Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Comportamento"

Papo Lady: Que a bondade vença no final

16 de dezembro de 2013 0

nikofelix

Vendo as cenas fofas entre Niko (Thiago Fragoso) e Félix (Mateus Solano) em Amor à Vida, fico pensando: será que os sentimentos são contagiantes? Não seria legal se, por exemplo, a bondade do Niko contaminasse a maldade de Félix?

Niko é um dos caras mais legais da novela das nove, só faz o bem, mas perdeu quase tudo o que tinha. Foi traído pelo companheiro, Eron (Marcello Antony), com uma de suas melhores amigas, Amarilys (Danielle Winits). Por conta das maldades da médica, perdeu os filhos Fabrício e Jaiminho (Kayky Gonzaga). Não merece tanto sofrimento.

Quando Niko está com Félix, fica mais feliz. E o vilão, por outro lado, mostra uma faceta bem mais humana ao lado do dono de restaurante, e usa a sua visão de mundo, sem os filtros cor-de-rosa de Niko, para orientá-lo a ser menos ingênuo, a acreditar um pouco menos em tudo o que o dizem. Por tudo isso, os dois, atrevo-me a dizer, até formam um casal bem bonitinho.

Eu acredito na capacidade de transformação das pessoas, e acho que todo mundo pode evoluir de alguma maneira. Amar o outro pode ser o primeiro passo para tornar-se alguém melhor. Na novela e na vida real, a torcida sempre é para que o bem vença o mal. Que o Félix contamine-se com a bondade de Niko, e não vice-versa!  

Papo Lady: Felicidade em primeiro lugar

08 de dezembro de 2013 0

zoraida

Há alguns dias, fiz um caderno especial sobre Teixeirinha, para marcar os 28 anos de sua morte. Um trabalho incrível de se fazer, que me fez conhecer uma senhora que me concedeu uma das entrevistas mais interessantes de toda a reportagem.

Zoraida Lima Teixeira, 82 anos, foi casada com Teixeirinha durante 28 anos, até a morte do cantor, em 1985. Zoraida sabia dos casos extraconjugais do marido, especialmente de sua longa relação com a parceira de palco Mari Terezinha, mas nunca se deixou abalar. Dizia que, fora de casa, não se importava que ele levasse uma “vida de artista”, desde que, ao chegar, fosse um marido dedicado e um pai carinhoso. “Se estava em Porto Alegre, ele nunca dormiu fora de casa”, salientou a senhorinha.

Ela considera que teve um casamento muito feliz e ama Teixeirinha até hoje. Sente saudade dele e da rotina de cuidados que tinha com o marido.

Questionei se a sua postura de aceitar as puladas de cerca do marido não era criticada na época. Ao que, com toda a sabedoria, Zoraida respondeu: “Até falavam, mas eu não ligava. Ninguém ia me dar a minha felicidade se não fosse com ele. De mim, nunca ninguém o tomou”.

Zoraida aprendeu ainda jovem uma lição importantíssima. Na busca da nossa felicidade, não devemos dar tanta importância à opinião dos outros. Ela foi feliz assim, e quem somos nós para criticar as suas escolhas? Será que os criticaram a fariam feliz, se ela mudasse suas atitudes? Fica a dica!    

Papo Lady: Confiança é tudo

01 de dezembro de 2013 1

dupla

Tento não repetir assuntos nesta coluna, mas, por certas vezes, não tenho como evitar comentar certos comportamentos a que assisto nas novelas da vida. E, mais uma vez, Paloma (Paolla Oliveira), de Amor à Vida, honra o apelido que a deram nas gozações que pipocam pela internet: Pamonha.

Pois a Paloma/Pamonha, novamente, duvida da honestidade de Bruno (Malvino Salvador), sem dar a ele, no mínimo, a chance de defender-se. Primeiro, foi quando pensou que ele havia roubado Paulinha (Klara Castanho) quando era recém-nascida. Não se deu nem ao trabalho de esclarecer a situação, não falou nada para o pobre coitado e só ficou fazendo caras e bocas de sofrimento e desconfiança.

Depois, aquele flagra ridículo dele com a Aline (Vanessa Giácomo). A história era estranhíssima, só a Pamonha mesmo para cair, mas ela acreditou sem pestanejar e saiu de casa, desmanchando o casamento.

Não dá para ser tolinha, caindo em qualquer história que se ouve, mas a confiança é tudo em um relacionamento. Veja o exemplo da novela. O Bruno e a Paloma passaram por vários perrengues juntos, e o corretor de imóveis sempre esteve ao lado dela, pronto para ajudar e para apoiá-la. Lembram quando ele a tirou da clínica psiquiátrica?

Ele sempre mostrou-se como um homem íntegro e honesto. Será que alguém assim mudaria de comportamento de uma hora para outra, ou então, durante todo este tempo, estaria apenas fingindo? Ele merece, ao menos, uma chance de se explicar.

Cuide-se e mantenha o seu relacionamento

25 de novembro de 2013 0

TEXTOS E PRODUÇÃO ANAH FERRAZ
anahferraz@gmail.com

FOTOS LÍVIA STUMPF
livia.stumpf@diariogaucho.com.br

 

Quem não conhece ao menos um casal lindo e feliz que perdeu o brilho e a beleza depois que se casou? Muitos engordam e param de divertir-se. Provavelmente, foram engolidos pela acomodação do casamento, que é muito comum, mas pode acabar com qualquer relacionamento.
A psicóloga e terapeuta de casais Andréa Alves alerta que a rotina a dois pode ser uma delícia, mas precisa de inovação constante. Ter segurança do amor do outro é importante e muito bom. No entanto, não é motivo para descuidar da aparência ou perder a individualidade.
– Ele me ama, gosta de mim de qualquer jeito nem vai se incomodar que eu engordei 5kg. E talvez ele ou ela nem se incomodem mesmo, mas, ao longo do tempo, será que cada um vai gostar de si? – salienta a terapeuta, que traz algumas sugestões para não cair nessa armadilha que pode destruir a felicidade do casamento.

 

contra1

CUIDE-SE – Autoestima é fundamental em qualquer relação. Afinal, nada mais certo do que aquela máxima de que não é possível amar outra pessoa antes de amarmos a nós mesmos. Não é porque se casou que vai descuidar da aparência, não é mesmo? Também é um erro cuidar mais do outro do que da gente ou abandonar objetivos e sonhos em função de outra pessoa.

contra2

NAMORE – Reserve um tempo para namorar. Surpreender seu amor pode ser divertido e muito prazeroso. Vale usar a criatividade para quebrar a rotina fazendo uma massagem relaxante quando ele chega cansado do trabalho ou surpreendê-lo com alguma brincadeira erótica. Um programinha a dois fora de casa e até mesmo uma caminhada na rua podem renovar o ritmo diário para não cair no tédio ou enfrentar contas e problemas.

 

contra3

MANTENHA – Com o tempo, a chama da paixão passa e o que fica é o amor. Ter projetos juntos, valorizar e  ouvir seu amado são formas de carinho que precisam ser alimentadas constantemente. Escute o que ele tem a dizer e demonstre quando ele fizer algo que gostou para manter a sintonia do amor.

 

contra4

LEMBRE – Como era a pessoa pela qual seu amor se apaixonou? Vaidosa, cheirosa, boa profissional? Pois é essa mulher que ele quis casar e pode vir a não gostar mais dela, caso ela esqueça de si mesma. Não deixe de fazer as coisas que gosta e sempre valorizou em função do outro. Mantenha as amizades, os hábitos e tudo aquilo que lhe faz bem.

 

 

Modelos: Daniela Raupp e Jonathas Moraes, Agência Joy Models, Rua Félix da Cunha, 768/307
Cabelos e maquiagem: Marnem Silon e unhas de Jussara Ferreira Kabeças Coiffeur, Avenida Getúlio Vargas, 191

 

Papo Lady: Onde está a felicidade?

10 de novembro de 2013 0

onde

Repercutiu bastante nas redes sociais, recentemente, o vídeo de uma entrevista que o professor da Universidade de São Paulo Clóvis de Barros Filho dá a Jô Soares sobre a felicidade. O simpático mestre lança mão da filosofia para explicar, de maneira bem simples, o que seria este ideal: felicidade é aquele momento que, de tão perfeito, você gostaria que nunca acabasse, que se perpetuasse para sempre. Não tem necessariamente a ver com dinheiro, com o lugar onde você está ou com a roupa que está usando.

O tema está em alta, ainda, com a nova novela das sete, Além do Horizonte. Personagens como Paulinha (Christiana Ubach) e Marlon (Rodrigo Simas) largaram tudo para ir atrás da tal felicidade, como se ela fosse um local ou um tesouro escondido no meio da Floresta Amazônica.

Conheço pessoas assim, eternamente insatisfeitas. Vivem trocando de cidade, de empregos, de parceiros, mas mesmo assim sempre sentem que lhes falta algo. Incapazes de sentirem-se felizes, ficam comparando sua vida à de outras pessoas com mais dinheiro, ou mais bonitas, ou mais bem-sucedidas. Sentem pena de si mesmas, e gostam de despertar pena nos outros.  

Só que a felicidade não está em outro lugar: é mais fácil encontrá-la dentro da gente e na companhia de quem realmente importa. Preste atenção, encare a vida de uma maneira diferente, evite sentir-se o coitadinho e valorize os seus momentos especiais, não importa onde esteja! 

Armas de sedução para qualquer lady ficar sexy

08 de novembro de 2013 0

marylin

Você tem sex appeal? Não é a roupa que veste que vai revelar o grau de atração que exerce, mas sim o seu jeito de ser. No entanto, uma ajudinha no visual sempre é bem-vinda e pode dar bons resultados.

Um dos detalhes que mais chama atenção dos homens são os decotes. Roupas justas e pernas à mostra também são infalíveis. Claro que, nessas horas, é preciso bom senso para não usar tudo de uma vez só. Ao invés de ficar sexy, cairá na vulgaridade. Até porque a sensualidade é sempre sutil, algo que insinua, mas não chama atenção de forma gritante.

Salto alto é outro atrativo que deixa qualquer mulher mais sexy, até de jeans e camiseta. Seu segredo é deixar as pernas mais torneadas e levantar o bumbum, além de transmitir elegância. O tipo de salto também é fundamental, já ele também é sinônimo de fetiche. Os modelos com muitas tiras ou as sandálias abotinadas são as mais sexies!

Outras ferramentas de sedução podem ser a maquiagem ou o cabelo. Lógico que tudo depende do perfil e, principalmente, do comportamento. Aliás, a sensualidade reside muito mais na essência das pessoas que na aparência, apesar dela sempre poder dar uma ajudinha.

Anah Ferraz – Especializada em Moda, Mercado e Comunicação – PUC/RS

Papo Lady: Beleza não é tudo

27 de outubro de 2013 1

grazi

Já vi pessoalmente Grazi Massafera, e posso afirmar que foi uma das artistas mais lindas que já entrevistei. Cabelos maravilhosos, olhos verdes, sorriso lindo e corpo perfeito. E, no entanto, tomando por base tudo o que foi publicado ultimamente, seu marido, Cauã Reymond, a teria trocado por outra mulher. O final do relacionamento entre os globais rendeu até um comentário de uma colega: “se está difícil para a Grazi, que é linda daquele jeito, imagina para as outras!”.

Verdade seja dita, o momento que a beleza importa mais é no início do relacionamento. Aquela coisa do amor à primeira vista, de chamar a atenção, do admirar, achar lindo… Claro que é importante cultivar a vaidade, manter a autoestima em alta, estar bonita e desejável para o parceiro, mas chega uma hora em que, para manter o relacionamento, só a beleza não sustenta.

Daí, entram em cena a parceria, a atração física – que nem sempre tem a ver com ser bonito ou feio –, a amizade, e, é claro, o amor. Agora, nem estou falando da Grazi, que por sinal me pareceu uma pessoa muito gente-boa, mas imagina conviver o tempo inteiro com alguém muito bonito, mas com o qual não dá nem para manter uma conversa legal, ou então cheio de manias e chato ao extremo. Aí, não tem beleza que sustente! 

Papo Lady: Trabalho virou castigo

20 de outubro de 2013 0

novela

A novela das sete, Sangue Bom, tem seus méritos, mas não sei de onde que os autores da trama, Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, inventaram que trabalhar é humilhação, castigo para os personagens.

Primeiro, foi Fabinho (Humberto Carrão), que trabalhou como balconista de uma padaria, sendo esculachado por Amora (Sophie Charlotte). Ela tanto o incomodou com pedidos ridículos, que ele estourou e a agrediu em pleno estabelecimento, acabando demitindo.

Agora, a mesma Amora aparece “sofrendo” porque conseguiu um emprego como vendedora em uma loja de sapatos. Usando uniforme e em uma bonita loja de shopping, a ex-it girl circula com uma cara de coitada, como se estivesse passando pelo pior momento de sua existência. Para completar, Camilinha (Thaila Ayala) a vê na loja e diz que a garota “chegou ao fundo do poço”.

Só um momentinho: quando foi que trabalhar honestamente virou motivo de vergonha? Chega a ser um desaforo com os milhões de trabalhadores que fazem o nosso Brasil funcionar. Vendedores, professores, cozinheiros, médicos, garis ou advogados, todas as profissões são igualmente importantes na engrenagem da sociedade. Nenhuma é melhor que a outra, todas são fundamentais para o bom funcionamento da cidade, do Estado, do país. Seja qual for o seu trabalho, se for honesto, orgulhe-se dele!

Papo Lady: Nem vilão, nem mocinho

13 de outubro de 2013 0

humbert

Tenho adoração pela série Game of Thrones, que passa no canal por assinatura HBO, e um dos motivos é o fato de a trama não ter uma separação definida entre os vilões e os mocinhos. No jogo dos tronos, cada um luta com as suas armas para conquistar o poder e proteger a família. Isto também me fascina no personagem Fabinho, tão bem interpretado por Humberto Carrão em Sangue Bom.

Ele começou a novela das sete bem malvado, fazendo o estilo rebelde total. Sacaneou pessoas que confiaram nele e procurou crescer a qualquer custo. Com o tempo, porém, as suas atitudes foram mudando, e hoje ele batalha para mostrar que é um cara legal. Conquistou até uma namorada, a querida Giane (Isabelle Drummond), e mostra que quer se redimir. Enquanto isso, Amora (Sophie Charlotte), que no início era apenas uma menina um tanto mimada, agora está aprontando todas.

Salvo raríssimas exceções, ninguém é tão bandido ou tão mocinho o tempo inteiro. Escrevo isso porque, às vezes, condenamos as atitudes de determinadas pessoas, como se elas fossem obrigadas a serem boazinhas sempre, a nunca errar. Quando gostamos de alguém, e queremos conviver com esta pessoa, temos que abraçar e entender, também, os seus defeitos. Compreender que ninguém é perfeito. Afinal, cada um de nós erra ou é mau de vez em quando!

Gordinha sim, com muito orgulho!

26 de setembro de 2013 2
Foto: Carlos Macedo

Foto: Carlos Macedo

 

Eleita no final de semana passado em concurso realizado na Capital, a Miss Plus Size Rio Grande do Sul 2014 chegou para quebrar paradigmas. A advogada Ariane Plangg, de Sapiranga, tem 38 anos, é casada, tem dois filhos e não está nem aí para emagrecer. Com 1,61m e 93kg, orgulha-se da harmonia de suas medidas: 128cm de busto, 106cm de cintura e 128cm de quadril. Confira um bate-papo com a miss:

 

Lady: Como você soube do concurso?
Ariane Plangg: Vi em uma reportagem de jornal as misses de Campo Bom e de Novo Hamburgo. Meu sobrinho disse que iria me inscrever para representar Sapiranga. Entrei meio na brincadeira, mas me interessei pelo objetivo do concurso.

Lady: Que objetivo?
Ariane: Sempre fui gordinha, mas feliz e realizada com o meu corpo. Sempre usei as roupas que quis e fui autoconfiante. Achei que, no concurso, poderia mostrar que a mulher gordinha não é infeliz. É gordinha porque se aceita como é, não porque não consegue emagrecer.

Lady: Alguma vez, você tentou emagrecer?
Ariane: Ser gordinha nunca foi problema. Fui uma vez ao Vigilantes do Peso e, na primeira entrevista, senti o direcionamento de que era necessário não te gostar como tu eras. Daí, vi que estava no lugar errado. Sempre me olhei no espelho, me achei bonita e tive segurança para entrar em qualquer lugar.

Lady: Quando o teu segredo para vencer o concurso?
Ariane: Acho que a minha segurança, a minha tranquilidade, que transpareceu para os jurados. Também fui bem na pergunta, na qual tive que opinar sobre os manifestos ocorridos no Brasil.

Lady: Como será a preparação para o Miss Brasil?
Ariane: Estou focada nas massagens e na academia. Também estou fazendo aqueles exercícios em plataforma vibratória. Quero retomar as aulas de inglês, vai que eu ganho o concurso? A Miss Brasil precisa ser fluente em inglês!

Lady: Quais as maiores dificuldades enfrentadas por uma gordinha?
Ariane: Comprar roupa é uma grande dificuldade. As pessoas têm a ideia que gorda tem que usar roupa de velha! Gosto de vestidos, decotes e estampados alegres. Devido a ser difícil achar, 80% das minhas roupas são feitas por costureira. Também parece que quem é gordinha tem que estar sempre provando para os outros que é feliz. Acham que eu sou frustrada, mas quem me conhece de verdade sabe que não!