Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "jornalismo"

Underground

09 de agosto de 2010 0

Há poucos meses conversei com o jornalista, escritor e filósofo, Luiz Carlos Maciel. Aos 72 anos, este gaúcho de Porto Alegre mas há mais de quatro décadas radicado no Rio de Janeiro recordava como foram os frenéticos anos 60. “Foi um tempo de muita agitação e criatividade.

Leia o post completo no blog Letra e Música:
Underground

Pepe legal

01 de junho de 2010 0

Jornalista fundamental para compreender a imprensa cultural brasileira dos anos 80, Pepe Escobar foi um dos críticos mais argutos de sua geração. Seus textos, primeiro na Folha, depois no Estadão, causavam furor e polêmica.

Leia o post completo no blog Letra e Música:
Pepe legal

Uma pedra fundamental

27 de setembro de 2007 0

Um dos meus maiores ídolos jornalísticos, um dos mestres desse blog, é o jornalista I.F. Stone. Para mim e para muita gente boa, ele foi o mais influente jornalista americano do século passado.

Izzy Stone nasceu na Filadélfia em 1907, passou pelas redações do Daily Compass, New York Star, Inquirer, New York Post e The Nation, mas, desconfiado de como as informações eram tratadas por seus colegas e pelas empresas, resolveu criar em 1953 o seu próprio jornal, na verdade uma newsletter chamada I.F. Stone%27s Weekly.

Com pouco mais de 5 mil assinantes no começo – mas com nomes de peso como Bertrand Russell e Albert Einstein – a I.F. Stone’s Weekly foi um marco no jornalismo. Eram apenas quatro páginas mas que traziam tudo sobre todos os assuntos que envolviam os EUA: da Guerra da Coréia ao assassinato de Kennedy, do macartismo ao Vietnã. Durou 15 anos como hebdomadário e mais três como quinzenal. Chegou a ter até 75 mil assinantes e fazia parte dos clippings que eram lidos pelos presidentes da República.

A I.F. Stone Weekly fechou em 1971, porque o esgotado Stone com quase 70 anos estava sem energia, com problemas de visão e de audição e preferindo se dedicar mais a ler do que a escrever. Ainda assim, deixou publicados 12 livros, um deles sobre o julgamento de Sócrates, até morrer em 1989.