Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Jorge Holetz fala sobre a Mostra Encontro com o Cinema Alemão, que chega nesta quinta-feira a Blumenau

20 de fevereiro de 2014 0

Dez filmes influentes dos últimos 15 anos no cinema alemão chegam hoje a Blumenau na Mostra Encontro com o Cinema Alemão. As exibições são gratuitas e ocorrem na Furb até dia 27. Para falar um pouco sobre a importância do festival para a cultura blumenauense, o Santa convidou o cinéfilo Jorge Holetz, primogênito do ilustre e saudoso Herbert Holetz, para falar sobre o assunto.

O filme Alle Anderen é um dos destaques do festival (Foto: Komplizen Film)

O filme Alle Anderen é um dos destaques do festival (Foto: Komplizen Film)

Confira abaixo o que Jorge tem a dizer sobre a mostra:

Na sessão do antigo Cine Busch
Jorge Holetz, apaixonado por cinema e filho do cinéfilo blumenauense Herbert Holetz

“O cinema alemão sempre esteve presente no cenário mundial com maior ou menor representatividade no mundo da sétima arte. Posso iniciar pelo período do Expressionismo, que desenvolveu-se na Alemanha no pós-guerra e que enfatizava a representação interior humana, suas angústias, sonhos e fantasias, quando se destacaram diretores como Fritz Lang e F. W. Murnau.

Iniciando nos anos 1960 e tendo seu ápice nos anos 1970, o Novo Cinema Alemão (ou cinema de autor) foi influenciado pela Nouvelle Vague francesa e revelou nomes como Wim Wenders, Volker Schlöndorff, Werner Herzog, Rainer Werner Fassbinder, entre outros. Estes são cineastas que colocaram as críticas social e política no centro do seu trabalho, sendo que vários filmes desta época foram exibidos na sessão de arte do antigo Cine Busch.

Após este período, o cinema alemão adormeceu e despertou com o cinema frenético de Corra Lola, Corra (1998), de Tom Tykwer, se firmando novamente no cenário da sétima arte. Temos agora esta oportunidade de ouro de ter o contato, em Blumenau, com o ótimo cinema alemão atual _ que normalmente se faz presente somente nos grandes centros ou é encontrado em vídeo-locadoras e na TV paga. O público blumenauense não pode dispensar esse presente!”

Envie seu Comentário