clicRBS
Nova busca - outros

drogas

06 out18:39

Prefeitura quer revitalizar Rua Oswaldo Aranha

Comente aqui

15 jul17:47

Ex-comparsa de Seco preso por tráfico em Lajeado

Um ex-integrante da quadrilha de José Carlos dos Santos, o Seco, responsável por ataques a banco e carros-fortes no Estado, foi preso na quinta-feira em Lajeado.

Júnior César Nascimento dos Santos, de 33 anos, cumpria pena em regime semi-aberto no presídio da cidade. Ele conseguiu o benefício porque comprovou que trabalhava em uma empresa de transportes. No entanto, foi flagrado pela Polícia Civil dormindo em sua casa, no bairro Montanha, às 11h da manhã.

Santos, que é natural de Lajeado, foi condenado a 39 anos de prisão por ter participado ao ataque a um carro-forte em São Francisco de Paula, em 2003.

Ele foi indiciado pelo delegado de Bom Retiro do Sul, Rodrigo Reis, por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Conforme uma investigação da Polícia Civil da cidade, Santos fazia a distribuição de cocaína e crack para traficantes do Vale do Taquari.

No início deste mês, outro integrante da quadrilha de Seco, Paulo Jussemar Landin, 33 anos, foi capturado no bairro Olarias, em Lajeado. Conforme a polícia, Landin era o armeiro do bando.

Comente aqui
14 jul10:39

Polícia prende dois por tráfico no Conservas

Dois homens foram presos no final da noite de ontem no bairro Conservas. Eles foram flagrados pela polícia com 10 gramas de cocaína e R$ 1200 em uma casa próximo ao Rio Taquari.

O mandato de busca no local foi emitido pela Justiça de Estrela depois de uma investigação da Polícia Civil de Bom Retiro do Sul.

Durante o flagrante, 10 pessoas foram até o local para comprar drogas. Todos foram levados à delegacia.

1 comentário
08 jul12:49

Homem preso por tráfico em área da prefeitura

Um homem de 25 anos foi preso por tráfico de drogas no campo de futebol do bairro Conservas, ontem à tarde. Ele trabalhava cuidando do local para a prefeitura em troca do direito de morar lá.

O campo fica na Rua Nossa Senhora da Conceição. Em um esconderijo próximo, foram encontrados 60 gramas de maconha, uma balança de precisão e dinheiro.

O rapaz admitiu que comercializava o produto no lugar, onde morava há cerca de um ano.

1 comentário
04 jul11:08

Central reabre hoje com nova diretoria

Fechada no início deste mês, o Centro Terapêutico de Tratamento do Alcoolismo (Central) reabre nesta segunda-feira. Com nova diretoria, a clínica passou por reformas e também teve mudanças na forma de atendimento.

Para se adequar a legislação que obrigou o fechamento da clínica, o número de internos por quarto, que antes era de 12, foi reduzido a seis. A capacidade total de pacientes diminuiu de 120 para 90. Com a redução, o preço do tratamento vai de R$ 2 mil para R$ 3 mil.

O prédio recebeu nova pintura e foram comprados móveis roubas de cama. Um fumódramo – exigência da legislação – foi instalado.

A ala de desintoxicação, mais importante da clínica, foi ampliada. Agora, vão haver funcionários expecífico para o setor. Também foi contratado mais um médico, além do que já atuava nos tratamentos.

O novo presidente da Central, Adagildo Brizola, diz que se espantou com a burocracia no setor.

- É muita papelada, muita complicação. A gente pensa em salvar as pessoas mas parece que tem gente que só pensa em papel – critica ele.

Brizola é ex-interno da clínica e já participava de eventos e de palestras na Central há 14 anos. Ele diz que já há mais de 100 pessoas aguardado internação, vindas, inclusive, de outros Estado. Como a nova estrutura ainda não está completa, inicialmente serão aceitos apenas homens.

Uma referência na região dos Vales, a Central foi criada há 25 anos e já tratou mais de 16.000 pacientes. Atualmente, o local atende 70 internos e tem 20 funcionários, que estão preocupados com o rumo que situação pode tomar.

O fechamento da clínica causou comoção na comunidade local, tendo em vista o os altos índices de recuperação de pacientes que a casa sempre apresentou.

Comente aqui
30 jun17:43

Dia foi dia de conscientização de combate às drogas nas escolas

Para marcar o encerramento da Semana Gaúcha de Combate à Drogadição, as escolas municipais oportunizaram, nesta quinta-feira atividades de conscientização com seus alunos. Na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Lauro Mathias Müller, do bairro Planalto, os alunos de 3º ciclo tiveram uma palestra sobre o tema com a estudante de Psicologia da Univates, Cláudia Zagonel Bender.

- A proposta é trabalhar sobre a preservação da vida e proporcionar um momento de reflexão – explicou.

A palestrante ainda elaborou uma dinâmica com os estudantes, que ficaram responsáveis pela construção de um painel, onde escreveram palavras e colaram ilustrações que representassem vida.

As alunas Jéssica Lago e Maiara Silva Führ, 13 anos, gostaram da atividade.

- É bom para a gente refletir – disse Jéssica. – Essas palestras mostram qual caminho a gente deve seguir, saber o que é certo e o que é errado – completou Maiara.

A diretora da instituição de ensino, Isabel Becker Delving, informou que os alunos têm diversos momentos em que se debate sobre o tema, mas nesta ocasião em especial, os alunos puderam refletir somente nisso.

Ainda integrando a programação, na tarde de quarta-feira aconteceu o Fórum de Discussão sobre a vida e prevenção, que contou com a participação do psiquiatra e consultor de Enfrentamento à Drogadição, Rogério Lessa Horta, e do promotor de Justiça, Sérgio Diefenbach.

No evento, que ocorreu na plenária da Câmara de Vereadores, foi discutida a valorização da vida a partir da prevenção, bem como o aumento do uso de entorpecentes na sociedade. Rogério Horta reforçou a ideia de se trabalhar com limites.

- Prevenção é limite. O desafio é estabelecer estes limites individualmente, na família e na sociedade – afirmou.

Comente aqui
28 jun11:26

Revista apreende celulares, armas e drogas no presídio

A Susepe e a Brigada Militar realizaram revista nas celas do presídio de Lajeado nesta terça. O resultado foi a apreensão de celulares, armas e drogas.

A operação iniciou ainda na madrugada e contou com 50 policiais militares e 115 agentes da Susepe. As duas galerias do presídio e os 499 presos – de regime aberto e semi-aberto – foram revistados.

No total, a polícia encontrou 9 facas artesanais, 19 celulares, 38 pedras de crack e uma pedra de maconha. Baterias, carregadores, chips, serras de cortar ferro e até uma chave mista também foram recolhidos.

No início do ano, revista semelhante recolheu 24 celulares e uma quantidade maior de armas e drogas.

- Estamos satisfeitos. O resultado mostrou que a segurança aumentou – diz o administrador do presídio, Luis Fernando Ferreira.

1 comentário
27 jun11:37

Conselho de entorpecentes promove passeata nas ruas do Centro

Começou hoje a Semana Gaúcha de Combate ao Uso de Drogas. Em Lajeado, mais de quinhentas pessoas participaram de uma caminhada organizada pelo Conselho Municipal de Entorpecentes (Comen).

Crianças e adultos confeccionaram faixas e cartazes com mensagens de apoio à mobilização pela vida. O objetivo foi a conscientização contra o uso de drogas.

Hoje no município, segundo o Comen, mais de duas mil pessoas são usuárias de entorpecentes. A caminhada seguiu pela rua Júlio de Castilhos até a avenida Senador Alberto Pasqualini.

Comente aqui
02 jun17:36

Associação pró-segurança e Chega de Violência atuarão em conjunto

A unidade do Instituto Chega de Violência sediada em Lajeado deverá passar a integrar, assim como outras entidades, a Associação Lajeadense Pró-Segurança Pública (Alsepro). Esta foi uma das principais decisões tomadas pela diretoria da associação na reunião mensal realizada nesta quinta.

A organização não-governamental presidida por Lia Bertóglio deverá se tornar um departamento da Alsepro, que já agrega, em forma de parcerias, o Conselho da Comunidade de Assistência ao Preso de Lajeado e a Fundação Thiago Gonzaga. As integrações, que tornarão a associação mais forte e com maior abrangência, deve ser oficializada a partir de alteração em seu estatuto.

Para o presidente da associação, o empresário Ito Lanius, a nova estrutura potencializará as ações da Alsepro.

- Já estávamos trabalhando de forma conjunta, mas agora será oficializado. Teremos ainda a participação de outras entidades em ações preventivas – destaca. – É um fortalecimento, não uma diminuição.

Lia Bertóglio observa:

- Queremos trabalhar junto com a Alsepro, que já nos auxilia com o pagamento de um professor de música que dá aulas para carentes. Não precisamos ser entidades separadas tendo o mesmo objetivo. O Chega de Violência tem credibilidade e andará em conjunto com uma associação que está muito bem estruturada. É um movimento de integração social.

Investimentos

A reunião contou com a participação do monitor da ONG “Drogas, Tô Fora”, Jerri Adriani da Silva Mota. Ele apresentou um dos objetos produzidos pela entidade – um tabuleiro de xadrez, o principal produto feito artesanalmente na marcenaria mantida pela própria Alsepro e pelo Conselho da Comunidade.

A ONG é integrada por ex-dependentes químicos. Os tabuleiros estão sendo entregues a lideranças regionais e estaduais como forma de divulgação, mas são vendidos a R$ 150 na sede da ONG, na Rua Bento Rosa, Bairro Hidráulica, ou através de contato pelo telefone 9812-6386.

Entre os temas discutidos no encontro estiveram o apoio ao Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), na 1ª Companhia do 22º Batalhão de Polícia Militar (BPM), de Lajeado, e a locação de uma máquina fotocopiadora para o BPM.

A Alsepro analisa ainda a instalação de um estacionamento pago no terreno localizado nos fundos da Delegacia de Polícia de Lajeado. O estacionamento, localizado no Centro, funcionaria em horário comercial com opções de uso diário, pernoites e mensal. Em relação à Polícia Civil, também se discutiu as obras de ampliação do prédio.

Comente aqui
30 mai15:54

Audiência pública vai discutir a situação da Central

Ocorre hoje à noite na Câmara de Vereadores uma audiência pública para discutir a situação da Centro Terapêutico de Tratamento do Alcoolismo (Central). O objetivo é buscar uma alternativa ao fechamento da clínica. Entidades do Judiciário, de segurança e lideranças políticas devem participar.

Leia mais: Presidente da Central culpa legislação pelo fechamento da clínica

A audiência está marcada para às 19h30min. Ela será comandada pelo vereador Sérgio Kniphoff, presidente da Comissão de Saúde Educação e Meio Ambiente da Câmara de Vereadores.

- A Central não pode fechar, e a comunidade precisa se mobilizar, tanto para entender o problema, como para manter os atendimentos – diz Kniphoff.

Fundador e administrador do local há 25 anos, o empresário Roque Lopes diz que não foi convidado para a audiência.

- E se fosse eu não iria – diz ele.

“A única coisa que eu quero na vida”, afirma, “É que Central continue aberta”. No entanto, ele descarta qualquer possibilidade de continuar na administração da clínica.

- Isso é definitivo. Quem forçou o fechamento agora tem que ir atrás para viabilizar que os tratamentos continuem – diz ele.

Logo que o fechamento da Central foi anunciado, um grupo se reuniu com o Ministério Público e anunciou que pretende continuar os atendimentos na clinica.

Comente aqui