Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Mitos e verdades sobre o colesterol

05 de abril de 2012 0

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, a todo ano mais de 17 milhões de pessoas morrem vítimas de doenças cardiovasculares relacionadas ao alto nível de colesterol no sangue. O Ministério da Saúde estima que 30% dos brasileiros façam parte deste quadro. Como informação sobre saúde nunca é demais, confira sete mitos e verdades sobre o colesterol, elaborados pelo cardiologista João Vicente da Silveira.

1. Colesterol não é doença
Não, não é. O colesterol é uma substância importante para a nossa saúde, porque é usada na formação da membrana das células do corpo e de alguns hormônios, além de servir como uma capa protetora para os nervos.

2. Colesterol alto não apresenta sintomas
A única maneira de saber se o seu colesterol está alterado é fazendo um exame de sangue. O primeiro sintoma pode ser o ataque cardíaco, o derrame cerebral ou até mesmo a morte. Por isso, é importante consultar um cardiologista pelo menos duas vezes ao ano.

3. É uma doença da terceira idade
Não. O colesterol alto pode ocorrer em qualquer pessoa, porém é mais comum em pessoas com estilo de vida associado à falta de atividade física e alimentação inadequada.

4. É tudo culpa da comida
Não. O colesterol vem de duas fontes: do próprio organismo (fígado) e dos alimentos gordurosos. O colesterol e outras gorduras não podem dissolver-se no sangue. Para deslocar-se pelo sangue, o colesterol é incorporado a determinadas proteínas. A esta combinação de gordura e proteína dá-se o nome de lipoproteína. As principais lipoproteínas são as de baixa densidade (o colesterol ruim, ou LDL) e as de alta densidade (o colesterol bom, ou HDL).

5. Existe mesmo o colesterol bom?
Com certeza! O LDL-C (colesterol de lipoproteínas de baixa densidade), ou colesterol ruim, contém os maiores componentes de gordura e corresponde normalmente por 60 a 80% do colesterol total. O HDL-C (colesterol de lipoproteínas de alta densidade), ou colesterol bom, pode proteger as artérias de duas maneiras: levando o colesterol para longe da parede arterial, a fim de ser transformado em bile no fígado e excretado pelo intestino, e competindo com o LDL-C para ingressar nas células da parede arterial.

6. Uma boa dieta acaba com o problema
Nem sempre. O tratamento que combate o colesterol se baseia na reorganização dos hábitos alimentares e atividade física, porém, quando a alimentação e os exercícios não são suficientes, é necessária a administração de medicamentos. Mas só um médico pode avaliar se o paciente tem necessidade de remédio ou não.

7. Existem remédios para combater o colesterol
Sim. Além das medicações anteriormente conhecidas (chamadas de estatinas), há novidades na área, como medicamentos que agem sobre as duas fontes de colesterol: inibem sua síntese (no fígado) e sua absorção (no intestino). Esse novo padrão de tratamento permite reduzir de forma eficaz as taxas do colesterol ruim no sangue.

Envie seu Comentário