clicRBS
Nova busca - outros
07 ago09:16

Cerco de camelôs a monumentos

Lucia Righi e Marina Lopes, Zero Hora

Com mais de 4,1 mil acessos em cinco dias, um vídeo postado no site YouTube sobre a situação da Praça Flores da Cunha, na divisa de Santana do Livramento com Rivera, no Uruguai, reacendeu uma polêmica histórica. No local, estão instalados os camelôs da cidade, e a Praça dos Cachorros, como é conhecida, ficou escondida em meio a lonas e produtos importados. A previsão da prefeitura é retirar os trabalhadores do local em 2011.

Praça General Flores da Cunha hoje

Intitulado Vergonha na Fronteira, o vídeo tem cinco minutos e mostra um comparativo de fotos antigas e atuais. Os camelôs começaram a invadir o local a partir dos anos 1980. Os idealizadores da montagem são santanenses. O responsável pela edição do vídeo, Federico Bonani Cunha, está fora da cidade há 20 anos, mas visita a Fronteira com frequência.

Mobilizar a população para que o poder público tome iniciativas concretas para desobstrução da praça é o principal objetivo do grupo. No final do vídeo, o espectador é convidado a conhecer um site e a fazer parte de um abaixo-assinado.


Bancas de camelôs escondem estátuas e bustos históricos que antes caracterizavam a praça



Camelôs querem lugar para todos no novo espaço

As primeiras reuniões entre prefeitura e camelôs já estão ocorrendo. Em parceria com a Caixa Econômica Federal, um espaço localizado na Rua João Pessoa – em frente ao local atual – começará a ser construído em 2011. Porém, não comportará todos os trabalhadores que estão na praça. Somente os cadastrados irão ao novo espaço.

Atualmente, há 45 bancas cadastradas e cerca de 50 trabalhando de maneira informal. Para o cadastro, é necessário uma série de documentos. Entre os camelôs, a preocupação é que, com a construção do novo espaço, não haja lugar para todos.


Busto do General Flores da Cunha, que dá nome a praça


DEPOIMENTOS

“O local é uma linha de fronteira: são duas cidades divididas imaginariamente por uma rua. Na minha infância, eu vivia ali, na esquina de onde o Gaúcho da Fronteira foi taxista, inclusive. Os anos foram passando e os camelôs foram tomando conta. O busto do santanense Flores da Cunha foi sendo cercado pelo ambulantes. Cheguei a ver cordas amarradas no pescoço da estátua para sustentar toldos dos camelôs. Fiquei chocada. Foi aí que decidi tentar achar onde estavam os cachorros, o jornaleirinho e a menina. Caminhando por entre as bancas, encontrei a menina sem os braços, o jornaleirinho sem o jornal e, dos cachorros, só descobri onde está um. Mas dizem que o outro ainda existe. Não somos contra os camelôs. A praça está abandonada, imunda. Os ambulantes merecem dignidade. A praça, também.”

Laura Bonani Cunha, 46 anos, professora de Ensino Fundamental e uma das organizadoras do abaixo-assinado que pede a recuperação do local

O busto de Pedro Irigoyen hoje serve para amarrar barracas

“Em 1940 faleceu Pedro Irigoyen, meu bisavô, e algum tempo depois foi homenageado com o nome de uma rua e com um busto na Praça João Pessoa, a “dos cachorros”. Ele foi o homem que trouxe para Livramento a primeira grande Charqueada e impulsionou a economia na cidade. No ano de 1917 foi o responsável pela vinda para Livramento do Frigorífico Armour, também grande propulsor da economia local. Acho que a forma como vem sendo tratado o seu busto (já sumiram os óculos e a placa de bronze que descrevia quem ele era) mostra um enorme descaso para uma pessoa que deu sua vida e fortuna pela cidade e sua população. Como consolo me restar ver sua figura amparando lonas e cordas que dão abrigo e sustentação a uma parcela da população vivendo na informalidade e que precisa de ajuda tanto quanto as pessoas que meu avo ajudou em vida”.

Diego Irigoyen Pereira, 62 anos, consultor de informática, bisneto de Pedro Irigoyen, que teve o busto escondido pelas bancas dos camelôs


CONTRAPONTO
O que diz a assessoria de imprensa da prefeitura

Desde novembro de 2009, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento vem realizando uma ação para regularizar a situação dos camelôs que atuam na área na Praça Flores da Cunha.

Através da lei geral do microempreendedor, com consultoria do Sebrae, estão sendo recadastrados todos os interessados em seguir atuando como camelôs. Mas eles precisam cumprir exigências para serem formalizados e instalarem-se em área a ser estruturada à Rua João Pessoa.

A ideia é também instalar vendedores de lanches e artesãos, transformando a área em um Centro Popular de Compras a partir de 2011, possivelmente com recursos de emenda parlamentar e contrapartida do município.

Para ocupar o local todos deverão ser brasileiros natos ou fronteiriços com CPF, formalizados como microempreendedor individual e sem ocorrências no Poder Judiciário Estadual.

Praça General Flores da Cunha

Após a I guerra, os jovens buscaram mudanças urbanísticas na cidade, para se adequar as inovações da época. Na fronteira, as famílias cultivavam o recente hábito de caminhar e passaram a circular pelas ruas e praças. Foi quando alteraram-se as estéticas também das praças, dando lugar a padrões europeus, e antiga Praça João Pessoa, tornou-se a glamourosa Praça General Flores da Cunha em meados da década de 30.


A estátua da menina, que era destaque antigamente hoje está envolta por barracas, que tomaram conta do local

Segundo apontam fontes de memorialistas, a praça conhecida como Praça dos Cachorros, localizada na linha divisória entre Brasil e Uruguai, era antigamente uma praça familiar, foi idealizada aos moldes das sofisticadas praças argentinas. Na época, a praça veio como estratégia das duas cidades para conter a marginalidade e a violência da região.


O menino jornaleiro perde seu jornal

Ela recebeu, vindos da Argentina, os bustos dos amigos General Flores da Cunha e Pedro Irigoyen, além do menino jornaleiro, a menina e dois cachorros galgos, conhecidos pelas corridas de cachorro recorrentes no Uruguai e posteriormente na região da Fronteira, e bancos trabalhados, uma fonte e luminárias réplicas utilizadas na europa na mesma época.

A matéria Cerco de Camelôs a monumentos foi publicada na edição da Zero Hora do dia 7 de agosto de 2010.

Confira outros comentários de leitores sobre a matéria no mural do facebook do clicRBS Livramento.

Por

11 Comentários »

  • Héctor Sánchez disse:

    Exelente trabajo, Feliciataciones!!
    Se dice que detrás de estos puestos de venta hay grandes capitales, por eso ha costado tanto sacarlos, espero que este emprendimiento de vosotros(que lo hago mio)tenga frutos pronto.
    Otra vez felicitaciones y adelante

  • ceci har rosso disse:

    Cumprimentos pela matéria. Realmente é muito importante relembrar a nossa história e lançar debate sobre fatos tão relevantes como o esquecimento a que foi relegada a Praça General Flores da Cunha. Não podemos assistir passivamente a destruição de próprios municipais. Com a palavra as autoridades municipais.

  • Giovana Porto disse:

    Excelente matéria. Pode ser que o Poder Público tome uma atitude em relação a essa vergonha. Há anos aguardamos, passivamente, por uma solução e, até o momento nada foi feito. A solução é política e, se não houver um comprometimento com a sociedade santanense, não haverá mudança. Até quando esperaremos?…

  • FLORENCIO TEIXEIRA disse:

    A fronteira pede socorro, deveriamos ter outro local para camelôs, deixando um espaço outrora lindo para ser apreciado pelos visitantes, pois hoje além de bancas existe um descaso total até de quem ocupa os espaços, porque sente-se no entorno um cheiro forte de urina, urgente a Praça com suas estátuas deve voltar a ficar livre.

  • maria helena disse:

    estou mto feliz por saber q tem pessoas que querem resgatar a imagem linda,da praça
    temos q nos unir e tirar os camelos dali e uma vergonha
    espetacular essa materia…
    tenho uma foto de 29/o5/1935 espetacular,gostaria de enviar mas nao sei pra onde…
    19 de agosto de 2010 as 19:55

  • paulo juarez orsi disse:

    Tem que liberar a praça dos cachorros. É um belo monumento turístico para a fronteira da paz.O comércio tem que se acomodar talvez até na rua.Ali o trânsito deve ser de pedestres.
    Outro conserto que deverá ser feito são aquelas antenas tirando o charme do “Cerro Palomas”. Não dá para colocar mais para trás e esconder aquilo.O progresso não pode simplesmente atropelar as coisas belas.

  • Claudio Coronel disse:

    Em 2005 apresentamos projeto em parceria com a Associação dos Trabalhadores Camelôs,elaborado pelo eng. Luis Carlos Rodrigues, com aspectos modernos e urbanistícos, sendo que os trabalhadores sairiam da Praça Flores da Cunha e a adotariam , recuperando o seu acervo, mas lamentávelmente não tivemos o apoio necessário para que fosse executado.

  • ALINE SILVEIRA disse:

    QUE GRACIOSO, HASTA ME CAUSA GRACIAS VER LOS COMENTARIOS, COMO PUEDE SER QUE EXISTA GENTE TAN DESHUMANA, IGNORANTE, BUENO QUE SE PUEDE ESPERAR NO, (INTERIOR ES ESTO NOMAS), ES UNA VERGUENZA QUE EL GOVIERNO BRASILERO ROBE DE LA MANERA QUE ROBA CON IMPUESTOS Y MILES DE COSAS QUE PODRIA ESTAR MAS DE UNA SEMANA PUBLICANDO, Y LA GENTE SE PREOCUPA POR UNA PLAZA!!!! NADIE SE PUSO A PENSAR QUE EXISTEN PADRES Y MADRES DE FAMILIAS TRABAJANDO EN ESOS LUGARES, MANTENIENDO HIJOS, Y CASAS!!! POR DIOS QUE MENTALIDAD CHICA Y BURRA!!! LA GENTE SE PREOCUPA POR COMO LUCE UN LUGAR, JAJAJ, LAS PLAZAS SON CONVENCIONES PARA QUE SE JUNTEN CHICOS A TOMAR VINO, FUMAR PORROS, Y CONSUMIR PASTA BASE, PERO CLARO, ESO NO SE VE, ESO NO SE TRATA DE SOLUCIONAR, ENTONCES LO PRIMERO QUE HACEN ES MOLESTAR A LA GENTE QUE SI TRABAJA, QUE SI HACE ALGO POR SUS VIDA! EN VEZ DE COMETER TAMAÑO ERROR, INVITARIA A LAS AUTORIDADES GRANDES A QUE SE FIJARAN EN TEMAS REALMENTE ALARMANTES, COMO ESTA LA JUVENTUD EN ESOS LUGARES, QUE TIPO DE ACTITUDES ESTAN COMETIENDO TENIENDO TAN SOLO 15 O 16 AÑOS, LA FALTA DE EDUCACION SEXUAL(PORQUE HAY TANTAS GURISAS DE ESA EDAD EMBARAZADAS), CHIQUILINES ADICTOS A LA MARIHUANA Y A LA PASTA BASE, FAMILIAS DESTROZADAS POR CULPA DE UNA MALA EDUCACION GENERAL, ESO SIIIII GENTE!!! A ESO SE DEBERIA DEDICAR EL GOBIERNO, UNA SOCIEDAD SE CONTRUYE DESDE ABAJO! Y DEJAR A LA GENTE TRABAJAR EN PAZ Y SEGUIR MANTENIENDO SUS FAMILIAS COMO LO HAN HECHO DESDE HACE 25 AÑOS CON MUCHO ESFUERZO Y SACRIFICIO, SOPORTANDO LA VIDA MISERABLE QUE SE LLEVA AL TRABAJAR EN LA CALLE, AGUANTANDO FRIO, CALOR, LLUVIA. LA VERDAD QUE ES LAMENTABLE EL PENSAMIENTO DE ESTA GENTE!!!!
    Y ENCIMA LA GENTE QUE MAS CRITICA ES LA GENTE QUE MAS COMPRA EN ESOS LUGARES, PORQUE CLARO, COMO ES MAS ECONOMICO!!
    ME SIENTO AVERGONZADA DE HABERME CRIADO EN ESA CIUDAD CON GENTE TAN HIPOCRITA!

  • CARLOS BRUNO disse:

    CONVIDEI A PRIMEIRA DAMA DAS CRITICAS SR LAURA BONAMI A TER UMA REUNIAO COM OS REPRESENTANTES DOS CAMELOS PARA FAÇA PARTE DAS QUE QUEREM NOS OUVIR NAO CRITICAR POIS E MAIS FACIL POR DE TRAZ DAS PESSOAS DO CARA A CARA FACIL FALAR MAL DOS QUE FAZEM FORÇA PRA NOS AJUDAR NAO SOU COMTRA A PATRIMONIO HISTORICO PATRIMONIAL E MUNICIPAL NAO SERIA EU IR COMTRA A UMA ESTATUA A UM CACHORRO DE CIMENTO E DEICHAR DE LADO O CALOR HUMANO DESSAS PESSOAS QUE ALI BATALHAM DIA A DIA FAÇA SOL OU CHUVA ESTAMOS A SUA DISPOSIÇAO POR FAVOR PARE DE FALAR BESTEIRA VENHA FALAR COM AGENTE NAO SOMOS ANIMAIS SOMOS SERES HUMANA IQUAL A VOCE AQUI TAMBEM TRABALHAM ADVOGADOS E PROFESSORES GENTE QUE OPÇAO ESTAO AQUI O CONVITE ESTA FEITO

  • francisco ferreira disse:

    Sou empresario digno do trabalho do meu finado pai, muito facil criticar blasfemear de familias que trabalhao onde estão as respostas para aqueles que sujam a reputação o nome da cidade de santana do Livramento?Quando vamos mostrar politicos que escondem dinheiro publico em outro pais quando vamos fazer a politica o caracter o respeito e a dignidade de fazer politica numa cidade onde está jogada as traças onde estão o dinheiro que vem para a cidade de Santana do livramento.
    Vamos criar comentarios a altura de nossa gente vamos parar para pensar, vamos criar palavras dignas de resposta.
    So quem tem resposta e aqueles que tem a facilidade de responder está pergunta.
    Deus é fiel

  • eumesmo disse:

    CONTINUA A MESMA COISA … DESCASO TOTAL DAS AUTORIDADES

Comentários