Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Parques e praças"

Porque um Jardim Botânico é importante?

24 de novembro de 2016 2

Toda cidade que se preze no mundo tem um jardim botânicoTemos flora e fauna nativa riquíssima! O jardim botânico é importante na educação ambiental e tem recantos e espécies incríveis: tem o jardim dos perfumes, o jardim sensorial, um bosque de ciprestes de inúmeras espécies, além de outros.

Fernando Gomes - Agencia RBS

Educação ambiental no Jardim Botanico – foto: Fernando Gomes – Agencia RBS

Na minha vida o jardim botânico de Porto Alegre teve uma importância imensa. Quando eu tinha 16 anos, fiz o meu primeiro curso de jardinagem no Jardim Botânico de Porto Alegre. Foram tardes ensolaradas de uma primavera há décadas atrás quando eu, junto com minha mãe, aprendemos como reproduzir plantas, cuidar e plantar. Conhecemos diversas espécies e passeamos pelos diferentes recantos. Aquela semana de estudos no Jardim Botânico consolidou em mim a paixão que já tinha pelas plantas e me fez decidir cursar agronomia. Este curso acabou norteando minha trajetória profissional. Eu frequento jardins botânicos, sou fascinada por eles. Os jardins botânicos são importantes instituições que abrigam coleções documentadas de plantas vivas  e desenvolvem pesquisas científicas, além da educação e da conservação e exposição de espécies vegetais. No jardim botânico são cultivadas muitas plantas raras que só tem ali.  As pessoas nem imaginam, mas no jardim botânico de Porto Alegre, existe um  jardim para cegos, onde os deficientes visuais podem usar o sentido do tato e do olfato para perceber e sentir as plantas.

jardim botanico de Porto Alegre    Reprodução de foto de Tetraktys  wikipedia

Educação ambiental no Jardim Botânico de Porto Alegre- Reprodução de foto do Tetraktys wikipedia

O Jardim Botânico de Porto Alegre possui uma área total de 39 hectares de parque. No local, podem ser compradas espécies de mudas nativas do Rio Grande do Sul (frutíferas e ornamentais) e medicinais, produzidas no próprio viveiro, no banco de sementes do Jardim Botânico. O parque realiza atividades educativas e culturais que objetivam a conscientização da flora nativa e da biodiversidade. Conforme o site da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, conta com aproximadamente 6 mil exemplares separados em 18 coleções do arboreto e nove especiais, localizadas em estufas e vasos. As coleções são principalmente de espécies raras e nativas do Rio Grande do Sul, e algumas que só ocorrem no estado. Em conjunto com o Museu de Ciências naturais, o órgão atua conjuntamente na coordenação da elaboração da Lista Oficial de Espécies Ameaçadas do RS.

Jardim botanico Porto Alegre por Tetraktys -  Wikimedia Commons

Jardim Botânico de Porto Alegre Foto de Tetraktys – Wikimedia Commons

De acordo com dados de 2012 da Rede Internacional de Jardins Botânicos (Botanic Gardens Conservation International – BGCI), estima-se que existam, hoje, cerca de três mil jardins botânicos e arboretos distribuídos em 180 países. São instituições que cultivam, coletivamente, mais de cem mil espécies de plantas, representando quase um terço de todas as plantas conhecidas no mundo.

Jardim Botânico de Porto Alegre - Foto divulgação FZB -por sergiobavaresco

Jardim Botânico de Porto Alegre – Foto: divulgação FZB -por Sergio Bavaresco

 

Veja Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook/Instagram/Twitter

 

 

 

 

 

Praça Itália recebe a Feira Me Gusta neste sábado

10 de junho de 2016 1

Em 1990 participei da equipe que desenvolveu o projeto paisagístico da Praça Itália, que fica ao lado do Shopping Praia de Belas, em Porto Alegre. O coordenador da equipe foi o arquiteto Carlos Maximiliano Fayet e junto com a engenheira agrônoma Elaine Lima Nunes, criamos a praça inspirada na região da Toscana, na Itália.  Esta praça será palco da Feira Me gusta que reúne Arte, Moda e Musica neste sábado. A feira é um evento descolado que acontecerá na área da praça seca. Terá ioga, oficinas e shows de bandas gaúchas. Veja no final do post a programação.

Praça Itália Foto: Eneida Serrano

Praça Itália Foto: Eneida Serrano

A Praça, na época da criação teve o apoio do consulado italiano. A vegetação selecionada para esta praça compatibilizou espécies nativas com exóticas para evocar o clima italiano: ciprestes-italianos Stricta (cipreste-vela), que possui copa bem colunar e árvores que no outono adquirissem a cor avermelhada, como no clima europeu. Árvores caducifólias como o plátano, liquidambar, acer povoam a praça para dar o colorido outonal a paisagem.  Espécies de árvore nativas foram plantadas perto do lago para alimentar a avifauna. Na época não existia computação gráfica e foi feita uma maquete que mostrava a volumetria dos equipamentos e da vegetação.

Salso chorao foto by Carlos Egler

Salso chorao na praça Itália foto: Carlos Edler

Na proposta original, o arquiteto idealizador da praça, Carlos Fayet queria que cisnes habitassem a praça, mas a idéia apesar de encantadora era inviável por vários motivos.

praça itália  by  Carlos Edler 1

praça itália foto: Carlos Edler

AS ATRAÇÕES QUE IRÃO ROLAR NESTE SÁBADO,11/JUNHO, NA FEIRA NA PRAÇA ITÁLIA: 12:00 às 16:00 Oficina de Bambu 13:30 Yoga (atividade) 14 Roleta das Virtudes (atividade) 14:30 Oficina de Origami (atividade) 15h Rodas de conversa (atividade) 15:30h Luiza Eltz (Banda) 17h Diego Deodato (Espetáculo Circologia) 18:30h Erick Endres (Banda) 20h  BANDA Ministério do Groove  homenageando Lucas Melo (https://goo.gl/ZTvwXE)

Mas o que é a ME GUSTA? Feira que mistura música com arte, marcas independentes de roupas e acessórios, brechós, LP, livros, gente bonita de montão e o mais importante disso tudo, você!

Como é a ME GUSTA? Do meio-dia  até o anoitecer, uma festa na rua, uma feira, um bazar, um festival de gente bonita, elegante e sincera. A ME GUSTA é tudo isso e mais um pouco: mistura e combina ARTE, MODA e ACESSÓRIOS, MÚSICA E VARIEDADES. E ainda vão ter deliciosas COMIDINHAS!! Uma composição de idéias e pessoas que criam!

plátano by  Carlos Edler

Plátanos e ciprestes-vela  na praça Itália foto: Carlos Edler

 

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

Áreas verdes para lazer dos condomínios no litoral

13 de fevereiro de 2016 0

As áreas verdes dos condomínios das praias no litoral proporcionam momentos de lazer incríveis.  Condomínios de casas em praias como  Xangri-lá possuem piscinas, tobogãs de água, lagos para passeios de esqui-aquático, caiaque: tem de tudo para se divertir e descansar na praia.

Condominio Lagos park- lago, ilha e tobogã  Foto: Helena Schanzer

Condominio Lagos park- lago, ilha e tobogã Foto: Helena Schanzer

Se não quiser ir até a beira do mar, tem praia artificial com areia do mar. E sem vento nordestão.

DSC00711

Praia artificial – Foto: Helena Schanzer

 

 A criançada não para um minuto!

A criançada não para um minuto!

DSC00716

 

DSC00720

Condominio Lagos park Foto: Helena Schanzer

 

Condominio Lagos park- lago   Foto: Helena Schanzer

Condominio Lagos park- lago Foto: Helena Schanzer

Veja plantas resistentes para cultivar no jardim da praia!

Conheça plantas nativas para plantar no jardim e atraia beija-flores!

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

Porque as árvores caem durante o temporal?

30 de janeiro de 2016 0

As árvores caem quando ocorre um temporal por vários motivos: estão doentes e podres por dentro, a área do entorno no piso está pavimentada impedindo a drenagem correta da água, tipo de  solo que encharca demais, a espécie e o tamanho são inadequados ao local onde foi plantada, ou uma espécie que tomba facilmente. Árvores são seres vivos: crescem, podem adoecer,  morrem e precisam  de cuidados. Árvores também são seres sociais:  na natureza crescem em grupos e com espécies diversificadas no mesmo bosque. Na cidade costuma-se plantar árvores isoladas, sem variedade e ainda de espécies altas ou com sistema radicular superficial.  Para piorar, ainda fazem um canteiro pequeno para suas raízes e colocam piso na volta. Tudo isto acaba conspirando para quando ocorra um temporal, ocasione a desestabilização da árvore e suas raízes e, com  o vento, tomba.

Árvore caída na rua durante temporal – Foto: radio Gaucha

É necessário que o solo permita que a água escoe bem, de modo a evitar alagamentos.  Uma medida excelente para diminuir o impacto água da enxurrada é  a implantação de cobertura verdes ou telhados verdes que contribuem para absorver a chuva. A camada de vegetação em uma cobertura viva age como uma grande esponja da chuva forte , devolvendo a água ao sistema pluvial lentamente. Existem espécies de árvores que costumam cair como eucalipto, guapuruvu, entre outras. Plantar árvores grandes junto de casa não é indicado. Importante também são os cuidados com a árvore: poda de galhos secos ou doentes, retirar espécies parasitas, entre outros.

Árvore cultivada isolada caída no temporal – Foto: radio Gaucha

O planejamento urbano deve preservar e incentivar zonas com mais vegetação, menos árvores solitárias com raízes bloqueadas pelo concreto, espécie inadequadas e sem cuidado. Por exemplo, uma área de mato com árvores nativas como da foto abaixo, nenhuma árvore ou galho caíram depois do temporal. Enquanto na cidade, dezenas de árvores caíram causando acidentes. Como se observa no mato abaixo, os galhos das árvores formam uma trama aérea que oferece suporte e evita que galhos e árvores caiam. Fundamental é observar constantemente a saúde as árvores. E as folhas das árvores  podem entupir os bueiros?  Não, as folhas se decompõe e de modo geral são pequenas.  No caso do mato, ainda se transforma em uma camada de húmus fértil.  Os sacos plásticos e o lixo largado nas ruas é que entopem os bueiros e as bocas de lobo causando inundações.

Mato nativo, as copas das árvores seguram uma às outras – foto: Helena Schanzer

 O monitoramento das árvores constante é fundamental para analisar as condições fitossanitárias das mesmas. Existem aparelhos de ultrassom  para examinar a saúde das árvores e indica se a árvore está saudável ou se corre o risco de cair. Desta forma, é possível precaver-se para que a árvore seja removida ou ter a lesão cuidada.  Existem técnicas como a  dendrocirurgia para tratarmos as partes danificadas da árvore por fungos ou pragas, onde  se recompõe o tronco, devolvendo estabilidade à árvore.

OBS: O que aconteceu na noite de 29/01/2016 em Porto Alegre e destruiu centenas de árvores foi um ciclone, vai além das situações descritas aqui no post.

 

 

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter

 

 

 

Antiga fazenda de café virou a maior floresta urbana replantada do planeta

28 de outubro de 2015 2

Há 154 anos, uma antiga fazenda de café tornou-se uma das maiores florestas urbanas do planeta.  Uma das maiores riquezas naturais da humanidade, o Parque Nacional da Tijuca, localizado no coração do Rio de Janeiro, protege a maior floresta tropical urbana replantada do planeta. A mata atlântica original da floresta foi derrubada no século 18 para se transformar em uma plantação de café. Em 1861, um agrônomo visitou a área junto com Dom Pedro II e orientou que, se não protegessem os diversos mananciais e fontes naturais da área, não haveria água na cidade do Rio de Janeiro no futuro!  Então, Dom  Pedro II desapropriou as fazendas de café e ordenou que a floresta fosse toda replantada com espécies da vegetação da mata  atlântica.

1024px-Floresta_tijuca_pico_tijuca_mirim common wikipedia  by Halleypo

Floresta da Tijuca -pico Tijuca      Foto: common wikipedia by Halleypo

O Parque Nacional da Floresta da Tijuca foi criado em 1961 e ocupa uma área de 3.300 hectares. Na floresta existe uma diversidade de espécies como jacarandá, jequitibá, orquídeas, bromélias, paineiras, ipês e animais como macaco-prego, sagui-estrela, quatis, cotias e pássaros. São mais de 46 mil árvores e 877 espécies diferentes.

  Cachoeira  Floresta da_Tijuca,_Rio_de_Janeiro,_Brazil(2)  common wikipedia  Foto  Beth Castelo

Cachoeira na Floresta da Tijuca, Rio de Janeiro -Brasil Foto Beth Castelo common wikipedia.

Com uma extensão de 3.953ha de Mata Atlântica, é o Parque Nacional mais visitado do Brasil, recebendo mais de três milhões de visitantes por ano, entre brasileiros e estrangeiros de todas as idades.

Caro leitor,  pergunto a você: há 154 anos atrás pessoas pensaram em preservar fontes de água para que outras gerações tivessem água potável.  E  nossa geração, o que está fazendo para preservar a água para o futuro? Quantas florestas nativas estamos plantando e preservando?

 

 

 

 

 

Passear no Jardim de Monet na França é uma inspiração

17 de setembro de 2015 1

Os jardins e a casa do artista francês Claude Monet estão localizados na cidade de Giverny, a uma hora de viagem de Paris. O grande pintor, mestre do impressionismo, morou de 1883 até 1936 nesta casa e ao longo da vida cultivou e pintou os jardins inspiradores.  Monet tinha fascínio pelo jogo de luzes e reflexos das nuvens, das plantas e das flores sobre a água e retratava isto em suas pinturas.

La_Maison_vue_du_Clos_Normand

Casa do Monet – http://www.fondation-monet.com/fr/giverny – Divulgação

A casa e o jardim de Monet estavam abandonados e estragados. Então, nos anos 1980, uma senhora doou 1 milhão de dólares para restaurar tudo. Recuperaram a casa e os jardins e transformaram em museu. Nesta casa grande cor de rosa, Monet viveu com a esposa e seus 8 filhos. O lago criado por Monet no seu jardim e a ponte japonesa formam um dos cenários mais bonitos e bucólicos. Monet adorava retratar este lago com ninféias nos seus quadros. Ninféias são flores aquáticas com folhas grandes que boiam sobre a água, como as que se pode ver na foto abaixo.

Lago do jardim de Monet – flores aquáticas – Foto: Rejane Druck Magadan

caminho com capuchinhas - Tropaelum majus

Caminho com capuchinhas – Tropaelum majus Foto: Rejane Druck Magadan

 

Les Nympheas - restaurante e salão de chá - Foto: Rejane Druck Magadan

Les Nympheas – restaurante e salão de chá – Foto: Rejane Druck Magadan

Veja a galeria de fotos dos jardins de Monet em Giverny – Fotos: Rejane Druck Magadan

 

Veja o link da Fundação Monet em Paris:

http://www.fondation-monet.com/fr/giverny

 

Para saber mais sobre os Jardins do Monet, veja as dicas de livros:

- Para crianças ( e adultos também): Linéia no Jardim de Monet, de Christina Bjork & Lena Anderson, Editora Salamandra. 1992.

- Secrets of Monet’s Garden, Derek Fell. Editora Friedman/Fairfax Publishers, NY. 1997.

 

 

 

Parque Lage é um passeio pela mata tropical carioca

04 de setembro de 2015 0

Um parque público legal de visitar no Rio de Janeiro é o Parque Lage. A vegetação tropical é exuberante e fascinante. Repleto de árvores de jaca e palmeiras imperiais que enfeitam os caminhos agradáveis de caminhar. No palacete localizado no parque tem uma cafeteria descolada para um descanso estratégico e também para apreciar a arquitetura do belo palacete da Escola de Artes Visuais. O Parque Lage fica aos pés do morro do Corcovado, na rua Jardim Botânico e ocupa uma área de 52 hectares.

Parque Lage no Rio de Janeiro -Palacete

Parque Lage no Rio de Janeiro -Palacete e morro do Corcovado ao fundo – Foto: Helena Schanzer

O Parque Lage foi tombado em 1957 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como patrimônio histórico e cultural da cidade do Rio de Janeiro. Uma caminhada pelas trilhas do Parque oportuniza a vista de diversos  recantos com muita vegetação.  Até  micos transitam pelas árvores do parque! 

Fruto Jaca

Fruto Jaca pendurado na árvore jaqueira – Foto: Helena Schanzer

O Parque Lage era uma fazenda do industrial Henrique Lage, contava inclusive com engenho-de-açúcar. O paisagista inglês John Tyndale que reprojetou a fazenda em 1840 inspirado nos parques ingleses. O casarão foi projetado pelo arquiteto italiano Mario Vodrel em 1920. Em meados de 1960, após trocar várias vezes de donos, á área foi transformada em parque público. Desde 2004, o Parque Lage é parte do Parque Nacional da Tijuca, sob a administração do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

 

 Passeio pelo Parque Lage – Galeria de fotos  de Helena Schanzer:

 

Veja mais Parques em:

Nova Iorque:  Central Park   Parque High Line    High Line no verão

Califórnia:  Golden Gate Parque, São Francisco

Espanha:  Parque Maria Luisa em Sevilha

Brasil: Parque Esportivo da PUCRS – Porto Alegre

 

 

Sabia que existe um campo de futebol sobre o estacionamento na PUCRS?

11 de julho de 2015 0

Quando passamos pela Avenida Ipiranga em Porto Alegre, se olharmos para o Parque Esportivo da PUCRS (ao lado do Hospital São Lucas da PUCRS) não imaginamos que tem um Campo de Futebol sobre o estacionamento de veículos do Parque. O Parque é enorme, só que não havia espaço para tantas canchas e pistas. Então o uso do espaço foi otimizado através da sobreposição de funções e funciona perfeitamente! Além disto, temos as vantagens do conforto térmico do uso da cobertura verde.

0019 pista

Vista do campo de futebol e da Avenida Ipiranga ao fundo – Foto: Eneida Serrano

Campo de futebol é um “telhado verde”

O projeto arquitetônico/urbanístico do Parque esportivo e do Campo de futebol foram projetados e desenvolvidos pela Santini & Rocha Arquitetos e equipe. O projeto de paisagismo foi desenvolvido por mim em parceria com o arquiteto João Postiga e a colaboração da arquiteta Bianca Giorgis. O projeto do campo de futebol foi desenvolvido e executado em parceria minha com a mestre em gramados esportivos Eng. Agronoma Maristela Kuhn. A área do Parque totaliza 3,5 hectares e do campo de futebol  10 mil m² (incluídos no total). O trabalho, projeto+execução, foi desenvolvido em 2004/2005.

acesso estacionamento embaixo do campo de futebol

O acesso para o estacionamento embaixo do campo de futebol – Foto: Eneida Serrano

0028 pista geral

Vista geral do campo de futebol do Parque Esportivo PUCRS – Foto: Eneida Serrano

O plantio do gramado  do campo de futebol foi realizado através de um sistema de rolos com trator. A área de gramado com mais de 9000 m2 foi plantado em 2 dias com maquinário especial. A irrigação é toda automatizada e foi desenvolvida pelo eng. Rubens Voges. A água para irrigação do campo de futebol, assim como das demais áreas gramadas do Parque Esportivo, vem de poço artesiano existente, merecendo destaque especial o sistema de irrigação que reutiliza a água consumida. A irrigação é feita por aspersores automáticos, embutidos no gramado, comandados por timers e controladores de umidade. Há três reservatórios com 90 mil metros cúbicos de volume total que possibilitam o recolhimento da água de drenagem e sua reutilização. O substrato utilizado foi preparado especialmente para estas condições de gramado sobre laje de concreto.

Campo de futebol do Parque Esportivo PUCRS - Arbusto Plumbago capensis - bela emília - Foto: Eneida Serrano

Campo de futebol do Parque Esportivo PUCRS –  Foto: Eneida Serrano

Na foto acima vemos o arbusto plantado junto ao gramado: Arbusto Plumbago capensis – bela emília.  Esta planta é super rústica e de fácil manutenção.

Foto: Eneida Serrano -  campo de futebol do Parque Esportivo PUCRS

Parque Esportivo PUCRS – vista geral – Foto: Eneida Serrano

O Parque dispõe além deste campo de futebol oficial, de uma pista de atletismo oficial, canchas de tenis, cancha de grama artificial, vestiários, cancha de tênis e pistas para corrida e caminhada. No projeto de paisagismo foram usadas diversas plantas nativas e algumas exóticas adaptadas ao sul. Todas árvores foram catalogadas com placas descritivas da espécie. Abaixo temos a árvore perfumada conhecida como  Jasmim manga, Plumeria rubra.

0042 jasmin manga
Paisagismo: árvores catalogadas com placas descritivas da espécie-  Foto: Eneida Serrano

Siga o Blog Jardim de Helena nas redes sociais:

Facebook / Instagram / Twitter


No calor, os visitantes curtem os pisos com água no High Line Parque em Nova Iorque

07 de julho de 2015 0

É verão no High Line Park em Nova Iorque e os visitantes desfrutam de pisos refrescantes com água e bancos para deitar ao sol. Faz muito calor nesta época do ano, em torno de 30°C e o melhor lugar para se esconder do calor é na sombra das árvores. Neste parque urbano elevado a 9 metros da rua, existem recantos com bancos formando espaços para relaxar e muito usados pelos turistas. O High Line Park é um parque no meio de Manhattan, inaugurado em 2009. 

Foto: Tais Pomeroy – Piso com água para refrescar do calor

Criado sobre uma ferrovia elevada de 2.3 quilômetros construída nos anos 1930, desde 1980 não era mais usada. Em 1999 foi criada a Associação Amigos do High Line e após 10 anos de trabalhos e  projetos em 2009 a área reciclada  foi aberta como parque urbano público e atrai milhões de visitantes por ano.  Veja mais sobre o projeto e a história em   High Line Park em Nova Iorque

Banco com sombra para se proteger do calor

Foto: Tais Pomeroy – Banco com sombra para se proteger do calor

Foto: Tais Pomeroy – Um parque pensado para crianças: água para refrescar e rede de proteção em todos lugares

Foto: Tais Pomeroy

Foto: Tais Pomeroy – High Line Parque – flores e bancos para visitantes

Nos canteiros são cultivadas plantas nativas que estão em plena floração no verão, no mês de junho em Nova Iorque. As Astilbes com flores que parece uma pluma cor de rosa, conhecido como astilbe chinês. 

IMG-20150624-WA0004

Foto: Tais Pomeroy – Flores nativas em todos canteiros

IMG-20150624-WA0005

Foto: Tais Pomeroy –  Passeio agradável pelo High Line

IMG-20150624-WA0006

Foto: Tais Pomeroy  Planta Astilbe em floração , parece uma pluma cor de rosa

IMG-20150624-WA0009

Foto: Tais Pomeroy – Jardins elevados com vista para o centro de Nova York

Foto: Tais Pomeroy – O piso de madeira se transforma em bancos.

Foto: Tais Pomeroy – vista do High Line para a cidade de Nova Iorque

Foto: Tais Pomeroy – Bancos confortáveis convidam o visitante a sentar ao sol.

IMG-20150624-WA0028

Foto: Tais Pomeroy – Parque elevado a 9 metros da rua em plena Manhatan

IMG-20150624-WA0029

Foto: Tais Pomeroy – Milhares de visitantes percorrem este parque elevado diariamente.

A escultura da foto abaixo é uma gaiola de aço com bustos em amarelo brilhante: .

Foto: Tais Pomeroy – Escultura de blocos by Rashid Johnson

 

Faça um passeio pelo conservatório das flores em São Francisco, Califórnia

29 de maio de 2015 0
Conservatório de Flores -São Francisco -CA/EUA - Carnivoras

Foto: Helena Schanzer – Conservatório de Flores -São Francisco -Califórnia/EUA

Clique aqui e faça um passeio virtual pelo conservatório das flores em São Francisco, Califórnia

O Conservatório das flores é um museu vivo construído em 1877. Uma das construções mais antigas do Golden Gate Parque em São Francisco, Califórnia, é uma das poucas estufas vitorianas dos Estados Unidos. Diversas plantas tropicais são cultivadas nesta estufa gigantesca que tem uma extensão de 73 metros e com uma cúpula central que se eleva a 18 metros.   O Conservatório de flores poderia se chamar de estufa de plantas tropicais porque reúne mais de 2.000 plantas como orquídeas, bromélias, palmeiras, carnívoras e outras espécies de clima quente e úmido das florestas tropicais. Os jardins do parque são lindos com amplos gramados onde os visitantes aproveitam para tomar sol. 

 Conservatório de flores

Foto: Helena Schanzer – Conservatório de flores e gramados com canteiros floridos

 Conservatório de Flores -São Francisco -CA/EUA

Foto: Helena Schanzer – Conservatório de Flores -São Francisco -CA/EUA

gramados com flores

Foto: Helena Schanzer – Conservatório de Flores -São Francisco -CA/EUA

De Bórneo até a Bolívia, as 700 espécies diferentes do Conservatório de flores representam espécies da flora incomuns e ameaçadas de extinção de florestas tropicais de mais de 50 países do  mundo entre os Trópicos de Cancer e o Trópico de Capricórnio. Inclui a flora de vários países da América Central e do Sul, da África e do Sul da Ásia.  As florestas tropicais são ricas em diversidade: em um hectare você encontra 200 ou mais espécies de árvores em comparação com somente 10 a 15 espécies diferentes em florestas norte-americanas. Estas florestas que ao serem descobertas pareciam um recurso inesgotável, na virada do século se provou finito e, desde que o conservatório foi aberto até hoje, mais da metade destas frágeis  florestas desapareceram!!!

estufa espécies carnívoras, palmeiras e epífitas

Foto: Helena Schanzer –  plantas carnívoras, palmeiras, bromélias como o abacaxi e epífitas

estufa

Foto: Helena Schanzer -espécies carnívoras, orquídeas e epífitas

estufa  espécies de orquídeas, palmeiras e samambaias

Foto: Helena Schanzer –  espécies de orquídeas, palmeiras e samambaias

espécies de bromélias, filodendros e orquideas

Foto: Helena Schanzer -espécies de bromélias, filodendros e orquideas

espécies de bromélias e orquideas

Foto: Helena Schanzer  - espécies de bromélias e orquideas

Foto: Helena Schanzer - espécies de estrelizias, filodendros

Foto: Helena Schanzer – espécies de estrelizias, filodendros

epífitas

Foto: Helena Schanzer – espécies de epífitas: bromélias e orquideas