Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Três mil servidores da Prefeitura de Joinville faltam ao trabalho diariamente

22 de novembro de 2013 23

Dos 12 mil servidores da Prefeitura de Joinville, pouco mais ou pouco menos de 3 mil faltam ao trabalho diariamente. O número exclui gente em férias, mas relaciona o pessoal com licenças legalmente conquistadas e, em sua esmagadora maioria, servidor com atestados médicos. Principalmente das especialidades de ortopedia e psiquiatria. Médicos estão sendo visitados para explicarem as razões de concessão dos atestados, diz a inconformada secretária de gestão de pessoas, Rosane Bonessi.

Os locais de trabalho também passam pelo olhar da pasta porque as queixas de funcionários sobre as más condições de operação são comuns. O absenteísmo médio de 25% impressiona. Admitindo-se que as ausências são todas legítimas, certamente o sistema está doente. Profundamente doente. Na iniciativa privada, a ausência ao serviço é, em média, de 4%. A Prefeitura prepara projeto voltado à meritocracia para estimular os servidores. É claro que a grande maioria é competente e comprometida.

Comentários (23)

  • Silvia diz: 22 de novembro de 2013

    Infelizmente, nunca existirá um partido(um Prefeito) que consiga administrar uma Prefeitura nestas condições e agradar a todos os contribuintes de Joinville . A culpa sempre é do Tebaldi, do Carlito ou do Udo … seja lá qual Prefeito for ! Uma empresa não funciona sem seus funcionários, uma Prefeitura não funciona sem seus servidores. Servidores reclamam de comissionados e comissionados reclamam de servidores, ridículo !!! Existe os dois lados da moeda, servidores e comissionados que vestem a camisa E TRABALHAM PARA UMA Joinville melhor, como existem aqueles comissionados e servidores que não servem praticamente para nada !!! Acredito que esta situação seja resolvida com um atendimento especial e individual a cada servidor, para que aqueles que estão impossibilitados de trabalhar que se aposentem por invalidez … ou uma conversinha com os MÉDICOS RESPONSÁVEIS POR TANTOS ATESTADOS … O QUE ESTÁ ACONTECENDO ??? O que está errado ?? Isto é coisa séria, cabe a Prefeitura investigar esta situação e resolvê-la. Como Administrar uma cidade deste jeito ?? IMPOSSÍVEL Que VENHAM NOVOS CONCURSOS e o PLANO de CARREIRA para os Servidores …

  • Renato Vilmar diz: 22 de novembro de 2013

    Obviamente este número é assustador e ações urgentes devem ser tomadas.
    O problema que deve ser atacado são as condições de trabalho dos colaboradores em ambientes que não possuem sequer avaliação ergonômica, ferramentas de trabalho adequadas e espaços subdimensionados.

    Um exemplo fácil de entender os afastamento por problemas na coluna, braços e pulsos é o trabalho das cozinheiras do municipio que carregam aqueles panelões gigantes, CHEIOS e ainda QUENTES pra lá e pra cá. Onde estão as ferramentas de trabalhos como mini-talha, manipuladores e outras ferramentas que o mercado já disponibiliza? Quem está vendo a ergonomia desta atividade?

    Ou seja, não adianta pressionar os médicos que atestam. Tem que ser atacado a fonte do problema!!

    At.
    Renato

  • Vanda diz: 22 de novembro de 2013

    Eu não poderia deixar de comentar, bato sempre na mesma tecla, se voce não esta satisfeito com sua empresa, seu trabalho, mude, tem várias outras opção, dizer que o ambiente de trabalho não ajuda, é covardia….se voce não quer deixar o osso é porque não é tão ruim assim……somente a opinião de quem paga seu impostos em dia e ainda quando preciso do serviço público sou tratada igual cachorro, o hospital São Jose então, os funcionários que lá trabalham so falta de dar na cara….sei porque perdi meu pai lá, quando voce diz pra eles que seu pai esta morrendo, eles dizem não posso fazer nada, custava ser educados?

  • Marcos diz: 22 de novembro de 2013

    Maldita estabilidade!! Numa empresa privada (séria) estariam todos no olho da rua.

  • Almir Wagner diz: 22 de novembro de 2013

    Pensa-se que nas empresas as pessoas trabalham mais e faltam menos por conta do medo de serem demitidas. Errado. As pessoas o fazem por conta da forma como são tratadas, com bons salários, incentivos na carreira e na formação, ambiente de trabalho de qualidade, décimo quarto salário, treinamentos, amparo para a família e por aí vai. Criticar a Embraco, a WEG, a Tigre ou qualquer outra grande empresa perante um de seus colaboradores é arriscado. O sujeito gosta tanto da empresa que é capaz de partir pra cima. As empresas sabem como conseguir este apreço por parte do colaborador. Está mais do que na hora de o serviço público agir da mesma forma. Menos chicote e mais gestão. Menos interferência política e mais profissionalismo. Menos deboche e mais respeito.

  • Lauro Leonardo Schmitz diz: 22 de novembro de 2013

    Boa parte desse povo eh mais util em casa mesmo. Deixa assim.

  • André diz: 22 de novembro de 2013

    gostaria que o sindicato dos servidores se manifestasse sobre isso, porque o próprio sindicato deveria lutar por reinvidicações baseadas em um cumprimento de dever decente, e não apenas ser corporativista e partidário… infelizmente criamos a cultura do servidor público com muitos mais direitos que deveres, e aí dá nisso… é o mesmo problema dos trabalhadores da iniciativa privada… o corporativismo faz este país ser cada vez mais atrasado, porque nada pode ser feito sem alguém querer proteger “o seu lado”…

  • Diogo diz: 22 de novembro de 2013

    é muito fácil, só demitir estes 3 mil e fazer convenio medico com cooparticipação

  • Thiago Lemos diz: 22 de novembro de 2013

    Pedro,

    Primeiro, gostaria de dizer que não sou um advogado ou professor, não tenho a minima autoridade neste assunto, mas creio que a fonte do problema está na péssima qualidade e caráter do sistema educacional brasileiro.

    Nós, primeiramente, temos que admitir que somos um pais extremamente ignorante e que as nossas escolas e universidades não se comparam com as universidades e escolas de outros países. A USP, a mais respeitada universidade que temos, não está nem entre as 200 melhores universidades do mundo no ranking do Times Higher Education em 2013. Quanto a realidade Joinvillense – aonde será que se encontra a UNIVILLE ou a UFSC? Aonde estão os colégios Bom Jesus e Positivo se tivéssemos a tecnologia de compará-los aos colégios privados (ou até mesmo públicos) dos EUAs, da China, do Japão? Prefiro nem saber.

    Caro Pedro, voce não pode realmente está surpreso com os nossos servidores públicos. Eles são frutos de um péssimo sistema. Em sua maioria, suas aulas de filosofia e ética estão limitadas a um só livro no qual um hippie carpinteiro e seus assessores pregão fabulas sobre milagres e poderes super-humanos. Muitos, graças a deus ;), deixaram pra traz a crença num velho com barba branca e um trenó voador. Mas, como podemos ver, seus barômetros morais ainda são regidos por ventos de um além hipócrita e egoísta. Eles estão se fazendo de doente com atestados médicos justo da imaturidade de um menino passando por puberdade.

    Acredito que este tópico daria uma boa investigação jornalística com ótima repercussão nacional. A educação e a base ética do Brasil estão relegadas aos ventos.

    Thiago Lemos

  • Thiago Lemos diz: 22 de novembro de 2013

    Perdão. O Pedro que postou, mas me refiro ao autor do post – Claudio.

    Thiago Lemos

  • Esidia diz: 22 de novembro de 2013

    Tem que se ter um cuidado com as afrontas aos professores e também a classe médica, já que os atestados estariam sendo tratados como suspeitos. E digo mais: “que o governo primeiro crie uma política de prevenção que dê condições dignas de trabalho ao professor, para que ele adoeça menos. É preciso descobrir o que está levando o professor a adoecer, e não fazer uso de medidas repressivas”. Nossa nobre construção é em relação a cidadãos conscientes, que nos representarão em todas as esferas a nível de Brasil.

  • Silas diz: 22 de novembro de 2013

    Lamentavelmente a realidade dos servidores é precária. Locais de trabalho mal planejados, em prédios caindo aos pedaços, computadores obsoletos, sem plano de carreira (quem trabalha bem não é recompensado, mas aquele que ajuda na campanha política, sim).
    E nesse número gigante de faltas, provavelmente estão incluídos aqueles que estão folgando em razão do banco de horas (uma vez que a prefeitura não paga as horas extras).
    Muito fácil olhar de fora e falar do problemas

  • Andréia Betina Legatzky Klitzke diz: 22 de novembro de 2013

    Atacar a fonte do problema! Quem será o gestor que conseguirá isso??? Fala-se tanto em bom ambiente de trabalho. Sabe-se que há empresas que deixam seus funcionários saírem para dar uma voltinha quando estão muito estressados. Descobriram que funcionário estressado produz menos. E nos educadores???? Não temos nem quem nos ouça, pois há uma doença contagiante chamada faltas. Tem dias, que não há orientador, para conversar com o aluno indisciplinado. Não há supervisor, para tirar minha dúvida sobre o currículo. Não há diretor para eu expor está minha angustia. Por quê? Estão todos em sala, cobrindo quem falta. Então, fico super carregada, estressada. Passando meses, quem acaba doente: eu!

  • Lena de Souza diz: 22 de novembro de 2013

    Li muitas verdades,educadas e com respeito e outras sem educação,quando acabar “cargos comissionados” o serviço público caminhará,pois para ganhar a simpatia do governantes muitos fecham os seus olhos para o errado.Dou um exemplo, onde fiquei pasma, vão ao CEPAT,06 funcionários,01 diretor,01 coordenador e 01 gerente da Secretaria do Desenvolvimento Econômico,onde ficam fazendo trabalho de um administrativo que custaria aos cofres público R$ 1.200 vai ver os salários deles e um lugar abafado,sem ventilação esse é só para começar…qual funcionário não fica doente neste ambiente.

  • Joaquim diz: 22 de novembro de 2013

    Todos os que criticam o servidor público na verdade gostariam de ser um deles, pois a cada concurso há um número muito grande inscritos concorrendo as vagas. Não é fácil receber pessoas com diferentes tipos de humor todos os dias com sorriso no rosto, não é fácil aos professores educarem crianças, algumas sem um pingo de educação herdada de suas casas, muitos pais simplesmente jogam seus filhos nas escolas e acham que é dever do professor educá-los, e outra muitas crianças vão para escola apenas pela merenda, pois não há o que comer em casa. Quando o servidor precisa ir ao médico, dentista, comprar remédios não existe convênio como nas empresas privadas, passa pelos mesmos problemas que a comunidade passa, ou seja é a mesma fila (SUS) e com mais uma diferença do funcionário da privada, tem que tirar do próprio bolso e do misero salário que ganha para ter esses benefícios. O Salário dos servidores públicos de Joinville está super defasado e sem nenhuma valorização profissional e pessoal. E os comissionados então, vocês sabem quanto ganham? O que fazem? Todo governo novo que entra é o mesmo discurso, vamos reduzir gastos…. Ora meus senhores, pensam que é fácil para um médico trabalhar em um lugar onde não se tem leitos para hospedar os pacientes e nem mesmo macas e medicamentos disponíveis. É fácil criticar o servidor, o que não é fácil é aceitar que já se passa um ano e cadê as obras????? A melhoria da saúde? A redução dos impostos, ou seja, esse próximo ano para quem paga o IPTU adiantado o desconto reduziu de 15% para 10%…. E os gastos absurdos que são feitos com o dinheiro do contribuinte, utilizando as vezes em coisas sem sentido e necessidade, não adianta cortar os cargos comissionados de supervisores (os que menos ganham) e adicionar cargos de coordenadores, existem coordenadores de si mesmo na prefeitura, ou seja não coordenam nenhuma equipe. Será que é fácil para os professores levarem pilhas de provas para corrigir em casa, digitar notas e fazer planos de aula para ganhar R$ 900,00 por mês. A população não conhece como funciona, por esse motivo é fácil criticar. Esse ano a passagem deve aumentar novamente, qual será a desculpa? Comunidade, povo de Joinville não vamos generalizar e pré julgar o servidor público, e se fosse você?. E a meritocracia é para quem? Para os cargos comissionados, porque o servidor trabalha e quem leva a fama são os comissionados que nada fazem além de levarem o dinheiro do contribuinte. Além disso toda a comunidade Joinvilense pôde ver que após uma longa e estressante greve, o governo não cumpriu com o acordo feito com o servidor e hoje temos aí mais uma vez servidores lutando pelos seus direitos. E se fosse você? Pense isso?

  • Vânia diz: 22 de novembro de 2013

    É isso mesmo Silas, existem muitos servidores trabalhando em condições precárias, precisando muitas vezes gastar do próprio bolso para conseguir terminar um trabalho.
    Os servidores que trabalham horas a mais por necessidade do serviço, ficam com um saldo em banco de horas ( a prefeitura não paga horas extras), e quando o servidor precisa dessas horas por algum motivo, muitas vezes lhe é negado esse direito à folga, ficando a cargo da chefia decidir quando o servidor pode folgar.
    Não estão sendo feitos nem os exames periódicos dos servidores e depois ficam contestando os atestados? Cadê os exames periódicos, cadê as condições de trabalho? Cadê o respeito ao trabalhador? Quando o assédio moral ao servidor diminuir, talvez diminua o número de adoecidos.

  • Julia diz: 23 de novembro de 2013

    Sou funcionaria pública, e sinceramente não é fácil todo dia dar a mesma respostas ” a senhora esta na fila do oftamo desde 2009, reumatologia desde 2007 e não á previsão de quando sai sua consulta, ai a senhora muito educada acha que a culpa é sua e solta o verbo. “Sinto muito senhor mas hoje não temos médico” e mais uma vez você leva a culpa pelo sistema precário. Estou a 3 anos no funcionalismo publico, nunca peguei um atestado, tenho um banco de horas gigante, levo meu trabalho a serio mas infelizmente pago pelos erros alheios. Tantas críticas é logico, nos levam a uma condição estressante. Também criticava os serviços públicos, mas agora conheço como funciona e sei muito bem o que é estar do lado de cá.

  • carlos diz: 23 de novembro de 2013

    como tb sou funcionario publico vejo a “atestadite” fruto da estabilidade que temos em ser func publico mas o maior erro esta no estagio probatorio nesse tempo quem esta nele pouco falta so em ultimo caso, mas passando esse tempo aparecem as doenças. Muita gente teria que ser demitido nessa fase e visivel o despreparo mas ninguem quer bater o martelo dps se criam verdadeiros monstros no serviço publico. Se fosse numa empresa privada 40% estariam fora sei disso pois trabalho ha 22 anos nesse setor abraços

  • Ivonete diz: 23 de novembro de 2013

    Srs. Uma coisa é certa, deveria acabar com a estabilidade no trabalho, se tudo fosse regido pela CLT que rege as empresas privadas, acabaria com esta cambada de vadio que vão marcar o ponto para garantir o salario no final do mês, pois o tratamento que estes atendentes do setor publico dão para nos que pagamos e nossos impostos e vão para os salários deles é horrível, deveria ser assim, n ão quer trabalhar, fazer as coisas corretas e com responsabilidade, manda pra rua, Joinville é cheia de empresas.
    Todos os funcionários públicos querem fazer concursos para garantir estabilidade e salario alto sem fazer nada.
    O Dia que nossos governantes acabarem com a estabilidade no Serviço Publico teríamos funcionários exemplos.
    Outro dia me contaram o seguinte ” num posto de saude tinha uma funcionaria publica recem contratada e tinha varios pacientes a espera da consulta, esta funcionaria estava ociosa e ela esta quase no final de seu expediente, mas resolveu atender estes varios pacientes, então veio outra funcionaria e falou pra ela que não deveria ter atendido, que ela deveria esperar dar o horário da saída dela e deixar eles ali esperando pelo próximo atendente do próximo turno. Veja só o que estes funcionários com mais tempo fazem conosco que precisamos deste atendimento.
    Será que se for o Pai, mãe, marido filho dela, ela ira agir assim.
    Este tipo de funcionário deveria ser demitido, tenho certeza que se eu fosse funcionaria publica eu seria demitida por excesso de competência, por os incompetentes estão assim ganhando para enganar a população.
    SERA QUE ALGUM DIA TEREMOS ALGUÉM QUE VAI ENXERGAR ESTES DESMANDOS.

  • Almir Wagner diz: 24 de novembro de 2013

    Este caso requer uma análise mais apurada. Comentários ignorantes em nada contribuem para a discussão. Em primeiro lugar, temos que lembrar que a média de idade no serviço público é muito mais alta do que na iniciativa privada. A empresa privada descarta o colaborador assim que começa a ficar velho, consequentemente, não terá que conviver com suas faltas e atestados.
    Em segundo lugar, as atividades de professor, médico e enfermeiro são altamente estressantes e desgastantes o que leva forçosamente a um maior número de afastamentos. A iniciativa privada, salvo exceções, não contrata este tipo de profissional. Sendo assim, a comparação pura e simples e burra e inócua. Em terceiro lugar, tem que ver qual o percentual de comissionados inclusos nestes 3.000 servidores. Sabe-se que a prefeitura tem um número absurdo de comissionados que não possuem nenhum comprometimento com a atividade. Estão lá somente para garantir a sua boquinha. A crítica feita de forma simplista ao serviço público dá a impressão de que na iniciativa privada é tudo maravilhoso. Fosse assim o TRT não estaria entulhado de processos, o Procon não teria razão de ser e sites como o Reclameaqui.com.br não teriam a audiência que têm. Sejamos mais cautelosos. Pensemos com nossas próprias cabeças.

  • Tiago diz: 25 de novembro de 2013

    1) Joaquim – NENHUM PROFESSOR que trabalhe 20h/semana recebe menos de R$ 1.180,37 reais, ou seja, essa fala de PROFESSOR QUE GANHA 900,00 reais, ou é contratado que ganha por hora, e aí sim, trabalha pouco, ganha o quanto trabalha!
    Professor de 40h/semanais tem como salario BASE R$ 2.360,00 basta ver os editais de concurso! Pesquise antes de falar.

    2) Joaquim – Salario defasado? Já fizesse uma pesquisa em editais com o numero de habitantes semelhantes? Londrinha, Ribeirão Preto, etc.. o salário base da Prefeitura está acima de muitas prefeituras pelo Brasil.

    3) Estagio probatório.. o problema não é o estágio probatório, o problema são os coordenadores que tem MEDO de reprovar o servidor em estágio. Não reprova mesmo sabendo que tem FUNDAMENTO para isso, e não o faz, esse sim cria um monstro. O problema não está no estágio ou no tipo de avaliação e sim no AVALIADOR!

    4) Ivonete – vc sabe de onde veio a estabilidade? É necessário à Administração Pública, caso contrário teríamos demissões a cada governo, para fazer entrar novos servidores (conhecidos ou não). Leia a história da Estabilidade no serviço publico, e entenderás. O problema não é a estabilidade, existem meios legais para DEMISSÃO de servidor público, e esta demissão é de FÁCIL execução. O problema maior é que servidores comissionados (ou coordenadores/gerentes de carreira) tem medo de abrir inquérito/sindicancia ou seja lá o que for, para nao ser o “dedo duro” e alguém tentar tirar o cargo de confiança deste ou daquele… Novamente, o problema não é na máquina e sim no operador desta! INfelizmente!

    Obs. sou servidor de carreira.

  • Andressa Fabre diz: 6 de dezembro de 2013

    Concordo plenamente com você Almir Wagner

  • Andressa Fabre diz: 6 de dezembro de 2013

    Ivonete, de qual estabilidade você está falando? Você é servidora pública pra saber?
    Como em todas as empresas tem gente ruim e gente que merece respeito, foram muitos comentários maldosos, não podemos generalizar, isso com certeza gera polêmica, eu já cansei de ser maltratada por pacientes, sou funcionária pública, cadê a lei de prisão por desacato ao funcionário público? Não existe!!!!!!!
    É apenas um papel colado na parede, sempre tratei muito bem os pacientes, fiz ate o impossível, de alguns temos o reconhecimento….
    Quem está falando mal, que faça um concurso e mostre que é capaz de suportar todos os dias pessoas mal humoradas, nós servidores também pagamos impostos, somos seres humanos na sociedade como qualquer um….
    Ou alguém pensa que estamos livres de impostos? Reflitam antes de julgar, difamar, e vejam de onde vem as fontes que fazem o servidor público passar por essas humilhações desnecessárias, isso não é UMA JOINVILLE MELHOR!

Envie seu Comentário