Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ex-diretor diz: "Plano da Busscar é irreal"

07 de março de 2012 0

Benedito André Almeida Violante, ex-diretor de manufatura e logística da Busscar, diz, em correspondência enviada ao administrador judicial da Busscar, Rainoldo Uessler, que o plano de recuperação proposto pela companhia “é irreal”. O executivo, que sente-se “traído e injustiçado” desabafa.
Violante trabalhou de dezembro de 2001 até novembro de 2010 na companhia. Participou do projeto de ajustes, reconhecido pelo mercado até meados de 2008. Ajudou a reabrir limites de crédito, além de obter a concordância, por escrito, dos fornecedores, que, à época, representavam mais de 51% do passivo da Busscar junto a esta classe de credores.

Hoje, ele é o segundo maior credor trabalhista da Busscar e critica: “o modelo de gestão e a estrutura de capital não foram mexidos”. Ainda contesta o valor registrado do crédito no processo de recuperação judicial da companhia. Argumenta que “o valor não contempla a correção ao longo do tempo. Entende que contrato de parcelamento das verbas rescisórias proposto pela empresa, em 18 parcelas com correção pelo INPC, “foi totalmente ignorado”. E avisa: “não houve revisão dos valores. O último salário recebido ocorreu em novembro de 2009″.

Diz, ainda, que pelo plano de recuperação apresentado, a empresa impõe novo redutor de 9,31 %, para o qual “não há base legal” segundo Benedito. Emenda: a empresa perdeu muito “cérebro”, e ficou em muitas áreas críticas, “somente com os membros, sem a capacidade de pensar e criar”.  E vai além: a assembléia de credores deveria ser realizada fora da companhia para garantir “passar a clara mensagem que todo o processo está sendo conduzido com total imparcialidade”. Teme confusão e dano patrimonial no local se os perdedores na votação da assembleia reagirem com violência.

Envie seu Comentário