clicRBS
Nova busca - outros
17 mar17:30

Dezessete assentamentos continuam sem água

Dezessete assentamentos da reforma agrária, além de comunidades de quilombolas e de pequenos agricultores, continuam sem água potável em Santana do Livramento em decorrência da estiagem. Pelo menos 1500 famílias são atingidas com a falta de chuva na cidade. Em alguns assentamentos, as famílias estão com problemas de abastecimento desde dezembro de 2010.

Não há água potável nem mesmo para beber. O gado e as plantações também sofrem os efeitos da falta de chuva. Segundo levantamento da assentada da localidade Santa Rita Jocerlei de Fátima dos Santos, a quebra no leite já chega a 50% e, para quem planta milho e soja, a perda é total.

 

Os assentados exigem que Governos e Prefeitura resolvam o problema

Os assentados de Santana do Livramento exigem uma audiência urgente com o governo estadual, a prefeitura municipal e o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) para tratar da grave situação. Em fevereiro, famílias assentadas ocuparam a prefeitura de Santana do Livramento para exigir o fornecimento de água. Naquele momento, eram 8 assentamentos que sofriam com a falta de água para os animais, plantios e consumo humano.

 Na ocasião, os assentados criaram uma Comissão da Seca, junto com a prefeitura e a Defesa Civil, para resolver a falta de fornecimento de água e minimizar os efeitos da estiagem. Desde então, o governos municipal, estadual e federal entregaram cestas básicas e caixas d’água, mas que de acordo com Jocerlei já estão vazias devido à falta de reposição de água. Para minimizar a falta de água, os assentados reivindicam dos governos a perfuração de poços e a construção de micro-açudes e a instalação da rede de água.

Por

Comentários