Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Proibido lote de extrato de tomate Heinz com pelo de roedor

18 de julho de 2016 6
Foto: Reprodução site Heinz.

Foto: Reprodução site Heinz.

 

Por Giane Guerra

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária publicou no Diário Oficial da União mais uma proibição de distribuição e venda de lote de extrato de tomate com pelo de roedor. O caso desta segunda feira é da marca Heinz, que está obrigada a recolher os produtos deste lote:

Lote L06 (val.: 01/04/2017) do produto EXTRATO DE TOMATE, marca HEINZ, fabricado por Heinz Brasil S.A (CNPJ 50.955.707/0004-72), localizado na Rodovia GO 080 Km 26, Nerópolis – GO.

São frequentes estas proibições por parte da Anvisa. O texto sempre fala que os laudos apontam que o exame:

“detectou matéria estranha indicativa de risco à saúde humana, pelo de roedor, acima do limite máximo de tolerância pela legislação vigente”

Como assim, limite?

O limite máximo é um fragmento de pelo para cada 100 gramas de molhos, purês e extratos de tomate. Acima disso, a Anvisa considera prejudicial à saúde. As empresas costumam alegar que a presença de pelo de roedor se deve à matéria-prima, que vem do campo. São considerados roedores ratos, ratazanas e camundongos.

O limite foi estabelecido por legislação de 2014. Os fragmentos não podem ser vistos a olho nu. Até então, não eram tolerados pela Anvisa.

Na época da norma que implementou os limites, a Anvisa alegou que era inviável muitas vezes eliminar todos os fragmentos. No caso do tomate, foram analisadas 7 mil amostras.

Outros exemplos de produtos que também permitem, até um limite, a presença de “matérias estranhas”:

Geleias de frutas: 25 fragmentos de insetos para cada 100 gramas

Café torrado e moído: 60 fragmentos de insetos para cada 25 gramas

Chá de camomila: cinco insetos inteiros mortos para cada 25 gramas

Canela em pó: um fragmento de pelo de roedor para cada 50 gramas

Chocolate e achocolatados: um fragmento de pelo de roedor para cada 100 gramas

Orégano: 20 fragmentos em 10 gramas

No caso de insetos, não vale moscas, baratas ou formigas, por exemplo. Anvisa considera que estes trazem riscos à saúde.

A norma completa está neste link: RDC 14/2014

Resposta Heinz:

“A Kraft Heinz Brasil informa que o caso se trata de notificação realizada em julho de 2015 pela Gerência Colegiada da Superintendência de Vigilância Sanitária de Minas Gerais, acerca de lote encontrado somente nessa região. Na ocasião a empresa recolheu as embalagens disponíveis no comércio do lote 06, validade 4/2017, de extrato de tomate da marca, não havendo qualquer contraindicação ao consumo dos lotes presentes nos mercados hoje.”

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

Comentários (6)

  • Diego diz: 18 de julho de 2016

    Mas esses tomates não são limpos antes de processados??

    Quer dizer, entre outras coisas, que o extrato de tomate vem profundamente contaminado por agrotóxicos – pois esses se concentram na casca, e, se não há limpeza, vão todos para o produto final? Nesse caso, só nos resta fazer o próprio molho em casa…

  • diego diz: 18 de julho de 2016

    Comprava sempre produtos dessa marca…. compravaaaa agora nunva mais afinal ja não é a primeira vez que a empresa é multada por fala de higiene

  • Rosa diz: 18 de julho de 2016

    Quer dizer que, naquela latinha ali da foto, a Anvisa autoriza ter mais de 3 fragmentos de pelo?!?!?!?! Ai que nojoooooooooooo!!!!!!!! Ainda bem que já dei início a minha hortinha caseira! Os próximos passos serão: comprar uma vaca, cavar um poço, reduzir drasticamente o consumo de carne, e assim por diante!!

  • JLLuft diz: 18 de julho de 2016

    A propósito, a dita Ag Nacional de Saúde permite que o DMAE forneça e cobre caro pela água imunda que fornece ?

  • Coice de Mula diz: 18 de julho de 2016

    - o que não mata, engorda!!! aproveitem!!! comam bons molhos e é claro, um bom copo de água do guaíba para matar a sede!!!

  • Alexandre Dutra diz: 18 de julho de 2016

    ANVISA permite o USO for FORMOL em Progressivas nos Salões de Beleza, registram em Grau1 produtos com no me de “Tratamento Térmico” ou “Máscara Redutora”, produtos com quase 30% de formol. Ainda, empresas vão aos Estados Unidos fazer análise de seu produto, levam o produto SEM FORMOL, chega lá, recebe certificado dizendo que não tem FORMOL, vem ao Brasil e BATIZAM afú os produtos em uma Fàbrica em Assis/SP que faz algumas marcas de Progressivas de Formol para todo Brasil, e fica tudo por isso como está. É um país da malandragem, da sacanagem, tinha q demitir toda produção, fechar à fábrica, perder Registro de Fabricação, fazer valer os direitos do consumidor em se alimentar com algo seguro, mas aqui vira tudo em pizza. Por isso que não vai para frente.

Envie seu Comentário