Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "refrigerante"

Sete em cada dez brasileiros são contra publicidade infantil em refrigerante e salgadinho. E você?

26 de outubro de 2016 0

Por Giane Guerra

 

Foto: Alvarélio Kurossu / Agência RBS.

Foto: Alvarélio Kurossu / Agência RBS.

 

Crianças não são maduras o suficiente para lidar com a publicidade. Portanto, usar publicidade infantil em produtos ruins é um desserviço à saúde e à família.

Segue nesta linha a argumentação de quem combate a publicidade infantil. Principalmente, em comida que faz mal à saúde de todos. Em especial, das crianças.

Pesquisa Datafolha mostrou – ainda bem – que sete em cada dez brasileiros são contra a publicidade infantil em refrigerantes e salgadinhos.

72% são contra em refrigerantes
67% em salgadinhos
64% sucos industrializados

Foram ouvidas mais de 2,5 mil pessoas em 160 municípios brasileiros. A ideia era identificar opiniões sobre a regulação da indústria de alimentos.

Além disso, 64% disseram que estes produtos não devem ser vendidos nas escolas. Seis em cada dez são totalmente contra a publicidade para crianças em produtos industrializados.

Leia mais:

Comida de criança

Refrigerante é o quinto alimento mais consumido por adolescentes do Sul

Fabricantes de refrigerantes restringem produtos vendidos a escolas com crianças

Porto Alegre segue no topo do ranking de consumo de refrigerante

Chega no Brasil a Coca-Cola de rótulo verde

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

 

Leitora pergunta - Suco em pó é uma boa opção para o filho levar para a escola?

17 de outubro de 2016 1

Por Giane Guerra

 

Foto: Divulgação Idec.

Foto: Divulgação Idec.

 

 

Leitora pergunta. Lado Natureba responde.

Leitora Fernanda mandou a mensagem para o blog:

“Meu filho passa o dia na escola e almoça lá. Sempre leva uma garrafinha com alguma bebida além de ter água à disposição. Samos cedo e nem sempre tenho disponibilidade de fazer um suco natural. Acabo fazendo o suco de pacotinho. Não leva refrigerante. É melhor ele levar o suco de caixinha? O suco de pacotinho é ruim?”

Respondemos:

Suco de pacotinho é, quase sempre, o chamado refresco. Não ofereça mais ao seu filho e nem tome! É praticamente só aditivos químicos e açúcar. Quase nada de fruta mesmo. É, praticamente, tão ruim quanto refrigerantes.

Os malefícios são bem conhecidos. Açúcar em excesso provoca de diabete e obesidade, alergias, problemas respiratórios e queda da imunidade. Os aditivos químicos acumulam-se no organismo. Dependendo de quais, sobrecarregam órgãos e podem ter potencial cancerígeno.

Sobre o suco de caixinha, cuidado! Nem todas as bebidas em caixinha são sucos. Se estiver escrito “néctar”, não é uma boa opção. Também tem pouca fruta, tem conservantes e é adoçado. Aqui a gente explica melhor: Bebida na caixinha – Néctar não é suco!

Qual o melhor suco, então? O que está escrito suco integral e que não tem conservantes na lista de ingredientes. Os que são vendidos em garra de vidro costumam ser melhores porque não passam pelo processo de reconstituição, que reduz a quantidade de fibras e outros nutrientes.

Mas também tem suco de caixinha que diz 100% suco. Sem conservantes e sem açúcar são indicações importantes. Mas olhe a lista de ingredientes e não apenas o que está escrito na frente do rótulo. A lista obedece legislação sobre nutrição. A parte da frente costuma ter muito apelo publicitário.

***

Vários sucos têm goma acácia/arábica na lista de ingredientes. A nutricionista Bianca Canci explica:

- São a mesma coisa, fibras. Vêm da resina de uma planta. São espessantes, que servem para melhorar a consistência, dando o aspecto grossinho. Não são ruins, não. Não são como os corantes, por exemplo.

***

O suco natural feito com muita antecedência não tem o mesmo valor nutricional do suco feito na hora. Mas é uma opção. Se fica difícil, que tal congelar em forminhas de gelo? Na hora de ir para a escola, é só colocar na garrafinha e fica fresquinho por mais tempo, pois as pedras vão derretendo aos poucos.

Outra opção boa são as águas saborizadas. É água com algo que dê sabor. Pode ser hortelã, alecrim, menta… Ou rodelas de laranja, limão, cravo… Só usar a criatividade! O bom dessas águas é que não tem a liberação grande de frutose no organismo da criança, como os sucos naturais. A frutose é um açúcar de fruta, mas ainda assim é açúcar. E, no suco, a gente acaba eliminando muitas fibras – ainda mais quando é coado-, que são importantes para a absorção adequada desse açúcar pelo organismo.

Água pura ou saborizada e a fruta inteira seriam as melhores opções!

===

Leia mais sobre suco:

Por que não dar suco de caixinha para crianças?

Venda de sucos adoçados despenca 50% nas vinícolas

Restaurantes precisam caprichar mais no menu kids

Leitor pergunta se suco prensado a frio é saudável

Doce vício – Como substituir o açúcar no dia a dia

Fique de olho – Açúcar aparece com mais de 20 nomes no rótulo dos alimentos

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

Refrigerante é o quinto alimento mais consumido por adolescentes do Sul

07 de julho de 2016 0
Foto: André Feltes / Agencia RBS.

Foto: André Feltes / Agencia RBS.

 

 

Por Giane Guerra

 

 

- Pela primeira vez, temos uma geração com menor expectativa de vida do que os seus pais.

O alerta é ministro da Saúde. Ricardo Barros divulgou nesta quinta-feira pesquisa sobre hábitos alimentares em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro. Os motivos apontados pelo ministro: sedentarismo, obesidade, alcoolismo e tabagismo.

A pesquisa mostrou que os jovens da Região Sul apontaram o maior consumo de refrigerantes! Foi o quinto alimento no ranking daqui.

Os entrevistados foram questionados sobre quais os 20 alimentos que mais consomem. Abaixo, a lista dos que mais foram citados aqui no Sul e o percentual de entrevistados que indicaram estes alimentos na pesquisa.

PERFIL ALIMENTAR DO ADOLESCENTE

Região Sul

Arroz/preparações – 79,2
Pães – 61,0
Carne/preparações – 53,7
Feijão e leguminosas – 51,6
Refrigerantes – 51,2
Sucos – 46,4
Doces e sobremesas – 45,9
Café – 41,4
Hortaliças – 40,6
Massas e preparações – 35,1
Óleos e gorduras – 34,5
Frango/preparações – 27,9
Queijos e outros produtos lácteos – 27,0
Carnes processadas – 25,6
Bolos e tortas – 24,5
Leite – 23,6
Biscoitos doces – 21,9
Salgados fritos e assados – 20,3
Tubérculos – 19,8
Frutas – 15,7

O Erica, Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes, reuniu dados de cerca de 75 mil estudantes de 12 a 17 anos no País. Alimentos tradicionais – como arroz e feijão – apareceram bem na pesquisa, mas bebidas açucaradas e alimentos ultraprocessados ligam sinal de alerta.


Leia mais:

Fabricantes de refrigerantes restringem produtos vendidos a escolas com crianças

Porto Alegre segue no topo do ranking de consumo de refrigerante

Chega no Brasil a Coca-Cola de rótulo verde

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

Leitor pergunta se água com gás faz mal

07 de julho de 2016 1

 Leitor pergunta. Lado Natureba responde. 

 

Foto: stock photos/stock photos.

Foto: stock photos/stock photos.

 

 

Por Giane Guerra

 

Leitor Tiago pergunta se água com gás faz mal.

Não faz. A água com gás também é saudável. Mesmo aquelas – que são a maioria – gaseificadas artificialmente, tirando oxigênio e injetando gás carbônico.

Aliás, a água com gás é ótima para a transição de quem está tentando abandonar o refrigerante. Faça águas saborizadas, com limão, laranja, cravo, hortelã, alecrim, sálvia… Invente e experimente!

Outro mito é que a água com gás tem mais calorias. Não tem. Os nutrientes são os mesmos.

Pode, no entanto, provocar algum desconforto em quem tem problemas como gastrite. O motivo seria irritação na mucosa do estômago.

Estudos, no entanto, têm mostrado que em casos de indigestão, a água com gás até ajuda. Faz arrotar e alivia a pressão abdominal.

Sobre o sódio, não é o gás que faz a diferença. A quantidade de sódio varia de uma marca para outra.

Não provoca celulite! Afinal, não acumula gordura e nem piora circulação.

Tem, inclusive, o mesmo poder de hidratação.

Leia mais:

Bolacha de água e sal e biscoito de polvilho podem sabotar a dieta e a saúde

Macarrão instantâneo – Rápido, mas cheio de sódio e gordura

Substituir embutidos corta conservantes e sódio da alimentação

Porto Alegre fica em terceiro no ranking nacional de hipertensão

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

 

Fabricantes de refrigerantes restringem produtos vendidos a escolas com crianças

22 de junho de 2016 4
Foto: Stock.Xchng

Foto: Stock.Xchng

A partir de agosto, Coca-Cola, Ambev e PepsiCo mudam o portfólio de produtos que vão para escolas. Vale para estabelecimentos com alunos até 12 anos ou com a maioria dos estudantes até esta idade.

Cada vez mais pais estão exigentes com a alimentação dos filhos. Não adianta cuidar em casa e a escola oferecer porcarias.

Pois a principal mudança é que estas três grandes empresas venderão apenas água mineral, suco com 100% fruta, água de coco e bebidas lácteas que atendem critérios nutricionais específicos, que ainda não foram detalhadas pelas empresas.

“No momento do recreio, os alunos têm acesso às cantinas escolares sem a orientação e a companhia de pais e responsáveis, e crianças abaixo de 12 anos ainda não têm maturidade para tomar decisões de consumo”, diz o comunicado das empresas.

Semana passada, foi aprovado em comissão na Câmara dos Deputados projeto de lei que proíbe a venda de refrigerantes nas escolas de educação básica. O texto ainda tem outra comissão para passar antes de ir a plenário.

“Uma questão importante é que a grande maioria dos sucos e chás por elas produzidos tem açúcar. Muitas vezes, igual teor que os refrigerantes. O ideal é estimular o consumo de água e sucos naturais”, comenta a vice-presidente do Conselho Regional de Nutricionistas, Carmem Franco.

Água e fruta inteira é a dica do Lado Natureba. Quem sejam as opções mais frequentes.

Coca-Cola verde reduziu açúcar, mas aumentou o sódio

10 de maio de 2016 4

 

Imagem: Divulgação.

Imagem: Divulgação.

 

 

Por Giane Guerra

 

Lançada no Brasil no fim de abril, a Coca- Cola de rótulo verde já está nos supermercados. Chegou no mercado anunciando que reduziu açúcar e colocou stevia, que é um adoçante natural.

Leia: Chega no Brasil a Coca-Cola de rótulo verde

O site Desrotulando (antigo Fechando o Zíper) fez uma comparação entre a Coca-Cola tradicional e a nova. Identificou um aumento forte nos aditivos alimentares, destacando o sódio. Aliás, o que diminuiu de açúcar aumentou em sódio.

O consumo elevado de sódio, além de causar hipertensão, é responsável pelo aumento das doenças circulatórias e cardíacas. O Ministério da Saúde também alerta para a influência em alguns tipos de câncer, como o de estômago. 

 

Fonte: Desrotulando.

Fonte: Desrotulando.

A Coca Cola verde tem 18g de açúcar. É bem menos do que a Coca-Cola normal, que tem 37g.

- Mas isso ainda representa uma quantidade absurda de açúcar. É 72% da recomendação máxima de ingestão de açúcares por dia em uma dieta de 2 mil calorias, segundo a referência da Organização Mundial da Saúde. - alertam as nutricionistas do site.

 Caramelo IV

E mesmo na linha alimentação saudável, tem também o corante caramelo IV, tão criticado pela possibilidade de aumentar risco de câncer.

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

 

Chega no Brasil a Coca-Cola de rótulo verde

27 de abril de 2016 11
Imagem: Divulgação.

Imagem: Divulgação.

Por Giane Guerra

 

Depois de enfrentar queda nas vendas, a Coca-Cola se esforça para entrar no mercado de alimentação saudável. Está chegando ao Brasil o refrigerante com rótulo verde, que anuncia ter 50% menos açúcar. Além disso, usa stevia, que é um adoçante de origem natural.

- Sabemos que a indústria tem que fazer sua parte para incentivar o consumo de produtos com menos açúcares. – afirma o vice-presidente de Marketing da Coca-Cola Brasil, Javier Rodriguez.

A campanha de lançamento vai ao ar em junho. Inicialmente, a Coca-Cola com Stevia e 50% menos açúcares estará disponível nas embalagens PET de 1,5 litro, PET de 1 litro e lata de 350 ml, e terá o mesmo preço da Coca-Cola original. Nos próximos meses, haverá também outras embalagens.

Blog Lado Natureba – Mas a Coca-Cola verde é mesmo saudável?

Nutricionista Rita Lamas – Refrigerante NUNCA será bom. Já estou me preparando para as perguntas dos pacientes.

Blog – Mas stevia não é um adoçante natural?

Nutricionista – É, mas é adoçante. Muitas vezes, é misturado com sacarina, que é mais barato para a indústria. O stevia é um adoçante caro. Ainda assim, se for só stevia, é preciso cuidar com a quantidade de consumo. Há estudos iniciais que relacionam o stevia com problemas nos rins.

Blog – E o problema não era o açúcar?

Nutricionista – Também. Mas ninguém vai colocar na minha cabeça de nutricionista que tomar um refrigerante é melhor do que um copo de água ou um suco.

Blog – Mas…

Nutricionista – A exceção é quando a pessoa é diabética e precisa optar por um líquido que não aumente a glicose ou está em processo de livrar-se do vício do refrigerante ou alguns casos em que precisa-se perder peso. Mas não chega ao ponto de ser uma bebida que indicamos.

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

 

 

 

Porto Alegre segue no topo do ranking de consumo de refrigerante

08 de abril de 2016 2
Foto: André Feltes / Agencia RBS.

Foto: André Feltes / Agencia RBS.

 

Por Giane Guerra

Líder de novo. Porto Alegre é a Capital com o maior consumo de refrigerante (e sucos artificiais). Aqui, 25,6% bebem essas bebidas cinco ou mais vezes na semana.

A pesquisa é do Ministério da Saúde. Saiu a atualização de 2016. Mostra também que não ficamos muito para trás no ranking dos doces em geral. O porto-alegrense é o quarto maior consumidor de doces, com 21,9% da população comendo cinco ou mais vezes na semana.

O alerta é: esses hábitos alimentares andam junto com o avanço de doenças crônicas. Principalmente, o diabetes. Porto Alegre tem o segundo índice mais alto de diabetes no País: 8,7%.

Lado Natureba: Refrigerantes e doces são um desafio no dia a dia do nutricionista?

Nutricionista Rita Lamas: São a principal causa de obesidade. Tanto para crianças e adolescentes. E o consumo desses pacientes é diário. Até porque o eventual não é o problema. São bebidas ricas em açúcar e sem valor nutritivo algum.

Lado Natureba: Como trabalha isso com os pacientes?

Rita Lamas: Para não ser tão difícil – até porque difícil é -, vou pedindo a redução no consumo. Se toma duas vezes ao dia, peço para diminuir para uma vez. Aí, mudo para dia sim, dia não. E vamos até o eventual, para a comemoração. Não todo dia mais. Vale para o doce e para o refrigerante.

 

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.