Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Tarquínio faz alerta para a LOT de Joinville

24 de fevereiro de 2014 1

O presidente da Tupy, Luiz Tarquínio Sardinha Ferro, defende a necessidade do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ippuj) de Joinville realizar diversas audiências públicas para esclarecer, em linguagem simples, o que significa para a vida das pessoas o projeto da Lei de Ordenamento Territorial — a LOT.

— O cidadão tem de compreender do que se trata. Será muito bom que se realizem – e vão acontecer – as audiências públicas — argumenta Tarquínio.

O executivo da multinacional joinvilense explicita sua opinião: o planejamento da cidade deve ser tratado com fundamento técnico muito forte.

Conciliar interesses

Tarquínio argumenta que a legislação tem de fazer uma conciliação entre os interesses econômicos e a garantia da qualidade de vida. Ele destaca três aspectos polêmicos que necessitam de atenção e cuidado totais na elaboração e votação da LOT. Refere-se à ideia de criação de faixas viárias; ao instituto de áreas rurais de transição (ARTs) e ao estudo de impacto de vizinhança (EIV).

Qualidade de vida e investimentos
Estes três pontos deveriam, em particular, ser objeto de preocupação por parte do Ippuj. Com grande dose de razão, Tarquínio sintetiza, em um alerta, que boa qualidade de vida atrai bons e grandes investimentos. E vai fundo:

— A lei nova tem de ter a ambição de melhorar a qualidade de vida da população e da cidade.

Tarquínio mora em Joinville há 11 anos, quando veio para presidir a Tupy. E constata que o trânsito piorou muito ao longo deste período.

Comentários (1)

  • marcos fernando dauner diz: 24 de fevereiro de 2014

    Trãnsito piorou muito em 11 anos… e vai piorar ainda mais . Seis anos para abrir a rua Timbó . Quantas décadas para duplicar a Santos Dumont , a Marques de Olinda e acabar o binário do vila Nova ?

Envie seu Comentário