Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "tomate"

Sítio da Serra Gaúcha toca música clássica e Black Sabbath na plantação de tomates

17 de abril de 2017 0

7c985bec-143b-48e0-a3dd-903df558a49a

 

No tour do Lado Natureba pela Serra Gaúcha, conhecemos o sítio ecológico Orgânicos Pérola da Terra. Lá, colocam música para os tomates. Primeiro, usaram música clássica. Agora, o filho dos proprietários coloca Black Sabbath.

A dona, Joce, conta que o rock faz as plantas crescerem mais rápido. Agora, vai colocar mantras nas parreiras de uva.

Além disso, a plantação fica ainda mais bonita com as flores e temperos plantados ao redor.

- É para atrair as abelhas que ajudam na polinização.

Conta o dono, Volmir Forlin, que colocava música para uma flor que tinha. Um dia deu para uma amiga e a flor morreu. Foi então que resolveu colocar música também para as plantações.

A prática não é exclusiva daqui e, muito menos, do Brasil. Até no Japão é usada. O Instituto Nacional de Agricultura Biotecnológia da Coréia do Sul fez uma pesquisa há cerca de dez anos, colocando música clássica em uma plantação de arroz e monitorando a atividade genética. Identificaram reação em dois genes.

 

0ee8e034-00d3-4a45-aca3-016702b3bb6c 17554178_1943542772591911_7708879693167575054_n 17554584_1943542869258568_8460757538025850520_n 17553955_1943542775925244_7890853252298156573_n 17553878_1943542799258575_1774966476176580376_n 17523533_1943542782591910_2971201607638487227_n

 

Leia mais sobre os produtos do sítio Pérola da Terra e como comprar:


Acompanhe o tour do Lado Natureba pela hashtag #serranatureba. O sítio fica em Antônio Prado e deve participar do Dia do Vinho, que rola em junho.

===

Leia também:

Melado de maçã substitui açúcar para adoçar alimentos

Minhoca Pet – Sítio da Serra cria kit pronto de compostagem para residências

Frumar cria serviço de entrega em casa de frutos do mar na Região Metropolitana de Porto Alegre

Gaúchos da Serra mandam plantar radicci em São Paulo

“Sorvete do bem” usa produtos da agricultura familiar no Bairro Moinhos de Vento

Pão Francês – O cacetinho que você compra é de boa qualidade? Saiba como descobrir

Cozinhar com banha, pode? Deve!

“Margarina? Dê para seu pior inimigo”, diz nutricionista

Leitora pergunta – Devemos evitar queijos e requeijão por causa do sódio?

Substituir embutidos corta conservantes e sódio da alimentação

“Zero trans”? – A gordura trans que você não vê nos alimentos

Dez pegadinhas da alimentação (pseudo) saudável

O que a boa – e a má – alimentação provocam no sistema imunológico

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

E também curta o Facebook do Lado Natureba.

 

 

 

Começa recall do extrato de tomate Quero com pelo de roedor acima do limite

03 de março de 2017 5

quero

 

Lembra da notícia abaixo?

Proibida venda de mais um lote de extrato de tomate com pelo de roedor acima do limite

Pois a Quero anunciou nesta sexta-feira os detalhes do recall do extrato de tomate deste lote. Apesar de no dia de divulgação da notícia, ter enviado um posicionamento avisando que já tinha tomado as medidas cabíveis ainda em agosto de 2016.

Consumidores com itens do lote L. 11 07:35 do extrato de tomate da marca Quero devem entrar em contato com a empresa, conforme o comunicado:

“Portanto, aos consumidores detentores de unidade(s) do lote L 11 7:35 recomenda-se que entrem em contato via Serviço de Atendimento ao Consumidor Quero através do número 0800 165858 ou pelo site www.quero.com.br para substituição da(s) unidade(s) sem custos ao consumidor.”

Relembre:

A resolução foi publicada no Diário Oficial da União ainda em fevereiro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O laudo é do laboratório de Minas Gerais:

“apresentou resultado insatisfatório ao detectar matéria estranha indicativa de risco à saúde humana, pelo de roedor, acima do limite máximo de tolerância pela legislação vigente”

A Anvisa proibiu a distribuição e comercialização do lote L. 11 07:35 do extrato de tomate da marca Quero. É produzido por Heinz Brasil S.A, na fábrica que fica em Nerópolis (GO).

A marca Quero foi comprado pela Heinz em 2011, quando ainda era uma empresa dos Estados Unidos. Dois anos depois, a Heinz foi comprada pelo grupo brasileiro 3G e pelo investidor norte-americano Warren Buffet.

Posicionamento da empresa no dia de publicação da proibição pela Anvisa:

“Nota de esclarecimento

Sobre publicação do Diário Oficial referente ao lote de produto fabricado em dezembro de 2015, a Quero Alimentos informa que, em total respeito ao consumidor e à ANVISA, já tomou as providências aplicáveis para retirar todo o referido lote do mercado em agosto de 2016, quando tomou ciência do ocorrido. 

Ressalta, ainda, que nos últimos anos fez grandes investimentos em novas tecnologias para aumentar ainda mais a qualidade do tomate no campo e de seus produtos, e grandes progressos foram alcançados. A companhia afirma com segurança que os rigorosos controles no processo produtivo garantem a eliminação de qualquer risco ou prejuízo à saúde.

A Quero Alimentos reafirma sua transparência em todas as etapas da produção, desde o recebimento dos ingredientes até a distribuição do produto final, com foco no atendimento às legislações aplicáveis a alimentos, de forma a oferecer aos consumidores total confiabilidade no alto padrão de qualidade da marca.”

Acima do limite? Entenda:

Há limites para materiais estranhos em alguns alimentos. Vão de pelos a insetos inteiros. Acima dessa tolerância que a Anvisa considera prejudicial à saúde.

O limite foi estabelecido por legislação de 2014. Os fragmentos não podem ser vistos a olho nu. Até então, não eram tolerados pela Anvisa.

Na época da norma que implementou os limites, a Anvisa alegou que era inviável muitas vezes eliminar todos os fragmentos. Exemplos de produtos que permitem, até um limite, a presença de “matérias estranhas”:

Molhos, purês e extratos de tomate: um fragmento de pelo para cada 100 gramas

Geleias de frutas: 25 fragmentos de insetos para cada 100 gramas

Café torrado e moído: 60 fragmentos de insetos para cada 25 gramas

Chá de camomila: cinco insetos inteiros mortos para cada 25 gramas

Canela em pó: um fragmento de pelo de roedor para cada 50 gramas

Chocolate e achocolatados: um fragmento de pelo de roedor para cada 100 gramas

Orégano: 20 fragmentos em 10 gramas

No caso de insetos, não vale moscas, baratas ou formigas, por exemplo. Anvisa considera que estes trazem riscos à saúde.

A norma completa está neste link: RDC 14/2014

===

Leia mais:

Proibida venda de lotes de cinco marcas de molho e extrato de tomate com pelo de roedor acima do limite

Proibido lote de extrato de tomate Heinz com pelo de roedor

Proibida venda de lote de geleia produzida no Rio Grande do Sul com larva, fungo e pelo de roedor

Como lavar tomates e fazer extrato de tomate em casa

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

 

 

 

 

Proibida venda de mais um lote de extrato de tomate com pelo de roedor acima do limite

20 de fevereiro de 2017 14
Foto: Reprodução site Heinz.

Foto: Reprodução site Heinz.

 

Proibida venda de mais um lote de extrato de tomate fabricado pela Heinz com pelo de roedor acima do limite. Desta vez, é um produto da marca Quero. A resolução está publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

O laudo é do laboratório de Minas Gerais:

“apresentou resultado insatisfatório ao detectar matéria estranha indicativa de risco à saúde humana, pelo de roedor, acima do limite máximo de tolerância pela legislação vigente”

A Anvisa proíbe a distribuição e comercialização do lote L. 11 07:35 do extrato de tomate da marca Quero. É produzido por Heinz Brasil S.A, na fábrica que fica em Nerópolis (GO).

A marca Quero foi comprado pela Heinz em 2011, quando ainda era uma empresa dos Estados Unidos. Dois anos depois, a Heinz foi comprada pelo grupo brasileiro 3G e pelo investidor norte-americano Warren Buffet.

Posicionamento da empresa:

“Nota de esclarecimento

Sobre publicação do Diário Oficial referente ao lote de produto fabricado em dezembro de 2015, a Quero Alimentos informa que, em total respeito ao consumidor e à ANVISA, já tomou as providências aplicáveis para retirar todo o referido lote do mercado em agosto de 2016, quando tomou ciência do ocorrido. 

Ressalta, ainda, que nos últimos anos fez grandes investimentos em novas tecnologias para aumentar ainda mais a qualidade do tomate no campo e de seus produtos, e grandes progressos foram alcançados. A companhia afirma com segurança que os rigorosos controles no processo produtivo garantem a eliminação de qualquer risco ou prejuízo à saúde.

A Quero Alimentos reafirma sua transparência em todas as etapas da produção, desde o recebimento dos ingredientes até a distribuição do produto final, com foco no atendimento às legislações aplicáveis a alimentos, de forma a oferecer aos consumidores total confiabilidade no alto padrão de qualidade da marca.”

Acima do limite? Entenda:

Há limites para materiais estranhos em alguns alimentos. Vão de pelos a insetos inteiros. Acima dessa tolerância que a Anvisa considera prejudicial à saúde.

O limite foi estabelecido por legislação de 2014. Os fragmentos não podem ser vistos a olho nu. Até então, não eram tolerados pela Anvisa.

Na época da norma que implementou os limites, a Anvisa alegou que era inviável muitas vezes eliminar todos os fragmentos. Exemplos de produtos que permitem, até um limite, a presença de “matérias estranhas”:

Molhos, purês e extratos de tomate: um fragmento de pelo para cada 100 gramas

Geleias de frutas: 25 fragmentos de insetos para cada 100 gramas

Café torrado e moído: 60 fragmentos de insetos para cada 25 gramas

Chá de camomila: cinco insetos inteiros mortos para cada 25 gramas

Canela em pó: um fragmento de pelo de roedor para cada 50 gramas

Chocolate e achocolatados: um fragmento de pelo de roedor para cada 100 gramas

Orégano: 20 fragmentos em 10 gramas

No caso de insetos, não vale moscas, baratas ou formigas, por exemplo. Anvisa considera que estes trazem riscos à saúde.

A norma completa está neste link: RDC 14/2014

===

Leia mais:

Proibida venda de lotes de cinco marcas de molho e extrato de tomate com pelo de roedor acima do limite

Proibido lote de extrato de tomate Heinz com pelo de roedor

Proibida venda de lote de geleia produzida no Rio Grande do Sul com larva, fungo e pelo de roedor

Como lavar tomates e fazer extrato de tomate em casa

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

 

Abacate - Fruta que aumenta a imunidade, sacia e reduz o estresse

26 de outubro de 2016 0

Por Giane Guerra

 

16101899
Sempre estranhei quando falavam muito mal do abacate. Uma fruta linda, mas que diziam ser “muito gordurosa” e que “engordava”.

Primeiro, as gorduras não são do mal. Os estudos recentes têm derrubado esse mito. Há gorduras muito saudáveis e o abacate está entre elas.

A nutricionista Gisele Berardi, inclusive, diz que a fruta ganha espaço nas dietas.

- Diferente das gorduras processadas e hidrogenadas, o abacate tem uma gordura natural. É uma gordura monoinsaturada.

A gordura do abacate não provoca danos no organismo. Ao contrário, ajuda a equilibrar o colesterol ruim e faz o organismo funcionar melhor. A nutri também lembra que é rico em vitamina E, sais minerais essenciais, potássio…

Ainda é antioxidante e tem propriedades antiinflamatórias. Ou seja, dá aquela turbinada na imunidade.

E não é vilão do emagrecimento!

- O abacate dá saciedade. Sua própria composição já evita exageros porque a gordura adia a fome.

Viva o guacamole!

A nutricionista Gisele Berardi conta ainda que o abacate aumenta a absorção do licopeno. É um antioxidante que tem no tomate.

Então, um guacamole é ótimo para a saúde. E delicioso! Receita: misture abacate, tomate e cebola, tudo picado. Tempere com limão, coentro, azeite, sal e pimenta a gosto. Tradicional do México, o guacamole é um excelente acompanhamento.

Menos estresse

O abacate ainda reduz os níveis de cortisol, que é o hormônio do estresse. Usado nos corticóides e que provoca o conhecido efeito vulcânico nas crianças.

Aliás, o cortisol em excesso no organismo dificulta a perda de peso. Ou seja, mais uma vez, derrubamos o mito de que o abacate é violão do emagrecimento.

 

===

Leitora pergunta: Meu filho não ganha peso. O que faço?

Receita – Mousse natureba de cacau e castanhas

Comida de criança – alimentos para substituir pães e biscoitos

“Células de câncer adoram açúcar”, alerta nutricionista.

Leitor pergunta – Quais alimentos aumentam a vontade de fazer sexo?

Ômega 3, 6 e 9: onde estão? E por que são essenciais para o organismo?

Alimentação infantil – E quando a gente começou errado?

Mulheres: O que comer e o que não comer para combater a TPM

Alimentação infantil – arroz e feijão não são suficientes

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

E também curta o Facebook do Lado Natureba.

 

Fabricante recolhe Pomarola e Elefante de lotes com pelo de roedor acima do permitido

26 de agosto de 2016 1

Por Sibeli Fagundes e Giane Guerra

 

A fabricante dos extratos e molho de tomate Elefante e Pomarola iniciou um recall para para recolher do mercado três lotes proibidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Laudo de um laboratório de Santa Catarina havia detectado pelo de roedor acima do limite máximo tolerado pela legislação. Isso fez a Anvisa proibir a venda e comercialização do produto.

A Cargil pede que os consumidores que tenham embalagens desses lotes entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor para agendar a substituição. Confira o comunicado:

 

6b4152a7-3909-4698-b3b7-e205bbf94c9a

 

Veja quando o blog Lado Natureba noticiou a proibição:

Fabricados por Cargill Agrícola S.A (CNPJ 60.498.706/0370-77):

Molho de tomate tradicional Pomarola - Lote 030903 – Validade 31/08/2017

Extrato de tomate Elefante - Lote 032502 – Validade 18/08/2017

Proibida venda de lotes de cinco marcas de molho e extrato de tomate com pelo de roedor acima do limite

E mais:

Proibido lote de extrato de tomate Heinz com pelo de roedor

Proibida venda de lote de geleia produzida no Rio Grande do Sul com larva, fungo e pelo de roedor

Como lavar tomates e fazer extrato de tomate em casa

 

Como assim, limite?

Há limites para materiais estranhos em alguns alimentos. Vão de pelos a insetos inteiros. Acima dessa tolerância que a Anvisa considera prejudicial à saúde.

O limite foi estabelecido por legislação de 2014. Os fragmentos não podem ser vistos a olho nu. Até então, não eram tolerados pela Anvisa.

Na época da norma que implementou os limites, a Anvisa alegou que era inviável muitas vezes eliminar todos os fragmentos. Exemplos de produtos que permitem, até um limite, a presença de “matérias estranhas”:

Molhos, purês e extratos de tomate: um fragmento de pelo para cada 100 gramas

Geleias de frutas: 25 fragmentos de insetos para cada 100 gramas

Café torrado e moído: 60 fragmentos de insetos para cada 25 gramas

Chá de camomila: cinco insetos inteiros mortos para cada 25 gramas

Canela em pó: um fragmento de pelo de roedor para cada 50 gramas

Chocolate e achocolatados: um fragmento de pelo de roedor para cada 100 gramas

Orégano: 20 fragmentos em 10 gramas

No caso de insetos, não vale moscas, baratas ou formigas, por exemplo. Anvisa considera que estes trazem riscos à saúde.

A norma completa está neste link: RDC 14/2014

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

Leitora pergunta qual a validade do extrato de tomate caseiro

09 de agosto de 2016 0

Leitor pergunta. Lado Natureba responde.

 

Foto: Andrea Graiz / Agência RBS.

Foto: Andrea Graiz / Agência RBS.

 

 

Por Giane Guerra

 

Leitora Angelica leu nosso post com receita de extrato e molho de tomate caseiros:

Como lavar tomates e fazer extrato de tomate em casa

E perguntou por quanto tempo pode guardar o alimento.

Quem nos deu a receita, a nutricionista do Mesa Brasil Sesc, Ana Carolina Ferreira, responde:

Na geladeira, deixar por três dias no máximo.

No congelador, o ideal é manter por até seis meses.

Leia mais:

Proibida venda de lotes de cinco marcas de molho e extrato de tomate com pelo de roedor acima do limite

Proibido lote de extrato de tomate Heinz com pelo de roedor

 

 

Receita - Massa integral com mexilhão temperada com açafrão

03 de agosto de 2016 0

40887ba2-2bba-42fc-8160-5d3d6c8994fd

 

Por Giane Guerra

 

 

Dentro do lema das receitas do blog Lado Natureba: rápida, fácil e deliciosa.

Massa com mexilhão temperada com açafrão

Igredientes:

- Alho – Usei cinco dentes.

- Óleo para refogar

- Massa integral – Usei um pacote inteiro.

- Mexilhão – Usei 400g.

- Açafrão da terra

- Dois tomates bem grandes e maduros.

- Temperei também com cebolinha verde desidratada.

- Sal e pimenta a gosto. Uso sal marinho.

 

Modo de fazer:

- Refogar o alho no óleo.

- Colocar o tomate e deixar cozinhar até ficar bem macio.

- Colocar o mexilhão e temperos. Tampar e cozinhar por 15 minutos.

- Colocar sobre a massa cozida.

Pronto! Aproveitem.

** Em tempo – Coloquei no prato também um pouco de couve refogada na manteiga. **

 

Veja mais receitas:

Receita – Bolinho salgado de lentilha ótimo para petisco

Como lavar tomates e fazer extrato em casa

Receita – Bolo de caneca de banana e aveia que fica pronto em minutos

Receita – Brownie 70% cacau

Receita – Mousse natureba de cacau e castanhas

Receita – Risoto de arroz vermelho com queijo coalho e tomate seco

Receita vapt vupt – Panqueca de banana, aveia e ovo

Que tal uma canja de galinha natureba? Confira a receita

Receita de lambedor contra a tosse e a explicação científica para os ingredientes

Receita Natureba: Cookies integrais de aveia com chocolate

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

 

 

Pelo de roedor em extratos de tomate - Senac-RS alerta bares e restaurantes para risco da contaminação

28 de julho de 2016 0

Por Giane Guerra

 

O assunto de hoje foi:
Proibida venda de lotes de cinco marcas de molho e extrato de tomate com pelo de roedor acima do limite
Como lavar tomates e fazer extrato em casa

Foto: Maiara Bersch / Agência RBS.

Foto: Maiara Bersch / Agência RBS.

 

Pois o Senac-RS alertou o blog Lado Natureba que bares, restaurantes e lanchonetes precisam ter muito cuidado com estes molhos e extratos de tomate. Pela praticidade, as cozinhas usam muito estes produtos industrializados.

Confira entrevista com o coordenador do Programa Alimento Seguro do Senac-RS, Leonir Martello:
1) São empresas com marca tão forte, como é possível reduzir os riscos?

Normalmente, este problema vem do campo, mas pode agravar se a indústria não possuir os programas de Gestão de Segurança dos Alimentos implantados (dentre estes o controle de pragas e programa de higienização de utensílios e ambiente). Para reduzir os riscos, as empresas devem trabalhar com seus fornecedores para que estes adotem programas de prevenção no campo e no transporte.

2) Quais cuidados deve-se ter?

O consumidor e os restaurantes devem procurar marcas que tenham programas de gestão da qualidade e segurança dos alimentos implantados, tais como BPF (boas práticas de fabricação) e APPCC (análise de perigos e pontos críticos de controle). As empresas devem implantar os programas de qualidade e segurança na cadeia produtiva (campo, transporte e indústria).

3) Quanto um estabelecimento chega a consumir desses produtos? 

Muito difícil de presumir este dado, mas o número é grande pela praticidade de uso do produto industrializado.

4) Para alguém que usa esses molhos/purês/extratos, vale a pena passar a fazer o próprio extrato no estabelecimento?

Existe sempre esta possibilidade, porém envolve maior custo e tempo no processo. Não vejo a necessidade das empresas pararem de comprar o extrato industrializado, o que precisam é exigir qualidade na compra, comprar de empresas idôneas com programas de segurança dos alimentos implantados. O PAS (Programa Alimentos Seguros) do SENAC, através de consultoria e treinamento implanta estas ferramentas nas empresas.

5) Se for comprar o tomate, como comprar de um local com garantia? Como fazer o transporte e manuseio de forma segura na cozinha?

Pelos de ratos no tomate dificilmente serão um problema em uma produção de molho artesanal, pois o restaurante vai lavar os tomates um a um e os pelos serão eliminados na água, diferente da produção industrial onde a lavagem e seleção é realizada com centenas de quilos. Por isso, o local de compra não tem grande influência, desde que os tomates estejam íntegros sem sinais de decomposição ou amassados. Lembrando que estamos falando de pelos de ratos, esta afirmação não se aplica à contaminação por agroquímicos ou micro-organismos.

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

Como lavar tomates e fazer extrato em casa

28 de julho de 2016 3
Foto: Andrea Graiz / Agência RBS.

Foto: Andrea Graiz / Agência RBS.

 

Por Giane Guerra

 

Leitores estão indignados com a notícia destaque de hoje:

Proibida venda de lotes de cinco marcas de molho e extrato de tomate com pelo de roedor acima do limite

Então, vamos aprender a fazer em casa?

Primeiro, extrato é tomate praticamente puro, cozido até desmanchar. O molho inclui outros itens, como temperos.

A dica da nutricionista do Mesa Brasil Sesc, Ana Carolina Ferreira, é fazer extrato em casa e congelar em potes pequenos. Depois, descongelar e temperar na hora para fazer o molho.

Veja as orientações da nutri:

Lavar tomates: Escolha tomates maduros com a pele não rompida, lavar em água corrente para tirar a terra e outras sujeitas, colocar de molho em água sanitária. É uma colher do produto para cada litro de água. Usar água sanitária pura, sem outros produtos de limpeza na fórmula. Isso deve ser verificado no rótulo. Deixar no máximo 15 minutos porque a pele do tomate é muito porosa. Retirar e lavar em água corrente.

Extrato: Dourar cebola, acrescentar tomates picados e deixar cozinhando até desmanchar. Não precisa colocar água. Leva, no máximo 30 minutos.

Congelar: Pode passar no liquidificador se não ficou bem desmanchado, colocar em potes de vidro bem fechados. Não encher até o topo porque ele se expande quando congela. Deixar esfriar um pouco e colocar no congelador.

Molho:

Ingredientes:

- cebola picada

- alho picado

- 2 colheres sopa de óleo

- 6 tomates maduros

- 1 colher chá de sal

- 2 cenouras cozidas e picadas (Deixa o molho mais nutritivo! – dica especial da nutricionista Ana Carolina. O blog Lado Natureba também usa beterraba eventualmente.)

- temperos como manjericão, pimenta, cebolinha, orégano. Depende do gosto de cada um!

Refogar cebola e alho no óleo, colocar os tomates e cozinhar até desmanchar. Acrescentar os temperos e colocar água se preciso para deixar na consistência desejada.

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.

 

Proibida venda de lotes de cinco marcas de molho e extrato de tomate com pelo de roedor acima do limite

28 de julho de 2016 30
Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

 

Por Giane Guerra

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária está proibindo a distribuição e venda de lotes de molho e extrato de tomate com pelo de roedor. São cinco marcas.

A decisão da Anvisa está publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira. Conforme os textos, a agência reguladora foi oficiada de análises feitas pelo Laboratório de Saúde Pública de Santa Catarina.

As empresas têm que recolher o que já está no mercado dos produtos dos lotes:

Lote L 076 M2P (val.: 01/04/2017) do produto extrato de tomate, marca Amorita, fabricado por Stella D’Oro Ltda (CNPJ: 05.117.323/0001-83).

Fabricados por Predilecta Alimentos Ltda (CPNJ: 62.546.387/0001-33):

Extrato de tomate Predilecta – Lote 213 23IE – Validade 03/2017

Extrato de tomate Aro – Lote 002 M2P – Validade 05/2017

Fabricados por Cargill Agrícola S.A (CNPJ 60.498.706/0370-77):

Molho de tomate tradicional Pomarola - Lote 030903 – Validade 31/08/2017

Extrato de tomate Elefante - Lote 032502 – Validade 18/08/2017

Leia mais: Proibido lote de extrato de tomate Heinz com pelo de roedor

Como assim, limite?

O limite máximo é um fragmento de pelo para cada 100 gramas de molhos, purês e extratos de tomate. Acima disso, a Anvisa considera prejudicial à saúde. As empresas costumam alegar que a presença de pelo de roedor se deve à matéria-prima, que vem do campo. São considerados roedores ratos, ratazanas e camundongos.

Sônia Amaro, Supervisora Institucional da Proteste, falou ao Timeline desta quinta sobre o tema.

O limite foi estabelecido por legislação de 2014. Os fragmentos não podem ser vistos a olho nu. Até então, não eram tolerados pela Anvisa.

Na época da norma que implementou os limites, a Anvisa alegou que era inviável muitas vezes eliminar todos os fragmentos. No caso do tomate, foram analisadas 7 mil amostras.

O engenheiro de alimentos Claudio Luis Crescente também deu entrevista ao programa sobre o polêmico assunto.

Outros exemplos de produtos que também permitem, até um limite, a presença de “matérias estranhas”:

Geleias de frutas: 25 fragmentos de insetos para cada 100 gramas

Café torrado e moído: 60 fragmentos de insetos para cada 25 gramas

Chá de camomila: cinco insetos inteiros mortos para cada 25 gramas

Canela em pó: um fragmento de pelo de roedor para cada 50 gramas

Chocolate e achocolatados: um fragmento de pelo de roedor para cada 100 gramas

Orégano: 20 fragmentos em 10 gramas

No caso de insetos, não vale moscas, baratas ou formigas, por exemplo. Anvisa considera que estes trazem riscos à saúde.

A norma completa está neste link: RDC 14/2014

Como lavar tomates e fazer extrato em casa

Resposta empresas:

Cargill – Diz que trabalha na adoção das medidas necessárias: “A empresa reitera o compromisso com o cumprimento de todas as normas de segurança dos alimentos e padrões de higiene. Assegura ainda que os produtos dos referidos lotes não oferecem qualquer risco à saúde de seus consumidores. A Cargill permanece à disposição para os esclarecimentos que se façam necessários”. SAC 0800 648 0808.

Predilecta Alimentos – informou que “o caso se trata de notificação realizada pela Diretoria de Vigilância Sanitária de Santa Catarina, acerca de lotes encontrado somente nessa região. A empresa mesmo não reconhece o defeito apontado, recolheu todos os produtos dos referidos lotes e tomou as providências que a legislação determina. O processo publicado no Diário da União está em fase de julgamento de recurso apresentado”.

Aguardamos posição da fabricante da marca Amorita.

 Pelo de roedor em extratos de tomate – Senac-RS alerta bares e restaurantes para risco da contaminação

O Lado Natureba foi pauta no Timeline:

===

Siga o @ladonatureba no Twitter.