clicRBS
Nova busca - outros

Saúde

04 jun08:42

Obras do pronto-socorro de Hospital de Balneário Camboriú estão em fase final

A prefeitura de Balneário Camboriú anunciou neste domingo, que a construção do pronto-socorro do Hospital Ruth Cardoso está em fase final. As obras devem ser entregues nas próximas semanas. A unidade, com 1,6 mil metros quadrados, anexo ao hospital, prestará atendimentos de urgência e emergência e contará com um centro de diagnóstico, onde será possível fazer exames. Os mobiliários e equipamentos estão sendo comprados.

De acordo com a administração municipal, assim que as obras forem concluídas, o pronto-socorro, hoje montado em uma das alas do Ruth Cardoso, será imediatamente transferido para a nova estrutura.

BLOG DO LITORAL

Comente aqui
01 jun08:29

Hospital e médico de Balneário Camboriú são condenados a pagar R$ 100 mil por suposto erro

Uma decisão do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) condenou o Hospital Santa Inês, em Balneário Camboriú, e o médico Luiz Carlos Lenz a pagarem R$ 100 mil de indenização por suposto erro médico. O processo foi instaurado por um casal, cujo bebê morreu, supostamente, devido a complicações durante o parto. Tanto o médico quanto o hospital ainda podem recorrer da sentença.

A ação já corria desde 2003, um ano após a more do bebê. Segundo informações do processo, a criança quebrou a clavícula e sofreu falta de oxigenação durante o parto, o que teria acarretado sequelas irreversíveis, como paralisia cerebral. O bebê morreu aos três meses de idade.

Os pais haviam perdido a ação em primeira instância, na comarca de Balneário Camboriú. Na ocasião, foram condenados a pagar os custos do processo e dos advogados, totalizando R$ 2,7 mil.

Eles recorreram ao TJ, que modificou a sentença. A maioria dos desembargadores entendeu que o dano sofrido pela criança ocorreu devido às complicações do parto, e decidiu pela condenação.

CONTRAPONTO

Hospital Santa Inês

O advogado do hospital Santa Inês, Armando Lins Junior, afirma que a perícia não comprovou o suposto erro médico. Segundo ele, a morte do bebê ocorreu por uma fatalidade. Embora ainda não tenha sido comunicado oficialmente da decisão, o advogado informou que vai recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Luiz Carlos Lenz

No processo, o médico defendeu-se afirmando que a paralisia cerebral seria decorrente de problema congênito ou genético. O advogado que o representa na ação, Valdir de Andrade, informou que tentará um embargo de divergência junto ao TJ, já que não houve unanimidade entre os desembargadores. Ele também vai recorrer ao STJ.

BLOG DO LITORAL

Comente aqui
29 mai16:46

Vagas para médico plantonista em Itajaí

A Secretaria de Saúde de Itajaí abriu inscrições para Processo Seletivo Público Simplificado que irá contratar oito médicos plantonistas. O prazo segue até 18 de junho e os interessados deverão se dirigir até a sede da Secretaria (Rua Leodegário Pedro da Silva, 300 – Imaruí). A inscrição é gratuita e o formulário está disponível no endereço eletrônico: digtes.com.br.

O candidato deverá imprimir a ficha de inscrição, preencher de forma legível e entregar das 8h às 11h30min e das 14h às 17h30min na Diretoria de Gestão de Pessoas. Serão contratados, através deste seletivo, oito médicos plantonistas: quatro para Clínica Geral e quatro para Pediatria.

O objetivo, segundo o secretário Municipal de Saúde, Sérgio Liberato, é formar a equipe que atenderá na UPA 24 horas de Cordeiros.

- Além dos recursos humanos, também estamos focados em equipar a Unidade, mobiliar e estruturar a rede de atendimento – informou o secretário.

O vencimento base, tanto para clínico geral quanto para pediatra é de R$70,00 (diurno) e R$ 91,00 (noturno) por hora plantão. Os profissionais serão contratados por tempo determinado. O contrato tem duração de seis meses com possibilidade de renovação para mais seis meses. A prova será aplicada no dia 23 de junho (sábado), com início as 09h e seu término as 12h, na Fundação de Educação Profissional e Administração Pública (Feapi), situada na Rua Tijucas, nº 511, Centro.


Comente aqui
25 mai09:25

Campanha de vacinação é prorrogada

Com a campanha de vacinação prorrogada até 1º de junho, Santa Catarina é o estado mais perto de alcançar a meta de imunizar 80% dos 915 mil catarinenses que são alvo da vacina. Até esta quinta-feira, 75% tinham sido imunizados. As quatro mortes por gripe A registradas neste ano, no Estado, reforçam a necessidade das pessoas tomarem a dose.

O alerta é dado pela gerente de imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina, Luciana Amorin. A vacina é para gestantes, idosos, crianças, indígenas e trabalhadores da saúde. Mulheres grávidas são as que menos tomaram a dose. Até ontem, tinham sido vacinadas 37.371 gestantes, o que corresponde a 60% do total.

A gerente observa que em qualquer mês de gestação a mulher pode tomar a vacina, sem haver contraindicação. Ela relembra que o grupo de mulheres grávidas é bastante suscetível à gripe e por isso devem ser vacinadas.

A população que não se enquadra no alvo da campanha também pode receber a vacina, desde que pague por ela. A dose custa em média R$ 70 em clínicas particulares.

A importância da vacina ganhou ainda mais peso no Estado depois das quatro mortes registradas pela gripe A. Além disso, foram 29 casos confirmados, contra cinco no ano passado, quando ninguém morreu. Já em 2010, foram duas mortes registradas por gripe A.

O diretor da Dive, Fábio Gaudenzi, afirma que os casos deste ano mostram que há mais vírus de H1N1 circulando, mas ressalta que outros tipos de gripe também podem evoluir para um quadro grave e merecem atenção. Em 2010, 3,6 mil pessoas morreram no Estado por causa de doenças respiratórias.

– Temos que estar sempre alertas, independente do tipo de vírus que está circulando – enfatiza Gaudenzi.

O diretor acredita que os casos registrados, neste ano, estão relacionados com aumento de pessoas suscetíveis ao vírus. Depois do surto em 2009, houve uma ampla campanha de vacinação, em 2010, que atingiu diferentes faixas etárias e imunizou quase a metade da população catarinense. Passados dois anos, a proteção diminuiu.

Comente aqui
23 mai18:24

Santa Catarina registra a quarta morte por Gripe A este ano

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina confirmou a quarta morte por Gripe A no Estado. A vítima é um home de 62 anos, do município de Vitor Meireles, no Vale do Itajaí. De acordo com o diretor da Dive, Fábio Gaudenzi, o homem estava doente desde o dia 17 e não tinha tomado vacina contra a gripe.

>>> Leia todas as notícia sobre a Gripe A no Diário Catarinense

O terceiro óbito em decorrência da doença foi divulgado na terça-feira. A mulher, de 49 anos, era moradora da cidade de Rio do Campo, no Alto Vale do Itajaí. Na sexta-feira, um homem de 52 anos, de Blumenau, Vale do Itajaí, tanbém morreu por complicações da Gripe A. Ele estava internado no Hospital Santa Isabel.

morte de uma criança de dois anos fez de Itajaí a primeira cidade a registrar um óbito causado por gripe A em Santa Catarina em 2012. Luana Morais Antunes morreu no no dia cinco, três dias após a contaminação pelo vírus H1N1 ter sido diagnosticada.

Segundo os dados atualizados diariamente no site da Dive, Santa Catarina tem 26 casos confirmados de Gripe A este ano.

Vacinar é preciso

O secretário-adjunto de Estado da Saúde, Acélio Casagrande e o diretor de Vigilância Epidemiológica (DIVE), Fábio Gaudenzi Faria, reforçaram a importância da população procurar os postos de saúde para se vacinar contra a gripe (Influenza), cuja campanha termina na sexta-feira.

A meta é atingir 80% da população alvo (pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, crianças entre seis meses a dois anos e gestantes). A vacinação também foi estendida à população prisional.

Segundo o secretário-adjunto, a vacina não tem contra-indicações, sendo sua reação febre baixa e mal estar. Casagrande disse ainda que, após o início das campanhas de vacinação, o número de internações hospitalares e até mesmo mortes por infecções respiratórias tiveram sensível redução nos últimos anos.

DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
23 mai16:50

Santa Catarina ainda não atingiu meta de vacinação contra gripe A

A Campanha Nacional de Vacinação Contra Gripe A termina nesta sexta-feira, e Santa Catarina ainda não conseguiu atingir a meta de vacinar 80% do público alvo. Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira, o Secretário-Adjunto de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, e o Diretor da Vigilância Epidemiológica, Fábio Gaudenzi de Faria, informaram que um novo caso da doença foi registrado na cidade de Biguaçu. Até agora 15 casos foram confirmados e três pessoas morreram em decorrência da gripe, nas cidades de Blumenau, Itajaí e Rio do Campo.

A secretaria estadual de saúde está aplicando medidas contra a proliferação do vírus por meio de monitoramento e restrição do contato com pessoas contaminadas, hábitos de higiene por parte dos profissionais da saúde, e monitoramento de leitos de UTI.

De acordo com o infectologista Luiz Escada, é fundamental lavar as mãos para evitar que o vírus se espalhe, e tomar a vacina antes do inverno começar. A vacina é eficaz em quase 90% dos casos, mas como o organismo leva cerca de 40 dias para produzir anticorpos contra o vírus AH1N1, é preciso se vacinar o quanto antes.

Devem procurar os postos de saúde: idosos a partir dos 60 anos, trabalhadores de saúde, crianças entre seis meses e menores de dois anos, gestantes em qualquer fase da gravidez e povos indígenas.

VIDA E SAÚDE

Comente aqui
18 mai09:03

Vigilância Epidemiológica confirma cinco casos de Gripe A este ano em Itajaí

A Vigilância Epidemiológica de Itajaí confirmou em reunião com funcionários da Saúde que já são cinco casos de Gripe na cidade. O encontro ocorreu no fim da tarde desta quinta-feira. 

Os três últimos registros são de um homem de 39 anos, que está internado no Hospital Marieta Konder Bornhausen; uma criança de 2 anos, que está no Hospital Infantil Pequeno Anjo; e uma outra criança de 11 anos, que estava internada, mas já voltou pra casa. 

Com esses, o número de casos da doença em Santa Catarina chega a 12 desde o início do ano.

Na reunião em Itajaí foram discutidas medidas pra intensificar a prevenção à Gripe A. Entre elas está o reforço em procedimentos realizados nos postos de Saúde.

Na policlínica do bairro São Vicente, onde o movimento é maior, a circulação de pessoas com sintomas da doença aumentou em 40%. Quem chega, passa por uma triagem. Se apresentar sintomas como febre, vômito, tosse, o paciente é orientado a colocar máscara.

A distribuição do medicamento Tamiflu será ampliada para 15 unidades de Saúde (hoje são três as unidades que distribuem). Têm direito a tomar o remédio as pessoas que apresentam sintomas e pertençam a grupos de risco (idosos, gestantes, quem possui doenças crônicas). 

Pra reforçar a vacinação, a Vigilância Epidemiológica de Itajaí vai montar postos de divulgação em pontos estratégicos da cidade.

Casos registrados em SC:

— Itajaí — 5
— Florianópolis — 2
— Tubarão — 2
— Joinville — 1
— Brusque — 1
— Tijucas — 1

>> Após novos casos de gripe A, Vigilância Epidemiológica alerta para a importância da vacinação
>> Menina de dois anos morre por complicações do vírus H1N1 em Itajaí
>> Dia D: mutirão de vacinação contra a gripe começa em Santa Catarina


DIÁRIO CATARINENSE

1 comentário
18 mai07:51

Chega a 11 o número de casos de gripe A confirmados em SC

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica confirmou no início da noite desta quinta-feira mais três casos de gripe A no Estado. Um em Tijucas e dois em Itajaí, que passa a ser a cidade com o maior número de contaminações pelo vírus H1N1 até agora.

O município já havia registrado outros dois casos desde o início do mês. Entre eles, o de uma menina de dois anos, que morreu em decorrência de complicações causadas pela doença. Foi o único óbito por H1N1 notificado em SC em 2012.

Luciana Amorim, gerente de imunização da Vigilância Epidemiológica, diz que o fato de Itajaí ter saído na frente no número de contaminações confirmadas pode ser explicado por um maior cuidado da população e dos profissionais da saúde:

_ Como a cidade registrou um óbito, pode ser que esteja havendo uma sensibilidade maior para fazer os exames. Mas só observando mais para sabermos se é isto mesmo, ou se o vírus está circulando mais no município.

Casos em SC, segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica:

Itajaí – 4

Florianópolis – 2

Tubarão – 2

Joinville – 1

Brusque – 1

Tijucas – 1

Comente aqui
17 mai16:02

Curso de Enfermagem faz exames de prevenção de câncer em Balneário Camboriú

O curso de Enfermagem da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) realiza neste sábado, dia 19 de maio, a ação comunitária “Mulher bonita por dentro e por fora”. As atividades ocorrerão na Unidade de Saúde do Bairro Vila Real, em Balneário Camboriú, das 8h às 17h.

“A ação é voltada principalmente para mulheres que não podem se ausentar do trabalho durante a semana e deixam de comparecer a unidade de saúde”, ressalta Eleide Farhat, professora de Enfermagem e organizadora do evento.

Durante todo o dia, profissionais de saúde e acadêmicos vão oferecer o exame preventivo do câncer do colo do útero (papanicolau) e prestarão orientações sobre o autoexame para verificar a presença do câncer de mama. Na mesma ocasião, o grupo doutores da beleza, do curso de Cosmetologia e Estética, realizarão atividades como, design de sobrancelha, maquiagem e massagem.

A Estimativa 2012 do Instituto Nacional do Câncer, prevê que este ano ocorram 52.680 novos casos de câncer de mama e 17.540 novos casos de câncer do colo do útero. O câncer do colo do útero é o terceiro mais comum entre as mulheres e o de mama é o mais incidente.

“A procura pelo exame preventivo está muito baixa, especialmente pela mulheres trabalhadoras, em idade fértil. Fazer a consulta regularmente é importante, sobretudo porque a descoberta precoce aumenta as chances de cura nos casos de câncer”, alerta a enfermeira.

A ação tem o apoio da Secretaria Municipal de Saúde de Balneário Camboriú, do Centro Integrado de Solidariedade e Saúde (CISS) e do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA).

Comente aqui
17 mai09:36

Confira as respostas do diretor da Vigilância Epidemiológica às dúvidas de internautas sobre a Gripe A

O diretor da Vigilância Epidemiológica, Fabio Gaudenzi de Faria, responde às dúvidas enviadas por internautas a respeito da Gripe A. Em Santa Catarina, foram registrados oitos casos da doença e uma morte. Uma menina de dois anos, diagnosticada com o vírus H1N1, morreu após 14 dias internada em Itajaí.


Confira as respostas:

Tem chance deste ano de 2012 ter mais casos e mais mortes em decorrência da gripe A do em 2009, quando ocorreu a Pandemia?
Fabio Gaudenzi de Faria – Pelo monitoramento realizado até agora, a situação será bem melhor que 2009, quando tivemos mais de 3 mil casos confirmados para Influenza A H1N1.


Por que a Gripe A é mais grave que a gripe comum?
Fabio Gaudenzi de Faria – A gripe sempre pode ser grave. Independente do subtipo viral que a causa. Influenza A H1N1 não é caracterizada por uma maior gravidade, mas sim grupos que podem contrair a doença em um nível mais grave. Adultos jovens e gestantes têm uma tendência a maior gravidade nesse subtipo.


Há muitas restrições para tomar a vacina? 
Fabio Gaudenzi de Faria – A vacinação é segura pois não utiliza vírus vivos, mas pedaços dos vírus. Com isso, a única contraindicação é quem possui reação alérgica grave a ovo ou reação alérgica à vacina.


Trabalho em uma empresa que oferece atendimento odontológico e médico. Gostaria de saber se posso tomar esta vacina no ambulatório da empresa.
Fabio Gaudenzi de Faria – Ambulatórios médicos de empresas não estão sendo contemplados pela campanha pública. Consultórios médicos também não serão contemplados.


Os sintomas da Gripe A são diferentes das outras gripes?
Fabio Gaudenzi de Faria – Não há diferença entre gripe por H1N1 e os outros vírus. Não tem como diferenciar pela clínica. Mas vale lembrar que qualquer subtipo do vírus pode causar doença grave e óbito.


Quem já teve a Gripe A está imune?
Fabio Gaudenzi de Faria – Os pesquisadores ainda têm uma certa dúvida quando a isso. Mas, aparentemente, com o passar do tempo, haveria uma queda da proteção e a pessoa poderia ter novamente a infecção.


Meu filho tomou a vacina no ano passado, hoje ele tem dois anos. Devo vaciná-lo novamente ou ele estaria protegido?
Fabio Gaudenzi de Faria – A vacinação de influenza deve ser anual. Como ele está fora do grupo prioritário da vacinação pública, você pode optar por vacinação em clínica privada.


Tenho lúpus e a minha imunidade é muito baixa. A vacina realmente funciona neste caso?
Fabio Gaudenzi de Faria – A vacina funciona, temos os dados de muitos anos de acompanhamento de idosos que revelam a diminuição no número de internações por doenças graves no inverno. Como você tem lúpus, pode receber a vacina em unidades de referência. Precisa apenas ter a indicação médica/receituário médico atestando a doença crônica.


Minha filha de três anos está gripada desde semana passada. Ela não teve febre, vômito e diarreia, mas mesmo assim estou preocupada, devo levá-la ao médico?
Fabio Gaudenzi de Faria – Sempre que o quadro é arrastado deve-se procurar o médico, pois ela pode estar com alguma complicação relacionada com as doenças viras de inverno.


Quais são os efeitos colaterais da vacina e até quanto tempo depois de se vacinar podem ocorrer?
Fabio Gaudenzi de Faria – A vacina pode ter reações locais, como dor e vermelhidão, normalmente com boa evolução. Sintomas gerais como febre e dor no corpo podem ocorrer. Raramente podemos ter reações graves, como alergias e doenças neurológicas.


Meu filho tem nove meses e vai tomar a vacina pela primeira vez, não tenho como saber se ele terá reação alérgica à vacina. Há risco?
Fabio Gaudenzi de Faria – Não há como prever reação alérgica grave. Como são muito raras, isso não impede de aplicar a vacina.


Minha filha está com febre. Ela pode tomar essa vacina? Ou devo esperar quantos dias após a febre para dar a vacina?
Fabio Gaudenzi de Faria – O ideal é esperar o término da febre para aplicar a vacina, evitando assim a confusão entre sintoma da doença atual e de uma reação vacinal.


Quem faz coleta de casos suspeitos de Gripe A?
Fabio Gaudenzi de Faria – A coleta é de responsabilidade da equipe de saúde onde o paciente está internado. Mas eventualmente a equipe de vigilância epidemiológica pode ajudar.


O clima de Santa Catarina colabora com o aparecimento gripe A? 
Fabio Gaudenzi de Faria -Os locais com clima mais frio e úmido propiciam maior circulação/disseminação dos vírus com transmissão respiratória.


Quais clínicas particulares já têm disponível a vacina? É necessário requisição do pediatra?
Fabio Gaudenzi de Faria – Você pode procurar junto à Secretaria Municipal de Saúde do seu município as clínicas de vacinas particulares que são credenciadas, garantindo a qualidade da aplicação. Geralmente em clínicas privadas não é necessária a requisição médica.


Os casos que deram positivo para H1N1 foi de pessoas que tomaram a vacina?
Fabio Gaudenzi de Faria – Todos os casos confirmados este ano não tinham tomado a vacina na campanha.


Tomei a vacina há uma semana e tive dor e vermelhidão no local, além da pele ficar quente. Também tive dor de cabeça, dor nas costas, coriza e falta de força nas pernas e braços, devo procurar um médico?
Fabio Gaudenzi de Faria – A reação é considerada normal e não grave, mas sempre é prudente passar pela avaliação médica caso persistam os sintomas.

>> Após novos casos de gripe A, Vigilância Epidemiológica alerta para a importância da vacinação
>> Vigilância epidemiológica registra mais três casos de Gripe A 
>>
Estado já tem o mesmo número de casos de Gripe A registrado em 2011
>> Menina de dois anos morre por complicações do vírus H1N1 em Itajaí
>> Dia D: mutirão de vacinação contra a gripe começa em Santa Catarina

DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui