clicRBS
Nova busca - outros

solidariedade

27 out16:03

Organizadores de gincana entregam doações

Gustavo Freitas dos Santos, leitor-repórter

A Comissão Organizadora do Rali Antônio Fialho de Vargas esteve visitando, hoje pela manhã, o Lar da Menina, instituição beneficente localizada no Bairro Conservas.

No local, foram entregues os alimentos não-perecíveis arrecadados pelas equipes (aproximadamente 100 kg na segunda edição do Rali Antônio Fialho de Vargas, realizado em agosto desse ano.

O Centro Nora Oderich atende 129 meninas, provenientes dos bairros Jardim do Cedro, Santo Antônio e Conservas, com idade de 2 a 15 anos, em dois programas: Educação Infantil e Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.  As crianças de 2 a 6 anos permanecem em período integral, conforme necessidade.  As demais, acima de 6 anos, frequentam a escola em período oposto ao do Lar.

Todo trabalho é desenvolvido através de projetos, priorizando sempre a Educação para a Vida.  São oferecidas oficinas diariamente para as crianças, tais como artesanato, informática, música, educação física, dança e culinária. Todas em um cronograma pré-determinado. Uma das grandes parcerias do projeto é a Prefeitura Municipal, além do Rotary Club Lajeado e pessoas da comunidade.

Ainda durante a visita, a Comissão Organizadora aproveitou para conhecer o ambiente e os arredores da instituição, revelando, ainda, que as proximidades podem ser importantes em acontecimentos futuros.

A Terceira edição do Rali Antônio Fialho de Vargas está marcada para Julho de 2012 e fará parte do calendário de eventos da Prefeitura Municipal de Lajeado.

Envie sua notícia para o site

1 comentário
27 out11:51

Atividades marcam inicio do Centro de Convivência do Idoso

A primeira semana de funcionamento do Centro de Convivência do Idoso (CCI) foi marcada por diversas atividades. Na tarde desta quarta-feira, foi organizada uma roda de música com uma turma de seis idosos. A atividade foi ministrada pelo orientador social Glauco Rodrigues, que atua no Projovem, e proporcionou a troca de experiências entre os participantes, muita música e descontração.

A assistente social referência do idoso, Brunhilde Elisabeth Schmidt, considera este um momento de integração.

- Quando possível, vamos mesclar pessoas de todas as idades em encontros como este, seguindo nosso objetivo de criar aqui uma verdadeira família – explicou.

Para a participante Maria Cecília Ceccon, moradora do bairro Centenário, toda a programação agrega conhecimento.

- Aqui a gente trabalha pra gente mesmo, fazendo tricô, costura, crochê, pintura em madeira ou em tecido. Ganhei muito mais do que eu esperava participando disso tudo – afirmou.

Já na última terça-feira, o CCI promoveu uma programação que se estendeu durante toda a tarde. Habilidades manuais, como tricô, crochê e pintura tornaram o dia mais proveitoso para sete idosos do município. As atividades ficaram a cargo das professoras Liz Helena Storck e Marlise Becker, ministrando práticas de pintura em madeira e tricô e crochê, respectivamente. Na próxima quinta-feira, dia 27, a partir das 14h, serão desenvolvidas atividades lúdicas com jogos.

O Centro de Convivência do Idoso é vinculado à Secretaria do Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sthas) e funciona de segundas a quintas-feiras, das 8h às 11h30min e das 13h30min às 16h45min, promovendo a acolhida, atividades de recreação, oficinas de artesanato, tricô, crochê, jogos e coral.

Os 119,21 metros quadrados de área construída estão distribuídos em uma sala para a atuação dos profissionais, duas salas para os atendimentos e um jardim de inverno. A capacidade do CCI é de 50 idosos por atendimento, somando até 400 semanalmente. Serão atendidos, prioritariamente, idosos do município com o perfil do programa Cadastro Único, ou seja, que possuam renda mensal de até três salários mínimos por família.

Comente aqui
26 out15:31

Você conhece essa pessoa?

No dia 18 deste mês, a Polícia Civil de Lajeado levou para o abrigo São Chico, no bairro Florestal, um rapaz que vagava pelas ruas da cidade. Até hoje, quase 10 dias depois, ele ainda não foi identificado.

O rapaz aparentemente entende perguntas, mas só responde com gestos.

- Ele só fala sim ou não, e ainda eventualmente. Possivelmente possui algum transtorno mental – diz a psicóloga Rochelle Rocha Lamas, que trabalha no abrigo.

A impressão digital dele não foi reconhecida no banco de dados da Secretaria de Segurança Pública e ele também não portava nenhum documento de identificação.

Informações sobre a identidade do rapaz podem ser passadas pelo telefone (51) 3726-3665 ou pelo email abrigosaochico@gmail.com.

Comente aqui
17 out11:48

Abaquar comemora Dia das Crianças

A ONG Abaquar comemorou o Dia da Criança com uma festa no último sábado. A organização, que fica no bairro Santo Antônio, atende crianças carentes com refeições, atividades culturais e esportivas.

Leia o relato de Ana Paula Weber, que participou do evento:

A festa estava marcada para as 8h, mas pouco depois das 7h as crianças já rodeavam a casa, espreitando os movimentos que aconteciam por ali. Tivemos mágico, teatro, artes circenses, pintura de rosto, roda de música, pula-pula, cama elástica. No meio de tudo isso um lanche para repor as energias, e um presente para cada criança para fechar a festa com chave de ouro.

Todas as atividades, comes e bebes e brinquedos foram contribuição de voluntários e amigos do Abaquar, e foi isso que fez a festa tão bonita: um pouquinho de cada um resultou em uma grande alegria no dia dessas crianças.

Veja mais fotos


Comente aqui
15 out08:25

Maria do Rosário palestra na Univates

A Univates promoveu nesta sexta-feira, dia 14, palestra com a Ministra da Secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário Nunes. O evento abordou o tema “As Diversidades e o Plano Nacional dos Direitos Humanos” e discutiu questões, encaminhamentos e formas de participação da Construção do Plano Nacional de Direitos Humanos.

No início da palestra, Maria do Rosário falou sobre a importância da discussão na universidade, lugar onde podemos perceber diferentes olhares.

-O objetivo de estar tratando de Direitos Humanos neste lugar é dizer que podemos construir uma história desses direitos como uma perspectiva real e viva – ressaltou.

Para ela, somos parte da mesma humanidade.

A Ministra salientou que a Declaração Universal dos Direitos Humanos, instituída no ano de 1948, continua atual.

- Para o Brasil e para o mundo, a titularidade dos Direitos Humanos é a própria condição humana, que não está associada a etnias e a classes sociais – explicou. Para Maria do Rosário, a atitude solidária que muitas pessoas desenvolvem em suas comunidades é uma atitude que pode contribuir para o Brasil.

- Temos que entender que a violência não é natural –  completou.

Comente aqui
12 out11:30

Rotary promove Dia do Cachorro Quente

Integrantes do Rotary Club Integração, de Lajeado, realizaram ontem o Dia do Cachorro Quente. No evento, foram servidos cachorros quentes e realizadas atividades para os alunos da Sociedade Lajeadense de Auxílo aos Necessitados (Slan), do bairro Santo Antônio.

Realizado anualmente, o evento teve apresentação de mágica e brincadeiras. Um momento especial para homenagear o Dia das Crianças.

- É um momento marcante e contagiante, que emociona a todos para alegria e simplicidade das crianças – resume Ralf Werner Kirchheim, integrante do Rotary.

Comente aqui
06 out14:04

Maria do Rosário palestrará na Univates

A ministra da Secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário Bueno, estará na Univates, dia 14 de outubro, palestrando sobre o tema “As Diversidades e o Plano Nacional dos Direitos Humanos”. O evento ocorre no auditório do Prédio 7, com início às 19h30min, e tem entrada franca.

A promoção é da Univates e do Centro de Ciências Humanas e Jurídicas da Instituição. Mais informações pelo fone 0800 7 07 08 09.

Comente aqui
05 out11:03

Língua de sinais ganha adeptos em Teutônia

A prefeitura de Teutônia promove o projeto de difusão e expansão da Língua Brasileira de Sinais (Libras), através de aulas oferecidas em duas escolas municipais, na própria Prefeitura e na Certel, mediante parceria entre ambas para a inclusão dos deficientes auditivos na cooperativa.

O projeto tem por objetivo proporcionar à comunidade em geral o aprendizado da Língua Brasileira de Sinais, para, assim, facilitar a comunicação de todos, entre todos. Além disto, o Curso de Libras deseja incluir os portadores de deficiências auditivas nos mais variados campos da sociedade, tal como criar uma Associação de Surdos, para que possam compartilhar vivências e histórias de vida.

O Curso de Libras é realizado em quatro bairros do município: nas escolas municipais Teobaldo Closs, no bairro Canabarro aos sábados pela manhã, e Leopoldo Klepker, em terças-feiras pela manhã e sextas-feiras à tarde, no Bairro Alesgut. Há também uma turma na Prefeitura de Teutônia, em quintas-feiras, após o expediente, e outra na Certel em sextas-feiras pela manhã.

Na escola do Bairro Alesgut, o curso é voltado para os alunos ouvintes e surdos e comunidade escolar. Em Canabarro, as aulas são direcionadas à comunidade, aos pais e professores.

- Aprendemos Inglês e Espanhol para nos comunicarmos com estrangeiros, então, porque não aprendermos a nos comunicar com as pessoas que vivem em nossa comunidade, pois o mundo em que vivemos é de surdos e ouvintes – destaca a professora de surdos, Marisa Brandão Leuchtenberger.

Ela salienta o apoio que a Administração Municipal está dando a este projeto de inclusão, especialmente o projeto de Libras, permitindo a difusão a todas as pessoas interessadas neste aprendizado que é fundamental para uma boa comunicação e inserção destes sujeitos surdos na comunidade teutoniense.

A secretária municipal de Educação, Inara Marli Krüger Böhmer, está satisfeita com a participação da comunidade teutoniense neste projeto, “que evidencia uma maturidade educacional das pessoas frente à inserção das pessoas com necessidades especiais na sociedade”.

Comente aqui
02 out16:08

Associação entrega lençóis ao hospital de Taquari


;

Aldo Gregory, leitor-repórter

A Associação dos Amigos do Hospital de Taquari, entidade criada a um ano e meio, vem, desenvolvendo diversas ações em nossa comunidade para auxiliar a entidade mantenedora de nosso Hospital de Taquari.

Uma delas foi a entrega de 140 conjuntos de lençóis ao ISEV. Esta ação foi fruto da arrecadação de recursos através de bingo realizado em dezembro de 2010 e almoço em março deste ano.

Isto deve-se ao empenho de toda a diretoria da Associação, entidades locais e principalmente da participação de nossa Comunidade nos eventos realizados pela Associação.

Os lençóis são de ótima qualidade, personalizados com o nome da Associação dos Amigos do Hospital e com certeza o cidadão de Taquari, quando necessitar utilizar o nosso Hospital, estará bem acolhido nos leitos daquela instituição.

Comente aqui
29 set15:35

Desalojados na enchente continuam em abrigo

;;

A casa de Graziela da Cruz, de 32 anos, é uma área com 10 metros quadrados e paredes de lençol. Ela, o marido e os cinco filhos compõem uma das 13 famílias abrigadas no subsolo do Ginásio Paroquial de Lajeado, no Vale do Taquari, desde a enchente que atingiu a região no início de agosto.

– A gente se ajuda bastante, emprestamos coisas. Mas fica cada um no seu quadrado, como naquela música – contou Graziela.

A vizinha Ronise Maria Grossi e a filha adolescente dormem no mesmo espaço com uma amiga, que tem mais quatro filhos. Ontem à tarde, elas faziam uma faxina no abrigo. Os trabalhos e até as máquinas de lavar roupa são divididos entre todos. Não podia ser diferente: o local tem só uma pia e um banheiro.

Ronise morava em casa alugada. Mesmo assim, ela diz que não pode ir para outro local. Pagava R$ 250 por mês pela locação, justamente por ser uma área alagável. Em outro bairro da cidade, imóvel parecido sai pelo dobro do preço. Maria Isabel da Silva queria resolver a situação trabalhando, mas seu carrinho de pipocas está escorado em um canto do salão.

– A prefeitura não me dá alvará porque não tenho endereço fixo – explica.

No Vale do Caí, municípios se mobilizam por soluções

No total, a Defesa Civil condenou 27 casas no Vale do Taquari. Algumas ficavam em área de risco e outras não podem mais ser usadas porque correm risco de cair. Arroio do Meio, Encantado e Estrela também tiveram famílias desalojadas, mas só em Lajeado elas continuam em abrigo.

A prefeitura quer implantar um projeto de aluguel social para os desalojados. A proposta é que o município pague por uma casa até que as famílias sejam removidas definitivamente. O novo endereço deve ter o terreno bancado pela prefeitura. A construção vai ser financiada pelo programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal

– O problema é a burocracia, que tranca tudo – reclama o coordenador da Defesa Civil, Luis Felipe Finkler.

1 comentário