Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de março 2014

Curso gratuito de qualificação para mercado de trabalho está com inscrições abertas

31 de março de 2014 0

Crédito: Mateus Bruxel
Estão abertas as inscrições, até 8 de abril, para o curso de Preparação para o Trabalho. As vagas são limitadas e os interessados, a partir de 14 anos, podem se inscrever gratuitamente.

O curso, destinado a jovens e demais pessoas que querem se recolocar no mercado de trabalho, integra o Projeto Profissional do Futuro, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), por meio da Diretoria de Emprego, Trabalho, Renda e Formação Profissional, em parceria com as Subprefeituras do município.
Para se inscrever, é necessário comparecer na subprefeitura Sudeste (Rua Marechal Rondon, 100, bairro Niterói), portando carteira de identidade.

Ministrado pelo palestrante Paulo Boleck, o curso será realizado nos dias 8, 10, 15 e 17 de abril, das 14h às 16h. No programa do curso, Mudanças do Mundo Moderno, Equipe de Trabalho, Motivação, Postura e Apresentação Pessoal, Currículo, Entrevista de Trabalho e Empregabilidade. Ao final do treinamento, os alunos recebem certificado.

Informações pelo telefone 3475-2525.

Em foco: intervalo merecido

30 de março de 2014 0

Crédito: Matheus Beck

A hora de intervalo pode ser aproveitada nas academias públicas. Se não para um exercício, mas para um merecido descanso.

Participe

# Envie fotos para o e-mail canoas@zerohora.com.br. Mande com seu nome completo e telefone. Vale alguma imagem curiosa, bonita ou antiga, da região. Também é possível mandar fotos, com a dica, para a seção Que Rua é Esta?

# Atenção: as fotos devem ter pelo menos 300kb para serem publicadas.

Parque Ozanan, uma década de esquecimento

29 de março de 2014 0

Leito-repórter

Silvio Esteves, morador do Parque Ozanan

Crédito: Matheus Beck

“Moro no Parque Ozanan desde 2006 e, quando surgiu esse loteamento, foi passada a informação de que haveria uma praça no local. Até hoje, ela não foi construída _ e sempre surgem inúmeras justificativas _, o que deixa a comunidade sem expectativas. Já abri um processo na prefeitura, que foi arquivado, sem resposta.
Essa praça ficaria na Rua Montreal. No espaço onde ela deveria estar, acumula-se material de construção, mato e o terreno passa pelo processo de assoreamento, o que penaliza algumas casas que ficam no entorno dessa área.
É importante dizer que já requisitei diversos serviços, como a coleta de resíduos (lâmpadas, óleo de cozinha) poda de árvores, controle de zoonoses, e todos deixaram a desejar. Muitas placas que sinalizam as ruas estão quebras ou não existem mais, pois foram colocadas provisoriamente, fruto da mobilização da própria comunidade.
Gostaria de obter uma resposta para essas questões, pois pago o IPTU à vista, todos os anos, e como não tenho visto modificações. Preciso saber o porquê desta dificuldade em realizar as intervenções no meu bairro.”

 

Matheus Beck

Da área circundada pelas ruas Montreal, Bilbao, Turim e Istambul, no Parque Ozanan, é possível enxergar o lado norte de Canoas. A vista deste local, um dos mais altos da cidade, é voltada para a área de preservação ambiental aos fundos da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap). Seria um ponto chave para instalar uma praça ou escola que atenda à comunidade do bairro São José. Seria.
A área institucional (nome dado à reserva de local público para a instalação de escolas, postos de saúde, unidades de policiamento ou áreas do gênero) está ociosa desde o lançamento do residencial, há cerca de uma década. Nesta semana, a reportagem de Mais Canoas esteve no local. Embora não houvesse excesso de lixo no terreno, o descuido é evidente. Não há cercamento algum delimitando a área. A vegetação cresce desordenada em vários pontos. Caliça e restos de material de construção são depositados em lugar indevido.
De acordo com a diretora de Desenvolvimento Urbano Isabel Cristina Valente, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, está prevista a construção de uma área verde institucional. O orçamento inicial sugeria um investimento de R$ 100 mil, que seria buscado como contrapartida de um empreendimento comercial da construtora Bolognesi. Porém, prazos só poderão ser determinados após a aprovação do projeto, que deve ser encaminhado ainda no primeiro semestre de 2014.
_ Não que a área seja toda ocupada por uma praça. Ela tem uma determinação de área verde institucional. Parte dela será uma área de lazer e outra será mantida para a instalação de algum equipamento público. Agora, só vai ser definido o que será o quê com o projeto _ define a diretora.
O gerente de engenharia da Bolognesi Empreendimentos Jorge Luis Pinotti afirma que o projeto foi encaminhado à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e aguarda para os próximos 20 ou 30 dias sua aprovação.
_ A previsão é, se não houver nenhum impasse, concluir em julho a construção da praça.

“Faltou interesse das pessoas”
Uma forma alternativa de revitalizar o local seria buscar verba por meio do Orçamento Participativo (OP). Porém, a presidente da Associação dos Moradores do Parque Ozanan (Ampo) Sílvia Cifuentes, 59 anos, conta que a mobilização não foi adiante. Segundo ela, a Ampo entrou com um processo em 2010, mas, com apenas 78 votos na primeira etapa e 62 na segunda, o investimento não chegou.
_ Não tem o que fazer. Faltou interesse das pessoas. Se tivessem se dedicado a votar, como fiz, batendo de porta em porta e passando com caixa de som, teríamos conseguido _ lamenta Sílvia.
A presidente da Ampo descreve o residencial como um local cujas ofertas de serviços não se desenvolveram em harmonia com o crescimento da região. Ela mora há seis anos no bairro e, segundo ela, as opções de comércio e lazer “são precárias”.

matheus.beck@zerohora.com.br

Paulo Feijó em carreira solo

28 de março de 2014 0

*Por Mário Amaral Teixeira

Crédito: Mário Amaral Teixeira/Arquivo Pessoal

Natural de Guaíba, Paulo Cezar Feijó reside desde que se casou, há sete anos, em Canoas. Apaixonado pela autêntica música gaúcha, começou a tocar aos nove, em igrejas. Aos 14 anos, o então músico, que também é laçador de rodeios, formou um grupo no qual cantava com João Luiz Corrêa. Durante quatro anos, o Grupo Som Pampiano, fundado pelo pai de Feijó, fez inúmeras apresentações no Estado, mas nunca chegou a gravar um disco.

Feijó mudou-se para Porto Alegre, onde integrou grupos como Rebenque, Estampa e, por último, o grupo Tchê Barbaridade, onde permaneceu por 21 anos.

Desde setembro de 2013, o músico passou a seguir carreira solo e formou o grupo Mais Gaúcho. Recentemente, lançou o CD Cada Vez Mais Gaúcho, o segundo disco solo de sua carreira.

– Com esse novo trabalho, quero firmar o compromisso com a autêntica música campeira, e não comercial. Inclusive, não utilizamos guitarras no grupo. Somente violões para validar ainda mais essa autenticidade – explica.

Acompanhado de músicos com uma bagagem expressiva na música gaúcha, como o gaiteiro canoense Paquito, e com participações especiais dos cantores Walther Morais, João Luiz Corrêa e do baterista Cristiano Teixeira, do Grupo Tchê Guri, Feijó está comprometido com a qualidade do novo trabalho. Vale lembrar que, durante a participação no grupo Tchê Barbaridade, o canoense cantou músicas de sucesso, como Ao Som de um Gaitaço, Gaita do Belizário e Amanhecido.

O lançamento oficial do novo trabalho ocorreu em 15 de março, no CTG 35, em Porto Alegre. A casa estava lotada. Em Canoas, estão agendadas apresentações na festa do Dia do Trabalhador, em 1º de maio, e durante a Semana Farroupilha. Compositores como Erlon Péricles, João Sampaio e Andrezinho compõe as músicas do novo disco. E, claro, há aquelas feitas pelo próprio Paulo Feijó.

 

*Do Conselho de Blogueiros do Mais Canoas

Mestre Tigre arrepia na bateria

13 de março de 2014 0

*Por Cauê Nascimento

No último dia da série que mostra os personagens do samba do Carnaval de Canoas, conheça a dedicação do mestre bateria Deivis da Silva dos Santos.

 

Crédito: Cauê Nascimento/Arquivo Pessoal

Nome: Deivis da Silva dos Santos

Apelido na escola: Mestre Tigre

Posto: Mestre de Bateria da Acadêmicos de Niterói

Tiveste algum outro posto?
“Sim, tocador de cavaquinho”.

Como é a tua preparação para o Carnaval?
“Minha preparação é focada na bateria: cuidar do ritmo, da cadência, do andamento e da afinação e procurar fazer o melhor para a bateria. ”

Tens algum costume ou superstição antes de entrar na avenida?
“Não tenho.”

Uma mensagem aos leitores:
“Quero desejar um bom Carnaval a todos do mundo do samba e ao leitores. Um abraço!’

*Do Conselho de blogueiros do Mais Canoas

O foco da Naty são os ensaios

12 de março de 2014 0

*Por Cauê Nascimento

No terceiro dia da série que mostra os personagens da folia do Carnaval canoense, conheça a bela Naty Durando. A madrinha da bateria da escola do Bairro Guajuviras é puro samba no pé! 

Crédito: Cauê Nascimento/Arquivo Pessoal

Nome: Naty Durando

Posto: Madrinha da Bateria da escola Nossas Raízes (Bairro Guajuviras)

Qual a tua trajetória na escola?
“Desfilo há oito anos. Comecei como 2ª Princesa da Escola em 2007, fui coroada a Musa da Bateria em 2009 e, em 2010, passei a ser Madrinha da Bateria, posto no qual estou até hoje. E não pretendo sair tão cedo.”

Já tiveste algum outro posto?
“Concorri à Rainha do Carnaval de Canoas, em 2008, e ganhei.”

Como é a tua preparação para o Carnaval?
“Faço caminhadas, tenho uma alimentação bem balanceada, mas não faço regime nem academia. Meu foco mesmo são os ensaios. É apenas muito samba nesse ‘corpitcho’ (kkkkkk).”

Tens algum costume ou superstição antes de entrar na avenida?
“Faço o sinal da cruz antes de entrar para dançar!”

Uma mensagem para os leitores:
“Desejo a todos amigos e amigas que respiram Carnaval _ como eu, o ano todo _ que o evento seja de muito sucesso a todos nós! Que Deus ilumine o nosso caminho, nos trazendo muita paz, muito amor e muita diversão, com muito samba no pé! E lembrem-se: dance como se ninguém tivesse te olhando dançar. Beijão, Naty Durando.”

*Do Conselho de Blogueiros do Mais Canoas

 

O próximo!

Quinta-feira: o mestre da bateria Deivis da Silva dos Santos

Uma linda japa no Carnaval de Canoas

11 de março de 2014 0

*Por Cauê Nascimento

Dando sequência aos personagens do Carnaval de Canoas, conheça hoje a Japa da Rosa Dourada.

Crédito: Cauê Nascimento/Arquivo Pessoal

Nome: Paloma Wogt (a Japa)

Posto: musa da bateria na escola Rosa Dourada (Bairro Harmonia)

Qual sua trajetória na escola?
“Comecei a frequentar os ensaios da escola aos 10 anos, quando me mudei para o bairro. Eu ainda não pertencia ao grupo show, apenas ia e dançava com o pessoal da escola. Com 11 anos, fui convidada para ser destaque do carro abre-alas juntamente com minha irmã. Foi aí que minha mãe preparou um vestido e lá fui dançar no grupo show todos os domingos. Com o passar do tempo, aos 12 anos, fui convidada para fazer parte da bateria, sendo a madrinha juvenil. Desde então, permaneci lá. Hoje, com 16 anos, sou musa da bateria.”

Já tiveste algum outro posto?
“Já fui Rainha da Bateria da Nenê da Harmonia e Madrinha da Bateria da Aquarela do Samba. Sou modelo e tenho os títulos de Soberana das piscinas de Canoas, Gata das piscinas, Miss dos Estudantes e Musa do Esporte.”

Qual tua preparação para o Carnaval?
“Não tenho nenhuma preparação específica, apenas muita animação e samba.”

Tens algum costume ou superstição antes de entrar na avenida?
“Antes de entrar para dançar, faço o sinal da cruz e seguro a corrente que meu pai me deu. Assim, posso saber que ele está lá comigo.”

Uma mensagem para os leitores:
“Muitas pessoas têm preconceito comigo por ser japonesa e sambar, mas, se fôssemos todos exatamente iguais, o mundo não teria graça. Cada pessoa possui dentro de si algo que a torna diferente de todas as outras, apenas mostre ao mundo. Todos somos especiais de maneiras diferentes e devemos mostrar o que realmente somos. Quem realmente gosta de você, vai adorar até os seus piores defeitos. Minha mensagem para os leitores é que não tenham medo de mostrar o que realmente são. Utilizem as críticas como uma alavanca para melhorar cada dia mais e assim sejam felizes. Afinal, Carnaval é samba, alegria e diversidade. Um grande beijo a todos.”

* Do Conselho dos Blogueiros do Mais Canoas

 

A próxima!

Quarta-feira: 

Nome: Naty Durando, Madrinha da Bateria da Nossas Raízes (Bairro Guajuviras)

Carnaval e tradição andam juntos

10 de março de 2014 0

*Por Cauê Nascimento

Pode parecer estranho aos que estão acostumados a me ver de bombacha estar escrevendo sobre este tema, mas o Carnaval é folclore e, várias vezes, em Porto Alegre, a Corte Momesca faz a recepção da Chama Crioula, em parceria com os tradicionalistas, demonstrando total entrosamento e respeito às manifestações populares.
O Carnaval em Canoas teve início em 1972 e se estendeu até 1992. Entre 1994 e 2002, não ocorreram desfiles de rua, sendo retomados em 2003 com o carnaval solidário. A partir de 2004, o carnaval canoense ganhou um sambódromo junto ao Parque Esportivo Eduardo Gomes (Avenida Guilherme Schell, 3.600, Bairro Fátima).
Este ano, a festa ocorrerá nos dias 14 e 15 de março e contará com a participação de 14 escolas.
A corte foi eleita dia 24/01, na Sociedade Caça e Pesca. Além do Rei Momo Pedro Gregório, a corte é composta pela rainha, Juliana Andrade, da Nenê da Harmonia; a 1ª princesa, Jenifer Silva dos Santos, da Escola de Samba Nossas Raízes; e a 2ª princesa, Lidiane da Silva, da Acadêmicos da Grande Rio Branco.
De segunda a quinta-feira, vou mostrar a vocês, leitores, alguns dos nossos personagens desta linda folia.

Eis a primeira!

 

Foto: Cauê Nascimento/Arquivo Pessoal

 

Nome: Cintia Mouah

Apelido na escola: Mouah

Posto: musa da harmonia da Unidos de Vila Isabel

Algum outro posto: madrinha da bateria Nossas Raízes, durante sete anos; rainha do Carnaval de Canoas 2005; musa da bateria União da Vila do Iapi, em 2008; rainha da bateria da Unidos do Capão, em 2009; madrinha da bateria do Acadêmicos de Niterói, em 2010

Qual a tua opinião sobre a realização do Carnaval fora de época em Canoas? “sinceramente, como desfilei vários anos em Canoas, é bem melhor devido ao tempo proporcionado a mais aos destaques para sua preparação.”

Como é tua preparação para o Carnaval? Este ano, fui pega desprevenida. Depois de três anos sem desfilar, minha preparação foi uma correria total.”

Tens algum costume ou superstição antes de entrar na avenida? “Sempre faço uma oração, pedindo muita proteção e um ótimo desfile para todos.

Mensagem aos leitores: “nunca desista dos seus sonhos. Por mais difícil que seja, a maior força está dentro de você.”

* Do Conselho de Blogueiros do Mais Canoas
Terça-feira: conheça Paloma Wogt, musa de bateria na escola Rosa Dourada