Volvo Ocean Race

11 mai15:23

Disputa aperta e diminui vantagem do Telefónica na Volvo Ocean Race

A disputa pelo título da Volvo Ocean Race está ficando cada vez mais acirrada. Com o título na etapa Itajaí – Miami, o barco norte-americano Puma encostou nos líderes enquanto o espanhol Telefónica, que tem a bordo o brasileiro Joca Signorini, viu a vantagem na liderança reduzir após a quarta colocação.

Completadas seis etapas oceânicas e seis regatas In Port, a diferença entre o primeiro e o quarto colocado é de 17 pontos e ainda restam 114 pontos em disputa.

A briga pelos pontos recomeça dia 19 de maio, com a regata In Port de Miami. Com exceção da liderança do Telefónica, as outras três posições podem variar com o resultado.

Confira a classificação:

1. Telefónica, 164 pontos
2. Groupama, 153
3. Camper, 149
4. Puma, 147
5. Abu Dhabi, 68
6. Sanya, 25

Comente aqui
11 mai11:34

Vip Solidário da Volvo Ocean Race apresenta resultados

Foi apresentada nesta quinta-feira a prestação de contas da Estação da Solidariedade da Volvo Ocean Race, que distribuiu os crachás de VIPs Solidários da Etapa Itajaí da Regata. As quatro entidades beneficiadas com as doações dos VIPs Solidários: Asilo Dom Bosco, Hospital Maternidade Marieta Konder Bornhausen, Hospital Pequeno Anjo e Associação Itajaiense de Proteção aos Animais (Aipra), juntas, receberam R$ 50.959,00 em contribuições.

O Asilo Dom Bosco arrecadou R$ 1.800,00 em fraldas e mais R$ 12.025,00. Com esta verba a foi paga uma conta de luz no valor de aproximadamente R$ 5.000,00, adquiridos alguns equipamentos e fraldas geriátricas.

- Só tenho a agradecer pela iniciativa – declarou a representante da instituição Sônia Solange de Souza Silva.

Já a enfermeira Milene Aparecida das Chagas, que representou o Hospital Maternidade Marieta Konder Bornhausen, elogiou o atendimento da equipe da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e informou que foram arrecadados R$ 14.780,00 e 70 pacotes de fraldas geriátricas.

- A Estação da Solidariedade fez e vai continuar fazendo a diferença para o hospital, pois muitas pessoas tiveram a oportunidade de se informarem sobre a doação de órgãos, tecidos e sangue – afirmou.

Segundo ela há uma expectativa de se aumentar a doação de órgãos no município de Itajaí após o período em que aconteceu a campanha.

A Aipra, por sua vez, arrecadou R$ 8.609,00, que será investido em castrações. De acordo com o representante da entidade, Roberto Pereira, serão menos 250 filhotes a nascerem nas ruas para serem mal-tratados. Pereira explica que somente a castração pode conter o aumento da população animal em situação de abandono e maus tratos na cidade. O Hospital Pequeno Anjo, representado na ocasião por Átila Provesi, informou que recebeu R$ 13.475,00 com a venda dos kits que foram ofertados durante o período de funcionamento da Estação da Solidariedade.

Durante a solenidade, a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Maria Juçara Pamplona, homenageou o ex-prefeito, Amílcar Gazaniga, entregando-lhe uma placa em homenagem pela idealização do programa VIP Solidário em nome das entidades e da equipe da Sedes. Gazaniga, por sua vez, se emocionou ao recordar da visita que o equipe da VOR realizou no Hospital Pequeno Anjo.

A vice-prefeita, Dalva Maria Rhenius parabenizou a todos e agradeceu pelo empenho e pelo sucesso desta que foi uma ação inovadora dentre todas as etapas da Volvo Ocean Race e que mudou Itajaí.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Itajaí

Comente aqui
09 mai15:47

Puma e Camper são os primeiros a chegar a Miami

O barco americano Puma repetiu a dose e chegou em primeiro lugar na etapa Itajaí – Miami. O veleiro cruzou a linha de chegada nesta quarta-feira, seguido de perto pelo neozelandês Camper.

Groupama e Telefónica disputam nas últimas milhas o terceiro lugar no pódio.

O resultado aumenta ainda mais a disputa pela liderança na classificação geral da Volvo Ocean Race.

1 comentário
07 mai08:43

Volvo Ocean Race mais pertinho de Miami

Duas semanas depois de deixar Itajaí, os barcos da Volvo Ocean Race já estão nas mil milhas finais da sexta etapa, rumo a Miami, nos Estados Unidos. A previsão inicial era de que o primeiro barco chegasse neste domingo à Vila da Regata norte-americana, mas isso só deve ocorrer na quarta-feira. A equipe Puma segue na liderança, com uma vantagem de cerca de 50 quilômetros para o segundo colocado, a equipe Camper.

>>> ACOMPANHE A LOCALIZAÇÃO DOS BARCOS

> CLASSIFICAÇÃO

– Há um jogo de roleta acontecendo aqui. Vai ser uma batalha até o final – comentou Ken Read, líder da equipe Puma.

A equipe Telefônica havia conseguido assumir a segunda posição na noite de sábado, aproveitando ventos fortes que surgiram no trajeto escolhido. Mas durante o domingo, a Camper voltou a ser vice-líder da etapa. Um sistema de alta pressão no mar, no caminho dos barcos, pode mudar as posições nesse final de etapa.

Vila da Regata em Miami é aberta ao público

Enquanto no mar os barcos seguem na disputa, a Vila da Regata em Miami foi aberta oficialmente ao público neste domingo. A nova casa da Volvo Ocean Race segue aberta até o dia 20, quando as equipes partem rumo a Lisboa.

O CEO da regata, Knut Frostad, acredita que a relação dos moradores de Miami com o mar e a paixão pelo esporte serão ingredientes que vão valorizar a etapa dos Estados Unidos.

– É uma das últimas verdadeiras aventuras humanas ainda existentes e eu acho que as pessoas em Miami estão conectadas a isso. É diferente de qualquer coisa eles têm em Miami e na Flórida – comentou Frostad

JORNAL DE SANTA CATARINA

Comente aqui
04 mai08:44

Brasil deve ter barco na próxima edição da Volvo Ocean Race

Dagmara Spautz, Jornal de Santa Catarina

A possibilidade do Brasil ter novamente um representante entre os veleiros que disputam a Volvo Ocean Race o que não ocorre desde a edição 2005/2006 veio à tona esta semana. Reportagem desta quinta-feira do Diário Lance! (divulgada pelo portal Lancenet) informa que um barco brasileiro competirá na próxima edição da regata de volta ao mundo, entre 2014 e 2015. O projeto seria capitaneado pela empresa IMX, que pertence ao empresário Eike Batista, e a produção do veleiro pode ocorrer em Santa Catarina.

Por enquanto, a IMX não confirma nem nega que o projeto esteja em andamento. Apesar do silêncio da empresa, o fato é que, ainda durante a passagem da Volvo Ocean Race por Itajaí, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Paulo Bornhausen, participou de uma reunião em que a ideia foi apresentada pela IMX a possíveis investidores.

Embora não revele detalhes das negociações, Bornhausen diz que há possibilidade da produção em um estaleiro catarinense:

– Sou um entusiasta do projeto, que pode mostrar a força de nossa indústria náutica.

Ainda segundo o Lancenet, a previsão de orçamento para a construção do barco seria de 25 milhões de euros, o que equivale a R$ 64 milhões. ainda há a possibilidade de um acordo entre Brasil e Portugal, outro país que, embora seja sede de uma parada da Volvo Ocean Race, não possui uma embarcação própria na volta ao mundo.

Amílcar Gazaniga, presidente do Comitê Central Organizador da Etapa Itajaí, viaja a Portugal em junho, quando ocorre a parada de Lisboa, com a intenção de estabelecer contatos:

– A economia mundial não é das mais favoráveis, especialmente na Europa. A solução poderia ser um barco luso-brasileiro. Mas tudo ainda está em fase muito preliminar – disse Gazaniga.

De acordo com as informações apuradas pelo Lancenet, se o veleiro sair do papel deverá ter como comandante Torben Grael. Bicampeão olímpico, capitão do Brasil 1, barco brasileiro que disputou a edição 2005/2006 da regata e atual campeão da Volvo Ocean Race (na edição 2008/2009, pelo veleiro sueco Ericsson 4), ele prefere não tocar no assunto por enquanto.

Segundo a publicação, haveria ainda a possibilidade do processo contar com dois brasileiros que hoje fazem parte da equipe espanhola Telefónica: o diretor técnico Horacio Carabelli e o capitão de turno Joca Signorini. (Colaborou Fernando Arruda)

O BRASIL NA VOLTA AO MUNDO
2005/2006
Brasil esteve representado na Volvo Ocean Race pelo Brasil 1, veleiro comandado por Torben Grael. A construção do barco custou R$ 32 milhões. A equipe ficou em terceiro lugar
2008/2009
Tentou-se construir um novo barco para a edição, sem sucesso. Torben acabou vencendo a regata capitaneando um barco sueco
2011/2012
Novamente chegou a ser anunciado o projeto do veleiro brasileiro, mas a ideia esbarrou na falta de patrocínio
Comente aqui
03 mai15:28

Univali de Itajaí expõe Memórias da Volvo Ocean Race

A Volvo Ocean Race partiu de Itajaí há pouco mais de 10 dias, deixando saudades. Mas uma exposição fotográfica está aberta para visitação na Univali de Itajaí até dia 31, no Centro de Memória e Documentação Histórica.

Entre os destaques estão fotos da participação dos voluntários da Univali na organização do evento. O Centro de Memória e Documentação Histórica da Univali fica no bloco da reitoria, no Campus Itajaí. A visitação, gratuita, pode ser feita de segunda a sexta-feira das 8h às 12h e das 13h30min às 17h30min.

Comente aqui
03 mai11:49

Puma, Camper e Telefónica encaram o Mar do Caribe na Volvo Ocean Race

Alinhados em posição de seta, Puma, Telefonica e Camper fazem uma disputa por três rotas alimentadas por ventos de permitem manter a velocidade de 20 nós, enquanto atravessam a barreira das duas mil milhas de distância do porto de Miami. A disputa vai durar pelo menos mais 30 horas pelo Mar do Caribe. As posições do relatório do meio-dia desta quinta-feira, o Puma (Ken Read) lidera por 4,6 milha de distância em relação ao Camper (Chris Nicholson) e 18,7 milhas para o Telefónica (Iker Martinez).

A flotilha já completou a sua última passagem pela região dos Doldrums e se move em direção aos ventos alísios do noroeste. O trio de  liderança está em formação de seta, liderada pelo Puma. Na luta pela quarta posição da sexta regata, o Groupama passou o Abu Dhabi.


Foto Yann Riou/Volvo Ocean Race

Brad March do alto do mastro do Groupama. Foto Yann Riou/Volvo Ocean Race

As previsões sugerem que o vento irá cair drasticamente na chegada ao Mar do Caribe e a flotilha irá se mover com lentidão nas últimas 1 mil milhas da sexta perna. A estimativa atual indica que os barcos podem chegar a Miami (Estados Unidos) na quarta-feira, 9 de maio, enquanto as equipes começam a racionar a comida a possibilidade de mais um atraso causado pela calmaria do trecho final.

Andrew Cape, navegador da Telefónica Equipe:

“É ótimo velejar bem, com 18 nós de ventos alísios e voar a velocidades de 20 nós. Podemos ainda ver uns aos outros. As últimos 1.000 milhas serão complicadas, mas ainda falta muito para isso. A previsão de chegada é horrível pelas suaves brisas que nos esperam no final, mas a situação parece melhorar lentamente. Nós estimamos agora chegar no dia 11 de maio, mas isso pode mudar rapidamente se melhora a festa. Dada a incerteza do que pode trazer o fim do estágio, estamos muito confiantes”. 

Hamish Hooper, a equipe de comunicação CAMPER com a Emirates Team New Zealand:

“Parece que durante os próximos três dias vamos desfrutar de uma navegação rápida na comercial, então com alguma sorte vamos continuar lutando até pelo menos os últimos 1.000 quilômetros, onde parece que tudo pode acontecer. Enquanto isso, o match race de três rotas para os Estados Unidos continua”.

Yann Riou, a equipe de comunicação da equipe de vela Groupama:
“O contato com a região dos Doldrums nos permitiu cortar um monte de milhas. Por agora vamos saborear o momento. Esse prazer é intensificado pelo fato de que já temos um barco, que não é mau para a moral, mas estou convencido de que eles não compartilham nosso ponto de vista.”

Amory Ross, a equipe de comunicação PUMA Ocean Racing alimentado por BERG:

“Pelo menos nós estávamos preparados para isso: A manhã trouxe-nos esta manhã à vista o CAMPER, no horizonte, e, claro, cada vez maiores. Pouco antes do anoitecer quem apareceu foi a Telefónica. Então, aqui estamos nós, alinhados após 10 dias de grande competição.”

Nick Dana, a equipe de comunicação Abu Dhabi Ocean Racing:

“No momento, nosso plano é seguir o caminho dos líderes e mantê-los à distância controlável. Inevitavelmente, o vento vai cair quando chegar ao Caribe, e é aí que nós esperamos para tentar o nosso movimento. Até então, todos nós somos como o vento e envolvido em um sprint.”

Com informações da assessoria oficial da Volvo Ocean Race

Comente aqui
02 mai09:03

Herança da vela

Os velejadores da Volvo Ocean Race ainda nem chegaram à próxima parada, em Miami (EUA), mas em terra já há candidatos para seguirem seus passos. Sem tradição na vela, Itajaí aprendeu a apreciar o esporte e redescobriu no Rio Itajaí-Açu uma fonte de entretenimento. Como resultado, a procura pela modalidade cresce e o município estuda formas de trazer os veleiros, em definitivo, para a paisagem. A cidade, hoje pouco representativa na vela de rendimento, poderá ter em breve mais equipes de competição.

Hoje, o primeiro contato com as velas ocorre na Associação Náutica de Itajaí (ANI), entidade que atende, todos os anos, 180 crianças de escolas públicas municipais. Desde fevereiro, a associação, que tem no currículo remo coletivo e individual e vela em bateiras, passou a treinar os pequenos também para os barquinhos de Optimist.

A intenção era ter crianças preparadas para disputar a regatinha infantil que faz parte da programação das paradas da Volvo Ocean Race pelo mundo. Os barcos, inspirados em caixotes de madeira, têm competições baseadas em estratégia: um prato cheio para quem espera, um dia, navegar uma regata de volta ao mundo.

Os treinos empolgaram os pequenos. Era a chance que faltava para que a cidade tenha a própria equipe de rendimento:

– Sempre tivemos vontade de implantar, mas nunca houve condições. Agora que aumentou a procura, surgiu a oportunidade. Vamos inscrever um projeto junto à Fundação Municipal de Esportes e buscar parceiros, trazer campeonatos – disse Cláudio Copello, presidente da ANI.

A entidade recebeu quatro velas Optimist compradas pela organização para os treinos. Segundo o superintendente da Fundação Municipal de Esportes de Itajaí (FME), Álvaro Provesi, outras quatro serão cedidas por uma escola de vela de Florianópolis.

De acordo com ele, é intenção do município estimular o crescimento do esporte.

– É um legado que fica. As pessoas passam a ter vontade de conhecer o esporte, de velejar. Vamos estimular para que isto cresça – disse Provesi.

Leia também:

>>> Cidade tem campeão brasileiro

1 comentário
26 abr15:43

Imagens da Volvo Ocean Race em Itajaí

O repórter fotográfico Marcos Porto, do Jornal de Santa Catarina e clicRBS Itajaí, preparou uma galeria especial com imagens da Volvo Ocean Race em Itajaí.

Confira e mate a saudade do evento, que deixou a cidade esta semana, depois de 19 dias movimentando Itajaí.

5 comentários
26 abr10:27

Volvo Ocean Race tem dia decisivo perto da linha do Equador

As primeiras parciais desta quinta-feira podem apontar quem fez a melhor escolha na subida para Miami, nos Estados Unidos. A diferença entre os barcos que disputam a Regata de Volta ao Mundo é muito pequena e a flotilha é liderada pelo Puma, seguido de perto por Camper, Abu Dhabi, Telefónica e Groupama.

>>> ACOMPANHE A LOCALIZAÇÃO DOS BARCOS

O equilíbrio ocorre deste a saída de Itajaí, domingo, e quem escolheu a melhor rota para passar pela zona sem ventos do Equador, chamada de Doldrouns, terá vantagem.

– É o grande dia, realmente. O primeiro barco que escapar (dos Doldrums) dificilmente será alcançado – explica o navegador do Puma, Tom Addis.

CLASSIFICAÇÃO
Equipe/Capitão Pontos
1º Telefónica (Iker Martínez) 149
2º Groupama (Franck Cammas) 133
3º Camper (Chris Nicholson) 124
4º Puma (Ken Read) 117
5º Abu Dhabi (Ian Walker) 58
6º Sanya (Mike Sanderson) 25
Comente aqui