Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de julho 2010

S.O.S telefones públicos

31 de julho de 2010 3

Mário Amaral Teixeira, Conselho de Blogueiros

Costumo utilizar com frequência, por economia, os telefones públicos de nossa cidade. No entanto, o vandalismo contra esse serviço, tão útil a nós cidadãos, é lamentável.

Recentemente, cansado de perambular atrás de um aparelho que funcionasse, parei para debater o problema com alguns moradores de Canoas. Indignados, tentamos encontrar as razões que levam tais indivíduos a destruir esse patrimônio público. Alguns moradores acreditam que eles atuam em grupos ao retornarem de festas, durante a madrugada.

Os troféus desses vândalos, no final da madrugada, são fones, teclados e fios, entre outras peças. É possível imaginar uma discussão entre eles sobre quem destruiu mais? A esses elementos quero especular algo nada impossível de acontecer. Quem sabe isso sensibilize eles a reavaliar os atos insanos que vêm praticando. Imagine-se chegando de uma festa no final da madrugada:

Ao entrar em casa você depara com algo de muito grave acontecendo. Alguns minutos lhe afastam de uma tragédia. Você precisa ser ágil. Um telefonema pode resolver tudo. Porém, você não possui um aparelho celular e, tampouco, um fixo.

Desesperado, você sai correndo rua afora até o orelhão mais próximo, que fica logo ali: na esquina. Após uma eternidade de segundos você finalmente chega ao local e retira rapidamente o fone do gancho. No entanto, a aflição o fez esquecer que, há menos de uma hora,os membros de sua turma haviam arrancado os fios do aparelho.

Desolado, você leva a mão ao bolso interno da jaqueta onde, ironicamente, estão alguns dos fios. A amarga lembrança do ato irresponsável. E agora, o que fazer? – você se pergunta.

Pois é, meu amigo, e agora?

Leia hoje nas bancas

30 de julho de 2010 0

Na capa desta semana, saiba mais sobre o atendimento do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) em Canoas, que tem recebido críticas de moradores e dos próprios funcionários. O trânsito problemático da cidade e a regulação do serviço na Capital são apontados como possíveis causas dos atrasos de ambulâncias. Na página 3, o relato de uma leitora sobre a morte de seu pai leva mais controvérsia à discussão sobre o atendimento.

Boas notícias para a segurança dos canoenses. Foram definidos os locais em que serão instaladas 32 novas câmeras de monitoramento, em outubro. Antes disso, daqui a um mês, devem ser concluídas as obras no Instituto Penal de Canoas (IPC), que passará a contar com 120 vagas – antes, eram 40.

Na seção Voz das Ruas, um leitor critica a iluminação pública no bairro Igara, onde sobram lâmpadas acesas durante o dia e falta luz à noite.

Não deixe de ver as fotos do Antes e Depois do Em foco. Veja se adivinha a foto da rua que está na coluna do fotógrafo de Zero Hora Arivaldo Chaves. Mande a sua sugestão para o nosso e-mail.

Se você também quer ser um leitor-repórter, envie sua contribuição para o nosso e-mail canoas@zerohora.com.br ou ligue para 3428-7353 e fale com a repórter Sabrina. Para saber o que fazer no fim de semana, confira as dicas do Roteiro.

O + Canoas circula hoje encartado dentro da Zero Hora e do Diário Gaúcho

Asccan sofre sem energia elétrica

29 de julho de 2010 0

Jô Amaral, Conselho de Blogueiros

Após a queda de um poste, durante o temporal que atingiu Canoas em 12 de junho, as atividades diárias da Asccan (Associação Cultural de Canoas) ficaram prejudicadas. As escolas que realizam aulas no local estão temporariamente impedidas de receber os alunos. Os funcionários e estágiários estão trabalhando em horários reduzidos.

Hoje, a Asccan tem parceria com aproximadamente 16 entidades do município. A realização de trabalhos culturais busca a inclusão social, beneficiando o cidadão no direito de exercer a cidadania. Os projetos sociais, que hoje beneficiam mais de 390 alunos por mês em oficinas culturais em diversos bairros, estão comprometidos, assim como a entrada de recursos para manter a estrutura do prédio. A falta de energia elétrica na Asccan tem causado grandes transtornos.

Nota da redação: o blog do + Canoas dá espaço para a prefeitura e a AES Sul se manifestarem sobre o problema.

Relógio do Corpo Humano no Capão do Corvo

26 de julho de 2010 0

Mário Amaral Teixeira, Conselho de Blogueiros

Os frequentadores do Parque Getúlio Vargas (Capão do Corvo) passaram a contar recentemente com uma nova atração: o “Relógio do Corpo Humano”.

O relógio é uma criação da MTC (Medicina Tradicional Chinesa), que afirma que cada meridiano de energia integrante da Grande Circulação apresenta duas horas de máxima atividade diária, período em que o órgão correspondente a cada meridiano se manifesta (funcionando involuntariamente).

O ritmo acelerado de vida dos tempos atuais torna cada vez mais difícil atendermos às necessidades de cada ciclo imposto pelo nosso corpo. No entanto, podemos mudar alguns hábitos e promover transformações significativas seguindo algumas regras.

Deixar o corpo livre de alimentos ou atividade, nos momentos em que ele está programado para se desintoxicar é essencial para essa regulagem. O relógio divide as 24 horas do dia em 12 períodos de duas horas em que, segundo os ensinamentos chineses, cada órgão atua de forma intensa. A cada um desses órgãos é apresentada uma planta medicinal a ser administrada nesses momentos.

O meu primeiro contato com o relógio foi em Ilópolis (RS), em 2009. Na ocasião, um guia da Emater apresentou-me esse curioso artifício milenar da medicina chinesa. Achei muito interessante. Fico feliz que a população de Canoas possa ter contato com um desses.

O Relógio fica próximo à pista em torno do lago do Capão do Corvo. Visite e aprenda!

Leia hoje nas bancas

23 de julho de 2010 0

Na capa do + Canoas desta semana, conheça mais sobre o projeto Canoas Criativa – Mulheres Identificando sua Autonomia, que incentivou artesãs canoenses a produzir coleções de vestuário e utensílios domésticos por meio de oficinas com orientação especializada. As peças produzidas estão em exposição na prefeitura até o dia 30 deste mês.

O atendimento nas farmácias públicas do município e do Estado virou assunto após a reclamação de uma leitora. Aproveitamos para mostrar como e onde funciona o sistema de distribuição de medicamentos gratuitos em Canoas.

Na seção Voz das Ruas, mostramos críticas às condições do asfalto em ruas do bairro Mathias Velho e do residencial Porto Belo. Os buracos dificultam o acesso de moradores a algumas casas e provocam acidentes, segundo os leitores.

Não deixe de ver as fotos do Antes e Depois do Em foco. Veja se adivinha a foto da rua que está na coluna do fotógrafo de Zero Hora Arivaldo Chaves. Mande a sua sugestão para o nosso e-mail.

Se você também quer ser um leitor-repórter, envie sua contribuição para o nosso e-mail canoas@zerohora.com.br ou ligue para 3428-7353 e fale com a repórter Sabrina. Para saber o que fazer no fim de semana, confira as dicas do Roteiro.

O + Canoas circula hoje encartado dentro da Zero Hora e do Diário Gaúcho

Dia da família no Barão do Mauá

20 de julho de 2010 0

Mário Amaral Teixeira, Conselho de Blogueiros

A Escola Municipal de Ensino Fundamental Barão de Mauá, localizada no bairro Fátima, promoveu, no sábado passado, o Sábado da Família.

O evento, que foi aberto com um delicioso café da manhã servido pela direção, enfocou a importância de pais atuantes na escola, tanto em relação à participação na vida escolar dos filhos quanto na interação com professores e direção.

Mesmo com chuva e frio, um número expressivo de pessoas compareceu. Sorridentes, as crianças desfilavam pelos corredores e salas mostrando os trabalhos realizados sobre o tema Valores e Virtudes.

O evento seguiu com minha palestra, que enfocou o livro Garoto boação. Juntos, professores, pais e alunos interagiram com os temas apresentados e cantaram a música tema do livro.

É de grande valia poder participar de eventos como esse. Momentos em que é possível discutir valores com a presença de familiares são cada vez mais raros nos dias de hoje.

A culminância se deu com a manifestação da diretora Gislaine, que se mostrou satisfeita com o evento.

- Queremos promover outras atividades como esta durante o ano letivo. Temos uma data em outubro como possibilidade, inclusive – disse a diretora.

De fato, a continuidade fortalece ideias interessantes a prosperarem. Fica aqui o cumprimento à direção pela iniciativa.

Uma alternativa para escapar da BR-116

19 de julho de 2010 3

Fernando Lopes, Conselho de Blogueiros

Engarrafamentos na BR-116 fazem parte da rotina dos moradores da Região Metropolitana que precisam se deslocar para a Capital. Diariamente, boletins de trânsito idênticos são dados nos noticiários matinais de rádio: “o trânsito está parado na BR-116, sentido Interior-Capital, desde a Praça do Avião, no centro de Canoas, até a estação Fátima do Trensurb”.

O que agrava a situação é o fato de não haver possibilidade de alargar as pistas da rodovia, uma vez que de um lado estão localizados os trilhos do metrô e do outro a Avenida Getúlio Vargas, uma das principais vias de Canoas. Medidas emergenciais, como a extinção do acostamento em alguns trechos para a criação de uma pista adicional foram tomadas recentemente. Há também o projeto de construção da Rodovia do Parque (BR-448), uma nova via para ligar as mesmas regiões e que poderá desafogar o trânsito da 116. A expectativa é de que ela fique pronta em 2012.

Existe, no entanto, uma maneira de fugir do caos da BR-116. É possível utilizar a Avenida Guilherme Schell, paralela à BR e localizada no outro lado dos trilhos do Trensurb. Ao cruzar a ponte do Rio Gravataí, o motorista dobra à direita, na Rua João Moreira Maciel – praticamente uma pista lateral da BR-290, a Freeway. Cinco minutos depois, há um acesso à Freeway, que se transforma em Avenida Castelo Branco e chega ao Centro de Porto Alegre.

Apesar de servir como um atalho, a Rua João Moreira Maciel está em mau estado de conservação. Buracos espalhados pela pista podem danificar os veículos e até mesmo provocar acidentes. Cabe ao motorista – enquanto o poder público não toma medidas para reformar a pista – pesar benefícios e prejuízos e optar entre um caminho lento, mas em boas condições, ou um acontrtalho esburacado.

Identidade multicultural

13 de julho de 2010 1

Mário Amaral Teixeira, Conselho de Blogueiros

O assunto “falta de identidade cultural” é comum entre os que produzem cultura em Canoas. Uma espécie de assombração que ronda as nossas cercanias, discutida à exaustão sem que sejam apresentadas soluções.

Confesso não compartilhar de tais colocações. Nossa cidade é rica em cultura em todos os segmentos. O fato de ela ser produzida por quem vem de fora ou por um indivíduo nascido no Gracinha (Hospital Nossa Senhora das Graças) pouco importa.

Aprecio participar de reuniões onde diferentes sotaques ajudam a decidir os caminhos da literatura canoense. Nunca houve preconceito com esse ou aquele indivíduo por isso por quem quer que seja.

Acredito que a tal “identidade cultural”, que muitos almejam, só será alcançada mostrando o que produzimos aqui em outras localidades. Algo que vem fazendo a Casa do Poeta de Canoas, por exemplo: leva de forma efetiva seus associados a eventos culturais da cidade e, fora dela, também.Representada por um número considerável de integrantes, a Casa do Poeta já realizou saraus até no histórico teatro da cidade de Triunfo – uma caravana cultural conduzida com eficiência pela presidente Maria Rigo.

Porém, o tema é, muitas vezes, tratado de forma equivocada. Como ocorreu no início da década passada, quando a ACE (Associação Canoense de Escritores) conseguiu uma verba pública de R$ 25 mil. Equivocadamente, a direção da época resolveu locar uma sala num dos prédios mais caros da cidade, pensando que, com endereço fixo, estaria criando uma identidade ou ponto de referência.

Boa parte do valor conquistado se esvaiu no pagamento do aluguel e nenhuma página foi publicada com textos de escritores locais. Não teria sido mais interessante publicar antologias, como as gestões seguintes fizeram? Quem faz nossa cultura precisa saber que vale a pena cruzar a ponte do Gravataí. Que há portas abertas em diferentes localidades. O intercâmbio é válido, sempre.

Escrevi esse texto com a experiência de quem esteve em dezenas de cidades e escolas nesses quase dez anos de carreira, interagindo com alunos, professores, escritores e livreiros, promovendo meus livros e colocando-os à disposição em bibliotecas. São palavras de um autor com a identidade canoense (mesmo tendo nascido em Porto Alegre).

Corpo de Bombeiros de Canoas é atingido com o vendaval

12 de julho de 2010 1

Até mesmo o quartel central do Corpo de Bombeiros de Canoas, no bairro Marechal Rondon, teve prejuízos com as chuvas e vendavais que atingiram a cidade na madrugada desta segunda-feira. Duas árvores de grande porte e telhas do quartel caíram sobre três veículos particulares de militares e sobre uma viatura de resgate da corporação. A viatura teve perda total. Desde as 6h, quando ocorreu a queda, o Corpo de Bombeiros está sem energia elétrica.

– Hoje à tarde, o efetivo dos bombeiros passará para 30 pessoas. Pela manhã, 20 agentes atuaram nas ruas. Os militares do posto do bairro Mathias Velho também estão no quartel central. Daqui partimos para todas as ocorrências. Atendemos cerca de 100 chamados entre 6h e meio-dia – afirmou o comandante dos Bombeiros em Canoas, Julimar Fortes.  

Além dos bombeiros, atuam no corte e poda de árvores equipes da Defesa Civil e da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Segundo dados preliminares da prefeitura, mais de cem árvores caíram e quase 150 casas foram danificadas, sendo três destruídas. Caíram aproximadamente 70 postes. Até o momento, não foi registrada nenhuma vítima. Assustado com os vendavais, um homem de 81 anos, morador do bairro Olaria, teve de ser encaminhado para o Hospital de Pronto Socorro.  

Os bairros mais atingidos com os estragos foram Olaria, Estância Velha, Nossa Senhora das Graças, Guajuviras, Rio Branco, Mathias Velho, Vila Cerne, Mato Grande (Praia do Paquetá), Niterói e parte do Centro.

Prefeitura estuda remoção de quebra-molas irregulares

09 de julho de 2010 0

Em toda a cidade, há cerca de 670 lombadas. Outras 550 aguardam na fila de espera

Dirigir pela Rua José Veríssimo, no bairro Harmonia, é um exercício de paciência. Há nove quebra-molas na via, que possui apenas dois quilômetros de extensão. Situações como essa são comuns em Canoas. Embora ainda não tenha contabilizado quantas das lombadas existentes na cidade são inúteis ou estão fora dos padrões, a Diretoria de Trânsito da Secretaria Municipal de Transportes e Mobilidade garante que está freando a instalação desordenada dos obstáculos e estuda a retirada de alguns deles.

– Sabemos que muitos contrariam na legislação, que é de 1998. Dos 550 pedidos em tramitação, só aceitaremos os que estiverem dentro da lei – observa o diretor de Trânsito, Paulo Astrana.

Uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), estabelece padrões e critérios para a instalação de lombadas. A velocidade máxima permitida na via deve ser de 30km/h. Outro pré-requisito é que não transitem por ela linhas regulares de transporte coletivo. Essas duas determinações, caso fossem seguidas à risca, eliminariam os nove quebra-molas da José Veríssimo, por onde circulam duas linhas de ônibus.

Vilson Vitória, professor do curso de Transporte Terrestre da Ulbra, observa que as autoridades de trânsito devem priorizar a avaliação técnica em detrimento de solicitações da comunidade, que costumam partir de comoções públicas diante de acidentes com vítimas fatais. Ele ressalta, ainda, que a análise deve ocorrer de forma periódica.

– Hoje podemos precisar de uma lombada em um lugar, mas, dependendo das mudanças no trânsito, ela pode passar a ser dispensável – diz Vitória.

O professor avisa que a presença de quebra-molas sem sinalização pode colaborar para a ocorrência de acidentes em vez de cumprir sua suposta tarefa de reduzi-los.

Excesso de lombadas prejudica serviços básicos

A quantidade de quebra-molas na cidade é uma preocupação para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Seguidamente, os veículos que atendem Canoas estão em manutenção devido a problemas na suspensão.

– Conseguimos ultrapassar sinais vermelhos, mas não temos como evitar o quebra-molas. Nosso objetivo é chegar rápido ao local para salvar vidas, mas precisamos parar e engatar a primeira marcha para retomar a velocidade. Sem contar a instabilidade para o paciente que está dentro do veículo – aponta Giani Villagra, condutor do Samu.

Quem também reclama das lombadas é o gerente de Operações e Planejamento da Vicasa e Sogal, Flávio Caldasso. Segundo ele, para fazer o percurso de ida e volta da linha Integração-Estância Velha, o motorista passa por 48 quebra-molas.

Paulo Astrana adianta que quatro quebra-molas do bairro Mathias Velho serão retirados nos próximos dias. Os obstáculos estão localizados num cruzamento com sinaleira, sem qualquer utilidade. Outra promessa do dirigente é a terceirização do trabalho de pintura das lombadas. Durante a noite, é difícil visualizálas. A ideia é substituir a tinta normal pela termoplástica, que pode durar até cinco anos.

Sabrina Corrêa, especial

Leia hoje nas bancas

09 de julho de 2010 0

Na capa do + Canoas desta semana, discutimos o problema dos quebra-molas irregulares espalhados por Canoas. O poder público estuda a remoção de algumas das 670 lombadas já existentes. Segundo o diretor de trânsito da Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade, Paulo Astrana, há 550 pedidos de novas lombadas aguardando apreciação.

Um mapa mostra as alterações no trânsito em volta da BR-116 após a criação de uma terceira via para os motoristas que partem de Canoas com destino a Porto Alegre. A Avenida Victor Barreto tem registrado congestionamentos durante o horário de pico, pela manhã.

Na seção Voz das Ruas, leitora critica o trânsito na Avenida Guilherme Schell. Ela aproveita para dar sugestões sobre o que deve ser mudado em relação à via. Na mesma seção, há reclamações sobre a extinção de linhas de ônibus no bairro Harmonia e as condições precárias da Praça Jardim Bonanza.

Não deixe de ver as fotos do Antes e Depois do Em foco. Veja se adivinha a foto da rua que está na coluna do fotógrafo de Zero Hora Arivaldo Chaves. Mande a sua sugestão para o nosso e-mail.

Se você também quer ser um leitor-repórter, envie sua contribuição para o nosso e-mail canoas@zerohora.com.br ou ligue para 3428-7353 e fale com a repórter Sabrina. Para saber o que fazer no fim de semana, confira as dicas do Roteiro.

O + Canoas circula hoje encartado dentro da Zero Hora e do Diário Gaúcho

Maternidade do Graças pode ser reativada às pressas em caso de problemas no HU

08 de julho de 2010 0

A partir de hoje, o Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG) terá de reabrir em até 48 horas o seu Centro Obstétrico em caso de eventualidades na maternidade do Hospital da Ulbra (HU), como crises de superlotação. A decisão foi pactuada nesta tarde durante reunião entre o prefeito Jairo Jorge, a secretária municipal de saúde, Beth Colombo e a direção da Associação Beneficente de Canoas (ABC), mantenedora do HNSG.

O superintendente do Graças, Marlis Bergmann, e o diretor técnico, Adriano Venturini, admitiram que dificuldades financeiras motivaram o fechamento da maternidade, em 16 de junho.

O caso foi capa da edição passada do + Canoas. Na reportagem de Sabrina Corrêa, a classe médica mostrava preocupação com a sobrecarga no HU, que se tornou o único hospital a atender partos em Canoas.

O homem das cuias

05 de julho de 2010 2

Cauê Nascimento, Conselho de Blogueiros

Gostaria de escrever sobre um amigo que, há exatos 30 anos, perdeu sua cuia de estimação enquanto todos gritavam “Ucho, Ucho, Ucho, o papa é gaúcho!”

Ari de Souza, 70 anos, conhecido como Ari das Cuias por seu oficio como artesão, nasceu em Giruá, onde cresceu preparando erva-mate artesanal com seu pai no barbaquá.

Ari adquiriu o gosto pelo trabalho e mudou-se para Porto Alegre aos 16 anos. Após algum tempo, foi para Curitiba, onde fundou com seu irmão o 1º CTG do Paraná, o 20 de Setembro. Regressando ao Rio Grande do Sul, ele fixou residência em Canoas e começou a participar do CTG Brazão do Rio Grande, onde exerceu diversos cargos na patronagem e, também, como gaiteiro.

Em 5 de julho de 1980, Ari perdeu sua cuia de estimação, que tinha bocal revestido de prata e ouro e a bomba incrustada de rúbis. Enquanto Ari tocava gaita na visita do papa João Paulo II, os tradicionalistas Paixão Cortes e Rodi Borghetti apanharam sua cuia e ofereceram ao pontífice, dizendo que ela era o símbolo da amizade e hospitalidade. O papa perguntou se era um presente e eles, sem alternativa, responderam que sim. Assim, a cuia de Ari acabou indo parar em algum museu do Vaticano.

O trabalho do artesão é reconhecido na Itália, Arábia Saudita, Israel, Alemanha e Japão. Ele se tornou conhecido pelas participações na Expointer, onde serviu chimarrão aos ex-presidentes Ernesto Geisel e João Figueiredo.

Ari é fundador da Associação dos Artesãos da Praça da Bíblia, no centro de Canoas, onde possui seu comércio _  fácil de identificar por possuir uma cuia no alto. Ali, ele comercializa suas mateiras, cuias e garrafas térmicas revestidas de couro.

Outra curiosidade é que, na casa de Ari, no bairro Marechal Rondon, a janela também possui forma de cuia.

Leia hoje nas bancas

02 de julho de 2010 1

Na edição de hoje, mostramos como a suspensão do atendimento obstétrico no Hospital Nossa Senhora das Graças pode afetar o Hospital Universitário (HU) da Ulbra. A crise financeira da qual a universidade tenta sair é uma das principais preocupações dos médicos. Eles também criticam a forma com que foi conduzido o fechamento da maternidade do Graças, que, segundo eles, fez parte dos planos da entidade para reduzir dívidas.

Na seção Voz das Ruas, um leitor critica o sistema de transporte público de Canoas. Segundo ele, há desrespeito aos horários dos ônibus e bagunça nas estações de embarque e desembarque. As críticas foram respondidas pela Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade (SMTM), que admitiu mudanças em breve.

A Sociedade Cultural e Beneficente Rui Barbosa faz uma homenagem ao seu fundador e patrono, Pedro Adão Marcelino, o Xirú, que completou 80 anos em 29 de junho.

Não deixe de ver as fotos do Antes e Depois do Em foco. Veja se adivinha a foto da rua que está na coluna do fotógrafo de Zero Hora Arivaldo Chaves. Mande a sua sugestão para o nosso e-mail.

Seja você também um leitor-repórter e envie sua queixa para o nosso e-mail canoas@zerohora.com.br ou ligue para 3428-7353 e fale com a repórter Sabrina. Para saber o que fazer no fim de semana, confira as dicas do Roteiro.

O + Canoas circula hoje encartado dentro da Zero Hora e do Diário Gaúcho

Abraço ao HU em comemoração ao aniversário de reabertura do hospital

01 de julho de 2010 0

Em clima de união e otimismo, alunos, professores e funcionários da Ulbra realizaram um abraço ao Hospital Universitário (HU), que completa neste mês um ano desde a sua reabertura. A iniciativa também marcou a comemoração pela decisão da nova reitoria de manter o foco educacional nas atividades da unidade. O diretor da área de saúde da Ulbra, Jorge Alberto Zanatta disse que, apesar das dificuldades, todos os esforços estão sendo feitos para manter o HU de portas abertas.

- O ato mostra que o hospital tem um importante papel tanto para o ensino quanto para a população atendida – reforçou o diretor técnico da Ulbra, Júlio Boehl.