Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Assembleia decide o modelo do Skate Park Canoas

11 de abril de 2014 0

Matheus Beck

O lar de quem pratica o skate é a rua. Girar as rodinhas no asfalto e raspar o shape nos obstáculos urbanos são um estilo de vida. Mesmo assim, os skatistas precisam de um lugar para chamar de casa, e ela está prevista para o primeiro semestre de 2015.

Crédito: Spot/Divulgação

Uma área de aproximadamente 600m², à direita da entrada principal do Parque Esportivo Eduardo Gomes, no Fátima, deve ser o local escolhido para receber o Skate Park Canoas. Ela substitui o antigo estudo, que previa a instalação da pista no lugar da atual, com menos da metade do tamanho, aos fundos do parque. Haverá rampas, corrimãos, todo tipo de obstáculo. O projeto feito pela Spot Skate Parks Otimizados prevê ainda um espaço de outros 400m² para área de circulação com 16 bancos e colocação de arquibancadas para receber eventos, e um grande painel para grafite. Segundo o secretário especial Herbert Poersch, o DJ Cabeção, da Coordenadoria da Juventude, a infraestrutura prevista poderá colocar a cidade na rota de grandes campeonatos internacionais:
_ Poderemos sediar até mundial _ empolga-se.
O anteprojeto será apresentado à comunidade em assembleia marcada para a próxima quarta-feira, às 18h30min, no auditório Sady Fontoura Schiwitz (Rua 15 de Janeiro, 12). O modelo não é definitivo. Praticantes do esporte e outros interessados podem sugerir alterações ao desenho final. O skatista Paulo Galera, por exemplo, acredita que a pista precisa ter todas as possibilidades para esportistas em todos os níveis: bordas, áreas de transição, bowl (piscinas secas). Para o canoense de 26 anos, se ficar restrito a um estilo, pode afastar praticantes de outras modalidades:
_ O Rio Grande do Sul tem muitas marcas, mas, em relação à pista profissional, só temos a do IAPI (em Porto Alegre). Canoas é a maior cidade da Região Metropolitana, a que tem mais praticantes, e a única que não tem pista. O que falta para darmos um passo maior é o Skate Park, para que o pessoal mostre seu talento e evolua _ afirma Galera.

 

Empréstimo de equipamentos e oficinas
O bowl de 200m², no entanto, deve entrar apenas na segunda etapa do projeto, conforme DJ Cabeção. O objetivo é, com a aprovação do projeto em até 30 dias, encaminhá-lo para o processo licitatório. Se os prazos forem mantidos, a previsão é que a obra seja concluída no início do ano que vem. A estimativa é que o Sakte Park custe cerca de R$ 300 mil e que seja público, com empréstimo de equipamento e até oficinas para jovens em situação de vulnerabilidade social.
_ Nunca teve um projeto. Teve ideias. Se tivesse algo consistente, talvez já existisse a pista _ diz o secretário.
Embora o parque exclusivo para os esportes radicais, eventos do gênero seguirão ocorrendo nos bairros. A ideia da Coordenadoria da Juventude é criar campeonatos itinerantes nas pistas instaladas nas principais praças de cada quadrante. A Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade irá mapear as ruas com declives que podem ser fechadas aos domingos para integrar também os praticantes de longboard.

matheus.beck@zerohora.com.br

 

Envie seu Comentário