Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O que podemos fazer para salvar as abelhas?

23 de março de 2017 0

Voce já se deu conta das noticias alarmantes sobre a sobrevivência das abelhas no nosso planeta? Já faz alguns anos que tem se falado sobre o desaparecimento destes insetos. As abelhas tem um papel fundamental na manutenção da vida porque são importantes polinizadoras de infinitas espécies vegetais.  Sem elas, muitas plantas não florescem e consequentemente, não frutificam.  E como é fica a reprodução das plantas?  E nós, que atitudes podemos tomar para salvar as abelhas?

lavender-1537694_1280

Abelhas polinizando as flores de lavanda Foto: Pixabay

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês), estima-se que 73% das espécies vegetais cultivadas no mundo sejam polinizadas por alguma espécie de abelha. Para terem uma idéia da importancia destes agentes polinizadores, a ciência já desenvolveu  “abelhas-robos” (robobees) para polinizarem as plantas, já que a população das abelhas vem diminuindo drasticamente.

Abelhas e o mel  foto:pixabay

Abelhas e o mel foto:pixabay

São diversos os motivos para o desaparecimento das abelhas:

1. Desmatamento das áreas verdes e consequente diminuição de alimentos e habitats para as abelhas.

2. Os inseticidas e pesticidas aplicados usualmente nas lavouras, nos jardins para controle de pragas e para controle de mosquitos ( Zica, dengue) matam as abelhas também. Elas são insetos e os inseticidas matam todos eles indiscriminadamente.

3. Fungos ou virus em colmeias;

4. Inseticidas do grupo Neonicotinoides são letais para as abelhas e colméias.

bee-1495037_1280

O que fazer para melhorar a vida das abelhas?

1. Plante flores, em especial as espécies nativas que alimentam as abelhas oferecendo seu pólen e nectar.

2. Evite usar pesticidas para controlar as pragas da casa e do jardim. Dê preferencia para produtos que não causem danos nem poluem o meio ambiente. Veja no final deste post links com  algumas dicas de controle ecológico.

3. O produto Fipronil que se usa no Brasil  para controle de pulgas e carrapatos nos nossos pets, e também como produto tóxico na isca formicida, acabam indiretamente causando a morte das abelhas. Mas a gente vai fazer o que para matar as pulgas dos pets e controlar as formigas?

 

Flores alimentam as abelhas

Flores alimentam as abelhas

 Com controlar insetos e outras pragas no jardim sem danifcar o meio ambiente, VEJA

Jardins verticais transformam muros e paredes

 

Como cultivar o Alecrim

13 de março de 2017 1

O alecrim, Rosmarinus oficinallis, é uma erva aromática nativa do Mediterraneo  usada na culinária para temperar verduras, pães, frango, carnes e peixes. Agrega sabor às saladas, grãos e legumes. O alecrim é uma planta de uso medicinal. Tem um aroma marcante, suave e o óleo essencial é muito utilizado em aromatizadores e perfumaria. As flores são melíferas ( apreciadas pelas abelhas).

Alecrim em floração  foto: Pixabay

Alecrim em floração foto: Pixabay

O alecrim pode ser plantado através de mudas pequenas e médias ou por sementes (demora mais). O porte adulto deste arbusto é de 0,80 metros ( pode chegar até 1,50 mt!). Corte as pontas dos ramos para usá-los, esta poda estimula o rebrote de ramos novos. Existem mais de 10  variedades de alecrim (algumas mais pendentes e rasteiras).

Rosmarinum officinallis - alecrim

Rosmarinum officinallis – alecrim foto: Helena Schanzer

A planta alecrim gosta de solos bem drenados, com de areia na composição e com matéria orgânica. Gosta de muito sol e entre as regas, deixe o solo ficar seco.

pixabay alecrim  flores

Alecrim flores Foto: Pixabay

Esta erva aromática pode ser cultivada em vaso no sol.

alecrim

Alecrim em vaso foto: Helena Schanzer

 

Jardim comestível: como cultivar pepinos na horta

Cultive e tome chás para lidar com o estresse

Plantas venenosas são mais comuns do que você imagina!

 

Siga Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

Leonardo Di Caprio é um ativista dedicado ao meio ambiente

10 de março de 2017 1

O ator e produtor  americano Leonardo Di Caprio é um ativista engajado na proteção ambiental.  A ONU nomeou-o como representante das alterações climáticas em 2014.  Em 2016, ele discursou  sobre as questões que os oceanos enfrentam na Conferência Oceânica em Washington, organizada pelo antigo Secretário de Estado John Kerry. A conferência Our Ocean concentrou-se em questões-chave do oceano tais como áreas marinhas protegidas, pescas sustentáveis, poluição marinha e impactos relacionados ao clima no oceano. Leonardo DiCaprio falou sobre sua experiência testemunhando os efeitos prejudiciais da mudança climática enquanto filmava seu documentário Before The Flood.

Leonardo_DiCaprio_Shakes_Hands_With_Secretary_Kerry_Prior_to_Delivering_Remarks_at_the_-Our_Ocean-_Conference

Leonardo DiCaprio é um ativista ambiental foto: Divulgação fundação DiCaprio

O ator criou a sua própria fundação de defesa do meio ambiente, a Leonardo DiCaprio Foundation, em 1998. A fundação dedica-se a “preservar os últimos locais selvagens do planeta, a implementar soluções que restaurem o balanço de ecossistemas ameaçados e a procurar soluções a longo prazo para a saúde e bem-estar dos habitantes do planeta Terra”.  Conheça a fundação DiCaprio em:   http://leonardodicaprio.org/

Leonardo DiCaprio    foto: Divulgação

Leonardo DiCaprio foto: Divulgação

Além da própria fundação, o ator faz parte da direção dos grupos ambientalistas Natural Resources Defense Council (NRDC), Global Green USA e International Fund for Animal Welfare (IFAW). Em 2007, produziu o documentário The 11th Hour, no qual trabalhou durante quatro anos.

Leonardo DiCaprio    foto: Divulgação

Our Ocean e Leonardo DiCaprio foto: Divulgação

 

Veja como Israel reutiliza toda água

Pitanga-anã: um arbusto nativo para plantar em espaços pequenos

08 de março de 2017 0

A Eugenia matossi, popularmente chamada de pitanga-anã, é um arbusto pequeno nativo de SC e RS que floresce 2 vezes por ano e dá um frutinho vermelho. O frutinho não é tão saboroso como a pitanga da árvore pitangueira, mas é muito ornamental, comestível e resistente.  Atinge 0,40 a 1,00 metro e aceita podas suaves. Gosta de locais ensolarados e tolera clima frio.

Flor da pitanga-anã    Foto: Helena Schanzer

Flor e fruto da pitanga-anã Foto: Helena Schanzer

A brotação das folhas novas é avermelhada o que dá um colorido à planta.

Myrtus comunnis flor e fruto

Flor da pitanga-anã Foto: Helena Schanzer

A pitanga-anã pode ser cultivada em vasos e no solo direto, com terra rica em composto organico.

DSC09042

Flor da pitanga-anã Foto: Helena Schanzer

Esta espécie é muito usada para fazer bonsai.

Myrtus comunnis - pitanga anã

Maciço de pitanga-anã Foto: Helena Schanzer

pit ana 2

pitanga-anã com 5 anos Foto: Helena Schanzer

 

Veja como cultivar  a pitangueira AQUI

 

 

Dicas de ferramentas básicas para cuidar do jardim

02 de março de 2017 0

Para cuidar das plantas do jardim são necessárias algumas ferramentas. Selecionei algumas que são imprescindíveis para voce ter em casa:

1. Tesoura para podar galhos – Dicas!!!

Ferramenta específica para cortar galhos, importante que esteja sempre afiada para não “mastigar ” o galho ao invés de cortar. É importante podar sempre os galhos secos e mortos para renovar a planta. O ponto que se corta o caule ou o galho da planta é quase rente ao tronco/caule para que a cicatrização do tecido seja ok. Sabia que ao podar um galho acontece um fenômeno bioquímico na planta? Existe uma enzima que estimula o crescimento apical, para cima, do caule. Ao podarmos o caule/galho, esta enzima é inibida e outra enzima específica do crescimento lateral é estimulada e a planta rebrota nestes pontos. Observe na gemas de brotação do galho, como ele se bifurfa ao cortarmos.

Tesoura de poda Foto Tramotina divulgação

2. Pazinha de jardineiro – estreita e larga

A pá estreita serve para plantas menores e vasos pequenos. A pá mais larga serve para plantar mudas maiores e fazer buracos para plantar na terra.

Foto Tramotina divulgação-pazinha-estreita-com-cabo

Pazinha de jardim estreita Foto: Tramontina divulgação

Veja outros tipos de pás de jardinagem AQUI

Foto Tramotina divulgação-pazinha-larga-com-cabo

Pazinha de jardim larga Foto: Tramontina divulgação

 3. Tesoura de poda ou Podão

Usado para cortar galhos maiores ou dar formato para arbustos e maciços de plantas.

78330105PDM001B-tesoura-para-cerca-viva

 

 

4. Regador para plantas

O regador é útil para molhar vasos e plantas que precisam de um cuidado a mais com a água.  Importante o tipo de bocal: o bom para a plantas é que a água jorre delicadamente para ser lentamente absorvida pela terra. Um regador com design bacana é decorativo!

regador   pixabay

Regador pode ser decorativo foto: Pixabay

5. Mangueira para irrigação

A mangueira deve ser bem flexível e ter o comprimento adequado para que se molhe todo o jardim.

foto pixabay mangueira

mangueira Foto: Pixabay

Saiba por onde começar a fazer o seu jardim AQUI

Veja como fazer uma horta em casa

Veja a colheita de laranjas nas ruas de Sevilha

01 de março de 2017 0

Nas ruas da cidade Sevilha, na Espanha, são cultivadas árvores de laranja-azeda. A prefeitura colhe os frutos nesta época do ano e vende para uma fábrica local fazer geléia de laranja-azeda.  As flores das laranjeiras são perfumadas e chegam a florescer duas vezes por ano, deixando um aroma maravilhoso na cidade.  Que ideia inspiradora para  nossas ruas, praças e parques!   :idea:    :-)

Árvore de laranja azeda na rua em Sevilha  foto Dora Schanzer

Árvores de laranja-azeda na rua em Sevilha foto: Dora Schanzer

As árvores de laranja-azeda, Citrus aurantium, são plantadas nas calçadas, praças  parques e ruas de Sevilha. As flores são muito perfumadas e usadas em perfumaria, na época da floração o aroma é enebriante. Os frutos da laranjeira azeda são usados na preparação de doces, geleias e para extração de óleo.

colheita de laranja nas ruas de Sevilha  foto: Dora Schanzer

Colheita de laranja nas ruas de Sevilha foto: Dora Schanzer

Existe uma grande polemica na Espanha em relação ao consumo destas laranjas cultivadas nas ruas poluídas. Na geléia elaborada usando a casca destas laranjas, tal casca  fica exposta  absorvendo todos os gases e produtos tóxicos derivados da poluição urbana, como o chumbo e os metais pesados das emissões dos veículos.

Ruas com árvores de laranjas amargas em Sevilha  foto Dora Schanzer

Ruas com árvores de laranjas amargas em Sevilha foto: Dora Schanzer

A geléia é um produto do sul da Espanha e é exportada. A melhor embaixadora deste produto é a Rainha da Inglaterra, Isabel II, ou Elizabeth II, que no café da manhã somente come esta geléia. A matéria prima se encontra em Sevilha, con 20.000.000 quilos/ano, seguida por outras cidades espanholas, até atingir 24.000 toneladas.

Colheita de laranjas-azedas nas ruas de Sevilha  foto Dora Schanzer

Colheita de laranjas-azedas nas ruas de Sevilha foto Dora Schanzer

Dica para fazer a Geléia de laranja-azeda não ficar amarga:

1. Tirar toda a parte branca da casca da fruta e descartar;

2. Deixar as sementes de molho, depois retirar a película e usá-la para engrossar a geléia.

As árvores de laranja-azeda, plantadas nas calçadas foto: Dora Schanzer

As árvores de laranja-azeda, plantadas nas calçadas foto: Dora Schanzer

Atualizo o post com comentário de um leitor que segue o blog, que perguntou como é a legislação da cidade de Porto Alegre em relação ao plantio de árvores exóticas como as laranjeiras nas ruas. Pesquisei no Plano de arborização urbana de Porto Alegre e vejam o que diz:

Art. 7º- Quanto a melhoria da qualidade de vida e equilíbrio ambiental: I – utilizar predominantemente espécies nativas regionais em projetos de arborização de ruas, avenidas e de terrenos privados, respeitando o percentual mínimo de 70 % de espécies nativas, com vistas a promover a biodiversidade, vedado o plantio de espécies exóticas invasoras.

Então, se pode plantar laranjeiras nas nossa ruas! Mas lembre-se sempre de plantar as nossas frutíferas nativas como o araça-vermelho e a pitangueira que são frutas deliciosas e atraem a avifauna silvestre!

Veja:  como plantar frutíferas em vasos

Saiba: como a flor da laranjeira se transforma em fruto

Jaboticabeira é uma fruta deliciosa!

Floresta de bolso: saiba o que é!

 

Renner investe em refeitório com paisagismo

17 de fevereiro de 2017 0

A reforma do refeitório e da recepção do prédio da sede administrativa da Renner transformou a área. As paredes do antigo refeitório foram todas derrubadas e substituídas por grandes painéis de vidros que permitem a entrada da luz natural. Para tirar partido disto, ao longo dos painéis foram criados canteiros com vegetação, criando-se um ambiente acolhedor. Acompanhem aqui o antes e o depois desta metamorfose do espaço.

jardins e bancos foto: Helena Schanzer

Espaço com jardins e bancos foto: Helena Schanzer

O refeitório da empresa Renner recebe mais de 1.300 pessoas entre funcionários e colaboradores para as refeições diariamente.  A reforma do refeitório foi projetada pelo escritório R4 Design. Este projeto foi liderado pelo arquiteto Marlon Braga, da R4 Design em parceria com a equipe da Renner, coordenada pela arquiteta Alessandra Shargorodsky  e arquiteta Fabiana Merino Lemos. A Prandix Construções, de São Paulo foi a empresa que executou a reforma do refeitório e da recepção da sede administrativa, obra coordenada pelo Arq. Renan Nunes com gerenciamento do Arq. Lucas Russi e Eng. Vinicius Fraga de Souza da Renner. O projeto de paisagismo para criação dos jardins  foi realizado pelo escritório da paisagista que escreve este Blog, bem como a administração e acompanhamento técnico da implantação dos jardins também.

jardins com banco

Bancos nos jardins para os colaboradores Foto: Helena Schanzer

Boa parte do jardim da fachada não recebe luz solar direta, mas a luminosidade é boa. Pensando nisto, selecionei plantas de meia sombra como a clusia, heliconias, liriopsis e grama-preta, todas  adaptadas a locais onde não pega sol. As plantas são da floricultura Blumengarten que forneceu plantas lindas e saudáveis. Para implantação do jardim contei com a parceria da Ponto Verde do eng. agrônomo Luis Márcio Viuniski.

Jardins da sede da Renner jardins e foto by Helena Schanzer

Jardins da sede da Renner jardins e foto by Helena Schanzer

Foi criado um espaço ao ar livre junto ao refeitório para os colaboradores almoçarem no jardim e ali criamos um jardim vertical com muitas orquídeas e temperos. As orquídeas nativas enfeitam e florescem quase o ano todo sem precisar de muitos cuidados.

jardim e orquideas

Jardim vertical com manjericão e orquídeas  Foto: Helena Schanzer

Veja tudo sobre o JARDM VERTICAL  DO REFEITÓRIO DA RENNER

orquideas terrestres

Orquídeas terrestres no jardim Foto: Helena Schanzer

Acompanhe aqui o antes e o depois:

 

Conheça um inseto que suga a seiva da planta

09 de fevereiro de 2017 0

Existem insetos benéficos para as plantas, veja aqui. E também existem insetos que danificam as plantas, sugam a seiva através do caule e das folhas até a planta morrer. Um destes insetos sugadores é a cochonilha, que lentamente vai tomando conta da planta e aos poucos ela perde a vitalidade, as folhas caem e a planta seca. Este processo pode levar até um ano, conforme o grau de infestação da cochonilha.

cochonilhas

Cochonilhas na árvore de bergamota

Existem diversas espécies de cochonilhas: as de carapaça marrom ou preta, cochonilha com aspecto de farinha branca, e outras que parecem seres extraterrestres quando examinadas de perto. Olhem na foto acima a cochonilha  que apareceu na árvore de bergamota!  Para terminar com estes insetos sugadores não precisa usar venenos. Voce pode limpar as partes atacadas com uma esponja molhada em uma calda de sabão neutro de glicerina ou de coco.  Veja AQUI como controlar as cochonilhas com produtos que não causam danos a natureza.

 

Veja AQUI a diferença entre cultivo orgânico e hidropônico.

Saiba como reciclar o lixo organico da cozinha AQUI

Como cultivar temperos e frutíferas em vasos

Jardim vertical com orquídeas transforma parede

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

Sabia que existem vários tipos de manjericão?

03 de fevereiro de 2017 2

Na horta experimental da Isla Sementes são cultivadas  diversas variedades de manjericão usadas na gastronomia. Você também pode cultivar todos os tipos de manjericão em casa, inclusive em vasos e floreiras. O básico para o manjericão crescer é receber sol. Cada uma das variedade de manjericão agrega um sabor peculiar na comida e na salada.

cultivo de manjericão

Cultivo de manjericão Foto: Helena Schanzer

Existem sementes de 7 variedades de manjericão (Ocimum basilicum): Limoncino, Grecco a palla, alafavaca basilicão, alfavaca basilicão vermelho, manjericão toscano folha-de-alface ( porque a folha é grande), Gennaro de menta e o alfavaca vermelho rubi.  A diferença entre os sabores de cada espécie, acredite, são grandes!  O manjericão Limoncino tem aroma de limão, a alfavaca rubi tem um sabor exótico que não dá para explicar, o outro manjericão tem um toque de menta.

manjericão   alfavaca rubi

Cultivo de manjericão alfavaca rubi Foto: Helena Schanzer

Reparem no uso de mulching ou cobertura morta para proteção entre os canteiros e o uso de plasticultura nos canteiros, tudo isto para evitar o crescimento do inço e melhorar a proteção e drenagem do solo.

Para saber como cultivar manjericão veja este link AQUI

manjericão genaro

Cultivo de manjericão Limoncino   Foto: Helena Schanzer

As sementes de manjericão da Isla são livres de agrotóxicos e as folhas podem ser usadas como Baby leaf ( folhas jovens). A planta do manjericão atinge entre 20 e 50 cm de altura conforme a variedade.

manjericão roxo

Cultivo de manjericão roxo , ou alfavaca basilicão vermelho Foto: Helena Schanzer

chefs e o uso dos manjericões

Chefs e o uso do manjericão    Foto: Helena Schanzer

O manjericão roxo tem um sabor sensacional e  provoca uma explosão de sabores quando combinando com as hortaliças certas como por exemplo, o tomate. Variedades de tomate adocicadas ficam ainda mais saborosas.

Como usar o manjericão na culinária:

1. Use-o ao natural ( fresco) em saladas, vinagretes, molho-pesto, licores, doces e sucos.

2. Prepare sorvete de manjericão ( super exótico) adicionando uma xícara de folhas de manjericão fresco em um litro de sorvete de creme. Bata no liquidificador o sorvete de creme com o manjericão e coloque no congelador até gelar.

3. Use o manjericão cozido ao adicioná-lo nos molhos de tomate, pizzas, ensopados e outras receitas.

 

Colhendo tomates com os Chefs

31 de janeiro de 2017 0

Ontem tive um dia incrível! Participei da Colheita dos Chefs promovida pela Isla sementes na horta experimental em Itapuã -RS. A ideia do evento é incentivar o brasileiro a comer melhor. Os técnicos da empresa explicaram tudo sobre o cultivo das diversas variedades de hortaliças e temperos. Como é muita informação para contar,  vou começar com este post sobre os tomates. A idéia da Isla é resgatar o verdadeiro sabor do tomate. Então, pesquisam sobre as características de cada tipo de tomate até desenvolver uma semente com as características desejadas como teor de açúcar, duração pós-colheita, polpa macia.

colheita chef ISLA

Minha colheita na horta da ISLA foto: Helena Schanzer

A ISLA produz 30 variedades diferentes de tomates: tomate  Sicília, que é amarelo e super adocicado, tomate vermelho pequeno Dolceto (da foto abaixo), tomate-Tigre (com rajadas marrom) e outros. Aprendi que certas variedades de tomates devemos cortar em gomos para apreciar o sabor ( e não em fatias). Atualmente, o foco não é mais a produtividade por planta e sim, a qualidade do fruto.

tomates 2

Tomate Dolceto foto: Helena Schanzer

Degustar um tomate é uma arte. Esta tarefa ficou a cargo do chef Marcelo Schambeck que preparou tomates com um vinagrete de maracujá e tartines com flores que foi uma explosão espetacular de sabores.

DSC03287

Chef Marcelo Schambeck e equipe foto: Helena Schanzer

Marcelo Schambeck preparou tartines com flores comestíveis cultivadas na horta: flor de feijão ( adocicada!), cravina, capuchinhas, abóbora.

Tartine com flores do marcelo Schambeck

Tartine com flores do Marcelo Schambeck foto: Helena Schanzer

Os tomates são plantas trepadeiras, necessitam de suporte/apoio para se desenvolverem, reparem que estão plantadas em potes com irrigação por gotejamento.

tomates

Tomates na estufa -são trepadeiras foto: Helena Schanzer

tomates  3

Tomates amarelos e super doces foto: Helena Schanzer

O cultivo das hortaliças é sem agrotóxicos e utiliza métodos de agricultura orgânica tais como mulching, plantas repelentes e outros. O cultivo nas estufas é hidropônico e usam plasticultura.

Veja AQUI a diferença entre cultivo orgânico e hidropônico.

Saiba como reciclar o lixo organico da cozinha AQUI

Como cultivar temperos e frutíferas em vasos

Jardim vertical com orquídeas transforma parede

 

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter