Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Dólar alto faz SCGás avaliar aumento de tarifa

30 de agosto de 2013 0

A escalada do dólar fez o custo de aquisição do gás natural boliviano, única fonte de suprimento do insumo dos estados do Sul do Brasil, aumentar 31% de janeiro a julho deste ano. A alta gerou um déficit de R$ 17 milhões na operação da SCGÁS (Companhia de Gás de Santa Catarina) neste período em comparação com o projetado.

Os relatórios apontam que na hipótese de manutenção do câmbio no patamar de R$2,35, a empresa terá déficit de caixa de R$ 3,25 milhões em outubro, R$ 3,98 milhões em novembro e R$ 11,27 milhões em dezembro.

Por conta do cenário desfavorável, a distribuidora já contratou cheque especial junto à Caixa Econômica Federal para suprir a iminente deficiência de caixa, e estuda uma alternativa para manter o equilíbrio econômico e financeiro da companhia.

O presidente Cósme Polêse explica que haverá redução dos custos operacionais, revisão do cronograma de parte dos investimentos e negociação de prazos junto a fornecedores. Aumento de tarifa também está sendo analisado.

— Estamos estudando a situação dos clientes para desenvolver uma solução que seja viável para ambas as partes —, diz o presidente.

Para entrar em vigor, o reajuste deve ser solicitado e ter parecer positivo da Agência Reguladora do Estado de Santa Catarina. O último reajuste tarifário aplicado pela SCGÁS foi de 5% para o segmento indústria, em outubro de 2012. O segmento industrial representou, em julho, 82,5% do consumo de gás natural em Santa Catarina.

Desigualdade

A diferença entre o preço de aquisição do gás nacional e o importado chega a 26%, conforme dados de distribuidoras. Atualmente, para os preços praticados às distribuidoras das regiões Nordeste e Sudeste o supridor oferece descontos acima de 30%, conforme boletim mensal divulgado pelo Ministério de Minas e Energia, o que não acontece com o gás boliviano.

Envie seu Comentário