Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de setembro 2010

Sexta-feira quase santa

27 de setembro de 2010 0

Erivaldo Júnior

Era início de ano letivo e eu estudava à noite. Estava estreando no Jussara Polidoro, escola próximo de casa, que, segundo se comentava, era “suspeita” – eufemisticamente, é claro. A turma na qual fui parar era uma balbúrdia, com 40 alunos (no mínimo), impossível de se ministrar as aulas. Eu, já com 21 anos e repetente, me sentia um tio em meio àquele povo. Do alto de minha arrogância, considerava meus colegas intragáveis.

A carruagem foi andando e recebemos a notícia de que, durante um período, as aulas de português (minha matéria predileta) seriam lecionadas por uma estagiária que cursava Letras no Unilassale, de nome Liliane. Na primeira aula, ela pediu que formássemos duplas para a seguinte tarefa: algumas dessas duplas teriam a incumbência de “inventar” a primeira metade de um texto, baseada na segunda metade da história original. Para outros – como eu e a menina que se reuniu comigo – foi entregue a primeira metade da história e, assim, teríamos de criar a segunda parte. Como sempre gostei de escrever – e o interesse subsequente pela faculdade de Jornalismo atesta isso -, assumi a bronca de compor sozinho o texto, tergiversando minha parceira. Rascunhei um terço do texto antes do recreio e o restante depois.

A estagiária fez um semicírculo para que nós lêssemos as redações, em uma sala já esvaziada pela metade por desertores contumazes. Então, pediu que fossem lidas somente as partes escritas pelos alunos. Não fui o primeiro a ler. Seguindo a ordem da esquerda para a direita, escolhida pela professora, e eu estava no meio do caminho. Chega a minha vez e o nervosismo bate – embora eu me sentisse confiante no que concerne à qualidade do texto, a título de comparação. Um dos meus sonhos é ser radialista – por essa trinca de motivos: interesse por música e informação; gosto pela palavra, em sentido amplo; e voz grave.

Dei tudo de mim para que – como estava ali mesmo (Ensino Médio), de onde já devia ter saído há um bom tempo -, minha performance fosse considerável. Ato contínuo, decidi lançar mão de minha influência radiofônica e fiz as vozes dos personagens (um homem conquistador e uma mulher, digamos, afetada), intercalando com minha voz aveludada na narração dos fatos. Ao fim do texto, fui simplesmente ovacionado pelos presentes, em uma atitude não esperada por mim. Eu, que julgava mal meus colegas – tachando-os de insensíveis, burros etc. – estava sendo aplaudido por eles, com direito a pedido de bis.

Foi um dos momentos mais marcantes da minha vida – e fazendo algo que é da minha vocação. A frase “não julgues para que não sejas julgado” caiu como uma luva naquele episódio. Gostaria muito de reencontrar Liliane, a simpática acadêmica que proporcionou este momento inesquecível pra mim.

Leia hoje nas bancas

24 de setembro de 2010 0

Na capa desta edição, conheça os motivos que têm barrado a regularização das áreas ocupadas na Vila João de Barro, no bairro Niterói, em Canoas. A medida, eleita no Orçamento Participativo de 2009 como uma das prioridades para este ano, ainda é esperada pelos moradores.

Na seção Voz das Ruas, publicamos a reclamação de um leitor sobre a insegurança em bairros como o Niterói e o Nossa Senhora das Graças. Segundo ele, medidas como a instalação de câmeras de monitoramento ainda não beneficiam a maior parte da cidade.

Saiba, também, quando e como concorrer às cerca de 1,6 mil vagas em creches municipais oferecidas pela prefeitura para 2011. A Secretaria de Educação estima que a procura triplicará em relação ao ano passado.

Não deixe de ver as fotos do Antes e Depois, na coluna Em Foco. Tente adivinhar o nome da rua que está na coluna do fotógrafo de Zero Hora Arivaldo Chaves. Mande a sua sugestão para o nosso e-mail.

Se você também quer ser um leitor-repórter, envie sua contribuição para o nosso e-mail canoas@zerohora.com.br ou ligue para 3428-7353 e fale com a repórter Sabrina Corrêa. Para saber o que fazer no fim de semana, confira as dicas do Roteiro.

O + Canoas circula hoje encartado dentro da Zero Hora e do Diário Gaúcho

Entulhos e mais entulhos

20 de setembro de 2010 1

Mário Amaral Teixeira, Conselho de Blogueiros

Não há bairro em Canoas onde não haja algum terreno baldio ou calçadas cheias de entulhos. São pisos quebrados, sofás, fogões, madeira, sacos plásticos, roupas, animais mortos e muito mais atirados a esmo por irresponsáveis.

Conversei recentemente com um morador (que preferiu não se identificar) incomodado por um destes entulhos, logo depois da divisa Cachoeirinha-Canoas, próximo à estrada do Nazário.

- O problema se repete há muito tempo. Basta à prefeitura retirar toda a espécie de imundície jogada na calçada que logo os carroceiros tornam a enchê-la durante a madrugada – me contou ele.

Conversei também com o proprietário de um estabelecimento comercial próximo a um destes terrenos no Bairro Niterói. A reclamação foi a mesma: sobre carroceiros descarregando entulhos durante a madrugada.

Creio ocorrer um erro estratégico na resolução desse grave problema ambiental. Percebi pelo comentário de outras pessoas com quem conversei. A maioria ou culpa o dono do terreno ou a própria prefeitura pelos entulhos. Claro que se os terrenos fossem cercados, seria evitado esse tipo de atitude dos carroceiros. No entanto, eles utilizam também as calçadas mais largas para isso – como ocorre na Avenida Santos Ferreira.

Seria sensato, por parte da prefeitura, tentar conhecer quem são estes carroceiros que atravessam as madrugadas poluindo a cidade. Abordá-los e penalizá-los, assim como se penaliza um mau motorista quando comete uma grave infração de trânsito. Desconheço se a prefeitura tem um registro do número de veículos de tração animal que trafegam em Canoas, a ocupação de cada um e tudo o mais.

No entanto, cabe salientar que o cidadão que pretende se livrar de algum entulho precisa ter a consciência de que aqueles trocados que paga para um carroceiro “consumir” com a sujeira diante dos seus olhos tem um alto preço à sociedade canoense. Acredito que, em seus lares, a sujeira deva ser varrida para baixo do tapete. Ou não?

Fica uma sugestão: não seria interessante a prefeitura distribuir algumas caçambas de entulho pelos bairros? Quem sabe isso crie uma nova consciência em todos os que promovem este tipo de agressão ao meio ambiente.

Leia hoje nas bancas

17 de setembro de 2010 0

Na capa desta edição, conheça a posição dos candidatos ao governo do Estado sobre temas controversos de Canoas: a construção do presídio no Guajuviras, o prolongamento da BR-386 e a falta de escolas técnicas estaduais na cidade.

Na seção Voz das Ruas, publicamos a reclamação de um leitor sobre os desníveis nas esquinas da Avenida Getúlio Vargas. Também contamos o que falta para que a usina de asfalto municipal comece a funcionar.

Conheça as propostas escolhidas pela comunidade no Orçamento Participativo, que devem ser executadas no próximo ano.

Não deixe de ver as fotos do Antes e Depois, na coluna Em Foco. Tente adivinhar o nome da rua que está na coluna do fotógrafo de Zero Hora Arivaldo Chaves. Mande a sua sugestão para o nosso e-mail.

Se você também quer ser um leitor-repórter, envie sua contribuição para o nosso e-mail canoas@zerohora.com.br ou ligue para 3428-7353 e fale com a repórter Sabrina Corrêa. Para saber o que fazer no fim de semana, confira as dicas do Roteiro.

O + Canoas circula hoje encartado dentro da Zero Hora e do Diário Gaúcho

Conhece o Mário?

16 de setembro de 2010 0

Erivaldo Júnior

Mário Azevedo, 48 anos, nasceu em Canoas. Ex-morador do Mathias Velho, mudou-se para o Guajuviras há 20 anos. Residente no setor 2, é figura célebre no bairro, especialmente pelos últimos cinco anos, quando abriu uma lan house adjunta a um mini mercado – esse, funcionando desde 1999. Mário empresta seu nome aos dois empreendimentos, o que contribuiu para sua popularidade – inclusive no Orkut.

Atuando ao lado da filha Daiane, o ex-coordenador de vendas afirma que os rendimentos de um e outro negócio se equivalem. Garante também que a proximidade com o colégio Jussara Polidoro auxilia o comércio, principalmente na lan house. Este humilde escriba é um dos seus clientes.

Notório por sua paixão pelo Internacional, Mário esclarece que a rivalidade sadia tem ajudado o negócio a prosperar, pois, segundo ele, quando o tricolor ganha, são os gremistas que pagam suas contas, consumindo os alimentos do mercadinho ou acessando a internet.

Mário ressalta que no último ano a violência tem diminuído no bairro, o que, para ele, comerciante e morador da região, o faz pensar em garantir uma melhor infra-estrutura para seu comércio. De nossa parte, queremos continuar ouvindo por longo tempo seu tradicional bordão: – E aí, bonitão!

Um dia no Acampamento Farroupilha

13 de setembro de 2010 0

Cauê Nascimento, Conselho de Blogueiros

No dia 7, estive participando do Desfile Militar na Capital e, após, visitei o Acampamento Farroupilha no Parque da Harmonia. Lá, o numero de pessoas impressiona, assim como a fumaceira do churrasco, o custo de um lanche e o famoso atoleiro no barro que se forma em uma cidade dentro da cidade.

No regresso à minha casa, matei a curiosidade de saber como andariam os preparativos aqui na cidade.
Mudei a direção da minha caminhada e dirigi-me ao Parque Eduardo Gomes, às 16h30min. Dia de sol, refúgio de canoenses, estacionamento lotado, acenei para alguns conhecidos e fui em direção ao local onde é realizada a nossa festa.

Recebi as boas vindas do patrão Hermes Leites, do CTG Alma Tropeira, que me apresentou ao novo piso do galpão e ao fogão campeiro que construiu – no qual me intimou a fazer um café de chaleira.

Marteladas aqui, lixadas acolá, fios e fitas isolantes logo adiante, não passou despercebido o pessoal que cobria o local onde são realizados os bailes. Caminhei até lá e encontrei o Carmo Souza, presidente da Associação das Entidades Tradicionalistas de Canoas (AETC), e o Alex Galhardo, da Secretaria Municipal de Cultura. Segundo Galhardo, neste ano o lonão deixa de ter a forma de circo, ganhando uma área de 20×50 metros, além de ser dotado de um palco de 10×12 metros, camarins para os músicos, camarote para as autoridades, um tablado de 20×35 metros para gastar o taco das botas, 70 metros de arquibancadas para uma descansada e 50 banheiros químicos. Outra novidade, na parte de segurança, é a revista feita por empresa contratada, para aqueles que desejarem dançar na pista.

Em outra volteada, alguns patrões das entidades mostraram inconformidade com as normas exigidas pela Vigilância Sanitária. Além do custo do alvará, o órgão pede panos de copa brancos, uso de touca, luvas e avental mesmo quando os funcionários estiverem assando churrasco. Também proíbe o uso de tábuas para cortar carne, colheres de pau e panelas de ferro. Segundo os patrões, seriam demais os cuidados para quem está acostumado com a culinária gaúcha, que prima pela higiene, sabendo-se manipular os alimentos e ingeri-los sem risco.

Leia hoje nas bancas

10 de setembro de 2010 0

Na capa desta edição, leia sobre os projetos da prefeitura para diminuir a poluição visual na BR-116. Um deles é a redução de 50% dos anúncios publicitários ao longo da via. O outro, menos adiantado, inclui a restauração de canteiros e fachadas de prédio.

Na seção Voz das Ruas, publicamos a reclamação de uma moradora do Niterói sobre a insegurança no bairro. Ela conta que os assaltos são frequentes na Rua Bagé e proximidades. Confira o que a polícia respondeu.

Não deixe de ver as fotos do Antes e Depois, na coluna Em Foco. Tente adivinhar o nome da rua que está na coluna do fotógrafo de Zero Hora Arivaldo Chaves. Mande a sua sugestão para o nosso e-mail.

Se você também quer ser um leitor-repórter, envie sua contribuição para o nosso e-mail canoas@zerohora.com.br ou ligue para 3428-7353 e fale com a repórter Sabrina Corrêa. Para saber o que fazer no fim de semana, confira as dicas do Roteiro.

O + Canoas circula hoje encartado dentro da Zero Hora e do Diário Gaúcho

Ler é preciso

08 de setembro de 2010 0


Tiago Maino Pinheiro, Conselho de Blogueiros

Ali, enfileirados, como se almejassem ser convocados, estão eles, os maiores contadores de histórias. Cuidadosamente perfilados, esperam por narrar seus amores, traições e conflitos. Aguardam, de modo incansável, para revelar seus júbilos e sucessos. Transpostos em letras, passeiam os mais inusitados sentimentos e as mais distintas situações.

Entre as inúmeras prateleiras da Biblioteca João Palma da Silva, o canoense pode, sem muito esforço, adentrar o mundo literário, fazer pesquisas e deleitar-se com os livros dos mais clássicos escritores.

Caso o leitor queira levar alguma obra para casa, um breve cadastro deve ser feito. Para associar-se ao local, é necessário que o morador da cidade traga consigo uma foto 3×4, comprovante de residência e a necessária vontade de invadir o terreno das letras. Para a manutenção dos livros, uma simbólica taxa anual de R$ 5 é cobrada.

E aí, está esperando o quê? A biblioteca fica na Rua Ipiranga, 105, Centro. Para maiores informações, visite www.bibliotecajoaopalmadasilva.blogspot.com ou ligue para 3462-1622.

Cras móvel no Dique da Rio Branco

07 de setembro de 2010 0

Após a pausa para o feriado do Dia da Independência, o serviço móvel do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) atenderá moradores do Dique da Rio Branco a partir de amanhã.

O veículo leva serviços básicos a cidadãos que moram em áreas mais distantes de Canoas, como a obtenção de documentos básicos e o cadastramento em programas sociais.

Programação para esta semana:

Amanhã – Escola Monteiro Lobato
Quinta-feira – Esquina Boa Saúde
Sexta-feira – Escola Nelson Paim Terra

O Cras móvel atende das 13h às 17h.

Ulbra oferece curso de espanhol gratuito

05 de setembro de 2010 2

O curso Espanhol para Todos – Preparando para a Copa de 2014, oferecido pela Ulbra, estará com inscrições abertas a partir de quarta-feira. As aulas são gratuitas e desenvolvidas pelo curso de Letras, em parceria com a Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade. Serão 80 vagas divididas em quatro turmas.

O projeto foi criado visando a Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil e terá Porto Alegre como uma de suas sedes. As aulas serão ministradas em diversas regiões do Estado. No campus Canoas, começam no dia 11, seguindo nos sábados e nas quintas-feiras.

As inscrições podem ser feitas no Espaço Extensão e Cultura, no saguão do Prédio 6 do campus Canoas. Mais informações pelo telefone 3477-9103.

Duas pátrias em festa

04 de setembro de 2010 0

Cauê Nascimento, Conselho de Blogueiros

“O sangue guapo dos heróis e dos valentes, que ainda corre adormecido em nossas veias, há de aquecer-se em novas rondas e vigias, nos dando forças pra arrebentar as maneias” (Cenair Maicá, Chaloy Jara)

Chegamos em  setembro, o mês de nossas duas pátrias: a grande (Brasil) e a “chica” (Rio Grande do Sul).

Em nossa cidade, as comemorações da Semana da Pátria começaram na quarta-feira, com a chegada do Fogo Simbólico. Ele estava sob a guarda do V Comar desde 17 de agosto, quando foi aceso em Novo Hamburgo, na chama do Santuário das Mães.

Hoje, a prefeitura promoverá um desfile cívico, na Avenida Inconfidencia, formado por 6 mil pessoas, incluindo Bombeiros, Brigada Militar e Aeronáutica (sempre pensei que estes fossem militares, mas, de acordo com o site da prefeitura, o desfile será apenas cívico).

Por uma exigência do comércio, o desfile foi deslocado para Avenida Inconfidência, o que rendeu, inclusive, agradecimentos por parte da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) ao prefeito. Dessa forma, o evento não perturbará o funcionamento das lojas.

Enquanto isso, a Chama Crioula continua seu trajeto, a pata de cavalo desde Itaqui, percorrendo 750 km até chegar a Canoas para as comemorações farroupilhas. É interessante a questão histórica do fogo, mística que reúne ao seu redor o homem desde os tempos das cavernas até os dias de hoje.

A Chama Crioula teve origem na centelha do Fogo Simbólico em 7 de setembro de 1947, com Paixão Côrtes e o Grupo dos 8. A centelha veio do cemitério de Pistóia, onde estavam sepultados os pracinhas brasileiros que tombaram durante a II Guerra Mundial.

Ainda com referência ao folclorista, historiador, pequisador, cantor e coreógrafo João Carlos d’Ávila Paixão Côrtes, cabe salientar que, nesta quarta-feira, ele foi eleito, pela Câmara Rio-grandense do Livro, patrono da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre.

Um jornalista da capital chegou a dizer que a “estátua” deveria ficar fora da disputa (referência a Côrtes ter servido de modelo ao escultor Antônio Caringi para a estátua do Laçador). Pois bem: a estátua está eleita para o patronato desta que é a maior feira do livro a céu aberto.

* O blogueiro representa, na cidade, a Liga de Defesa Nacional – entidade fundada, em 1919, pelo poeta Olavo Bilac e que organiza anualmente a corrida do Fogo Simbólico da Pátria.

Saiba quais serviços municipais funcionarão no feriado

03 de setembro de 2010 0

O que funcionará no dia 7:

– Hospital de Pronto Socorro de Canoas (Rua Caçapava, 100, bairro Mathias Velho, tel 3415-4500)

- Hospital Nossa Senhora das Graças (Av. Santos Ferreira, 1864, bairro Marechal Rondon – tel 2102-1000)

– SAMU – Atendimento de urgência 24 horas (tel 192)

– Ambulâncias – Plantão das 7h às 19h. (tel 3468-6463 e 3463-9885)

– Defesa Civil – Plantão 24h (tel 3476-3400 e 9240-1023)

– Fiscalização de trânsito – Plantão 24h (telefone 3462-1661)

– Cemitérios – Atendimento normal

– Coleta de lixo – Atendimento normal (tel 3462-1643)

– Recolhimento de animais mortos – Atendimento normal

Leia hoje nas bancas

03 de setembro de 2010 0

Na capa desta edição, leia sobre o projeto que a prefeitura prepara para preservar parte da Fazenda Guajuviras. O plano é que a área abrigue, além do novo presídio e de um parque empresarial, um parque natural voltado ao cuidado com à natureza. Uma reserva ambiental restrita também está nos planos.

Outra boa notícia para os canoenses é abertura de um novo Centro de Apoio Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD), no bairro Igara. A unidade atenderá dependentes químicos e seus familiares, além de orientar a comunidade.

Não deixe de ver as fotos do Antes e Depois, na coluna Em Foco. Tente adivinhar o nome da rua que está na coluna do fotógrafo de Zero Hora Arivaldo Chaves. Mande a sua sugestão para o nosso e-mail.

Se você também quer ser um leitor-repórter, envie sua contribuição para o nosso e-mail canoas@zerohora.com.br ou ligue para 3428-7353 e fale com a repórter Sabrina Corrêa. Para saber o que fazer no fim de semana, confira as dicas do Roteiro.

O + Canoas circula hoje encartado dentro da Zero Hora e do Diário Gaúcho

Antigo posto de saúde permanece abandonado

01 de setembro de 2010 0


Fernando Lopes, Conselho de Blogueiros

Depois de oito anos de esquecimento, o que restou da unidade de saúde mental da Avenida Santos Ferreira, 3.010, é uma placa da prefeitura fixada na parede frontal externa, rodeada por pichações. O prédio é hoje ocupado por mendigos e usuários de drogas, conforme relatos dos moradores da região.

_ Já vi brigas entre eles quando estavam drogados ou bêbados – comenta Diego Volnei, 27 anos, que trabalha em frente ao prédio. Ele considera que a situação melhorou depois de algumas ações da polícia na remoção dos indivíduos.

Situado no bairro Estância Velha, o posto parou de funcionar em 2002 e não foi mais lembrado pela prefeitura. O motivo: problemas estruturais somados a uma portaria do Ministério da Saúde que determinou que o serviço de saúde mental ficaria a cargo dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps).

– O prédio não se enquadrava nos requisitos da portaria para abrigar um Caps – afirma Rosane Kern, atual gestora de saúde mental do município, que coordenou o posto entre 1997 e 1998.

Em 2008, o Tribunal de Contas da União determinou que o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) promovesse a regularização de suas propriedades. O posto da Santos Ferreira estava registrado em nome do INSS, e foi desocupado pela prefeitura. O processo ainda não está concluído, como informa a gerente do INSS de Canoas, Raquel Lewandowski.

– Qualquer afirmação feita agora está incorreta. É um assunto delicado e que leva tempo até ser esclarecido – enfatiza.

A secretaria municipal de Saúde tem interesse em recuperar o prédio. No momento, estudos de implantação de um Hospital Dia – forma intermediária de atendimento entre as modalidades hospitalar e ambulatorial – estão em andamento.

– Conseguimos uma verba de R$ 200 mil com a União para reformar o local. Agora, a nossa prioridade é conseguir a transferência da propriedade para o município _ informa Leandro dos Santos, secretário adjunto de Saúde.

Cifras

Em 2008 e 2009, o gasto de Canoas com aluguel de imóveis superou R$ 2 milhões por ano, segundo dados repassados pelo Tribunal de Contas do Estado. Dos 25 postos de saúde existentes em Canoas hoje, cinco são alugados

ACE está de aniversário

01 de setembro de 2010 0

Mário Teixeira, Conselho de Blogueiros

A Associação Canoense de Escritores (ACE) completa, hoje, oito anos. Fundada em 2002, por um grupo de autores locais _ entre eles, Antônio Canabarro Tróis Filho, Henrique Martins de Freitas, Emilce Webber e este que vos escreve _, a ACE passou por altos e baixos no decorrer desses anos.

Responsável pelo lançamento de autores de dentro e de fora da cidade, seja na publicação de antologias, saraus ou em participações em feiras do livro, a entidade nunca alcançou o reconhecimento merecido dentro do segmento cultural canoense.

Apesar do esforço das direções que por lá passaram, nunca se conseguiu um espaço fixo onde os livros dos associados fossem expostos, uma sede ou o patrocínio de projetos que põem em evidência a rica literatura produzida neste certame.

Chances como a conquista de R$ 25 mil junto ao orçamento do município, em seus primeiros anos de vida, acabaram sendo empregados em pequenos projetos ou no aluguel de uma sala que pouco foi utilizada, num dos prédios mais caros do Centro. Sequer uma página com textos dos autores foi publicada, o que muitos dos associados lamentam até hoje.

A gestão 2010/2011 tem na presidência o escritor Etevaldo Silveira e, como vice, Décio Dalke. Uma das conquistas da nova gestão é o lançamento de um site (www.artistasgauchos.com.br/ace) com notícias, estatuto da entidade, capas de livros de associados e fotos. O site, em construção,  ainda não conta com os nomes de alguns dos escritores que fazem parte da história da entidade.

A direção comemorará  o aniversário com os seus associados amanhã, com um almoço na Associação Servidores Municipais de Canoas (ASMC). Na ocasião, será concedido um diploma de sócio-honorário ao escritor Walter Galvani. Estão todos convidados.