Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Praias de Penha ficam sem chuveiros até domingo

30 de dezembro de 2009 2

Crianças são as que mais usam os chuveiros golfinho de Penha/Felipe Bieging/Prefeitura de Penha

Os chuveiros golfinho das praias de Penha ficarão desligados até domingo para amenizar a falta de água no município.

Segundo o prefeito de Penha, Evandro Eredes do Navegantes, a medida foi tomada para não agravar a falta de água no município, que vem ocorrendo desde a última sexta-feira. Para ele, a palavra chave neste final de ano é economia.

A decisão seguiu orientação da Casan que, na madrugada, foi obrigada a cortar o abastecimento de água no Centro para evitar a falta nos bairros Praia Grande e São Miguel.

De acordo com números do escritório local da Casan o consumo de água em Penha cresceu mais de 100% nos últimos dias e ainda subiu 20% se comparado com a temporada passada.

Penha é abastecida com a água captada em Balneário Piçarras e possuía um consumo médio de 100 litros por segundo, metragem que subiu para 175 litros/s durante o verão.

Os chuveiros golfinho foram instalados nas principais praias de Penha e caíram no gosto dos banhistas, principalmente das crianças. O fechamento das torneiras dos chuveiros pode ser prorrogado caso a situação piore ou por solicitação da Casan.

Postado por Raffael do Prado

Comentários (2)

  • Almir diz: 1 de janeiro de 2010

    segundo a casan “o consumo de agua cresceu mais de 100% nos ultimos dias…”

    numa cidade litoranea como Penha será que isto é novidade? onde esta a preparação para esta demanda? o que os órgaos competentes tem feito, promessa?

    toda temporada é isto, falta de água, agua suja.

  • Dario diz: 1 de janeiro de 2010

    Pouca vergonha para Santa Catarina! Descaso político! Praticamente todas as cidades do litoral e imediações sofrem na temporada de verão, com a falta de água. É um caso típico de país de terceiro mundo, ou quarto. O atraso em SC só não é pior pq o povo é lutador. Mas o descaso e marasmo político é impressionante. Os catarinenses precisam deixar a passividade. Façam como os meios de comunicação: coloquem a boca no trombone. Vão às ruas até a coisa mudar.

Envie seu Comentário