Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 6 novembro 2009

Canoas, cidade dormitório?

06 de novembro de 2009 6

Bem que a cidade poderia ter uma zona boêmia como a Lima e Silva, na Capital. Foto: Marcos Nagelstein, BD

Recentemente, em outro post, do companheiro de blog do + Canoas, o professor Odiombar, faz uma interessante análise acerca da aparente invisibilidade dos nossos jovens universitários e, da aparente falta de ligação deles com Canoas. Chega-se, depois de uma profunda análise, a um ponto emblemático em Canoas, o da “cidade dormitório”.

Esse infeliz apelido, seja lá por quem dado, acaba por não só por levar os jovens universitários do município a procurarem outras cidades para se encontrarem em cafés para debates como também para se divertirem à noite. Esse estigma até renderia um ótimo trabalho acadêmico, o porquê de Canoas não possuir vocação de entretenimento para os jovens.

Essa “tradição” que caminha junto com a cidade desde seus primórdios se deve muito aos prefeitos e aos vereadores eleitos. Nunca se teve notícias de qualquer projeto de lei que incentivasse a criação de uma “zona boêmia”, ou seja, da criação de um local específico para bares, restaurantes e casas noturnas como existe nas outras cidades. Qual seria a dificuldade do município conceder incentivos fiscais para que, junto aos empresários, transforme-se a Dr. Barcelos ou a Inconfidência numa Lima e Silva?

Segundo o IBGE, Canoas possui 320 mil habitantes sendo que, desses, 44% são jovens, ou seja, 140 mil habitantes com menos de 29 anos. Cá entre nós, será que a nossa cidade não mereceria mais opções de lazer tanto de dia quanto à noite? Será que os jovens continuarão sendo convidados a se divertirem fora dos domínios da nossa cidade?

Postado por Pablo Ricardo Prandini, Conselho de Blogueiros

Hoje, nas bancas da cidade

06 de novembro de 2009 0

No + Canoas que circula hoje, encartado em Zero Hora e no Diário Gaúcho apenas na cidade, você verá um levantamento exclusivo da Brigada Militar que mostra o crescimento dos ataques a residências em Canoas. Também vai saber mais detalhes sobre a situação de duas motolâncias que seriam usadas para atendimentos de emrgência em Canoas, mas estão paradas na Capital em função da burocracia. Além disso, lerá um texto do subprefeito Julio Ribeiro sobre a história de luta e superação do bairro Mathias Velho.
Entre os personagens da cidade em destaque neste número estão Pablo Brasil, promessa do motocross, os alunos do Cristo Redentor que foram à mostratec e Jan Rozbora, um zelador cheio de histórias.

Para participar do jornal, com fotos e textos, escreva para canoas@zerohora.com.br

Postado por Clarissa Ciarelli, Redação ZH