Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

A água já é um ótimo negócio. E vai ser ainda mais

09 de junho de 2015 0

Torneira dinheiro

A água é um excelente negócio. Daqui a alguns anos, será ainda melhor. Alguém duvida? Não deveria. Insumo essencial às indústrias e à sobrevivência das espécies, é fator essencial ao desenvolvimento das atividades empresariais e até mesmo ao processo civilizatório das sociedades.

* * *

Não por acaso, vários investidores compram áreas de nascentes e outros aplicam em empresas concessionárias de água e esgoto. Ambos miram décadas à frente. Sabem que a remuneração virá em taxas de retorno em índices mais do que satisfatórios. Fazem contas corretas e só assinam contratos visando a lucros crescentes.

* * *

O segmento água vai ficar cada vez mais importante, dada a projeção de provável escassez futura. Então, deter áreas e concessões para a exploração da água tornará pessoas e empresas mais poderosas. Tanto sob o ponto de vista econômico quanto político. Afinal, quem tiver o domínio do processo de captação, produção, controle de perdas e distribuição até chegar ao cliente final vai enriquecer e terá mais influência junto à comunidade da qual participa.

* * *

Em Joinville, o negócio da água e do esgoto está nas mãos do município, que controla a Cia. Águas de Joinville. Uma decisão correta, tomada em meados da década passada, que determinou alforria da Casan, até então dona do negócio e que, ao longo de décadas, revelou-se desinteressada em investir na melhoria das redes e em padrões técnicos aceitáveis. O papel do agente regulador – no caso de Joinville, é a Amae – é decisivo. Cabe-lhe fiscalizar a qualidade do trabalho da Águas e definir parâmetros de tarifas.

* * *

A legislação autoriza que a Cia. Águas de Joinville possa vender até 30% de seu capital à iniciativa privada. Claro que a ideia não passa pela cabeça dos gestores do negócio. A possibilidade, lógico, abre brecha para o capital privado – mesmo minoritário – aportar recursos se, adiante, o poder público não tiver mais capacidade financeira para bancar os necessários serviços de expansão de esgotamento sanitário para toda a cidade.

* * *

Praticamente universalizado o serviço de água, o problema, aqui, continua sendo o do tratamento de esgoto. Estamos em 2015, e a cobertura ainda não chegou a um terço da área do município. O índice oficial aponta para 32%. A meta é ambiciosa: chegar a 50% em 2018. Cumprido este objetivo, já terá sido um avanço bem razoável. Ao menos para os padrões brasileiros. Mesmo assim, é ruim notarmos que continuamos com uma demanda socioambiental do século 20. Países desenvolvidos e mais civilizados já superaram este ponto há muitas e muitas décadas.

* * *

De todo modo, há boas novidades na Águas. A mais recente, do dia 29 de maio, revela: a zona Sul de Joinville começou a receber a rede de coleta para tratamento de esgoto. Os investimentos somam R$ 82 milhões, sendo R$ 72 milhões de recursos do Orçamento Geral da União, e R$ 10 milhões da Companhia de Águas. A previsão é de que as obras estejam concluídas em três anos. Os recursos garantem a expansão dos serviços para dez bairros periféricos e atenderão a mais 20 mil casas, nas quais, enfim, o saneamento básico estará incorporado ao cotidiano, ampliando em 14% a cobertura.

* * *

Falar do assunto e lembrar da necessidade de economizar água em casa e em outros lugares privados e públicos, é dever de consciência para conosco mesmos – e com as próximas gerações.

* * *

A falta de chuvas, com real possibilidade de racionamento em São Paulo e em outros municípios da região Sudeste, foi conversa recorrente desde dezembro do ano passado até abril de 2015. Isso nos mostra o que pode nos esperar daqui a uns 20 anos aqui. É provável que a captação da água terá de ser feita mais longe, a onerar custos e elevar tarifas. Por isso, enxergar o futuro distante com olhos atentos, e com base em adequados estudos técnicos, nos garantirá qualidade de vida compatível com aquilo que queremos ser: uma cidade e um povo plenamente civilizados e prósperos.

Exportações catarinenses caem 9% de janeiro a maio

05 de junho de 2015 0

As exportações catarinenses acumulam redução de 9% nos primeiros cinco meses de 2015, ficando em US$ 3,309 bilhões. No mesmo período do ano passado, o total embarcado era de US$ 3,634 bilhões. Os dados integram a Balança Comercial de Santa Catarina, divulgada nesta sexta-feira (5) pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc).

Entre os dez principais produtos da pauta de exportações do Estado, as maiores variações percentuais foram registradas pelos motocompressores (-27,9%) e pela carne suína (-24,3%). Em valores absolutos, o líder frango registrou o maior recuo: US$ 118,2 milhões a menos, para US$ 620,4 milhões.

Na comparação entre maio de 2015 e maio de 2014, a desaceleração nas exportações foi de 10,2%. Entre maio e abril foi registrado recuo de 3,6%.

As importações também estão em queda. Nos cinco primeiros meses do ano, desembarcaram no Estado US$ 5,954 bilhões em mercadorias, valor 10,2% inferior ao registrado entre janeiro e maio de 2014. Entre os dez principais produtos importados pelo Estado, os maiores recuos foram registrados nos automóveis (-50,1%) e nos catodos de cobre refinados (-45,9%).

Em 2015, o saldo da balança comercial catarinense está negativo em US$ 2,645 bilhões. No mesmo período de 2014, o resultado era de -US$ 2,962 bilhões.

Henrique Meirelles, ex BC, fala de cenários na abertura da Exposuper

04 de junho de 2015 0

A Exposuper, feira de produtos e serviços de supermercados, começa no dia 15, às 19 horas, na Expoville, em Joinville. O ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles faz a palestra inaugural sobre cenários econômicos.

Além de dar palestras, Meirelles se dedica a criar o banco Original, do grupo J&F. Denomina o empreendimento de banco digital. Será o primeiro do Brasil com esta configuração.

Guarde Mais inaugura unidade em Joinville

04 de junho de 2015 0

A Guarde Mais, rede de franquias de self storage do Brasil, vai inaugurar sua primeira unidade no Estado de Santa Catarina em Joinville. A chegada ao mais importante polo econômico do Estado faz parte do processo de expansão. O objetivo é implantar unidades em todo o País. Oferece soluções para armazenamento de móveis, automóveis, arquivos, documentos, estoques e mercadorias.

 

GuardeMais_fotoPriscillaFiedler-24

 

A primeira self storage de Joinville está sendo instalada no bairro Anita Garibaldi, dentro de um condomínio industrial (antiga Tigre). Além disso, a Guarde Mais Joinville estará preparada para receber clientes das cidades vizinhas, entre elas São Francisco do Sul, Barra Velha, Penha, Piçarras e Jaraguá do Sul.

 

 

Leia as últimas notícias de Joinville e região

Ex-funcionários da Martric receberão R$ 9,2 milhões

04 de junho de 2015 0

Seiscentos ex-funcionários da Martric vão, no conjunto, receber R$ 9,2 milhões referentes a processos trabalhistas. Aprovada a liberação dos recursos, o pagamento será feito pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Malhas, Tinturaria e Tecelagem de Joinville (Sinditex) à medida que forem expedidos os alvarás judiciais. O imóvel foi adquirido, em leilão, pela RV Incorporações e Empreendimentos Imobiliários no dia 28 de fevereiro de 2013. Os processos já corriam há mais de 20 anos na Justiça do Trabalho.

Joinville perde participação no ICMS

03 de junho de 2015 0

Joinville vai perder fatia no índice de participação dos municípios na arrecadação do ICMS 2014, com repasse a ser feito pela Secretaria da Fazenda do governo do Estado em 2016. O índice de retorno, que lhe cabe é de 9,4385466, sobre o total a ser distribuído ao conjunto dos municípios catarinenses.

Significa queda de 0,6 ponto percentual em relação a 2015. Itajaí aparece em segundo lugar, com 6,8386536, recuo de expressivos 5,8 pontos percentuais. Os outros três municípios em destaque são Blumenau (5,1752574), Jaraguá do Sul (3,4569837) e Florianópolis (3,0114324).

O índice é calculado com base no movimento econômico, ou valor adicionado, de cada cidade. Os dados de todos os municípios estão disponíveis no site www.sef.sc.gov.br.

Selbetti compra a Copyland, de Porto Alegre

03 de junho de 2015 0

A empresa joinvilense Selbetti comprou mais uma empresa do Rio Grande do Sul. Desta vez, adquiriu a Copyland, de Porto Alegre. No ano passado comprou a PGS, de Caxias do Sul. Com a nova investida, agregará, a médio prazo, mais R$ 20 milhões ao faturamento anual  de serviços de outsourcing de impressão. Assim, permanece o objetivo de faturar R$ 100 milhões em 2017. Esta projeção já foi feita no ano passado, durante o “Top of Mind”, evento do jornal A Notícia, realizado em Florianópolis.

A Selbetti aumentou de 300 para 350 o número de funcionários. Está investindo fortemente em soluções próprias de software, disponibilizando BPM /Business Process Management e ECM/Enterprise Content Management. A empresa é a maior empresa de outsourcing do Sul do País. A Selbetti é a maior empresa de outsourcing  do Sul do Brasil. Atua em Santa Catarina, no Rio Grande do Sul e no Paraná. Está avaliando a possibilidade de expandir negócios para São Paulo no próximo ano.

Mais opções de produtos fitness

03 de junho de 2015 0

O mercado fitness ganha nova alternativa para compra de suplementos alimentares com as linhas performance e longevidade, produzidas e distribuídas com a marca Athletic + Nutrition. O destaque é para o combo chá verde, ômega 3 e colágeno. O mercado de suplemento e nutrição no Brasil é o segundo na América Latina. Movimenta R$ 1 bilhão por ano, atrás somente do México. No Brasil, 92% das vendas destes produtos se concentram nas chamadas health food shops ou body shops. Este segmento cresce, anualmente, 13% em média.

Empresas de TI vão expor na Exposuper

03 de junho de 2015 0

Dez empresas incubadas no Midi Tecnológico, gerido pela Acate, vão expor na Exposuper produtos e serviços inovadores aplicados ao setor de supermercados para a fidelização e engajamento de clientes, monitoramento de temperatura e redução de custos, entre outros.

Rede varejista Tok & Stok estuda abrir loja em Joinville

03 de junho de 2015 0

A Tok & Stok, varejista de móveis e eletrodomésticos, está avaliando o mercado de Joinville e pode chegar à cidade. Já tem loja em Florianópolis e inaugura unidade em Balneário Camboriú hoje. A rede abre sete lojas no País neste ano. Estão previstas mais sete ou oito em 2016. São mais de 25 lojas espalhadas por dez municípios.

Jalmei Duarte: solução caseira para a Águas de Joinville

02 de junho de 2015 0

A ida de Jalmei Duarte para a presidência da Cia. Águas de Joinville dá a ideia da dificuldade de se encontrar um nome externo ao setor público para dirigir uma empresa acionariamente controlada pela Prefeitura. A solução caseira se explica: Jalmei se destacou na condução da Secretaria de Desenvolvimento, é economista e apto a gerir a Águas. Afonso Fraiz vai acumular, interinamente, pasta deixada por Jalmei e a burocracia do gabinete. Ontem de manhã, o prefeito Udo Döhler conversou com o ainda presidente da Águas de Joinville, Roberto Carneiro, que sentia-se sobrecarregado por acumular a presidência e a diretoria administrativo-financeira da Águas. A empresa tem 360 funcionários e faturou R$ 183 milhões em 2014.

Audi terá nova loja de carros de luxo em Joinville

02 de junho de 2015 0

Nos mesmos passos da Top Car, que planeja loja nova em Joinville para vender as famosas marcas Jaguar e Land Rover, a Audi vai abrir segunda loja de carros de luxo, no próximo ano, também em Joinville. A unidade da Audi, em funcionamento no bairro Saguaçu, é pequena para a demanda crescente. Lá vende 20 veículos por dia.

A decisão de aumentar os negócios na região, significa que empresários que comandam as duas operações concorrentes identificam potencial de expansão de consumo numa faixa de público restrita, mas de altíssimo poder de compra. Joinville entrou, de vez, no nicho dos endinheirados consumidores de itens de luxo.

Bluestar Silicone assina protocolo de intenção e se instala em Joinville

01 de junho de 2015 0

A multinacional Bluestar Silicone Brasil assinou nesta segunda-feira, dia 1º de junho, protocolo de intenções com o governo do Estado e vai se instalar no Perini Business Park, em Joinville. No local. terá fábrica e um centro de distribuição. A empresa cria 30 empregos e investe R$ 15 milhões no empreendimento. O faturamento anual previsto oscila entre R$ 70 milhões e R$ 150 milhões.

Ambev vai patrocinar Festa da Cerveja em Joinville

31 de maio de 2015 0

A Promotur recruta Norberto Mette, de Blumenau, que já foi responsável pela Oktoberfest, para orientar a organização de Festa da Cerveja, evento marcado para a Expoville entre os dias 27 de outubro e 1o de novembro. A Ambev deve fechar contrato nesta segunda-feira para bancar os custos e ser a patrocinadora da festa.

Quem conta é o presidente da Promotur, Raulino Esbiteskoski. Enfim, Joinville vai retomar uma tradição, esquecida há anos e desgastada por causa de má organização, à época. A ideia, neste ano, é recolocar Joinville no roteiro de festas, aproveitando o período no qual a Oktoberfest e outras festas do gênero acontecem, anualmente, em cidades do Norte do Estado e do Vale do Itajaí.

As lições deixadas pela Expogestão 2015

29 de maio de 2015 0

Quem foi à Expogestão saiu gratificado. Aprendizados múltiplos, lições variadas. De economia, filosofia, comportamento, inovação, negociação, cenários e espiritualidade. Tudo junto compôs um mosaico de aulas dadas aos milhares de espectadores que frequentaram a Expoville durante os três dias do evento nesta semana.

* * *

Muitos encontros dessa natureza ocorrem nas principais praças de negócios do Brasil. Quando acontecem perto da gente, e com nomes destacados, como vimos novamente neste ano, a conclusão é bem simples: valeu a pena. Claro que uns ou outros podem não ter gostado de uma ou duas palestras. Faz parte do show não agradar a todos. Nem poderia ser diferente. É da lógica humana ser exigente. E, eventualmente, decepcionar-se. O ponto central deste texto é outro: o de analisar a importância e a necessidade de executivos e profissionais dos mais distintos segmentos e áreas de atividade continuarem em busca de mais conhecimento.

* * *

A Expogestão cumpriu este papel. É ele, o conhecimento, e a compreensão da realidade que nos cerca que auxiliam na momento da tomada de decisões. Decisões cada vez mais difíceis de serem tomadas. Principalmente porque a velocidade de dados inseridos em celulares e computadores, somada à enorme quantidade de demandas diárias, cria um clima adequado a incertezas na hora dos executivos confirmarem um negócio, demitir funcionários ou fechar novos contratos.

* * *

A vida executiva é de extrema racionalidade, ladeada por dados estatísticos, números, análises de mercado, tendências e projeções. Num ambiente assim complexo, saber dos fatos – portanto, estar bem informado sobre economia local, regional e também amparado pelo noticiário que chega de São Paulo, Brasília e do exterior – é vital para fazer as escolhas mais apropriadas a cada momento.

* * *

Isso tudo é verdade. Mas não é só. Nem de longe isso preenche todas as necessidades de quem tem o dever de acertar para viabilizar o sucesso de seus negócios. E, consequentemente, perenizar a companhia, objetivo final de todos os empresários comprometidos com o próprio emprego – e com o dos outros. Atenção para um ponto: a união de competências técnicas, de preparo intelectual e de amadurecimento como líder forjam raciocínios claros no rumo de decisões assertivas com foco em resultados.

* * *

A questão posta aqui, a partir deste parágrafo, leva o olhar numa outra direção: o olhar para dentro de si. Essa interiorização passa pelo autoconhecimento, por reflexões maduras e menos afoitas, a partir da capacidade particular de mergulhar no mundo próprio das ideias e dos conceitos de vida a nos guiar para sempre.

* * *

Viver sempre nos impõe “n” alternativas. Umas fáceis, outras nem tantas. E como escolher é a nossa missão mais frequente, o erro ou o acerto vamos perceber no futuro. E depende, em grande parte, de nossas competências pessoais para aprendermos o essencial, reter o que já aprendemos e apreender o contexto histórico para negociarmos bem. Primeiro conosco mesmos, para não nos trairmos; e com os nossos parceiros e antagonistas na sequência, no eterno embate para ganharmos o jogo sem que o outro perca tudo.

* * *

Viver as experiências capitalistas em busca do lucro e de expansão dos negócios pode ser compatível com a prática de valores morais e éticos enraizados em cada um de nós? A resposta depende do que aproveitamos dos ensinamentos que família, escola e a vida nos proporcionam. O filósofo Clóvis de Barros Filho e a Monja Coen Sensei, cada um a seu modo, nos disseram exatamente isso nesta semana: fortaleça-se como gente e você será mais capaz de evoluir como profissional. Vamos praticar isso desde agora? Coragem.