. Golaço. Mas foi só. O time azurra voltou a dominar o jogo.

O Avaí respondeu com Robinho, aos 14, em um chute alto de dentro da área. Aos 15, Saldanha tentou de cabeça. 

O técnico Hemerson Maria tirou a estrela da partida. Aos 17, Felipe Alves saiu para a entrada de Laércio Carreirinha. 

Aos 18, o Avaí desperdiçou a chance de ampliar. Nunes foi puxado na área por Carlos Eduardo e o juiz marcou pênalti. Cleber Santana cobrou e a bola explodiu na trave. 

Goleada sacramentada

Com Diego Palhinha no lugar de Saldanha, o Leão começou a tocar mais a bola e a administrar o jogo. Aos 25, Cleber Santana bateu colocado e Segalla mandou para escanteio. Depois da cobrança, a bola sobrou para Nunes. Ele chutou fraco nas mãos do goleiro. 

Aos 36, Diego Palhinha aproveitou o vacilo do Marinheiro, roubou a bola e correu para a área. O meia tirou Carlos Eduardo da jogada e mandou no canto para fazer o 4 a 1. Aos 43, Bruno soltou uma bomba, o goleiro defendeu e, no rebote, Laércio Carreirinha fez 5 a 1. Aos 45, Diego Palhinha marcou outro e decretou a maior goleada do Leão na competição: 6 a 1. O resultado sacramentou o rebaixamento do Marcílio Dias. 

FICHA TÉCNICA

AVAÍ (6)
Diego; Arlan (Marrone), Renato Santos, Leandro Silva, Aelson; Bruno, Cleber Santana, Saldanha (Diego Palhinha), Robinho; Felipe Alves, Nunes
Técnico interino: Hemerson Maria

MARCÍLIO DIAS (1)
Segalla; Carlos Eduardo, Anelka, André Luís e Willian (Amaral); Thiaguinho, Giva, Nilson Sergipano, Júnior (Leandro Mello); Kadu e Valdir (Thomaz)
Técnico: Mauro Ferreira 

Arbitragem: Evandro Tiago Bender auxiliado por Neuza Ines Back e Thiago Americano Labes
Amarelos: Saldanha (A), Robinho (A), Thiaguinho (M), Willian (M), André Luís (M), Carlos Eduardo (M), Giva (M)
Vermelho: Thiaguinho (M)
Gols: Felipe Alves, aos 21, aos 35 e aos 43 minutos do 1º tempo. No 2º tempo, Nilson Sergipano, aos 12, para o Marcílio; Diego Palhinha, aos 35 e 45 e Laércio Carreirinha, aos 43 minutos para o Avaí
Local: Ressacada
Público: 1.790
Renda: R$ 15.560

DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
28 mar18:24

Definida arbitragem para a sexta rodada do returno do Catarinense

Foi realizado segunda-feira o sorteio da escala de arbitragem para a sexta rodada do Campeonato Catarinense. Rodrigo D’Alonso apita o confronto entre Criciúma e Figueirense, no Heriberto Hülse. 

Confira a lista completa:

19h30min – Chapecoense X Joinville

Árbitro: Ronan Marques da Rosa – CBF 
Assistente 1: Josué Gilberto Lamim – CBF 
Assistente 2: Eder Alexandre 

20h30min – Brusque X Camboriú

Árbitro: Jefferson Schmidt – CBF 
Assistente 1: Eberval Lodetti – CBF 
Assistente 2: Carlos Felipe Schmidt 

20h30min – Metropolitano X H. Aichinger 

Árbitro: Paulo Henrique de Godoy Bezerra – CBF 
Assistente 1: Kleber Lúcio Gil – Aspirante FIFA 
Assistente 2: Nadine Schramm Câmara Bastos – Aspirante FIFA 

22h – Criciúma X Figueirense

Árbitro: Rodrigo D’Alonso Ferreira 
Assistente 1: Angelo Rudimar Bechi – CBF 
Assistente 2: Juliano Fernandes da Silva – CBF 

22h – Avaí X Marcílio Dias 

Árbitro: Evandro Tiago Bender – CBF 
Assistente 1: Neuza Ines Back – CBF 
Assistente 2: Thiago Americano Labes

DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
28 mar11:23

Brusque e Camboriú duelam nesta quarta-feira

Brusque e Camboriú medem força nesta quarta-feira, às 20h30min, no Estádio Augusto Bauer, em jogo que pode ser o último suspiro dos donos da casa no Catarinense. Uma derrota, a décima segunda do time no Estadual, decreta matematicamente a queda da equipe do Vale à Divisão Especial em 2013, a Segundona catarinense. Isso porque o Camboriú chegará aos 16 pontos, 11 a mais que o Brusque, a três rodadas do fim da competição.

Para evitar que isso ocorra, o técnico Joceli dos Santos tenta motivar o grupo, que não vence desde a estreia no Catarinense (quando o Brusque venceu o Metropolitano por 1 a 0, no Sesi), na base da conversa.

– Nem o empate serve para a gente. Enquanto tivermos condição de lutar para tirar o Brusque desse buraco, vamos lutar – disse.

Joceli tem problemas para montar o time. Suspensos, o volante Luiz Henrique e o meia Talhetti estão fora. Os atacantes Juari e Leandrão, mais o meia Anderson, machucados, completam a lista de desfalques. O lateral Marcelo Guerreiro, com um dedo da mão direita quebrado, é dúvida.

Do outro lado, o Camboriú conta com a experiência de um treinador que conhece muito bem cada metro quadrado do Estádio Augusto Bauer. Suca comandou o Brusque por quase dois anos, onde conquistou os títulos da Segunda Divisão, da Copa Santa Catarina e da Recopa Sul-Brasileira de 2008. Nada disso, porém, mexe com o treinador.

– Precisamos da vitória para manter o time na primeira divisão e é isso que vamos buscar – comentou, destacando que o grupo está entusiasmado após a vitória sobre o Avaí.

Suca não poderá contar com o goleiro Cairo e o lateral Paulo Ricardo, lesionados. Mas terá o reforço do zagueiro Peixoto e do volante Willian Feijó.

>>> Ficha técnica

JORNAL DE SANTA CATARINA

Comente aqui