Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Alimentação infantil - E quando a gente começou errado?

09 de setembro de 2016 0

Por Giane Guerra

 

16410407

Para além dos mil dias: e quando a gente começou errado?

Esse é o tema da palestra do pediatra Flávio Melo na Semana de Atenção à Saúde e Alimentação Infantil. Bárbaro para mostrar que – sim, pais! – nunca é tarde para consertar a alimentação das crianças!

Para entender um pouquinho a teoria dos 1.000 dias:

O que é a programação metabólica?

O pediatra Flávio Melo explica direitinho. É aquela que ocorre nos primeiros 1.000 dias da criança, que envolvem a gestação e os dois primeiros anos. É a sinalização que os nutrientes dão para nossas células que formam os órgãos. Elas podem se formar com alterações gerando risco para desenvolvimento de doenças metabólicas. É no começo da vida que genes promotores de saúde podem ser estimulados ou, então, genes de doenças. Alimentação ruim leva a uma disfunção dos órgãos e, por consequência metabólica, que vai provocar efeitos futuros. Portanto: hipertensão, diabetes e doenças assim começam a ser “construídas” lá na gestação. É a obesidade dos pais, parto cesáreo eletivo, sem aleitamento materno, uso de fórmula artificial de leite, impacto da vida moderna… Por aí vai.

No passado, as doenças por más condições de limpeza e por parasitas eram o que mais matavam. Resolvemos esse problema e agora vemos um aumento significativo de doenças respiratórias, circulatórias…

Mas o pediatra quer mostrar que os primeiros 1.000 dias são essenciais, mas não para por aí.

- Nunca é tarde! E você não está fazendo só pelos seus filhos. Mas pelas gerações futuras.

Ainda é possível usar os nutrientes para evitar os efeitos dos genes ruins.

Dicas básicas de Flávio Melo:

- Evite os alimentos ultraprocessados.

Entenda a escala de alimentos – Do in natura até o ultraprocessado

Industrializado X Processado – Quem realmente é vilão?

- Cuidar da alimentação em família. Sente com seu filho para comer. Não adianta comer lasanha de caixinha e sorvete e querer que o filho coma direito.

- “Empodere-se”. Busque informação, conhecimento e aprenda a ler os rótulos dos alimentos. Não só a frente com a parte publicitária. O que tem que ser lido é a tabela nutricional e a lista de ingredientes.

- Comer proteínas de qualidade. Mais peixes! Sardinha é barata e cheia de ômega 3, gordura importantíssima para desenvolver o cérebro da criança. Comer fígado uma vez por semana!

- Mais gorduras boas e menos carboidratos refinados. As melhores gorduras: azeite de oliva e abacate, essenciais para mudar o “perfil inflamatória do organismo”! Comer alimentos verdadeiramente integrais.

- Fuja da “dieta monótona”, que tem sempre os mesmos alimentos.

- Comer castanhas, chia, macadâmia, linhaça…

- Reconexão com a natureza! Essencial para reduzir as alergias. Ah, este assunto renderá ainda vários post…

 

Ouça aqui a palestra completa do pediatra Flávio Melo - Disponível somente até a noite desta sexta-feira, 09/09.

 

Leia mais:

Comida de criança

 

Restaurantes precisam caprichar mais no menu kids

Kinder Ovo está proibido e McLanche teve que mudar pela saúde das crianças do Chile

Dá pra ver na televisão que é gostoso! – diz menina em pesquisa sobre publicidade de alimentos

Criança brasileira come muito biscoito recheado, macarrão instantâneo e bebida adoçada

Criança saudável – O que fazer quando o amigo do filho só come guloseimas

Quatro alimentos essenciais na papinha dos bebês

Bela Gil responde perguntas sobre introdução alimentar infantil

Alimentação infantil – arroz e feijão não são suficientes

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

 

 

Envie seu Comentário