Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts do dia 28 abril 2010

Um café com o mestre

28 de abril de 2010 2

Antônio Canabarro Tróis Filho, o Tonito, é para os escritores de Canoas uma referência. Ao longo de seus bem vividos 83 anos de idade é quase impossível encaixar um horário na sua disputada agenda. Com antecedência, consegui marcar um café na praça de alimentação do Shopping Via Porcello justamente no Dia Internacional do Livro, comemorado no último dia 23.


Mário e Tonito se encontraram para um bate-papo sobre a cultural canoense

Ao longo de uma hora e meia de uma agradável conversa, falamos sobre sua passagem como cronista da extinta Folha da Tarde (muitas destas crônicas estão no livro Doce Exílio lançado na década passada), a fundação do jornal O Timoneiro junto com dois amigos em 1966, a participação em projetos da Fundação Cultural, o período em que foi vereador entre 1964-1967 e a publicação mensal dos Cadernos Canoenses há 17 anos.

No tocante, a Fundação Cultural é que a sabedoria deu lugar ao lamento: “A Fundação Cultural teve uma extinção sumária e surpreendente. Os vereadores concordaram de pronto com o que a prefeitura lhes apresentou sem dar a atenção que o assunto merecia. Não fosse a população ter se mobilizado para a criação da Fundação Cultural, o prédio teria sido demolido. Foi uma conquista do povo saudada com louvor na época. Foi prometido a continuidade aos projetos. Hoje, seria um dia onde haveria um encontro para comemorar a data internacional do livro. Um autor da cidade sempre era homenageado.”

Sobre o momento literário local, mostrou-se satisfeito. Tonito acredita que a literatura é uma ferramenta de sobrevivência da civilização.

- Penso que os escritores canoenses têm cumprido bem este papel. O que falta é os autores estarem mais próximos do poder público. E o poder público também procurar esta proximidade. Somente alguns cumprem este papel - destaca.

Assim, foi o nosso café vespertino. Debatendo as saudades da Fundação Cultural e elementos que regem a cultura local. Tudo muito agradável. Como sempre foi estar ao lado desta figura impar que é o mestre Tonito.

Texto e fotos enviados pelo blogueiro Mário Amaral Teixeira