Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de abril 2011

RBS ESPORTE ESPECIAL DE PÁSCOA!

23 de abril de 2011 0

Salve gente! Pra quem não viu, pra quem já viu, disponibilizo, na íntegra, o RBS ESPORTE deste sábado. Especial de Páscoa, gravado na cidade de Gramado, terra oficial do chocolate! Aí vai:


BARÇA E REAL: ÚNICO!

06 de abril de 2011 2

   As bolsas de apostas do mundo devem estar em polvorosa. Quem não está. Quem, que gosta, vê, ouve, lê, consome futebol, não se empolga com uma perspectiva concretíssima que se apresenta. Vou além. Mais do que futebolistas natos. Desportistas, acima de tudo, querem ver o jogo histórico que virá. Falo de Barcelona e Real Madrid. Um dos maiores clássicos mundias. Uma das maiores rivalidade mundiais. Dois super times. De craques infinitos e valores estratosféricos. Eles vão se enfrentar, de novo!

    Dirão os mais atentos: “Calma, Jader! Ainda teremos os jogos de volta das quartas-de-final da Champions”. Sei e não imagino destino diferente desse que a semana encaminhou. Os merengues atropelaram o Tottenham, 4 x 0. O Barça, tocou 5 x 1 no Shaktar, expoente ucraniano. Eles jogarão fora. Decidirão fora. Longe das torcidas, a favor do futebol majestoso que apresentaram na ida. Vem aí mais dois shows. Dois resultados que só comprovarão o que já se comenta. Barça e Real, de novo, como disse. Não mais um confronto pra estatística. Barça e Real, numa semifinal de Copa dos Campeões da Europa. E não um, mas dois jogos entre ambos. Duas raras oportunidades de ver os melhores frente a frente. Aulas gratuitas de como se pratica o futebol arte, pragmático de busca incessante por vitórias. Vai ser bonito demais!

   O Barcelona, por exemplo, está a três anos sem perder no quesito posse de bola!! Em qualquer competição de que seja, contra qualquer adversário que seja. Bruno Cassali, editor do esporte aqui da tv e aficcionado pelo futebol europeu, me confirmou esses números espetaculares. E eles têm Messi ponto. Iniesta, Xavi, Busquets, Daniel Alves. O conjunto afinado de Pepe Guardiola, joga fácil, encanta.

   O Real Madrid, maior vencedor da Champions, se escora nos números, na história e na recuperação de um futebol que ficou em segundo plano nos anos anteriores, vencido pelos egos dos “galácticos” que por lá passaram. As estrelas, no entanto, se mantém firme no Real, do marrento, mas competente José Mourinho. Cristiano Ronaldo, enfim jogando e convencendo. Di María, Higuaín. Özil. Um timaço, com outra mentalidade!

   Não vejo a hora da confirmação do confronto. Barça e Real: único!

RENATO E O LEQUE

05 de abril de 2011 0

   Começou com Jonas, André Lima, Borges, Clementino, Vinícius Pacheco, Viçosa. Isso sem falar na quase real chance de ter Ronaldinho. Águas passadas. A foto mudou, o time mudou. Renato mudou. Suas conviccções o levaram a trilhar um caminho diferente, na medida em que as peças iam escasseando. A dispensa de Jonas se desenhou como um abismo às portas da Libertadores. Perder o artilheiro, grande referencial ofensivo do time, soava como um golpe. Daqueles de se lamentar, sem saber, inclusive de onde partiu. De deixar zonzo, sem ação. Foi assim que Renato e os gremistas todos se sentiram. O que fazer, como fazer? Perguntas difíceis e de nem tão fáceis respostas assim.

   O treinador deu um jeito de não se atrapalhar tanto. Escalou André Lima e Borges. Insistiu na dupla de centroavantes. Queria e acreditava que daria certo. Aposta que foi se revelando positiva. As atuações ficavam abaixo da média, os gols, esses, garantiam o sustento dos dois. Borges e André Lima seguiriam, não tenho dúvida. O joelho de André não deixou. Novo baque. Nova mudança. O leque de Renato diminuía. Será mesmo??

   Escancararam-se as portas pro garoto Leandro. Prodígio. Talento puro, diferenciado. Dezessete anos, personalidade madura. Bola, idem. Leandro empurrou pra trás da fila Escudero e Carlos Alberto. Duas opções concretas de Renato pra formar dupla com Borges, que vai se mantendo. Leandro está fora da Libertadores. Culpa nenhuma do treinador. Ninguém colocaria, em sã consciência, o nome de Leandro numa lista inicial da competição, montada, elaborada numa época em que Leandro nem sequer era relacionado pra treinar. Pois agora, na fase altamente positiva do guri, o Grêmio não poderá contar com seu talento e gols, no jogo mais decisivo da equipe até aqui na temporada. Sim, é o jogo do Grêmio em 2011. Vencer se impõe a qualquer custo. Precisava do Leandro.

   Renato olha pra fila. Vai buscar Escudero. Carlos Alberto perde pontos preciosos na disputa. Liberado pela direção, resolve problemas particulares no Rio, até o final de semana. Que coisa hein?? O gringo pode fazer com o técnico gremista resgate a característica com Leandro. Velocidade, objetividade. Isso, ele tem. Precisa colocar em prática. E terá que ser na quinta. Impreterivelmente.