clicRBS
Nova busca - outros

br-386

21 out09:51

Após protesto, trabalhadores do Polo Petroquímico liberam BR-386

Após cerca de meia hora de protesto, membros do Sindicato dos Trabalhadores das Empresas do Polo Petroquímico (Sindipolo) liberaram a passagem de veículos na BR-386, em Montenegro. A rodovia é a mais importante do Vale do Taquari e liga a região à Capital.

Por volta das 7h, a categoria havia bloqueado uma pista da rodovia, na altura do km 424, para reunir os trabalhadores que se deslocam de ônibus para o polo. Eles chegaram a impedir a passagem dos veículos que transportam cerca de 1,5 mil trabalhadores pela manhã com a finalidade de atrasar o início da jornada.

Neste momento, eles realizam uma assembleia em um posto de gasolina às margens da rodovia e o trânsito flui normalmente. A categoria quer 13,6% de reajuste, correspondente à inflação e ao dissidio do ano passado, mas a empresa ofereceu 7,8%.

A negociação foi aberta há mais de 30 dias.

Comente aqui
18 out12:17

Quadrilha rouba caminhão na BR-386 e polícia recupera duas horas depois

Um caminhão que ia de Porto Alegre a Carazinho foi roubado nesta madrugada na estrada que liga Estrela a Tabaí (BR-386). Quatro homens armados abordaram o motorista próximo ao acesso à cidade de Paverama.

Leia mais: Assaltantes disputam carga de caminhão na BR-386

O veículo foi localizado duas horas depois pela Polícia Rodoviária Federal em uma estrada vicinal a cerca de seis quilômetros do local do assalto. O motorista Antônio Morais dos Santos, de 54 anos, contou aos policiais que foi abordado por um carro de cor cinza. Ele foi rendido na cabine enquanto que os bandidos mexiam na carga. Depois, foi trancado no baú do caminhão.

Na terça-feira da semana passada, também na BR-386, um motorista ficou ferido após saltar do caminhão em que era feito refém por um assaltante, em Montenegro, no Vale do Caí. Marcondes da Silva Leal, 41 anos, carregava uma carga de polietileno no Polo Petroquímico. Ao passar pelo posto da PRF, a vítima se jogou do veículo em movimento.

Adão Vilmar Madril, responsável pela 4ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal, que fiscaliza o trecho de Canoas a Tio Hugo da BR-386, admite que os roubos de carga na rodovia são comuns. Ele diz, porém, que a média de crimes caiu de quatro por semana no início do ano para um por semana nos últimos três meses, depois de prisões realizadas pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) na região.

Comente aqui
15 out08:00

Dnit renova contrato de licenciamento ambiental da duplicação da BR-386

Ficou para a última hora, mas saiu. Em reunião de colegiado nesta sexta-feira, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) aprovou a renovação do termo de cooperação com a Universidade Federal de Santa Catarina, responsável pela gestão ambiental da duplicação da BR-386. Sem a assinatura do contrato, a obra corria o risco de parar.

O termo tem prazo previsto de 540 dias e valor de R$ 16,5 milhões. Com isto fica garantido o acompanhamento ambiental da obra até o final da obra.

Assim que a reitoria da UFSC assinar o documento, seu extrato será publicado no Diário Oficial da União.

O termo antigo, que era provisório e garantiu o início das obras, teve validade de 270 dias e valor de R$ 4,5 milhões.

O coordenador do projeto de licenciamento ambiental, Ariovaldo Bolzan, estima que a situação seja normalizada em até 10 dias. Ontem, ele viajou a Brasília para tratar do assunto.

O contrato vence nesta sexta-feira. Mesmo que a renovação ocorra depois do prazo, o Dnit garante que a obra continua em ritmo normal neste período, algo esperado também por lideranças do Vale do Taquari e pelas empresas que executam a duplicação. As empresas responsáveis pela obra, porém, podem parar os trabalhos caso a renovação do contrato não ocorra.

– Não queremos que a duplicação pare de jeito nenhum. O retorno, com remobilização de pessoal e de equipamentos, seria demorado – diz Nilto Scapin diretor da Conpasul, uma das empresas do consórcio que executa a obra.

Aldeia de índios pode ser outro complicador na duplicação

Dos 33,8 quilômetros a serem duplicados, 25 ainda não foram liberados pelos órgãos de preservação do governo federal. O caso mais complicado envolve 25 famílias de índios caingangues cuja aldeia fica próximo ao limite dos municípios de Estrela e Bom Retiro do Sul.

A liberação das obras na área depende de um acordo entre o Dnit e a Fundação Nacional do Índio (Funai). Além disso, 18 famílias que moram na margem da rodovia, em Estrela, precisam ser realocadas.

Saiba mais
- O trecho de 33,8 quilômetros da duplicação é um dos mais letais da malha rodoviária do Rio Grande do Sul.
- No local, a média diária de fluxo é de 10 mil veículos.
- A obra é reivindicada por moradores do Vale do Taquari há pelo menos uma década.
- A duplicação da rodovia está orçada em R$ 147,5 mil. A obra deverá desafogar o trânsito da rodovia Pelotas-Caxias do Sul (BR-116) e melhorar o escoamento de boa parte da produção agropecuária gaúcha.

Comente aqui

13 out15:18

Dnit discute licenciamento ambiental da BR-386

Está ocorrendo na tarde desta quinta-feira a reunião que vai definir a renovação ou não do contrato do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) com a entidade responsável pela gestão ambiental da BR-386. O consórcio responsável diz que vai parar a duplicação se isso não acontecer.

- Corremos o risco de esperar ainda mais pela obra por causa de um simples convênio – reclama o presidente da Comissão Pró-Duplicação da BR 386 e prefeito de Fazenda Vilanova, José Luis Cenci (PP).

Na semana passada, Cenci e outras lideranças da região se reuniram em Brasília com o diretor-geral do Dnit, general Jorge Ernesto Fraxe. O general garantiu que os R$ 42 milhões restantes para a obra estão reservados e que o contrato seria renovado ainda na semana passada. A reunião estava marcada para a última segunda, mas foi transferida.

Dos 33,8 quilômetros da obra, 25 ainda não foram liberados pelos órgãos de preservação do governo federal. Além da questão ambiental, precisa ser resolvida a remoção de uma aldeia de índios caingangues (foto) e de 18 famílias que moram na margem da rodovia, em Estrela.

Comente aqui
12 out14:03

Dnit ainda não renovou contrato de licenciamento ambiental da BR-386

Prometida para esta segunda-feira, a reunião que iria definir a renovação do contrato do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) com a entidade responsável pela gestão ambiental da obra ainda não aconteceu e também não foi remarcada. O consórcio responsável diz que vai parar a duplicação se isso não acontecer.

- Corremos o risco de esperar ainda mais pela obra por causa de um simples convênio – reclama o presidente da Comissão Pró-Duplicação da BR 386 e prefeito de Fazenda Vilanova, José Luis Cenci (PP).
Na semana passada, Cenci e outras lideranças da região se reuniram em Brasília com o diretor-geral do Dnit, general Jorge Ernesto Fraxe. O general garantiu que os R$ 42 milhões restantes para a obra estão reservados e que o contrato seria renovado ainda na semana passada.

Dos 33,8 quilômetros da obra, 25 ainda não foram liberados pelos órgãos de preservação do governo federal. Além da questão ambiental, precisa ser resolvida a remoção de uma aldeia de índios caingangues e de 18 famílias que moram na margem da rodovia, em Estrela.

O trecho de 33,8 quilômetros da duplicação é um dos mais letais da malha rodoviária do Rio Grande do Sul. No local, a média diária de tráfego é de 10 mil veículos. A Obra é reivindicada por moradores do Vale do Taquari há pelo menos uma década.
A duplicação da rodovia está orçada em R$ 147,5 mil. A obra deverá desafogar o tráfego da rodovia Pelotas-Caxias do Sul (BR-116) e melhorar o escoamento de boa parte da produção agropecuária gaúcha.

1 comentário
08 out09:55

Obra ameaçada: BR-386 espera assinatura

Zero Hora

Líderes doVale do Taquari e do setor de transportes estão receosos sobre a continuidade das obras de duplicação da BR-386 entre Tabaí a Estrela, noVale do Taquari. Questões burocráticas podem parar as máquinas que trabalham no trecho a partir da próxima semana.

O prazo para a renovação do termo de cooperação entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e a entidade responsável pela gestão ambiental da obra vence no dia 15. Até agora, porém, o órgão não encaminhou a assinatura de um novo contrato.A Conpasul, consórcio responsável,diz que vai parar a duplicação se isso não ocorrer .

Na semana passada, líderes da região se reuniram em Brasília como diretor-geral do Dnit, general Jorge Ernesto Fraxe. O general disse que os R$ 42 milhões restantes para a obra estão reservados e que o contrato seria renovado ainda na semana passada. Dos 33,8 quilômetros da obra,25 ainda não foram liberados pelos órgãos de preservação. Além da questão ambiental, precisa ser resolvida a remoção de uma aldeia de índios caingangues e de 18 famílias que moram às margens da rodovia, em Estrela.

– Confesso que estou muito apreensivo. Só não estou surpreso porque não é a primeira vez que a situação parece resolvida mas está estagnada – diz o prefeito de Estrela, Celso Brönstrup.

Presidente da Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), o prefeito de Westfália, Sérgio Marasca também critica a situação, mas acredita que a obra vai ser concluída até antes do prazo previsto,de três anos. Já o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística no Estado do Rio Grande do Sul (Setcergs), José Carlos Silvano, lembrou que uma possível paralisação pode inflar o custo da duplicação:

–Quando uma obra é iniciada, os órgãos públicos precisam ter condições de continuá-la até o fim.

O Dnit informou que a renovação do T ermo de Cooperação com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), responsável pela gestão ambiental, vai ser avaliada em reunião de diretoria na próxima segunda-feira, dia 10.

Comente aqui
30 set12:00

Guinchos retiram caminhão tombado na BR-386

;

Cícero Copello, RBS TV

A pista da BR-386, principal rodovia da região, precisou ser bloqueada para a retirada de um veículo que tombou ontem na cidade de Marques de Souza.

O caminhão tanque tombou carregado de matéria-prima para produção de doces, no sentido interior-capital. Três guinchos foram utilizados para retirar a carreta, com placas de Flores da Cunha, do acostamento do quilômetro 332.

A BR-386 precisou ser bloqueada no local por cerca de uma hora causando congestionamento de quase quatro quilômetros nos dois sentidos.

O motorista do caminhão, que não ficou ferido, teria perdido o controle da direção na curva, segundo a Polícia Rodoviária Federal.

;


Comente aqui
29 set09:09

Após acidente em Canoas, limpeza de pista causa lentidão na BR-386

;

A operação para retirar a soja que se espalhou pela pista após um acidente entre três caminhões na BR-386, em Canoas, causa bloqueios alternados na altura do Km 445 e deixa o trânsito lento no local. Pouco antes de 8h30min, três das quatro pistas já haviam sido liberadas para o tráfego — duas no sentido interior-Capital e uma no sentido contrário.

Rotas alternativas

Para quem segue de Esteio rumo à Capital, a alternativa é utilizar a Avenida Berto Círio, depois pegar a Guilherme Schell e entrar na BR-386, já no km 441, próximo a Nova Santa Rita.

Já para os motoristas que saem de Porto Alegre em direção ao Interior, é preciso seguir adiante pela BR-116 e fazer o retorno na região da Petrobras, para também acessar a Avenida Berto Círio.

Comente aqui
28 set14:55

Dnit garante continuidade da duplicação da BR-386

;

Rosane de Oliveira, Zero Hora

Em reunião com o diretor-geral do Dnit, general Jorge Ernesto Fraxe, ontem, o deputado Jerônimo Goergen (PP) e líderes do Vale do Taquari receberam a garantia de que não faltará dinheiro para a duplicação da BR-386, entre Tabaí e Estrela.

Dos R$ 74 milhões previstos no orçamento deste ano, ainda faltam R$ 42 milhões, que o general prometeu liberar até 31 de dezembro.

Fraxe também autorizou a desapropriação de uma área para alojar as 15 famílias de índios que impedem as obras em um trecho de nove quilômetros, e encaminhou a renovação do contrato de gestão ambiental com a Universidade Federal de Santa Catarina, que vencia no dia 10 de outubro.

- O mais importante é que não há risco da obra parar – disse o presidente da comissão pró-duplicação, José Cenci, prefeito de Fazenda Vilanova.

Comente aqui
26 set10:48

PRF flagra 11 motoristas embriagados em Lajeado

;

Na noite de domingo, policiais rodoviários federais flagraram 13 condutores dirigindo embriagados na BR-386.

Dois casos foram registrados em Soledade e Montenegro e onze em Lajeado. Dos treze motoristas autuados, quatro foram presos.

Todos autuados receberão multa de natureza gravíssima, no valor de R$ 957,60, por terem conduzido veículo automotor embriagados, tiveram suas CNHs recolhidas e terão seus direitos de dirigir suspensos por um ano, passarão por reciclagem para poder voltar a guiar veículos automotores. Já os presos também responderão processo criminal por embriaguez.

Somente neste final de semana, de sexta-feira a domingo, a PRF constatou 18 casos de alcoolemia em condutores na BR-386.

A Polícia Rodoviária Federal informa que novas ações do gênero serão executadas ainda nesta semana.

1 comentário