Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Por que não dar achocolatado para crianças?

22 de agosto de 2016 3

 

Foto: Lauro Alves / Agencia RBS.

Foto: Lauro Alves / Agencia RBS.

 

 

Por Giane Guerra

 

Mais um post da série do Lado Natureba para alertar sobre alimentos que não devem ser oferecidos para crianças. Parceria com a nutricionista infantil Fabíola Frezza Andriola, que conduz a página Sabores do Bem – BLW e Introdução Alimentar Participativa.

 

Por que não dar achocolatado para crianças?

 

Mais um produto que os pais acreditam fazer bem e dar energia para as crianças. Só que o achocolatado traz muitos prejuízos para o organismo dos pequenos.

Para começar, a maior parte dos achocolatados tem mais 80% de açúcar. É muito.

E é um açúcar de rápida absorção porque não vem acompanhado de fibra. Até por isso é mais barato. Açúcar é mais barato do que cacau.

- É quase como tomar água com açúcar. E tira o apetite da criança para o que tem que comer. – enfatiza a nutricionista Fabíola Andriola.

E pior: a maioria tem, além do açúcar puro, glicose e maltodextrina. Ambos também são açúcar.

Os pais costumam dizer que é a única forma de a criança consumir leite. Mas o ideal é melhor a alimentação com cereais integrais, frutas, legumes…

- Oferecer proteína de outras formas, como carne e ovos. Não precisa forçar o leite em excesso.

Fora que acaba com o paladar. Difícil aceitar alimentos saudáveis depois. A tendência é a criança gostar do leite puro. Ou então, batido com uma fruta. E ainda: misturado apenas com cacau puro 100%.

Esse comportamento costuma continuar a adolescência. E, cada vez mais resistentes, acabam colocando cada vez mais açúcar. É o efeito viciante que o açúcar provoca no cérebro.

** As duas principais marcas **

A cada 20 gramas do produto (duas colheres de sopa):

Toddy

- 18g de açúcares

Nescau

- 16g de açúcares

Pesquisa feita pela Associação dos Consumidores – Proteste mostrou que nove de onze marcas de achocolatado analisadas tinham açúcar em excesso. Na análise, a Proteste considerou que para ser bom o achocolatado deve conter mais de 3,5% de cacau em cada copo.

Um copo pequeno tem quase 40% do açúcar que a criança pode ingerir no dia. Lembrando que outros carboidratos e até frutas têm açúcar, que é um açúcar melhor, mas ainda assim entra para a conta do limite diário.

Mas por que tanto açúcar? Porque é mais barato do que cacau. Em geral, quanto mais barato o achocolatado, mais açúcar tem.

Para lembrar o que o açúcar em excesso faz para as crianças:

- Cáries, para começar.

- Aumenta risco de diabete e obesidade. E não tão no futuro assim.

- Tem sido associado também a problemas respiratórios. Até mesmo asma. Baixa a imunidade.

- Detonar hábitos alimentares. O que pode dar muita dor de cabeça para os pais mais tarde.

Agitação

E mais: chocolate tem cafeína. Junto com o açúcar, deixa a criança ainda mais agitada e acelerada. E somados aos corantes, intensifica ainda mais este efeito.

Aditivos

Sem esquecer que são produtos com muitos conservantes. Outros conservantes usados em achocolatados também são tema de estudos atuais que relacionam estes aditivos ao aumento do risco de câncer.

Achocolatado orgânico:

- As mães vêm me perguntar sobre o achocolatado orgânico Native, que tem à venda no mercado. Só que a base dele também é açúcar. – alerta a nutri.

Achocolatado de caixinha:

Pior ainda. Os achocolatados que já vêm na caixinha têm mais espessantes e gordura.

 

E para substituir o achocolatado no leite?

Usar o cacau puro em pó é o melhor. Nada de aditivos ruins. Sem falar que o cacau tem nutrientes ótimos. Se o paladar ainda não aguenta, pode usar o cacau com um açúcar mascavo ou mel para começar.

Outra opção é a alfarroba em pó. Também é pura e é mais docinha.

Há opções de chocolate em pó, mas lembre-se que estes ainda têm bastante açúcar. Costumam ser 50% cacau, 50% açúcar.

Nas receitas, vá de cacau em pó! Adoce com banana, uvas passas, frutas cristalizadas, açúcar mascavo, mel, melado…

E, pensando mais na formação do paladar, a nutricionista Fabíola Andriola sugere que o cacau seja às vezes e não com o objetivo de mascarar o gosto do leite.

 

Posts anteriores da série. Lembrando que todos trazem alternativas saudáveis e gostosas para substituir estes produtos:

Por que não dar gelatina para crianças?

Por que não dar suco de caixinha para crianças?

Por que não dar mingau pronto e engrossante para crianças?

Por que não dar “inhos” para crianças? Não valem por um bifinho.

 

===

Livro para baixar grátis na internet traz receitas saudáveis para bebês

Restaurantes precisam caprichar mais no menu kids

Kinder Ovo está proibido e McLanche teve que mudar pela saúde das crianças do Chile

Dá pra ver na televisão que é gostoso! – diz menina em pesquisa sobre publicidade de alimentos

Criança brasileira come muito biscoito recheado, macarrão instantâneo e bebida adoçada

Criança saudável – O que fazer quando o amigo do filho só come guloseimas

Quatro alimentos essenciais na papinha dos bebês

Bela Gil responde perguntas sobre introdução alimentar infantil

Alimentação infantil – arroz e feijão não são suficientes

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

 

 

Comentários (3)

  • johnny diz: 23 de agosto de 2016

    Carboidrato não é açúcar. Torna-se açúcar se não utilizado. Parem de dizer que carboidrato faz mal sem estudo científico específico para o caso! Que bosta!

  • Nataniel diz: 23 de agosto de 2016

    Olá!
    Pior é ver na TV, um comercial onde mostra mães sendo aconselhadas por ?nutricionistas? a inserirem nos lanches das crianças tais achocolatados.
    Profissional que se preze não aceitaria tal proposta.
    Muito boa matéria, o problema é que não podemos nem confiar no leite (puro?) que tomamos e pagamos caro por ele aqui no RS.
    Saúde (dentro do possível) e abraços à todos!

  • Susumu Kodai diz: 23 de agosto de 2016

    “Se o paladar ainda não aguenta, pode usar o cacau com um açúcar mascavo ou mel para começar.” Mania besta de nutricionista natureba. Açúcar mascavo tem a mesma quantidade de carboidratos que o açúcar refinado.

Envie seu Comentário