Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de janeiro 2010

JESUS NÃO TEM DENTES...

29 de janeiro de 2010 1

   Hoje tava revirando meus cd´s de cabeça pra baixo. Ando numa fase de arrumação lá em casa. Meu acervo foi colocado em caixas até eu me organizar. Tava a fim de escutar um dos grandes discos do rock brasileiro contemporâneo. Demorei, penei pra achar, mas já tô com ele no som do carro.

   Falo de “Jesus não tem Dentes no País dos Banguelas”. Baita trabalho dos Titãs, que sucedeu só o maior disco dos caras, “Cabeça Dinossauro”. Por justamente vir logo depois do estrondo que foi o “Cabeça”, era previsível imaginar a cobrança e a pressão em cima da banda, pra manter o nível.

   O Titãs não decepcionou. Fez jus a cobrança e o status que atingiu. O disco é uma obra prima. Do mesmo nível que o antecessor. O detalhe é que o grupo passa a explorar mais o lado de mecla de ritmos, sons. Os sintetizadores entraram com tudo no álbum, encaixados com perfeição nas canções. Dou exemplos. A faixa três ” O Inimigo” e a faixa que abre o disco “Todo mundo quer Amor”.

   O bom é que ouvir um trabalho desse, me faz cada vez mais crer que o rock nacional precisa e necessita dos dinossauros. Sem Titãs, Paralamas, Barão, nosso rock estaria esvaziado, pode crer que sim. Não haveria a oportunidade da nova geração aparecer com essa capacidade musical incrível que ouvimos e vemos hoje.

   Um salve aos Titãs. Um salve a “Jesus não Tem Dentes…”

  

Postado por Jader Rocha, POA

FÚRIA DA NATUREZA

27 de janeiro de 2010 1

   Estamos hoje no vigésimo sétimo dia do mês de janeiro. O primeiro do ano. Você já se deu conta de quantas foram as tragédias só neste período?? Já se deu conta de que parece que as coisas estão fugindo do nosso controle??

   O deslizamento de terra em Angra, a ponte que caiu em Agudo, o terremoto sem precedentes no Haiti, o alagamento de São Paulo…Meu Deus, quanta coisa ruim!! Quanta gente se perdendo, quanta coisa ruindo…

   A natureza nos indica seu descontentamento com os descasos dos humanos. Nós mesmos!! Culpados por não respeitar regras, não nos condicionarmos a limites impostos pra que tenhamos, um mínimo que seja, de limpeza, saúde, bem estar!!

   Desse jeito, a cada imagem que vemos na tv, a cada cena chocante que nos salta aos olhos, como esperar que mude.

   A responsabilidade é toda nossa!! 

Postado por Jader Rocha, POA

JOGO DE BOTÃO NA VELHA CAIXA DE SAPATO

22 de janeiro de 2010 1

   Essa semana ainda, flagrei meu filho, o mais novo, jogando botão. Foi um passatempo, um hábito que ele adquiriu comigo. Sim, porque essas crianças de hoje, não querem nem saber de coisas, entenda-se brincadeiras, que nós, por exemplo, tínhamos como hábito.

   Antes de sair de férias, havia organizado pra ele um campeonato. Uma Copa do Mundo com as seleções que fazem parte da minha coleção. Ex-coleção, melhor. Desde que resgatei meus times de “panelinhas” na casa da mãe, os repassei pro meu filho, um pequeno adorador de futebol, igual ao pai.

   Num caderno, fiz a tabela, sorteei os grupos, tudo com a ajuda dele e da minha filha mais velha. Nos divertimos um monte! Como não estávamos por aqui, o Mundial dele ficou escanteado. Só essa semana ele lembrou de reativá-lo.

   Só que, ao contrário do meu tempo, os times que até então ficavam dispostos em saquinhos plásticos de supermercado, aqueles transparentes, feitos artesanalmente por mim e pelo meu pai, hoje estão “concentrados” nestas caixas organizadoras, de plástico resistente, cheias de divisórias. Uma bela moradia.

   Quando eu jogava e narrava, pra caramba, empolgado que só vendo, meus times se amontoavam nos sacos, dentro de uma caixa velha de sapato. Aliás, caixa que só renovava quando já não dava mais! Ficava puída, toda rasgada e eu relutava em trocar. Era convencido com muito diálogo!

   Mas é legal de ver! Os botões seguem lá. Mesmo com todo o tratamento que a modernidade impõe. São os velhos “panelinhas”, deslizando no Estrelão verde!!

Postado por Jader Rocha, POA

GUNS EM POA: EU NÃO VOU!

21 de janeiro de 2010 4

   Gosto não se descute ponto. Frase batida e antiga. Nem entro no mérito. Moramos num país democrático, graças a Deus. Viva as diferenças!!

   Eu já fui fã dos caras. Aliás, quem da minha geração não foi?? Final dos anos 80, início dos 90, não tinha pra ninguém. Era uma briga. Lembro os da minha turma, pra ter nas mãos um LP do GUNS. Axl vivia uma fase iluminada. A banda tomava conta do cenário musical. Explodia mundo afora com os agudos e a performance agressiva do vocalista e do guitarrista Slash nos palcos.

   As músicas, eram como hinos. Decorávamos, como se decora fórmula matemática. Cantávamos a todo instante. Lembro da apresentação do Rock In Rio de 91. Foram duas na verdade. Duas noites em que o mais puro rock, ferveu no Rio. O GUNS era a banda da moda. Era o mais aguardado do festival. Justificou tal ansiedade. Era o auge.

   Pena que acabou o encanto. Os desentendimentos, as brigas, a saída de Slash, alma do grupo, quebrou com a resisitência e derrubou os caras. O GUNS entrou em decadência. Quase sumiu do mapa. 

   A banda que vem a Porto Alegre, em março, está longe de ser aquela que estremeceu o mundo a duas décadas. Por mais que a figura, o mito Axl esteja presente. Não creio que o GUNS consiga repetir o que fez. Torço pra que seja ao contrário.

   Mas vou apenas acompanhar, de longe. Pra relembrar, aí vai. GUNS, no Rock In Rio de 1991!!

Postado por Jader Rocha, POA

QUEEN LIVE

20 de janeiro de 2010 1

   Um dos passatempos preferidos nas férias foi o de ver bastante DVD. Shows em especial. Vi alguns. Aqueles que ficam engavetados durante o ano, meio esquecidos, ou que a gente só olha pela metade, os extras. Não presta atenção nos detalhes. Os que assisti, fui até o fim.

   Um deles registra o retorno de uma das bandas mais badaladas do mundo. O Queen, do eterno Freddie Mercury. Não mais com o seu antigo vocalista, morto em 1991. No show que tenho no meu acervo, a banda tocou na Ucrânia, pra uma multidão impressionante. Brian May, guitarra, e Roger Taylor, bateria, oriundos da origem do grupo, estão lá. Cada um mais ativo que o outro, mais empolgado e inspirado. Transformam seus instrumentos em mágica. Brincam de fazer música, no bom sentido.

   A frente da banda está Paul Rodgers, que eu confesso, desconhecia. Mostra-se entrosado com os remanescentes do Queen áureo. Lembra, não comparando e guardando as devidas proporções, Mercury em alguns momentos. Muito mais pelo timbre da voz, do que pela performance no palco. Seria até uma heresia comparar ambos.

   Destaque no show pro momento em que Brian May caminha no palco, avança sobre a multidão e num banco, acompanhado de um violão, canta, com o público, Love Of My Life, consagrada na voz inconfundível de Freddie Mercury. O baterista Roger Taylor também dá seu show particular. Em determinado instante, no mesmo palco avançado, ele começa a fazer um solo em apenas uma peça da bateria. Um dos roaddies da banda, então, começa a montar toda a estrutura. Peça a peça, disponibiliza outra bateria completa a Taylor que segue tocando em meio a montagem. Um espetáculo realmente.

   Pra quem curte Queen, um prato cheio. Vale a pena!  

Postado por Jader Rocha, POA

IHHH, CHUVA DE NOVO!!

19 de janeiro de 2010 0

   Previsões nada animadoras pra esta terça. Vem aí chuva, muita por sinal. Pelo que se diz, é preciso estar em alerta, pois há risco de temporal. O dia pode ser o mais chuvoso da semana, inclusive.

   Em dias assim, eu me desanimo. Menos mal que já estou trabalhando. Me envolvo com as questões profissionais e esqueço que lá fora, cai água. E cá pra nós né. Nada pior do que estar de férias e não poder tirar o pé de casa. É deprimente. Na praia, então, nem se fala.

   Haja criatividade. Jogo de carta, bingo, leitura, palavra cruzada, um video game, um livro, filme, nada, tudo, sono. Meu Deus!! É ruim demais!

   Na minha última semana pelo litoral, três dias de chuva insistente. Três dias seguidos!!! Muita água e o tédio absoluto. Não há como ficar de bom humor ou relaxar bem. Pelo menos pra mim. Muito difícil!! Mas passou. Só que vem mais chuva. Então, você que está aí de férias, que bote a cabeça pra funcionar. Criatividade, acima de tudo hein!!

Postado por Jader Rocha, POA

ATENÇÃO, EU PARO NA FAIXA DE TRÂNSITO

18 de janeiro de 2010 3

   O mote da campanha da RBS que valoriza a nova sinalização no trânsito é destaque, sem dúvida, por aqui. Confesso que não havia vivenciado de perto alguma situação que colocasse frente a frente com essa realidade. Isso até a semana retrasada, se não estou enganado.

   Circulava pela zona sula aqui de Porto Alegre. Avenida Juca Batista. Era sábado a tarde. Numa das rotatórias, no sentido bairro-centro, uma faixa, sem semáforo e um pedestre, que pacientemente, aguardava pra atravessar. O trânsito fluia normalmente. Janeiro, final de semana, muita gente na praia. Bom de dirigir pra quem fica por aqui.

   Pois bem. Perto de chegar a tal rotatória avistei o homem que queria atravessar a via. Ainda pensei: “Acho que esse cara vai fazer o sinal pra que eu pare e ele atravesse”. Juro que pensei. Dito e feito. Quando eu estava próximo da faixa, ele estendeu o braço, de forma meio tímida, mas estendeu. Eu na hora, não titubeei. Parei, até porque estava na velocidade adequeada e lá se foi o homem, satisfeito em ter o pedido respeitado. Eu também saí satisfeito. Cumpri a risca o que se pede a cartilha das normas e regulamentações da boa conduta de motorista.

   Colaborar pra melhoria do nosso caótico trânsito é benéfico. Seja em qualquer circunstância. Se cada um puder ajudar…

Postado por Jader Rocha, POA

O CLÁSSICO

11 de janeiro de 2010 0

   Estava tudo pronto. Estádio cheio, torcida empolgada, times definidos. O trio de arbitragem se mostrava confiante em fazer uma boa condução do clássico. O japonês, que apitaria o confronto, era conhecido pela maneira enérgica de atuar. Não permitiria, num jogo dessa envergadura, estrelismos.

   De um lado, no corredor de acesso ao campo, Kaká, Cristiano Ronaldo, Van Nistelrooy, Pepe, Xabi Alonso. Do outro, Ronaldinho Gaúcho, Pato, Seedorf, Pirlo, Dida, Inzaghi. Real Madrid e Milan. Frente a frente. Kaká enfrentaria o ex-clube, mas estava confiante. A constelação galática brilhava como nunca. Ronaldinho e Pato puxavam os milaneses pra cima. Embalados, confiavam num bom resultado. Uma curiosidade alimentava quem fosse acompanhar o duelo. As duas equipes começariam o jogo na mesma formação. Um ousado, mas ao mesmo tempo, poderoso 4-3-3. A famosa linha de quatro lá atrás, mais dois marcadores posicionados rente a linha do círculo central, um meia mais avançado. Na frente, como nos velhos tempos de anos 70 e 80, dois pontas bem abertos e um centroavante dentro da área, responsável por prender os zagueiros adversários.
   O clássico se inicia com o Real Madrid tomando a iniciativa. Do meio, o holandês Sneijder lança Cristiano Ronaldo na direita. Ele passa como um furacão por Jankulowski e avança pra linha de fundo. O cruzamento sai preciso. Encontra a cabeça de Van Nistelrooy. A bola só para no fundo da rede de Dida, que mesmo com todo o tamanho, se espicha, mas não chega nela. Festa merengue. Real, um a zero. Pro Milan, um golpe duro. Mas nada que abalasse a estratégia do técnico. Na beira do campo ele comanda o time com energia, rumo à reação.
   O ponto de partida deste recomeço,  é Ronaldinho Gaúcho. Ele é um dos pontas, abertos pelo comandante italiano, responsável por levar o Milan ao ataque. E com Ronaldinho, os italianos pressionam. Girando sobre Pepe, o brasileiro naturalizado português, o gaúcho da Vila Nova, rompe o campo ofensivo e toca rápido pra Seedorf. Quer a tabela e o camisa dez entende. A devolução se dá de forma instantânea. Pepe já ficou pra trás. Ronaldinho só tem o jovem Albiol a sua frente. Ele que foi contratado ao Valência, como grande revelação defensiva do futebol espanhol, está cara a cara, com aquele que já fora duas vezes o melhor do mundo. Confiante, como nos velhos tempos, Ronaldinho, deixa o potencial zagueiro sentado. Resta a finalização. E ela sai tal qual um torpedo. Daqueles que nos remetem aos filmes de ficção. Uma explosão!! Tamanha a força que a rede só não fura em função da qualidade do material. Um a um e a justiça no placar é restabelecida ao final do primeiro tempo.

   Na etapa final, nada de mudanças. Pela grandeza das duas equipes, mexer a essa altura poderia ser um risco grande. Assim como o começo do clássico, quem dá as cartas é o Real. No meio, Sneijder e Xabi Alonso trocam passes. Vislumbram Kaká, lá na esquerda. O brasileiro, homem de confiança na seleção brasileira, ergue o braço o mais alto que pode. Está marcado. Nem por isso desiste de pegar, receber a bola. O seu mercador é um velho conhecido. Zambrotta, ex-companheiro e experiente. O italiano não desgruda. Kaká insiste em levantar o braço.

   E a bola viaja. Mansa, passa por cima de quatro jogadores no meio e em diagonal, cai no peito do camisa oito dos merengues. Inteligente como só, Kaká já se livra no domínio de Zambrotta. Parte rumo à área. Sérgio Ramos, que voltava pra ajudar, o atropela. Sem pudor, nem freio. Kaká, Cai estatelado. O japonês disciplinador, aponta a marca da cal. Pênalti e cartão vermelho no lateral espanhol. A torcida vibra e pede Cristiano Ronaldo. O treinador do Real surpreende e manda o goleiro Casillas pra cobrança. Silêncio no estádio…chute forte, no ângulo. Golaço!!! 

   Em desvantagem, o Milan, literalmente se atira à frente. Com Borriello e Pato endiabrados, pressionam e perdem chances na mesma proporção. O tempo vai passando e o Real se sustentando. Até que aos 44 minutos, o lance que selaria o clássico. Pirlo, no meio, percebe Pato desmarcado. O guri, surgido no Inter, ansiava por uma bola assim. A mesma ansiedade de uma criança que espera pelo presente de Natal. O passe é rasteiro. A zaga do Real sai pra fazer a linha de impedimento…em vão. A velocidade de Pato é assustadora. Vai reto em direção ao gol. Só ele e o goleiro artilheiro Casillas. O que fazer?? Driblar, encobrir, chutar de longe. O raciocínio de Pato deve ser preciso e ligeiro. Casillas, isolado pensa em derrubá-lo. Pensa em cometer pênalti, mas sabe que se o fizer. Ganha o vermelho. O árbitro japonês babava por uma outra oportunidade de dar um cartão. Casillas muda o pensamento. Dá o bote, um bote ameno. E erra feio. Pato o dribla, como se driblasse o vento. Corre até a linha do gol, entra com bola e tudo. Era o empate.

   O clássico termina. Lamento merengue. Desforra milanesa mesmo com o empate. Corneta daqui, provocação dali, eu e meu cunhado sorrimos. Demos um gole na cerveja que já esquentava nos copos e nos ajeitamos pra um novo desafio. O futebol no videogame ia longe…

 

  

 

Postado por Jader Rocha, POA

VOLTA GRADATIVA

11 de janeiro de 2010 0

   Salve gente. É muito bom parar. É muito bom reciclar as ideias, revigorar-se. Mas é bom também voltar. E voltar empolgado, disposto. Ainda não estou na ativa. Curto minha última semana das férias. Mas era impossível ficar mais tempo longe do blog e do convívio de vocês. Por isso, nesta semana e tão somente nesta semana, minha passada por aqui se dará de forma esporádica. Pra telinha, retorno no final de semana, nas transmissões iniciais do Gauchão. Estarei informando através do twitter(Jader76Rocha).
   Como toda a volta, muitas histórias, muitas coisas observadas e vividas. Reais e fictícias, não importa. O que vale mesmo é dividir com todos que me acompanham. Um grande 2010 pra todos nós!!

Postado por Jader Rocha, POA