Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Equipe olímpica de Vela 2011 definida

26 de fevereiro de 2011 0

Catarinense Bruno Fontes se confirma como sucesso de Scheidt na Laser. Foto Fred Hoffmann

O sábado foi de decisão na raia de Jurerê e os líderes do ranking brasileiro confirmaram favoritismo e asseguraram vaga na Equipe Brasileira de Vela Olímpica, que disputa as principais competições da temporada 2011. Apesar das definições, a Semana Brasileira de Vela termina neste domingo.
As novidades na equipe são Adriana Kostiw na classe Laser Radial, no lugar de Odile Ginaid, e Bruno Fontes, em substituição a Eduardo Couto, na Laser Standard. Adriana e Bruno também estão classificados para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em outubro, ao lado de Ricardo Winicki e Patrícia Freitas, vencedores da seletiva na RS:X.
A Equipe Brasileira de Vela Olímpica é completada por Robert Scheidt e Bruno Prada (Star), Jorge Zarif (Finn), Fernanda Oliveira e Ana Barbacha (470 F), Fábio Pillar e Gustavo Thiesen (470 M), André Fonseca e Marco Grael (49er) e Juliana Mota, Marina Jardim e Larissa Juk (Match Race).

DUELO DOS DUELOS

Um dos destaques da Semana Brasileira de Vela foi a dupla Robert Scheidt/Bruno Prada na classe Star. Com desempenho quase perfeito, os líderes do ranking mundial levaram o título com duas regatas de antecedência. O entrosamento e o ritmo de competição da parceria fez a diferença em Florianópolis.
– Eles (Torben e Marcelo) são bicampeões olímpicos e chegar ao nível deles e eventualmente superá-los dá muita moral. Tenho certeza que o resultado de Florianópolis vai fazer com que treinem ainda mais. Quem g
anha com isso é a classe Star. O representante nacional na olimpíada vai brigar pelo título – destaca Robert Scheidt.

Scheidt e Prada estão afiados na Star. Foto Fred Hoffmann

O principal desafio da dupla para temporada 2011, além do evento teste na raia dos Jogos Olímpicos, em Weymouth, na Inglaterra, será o Mundial de Perth, na Austrália, em dezembro. A dupla Torben Grael e Marcelo Ferreira também participará do Mundial, que serve para classificar as classes para a Olimpíada de Londres/2012.
– Os caras estão sobrando. A gente perdeu as regatas por falta de treinamento. Vamos treinar bastante em 2011 para rivalizar com o Robert e o Bruno e elevar o nível da Star. Acredito que se o Torben não for para a regata Volta ao Mundo, teremos mais tempo para treinar de Star – salienta o proeiro Marcelo Ferreira.

TENTATIVA DE RECORDE


Na classe RS:X, Ricardo Winicki, o Bimba, não teve problemas para confirmar a vaga no Pan de Guadalajara e se manter na equipe. Na seletiva, o velejador de prancha à vela teve apenas Albert Carvalho como sparring à altura. Nas 10 regatas disputadas, ele perdeu apenas uma.
– Estou muito feliz pela vaga. Mas não será fácil e quero alcançar a terceira medalha de ouro e fazer história no Pan – relata Bimba, que pode igualar Robert Scheidt em número de títulos Pan-Americanos na vela nacional.

Bimba vai em busca de mais um título. Foto Fred Hoffmann

MEDALHA GARANTIDA

Patrícia Freitas vai pela primeira vez à competição continental. O desempenho da
velejadora do Rio de Janeiro foi parecido com o de Bimba, apenas um segundo lugar.
-Tenho certeza que dá para conquistar uma medalha no México. O Brasil é medalha
garantida na classe. A briga pelo ouro será contra a representante do Canadá – projeta Freitas.
Os atletas da RS:X disputarão, em março, o Sul-Americano da categoria em Buenos Aires, na Argentina. Durante a preparação para os eventos de 2011, os principais velejadores brasileiros da classe farão um time de treinamento com atletas da Espanha, Portugal e Inglaterra.

Patricia é esperança de medalha no Pan. Foto Fred Hoffmann


EM CASA TEM UM SABOR A MAIS

Bruno Fontes, na classe Laser Standard, conseguiu a classificação para Guadalajara velejando em casa. O catarinense aproveitou bem as condições da raia da praia de Jurerê e chegou em primeiro nas seis regatas finais. Depois da era Robert Scheidt, Bruno quer fazer história na categoria.
– A classe Laser da América é muito forte e não há favoritos. Eu sou top ten e vou confiante para o México. Tenho que representar bem o País, que tem tradição na classe com Robert Scheidt. Além do Pan, uma medalha no Mundial de Perth é meu objetivo para 2011 – conta Bruno Fontes.

EVOLUIR NO PAN

No feminino, Adriana Kostiw venceu a seletiva e vai tentar melhorar o resultado do Pan de 2007, quando terminou com a medalha de bronze.
– Esse Pan no México não terá tanta cobrança. No Rio, até o porteiro da Marina da Glória pediu para trazer uma medalha. Estou preparada para fazer bonito nos Jogos – declara Kostiw, que tirou Odile Ginaid da liderança do ranking nacional de Laser Radial.

Adriana Kostiw recuperou a vaga na equipe olímpica. Foto Fred Hoffmann

QUASE 100%

Jorge Zarif perdeu os 100% de aproveitamento na Semana Brasileira de Vela. O velejador da classe Finn foi superado por Henry Boening nas regatas de sábado. Mesmo assim, Zarif ratificou a condição de melhor da categoria no País e, para aprimorar ainda mais a parte técnica, o brasileiro vai para Espanha, em março, treinar com os dois melhores velejadores de Finn do mundo, o britânico Ben Ainslie e o espanhol Rafael Trujillio.
– Vou treinar com os feras da classe para ganhar mais experiência. O Ainslie tem muita coisa pra passar. Talvez, ao lado de Robert Scheidt e Torben Grael, seja o maior velejador da história – explica Zarif.

Jorginho Zarif vai treinar com o britânico Ben Ainsle na Europa. Foto Fred Hoffmann


NO FINAL, DEU OS FAVORITOS

Na 470 Masculino, os campeões da Semana Brasileira de Vela estão definidos. A dupla líder do ranking nacional Fábio Pillar/ Gustavo Thiesen confirmou o favoritismo e venceu as últimas cinco regatas do calendário.
– Agora começa a temporada européia. Vamos seguir com a mesma preparação. A ideia é fazer todos os campeonatos no exterior, conhecer os adversários na olimpíada para chegar preparado em Londres – relata Fábio Pillar, que vai competir ao lado de Gustavo Thiesen em Palma de Mallorca, no mês que vem, na Espanha.

Fabio e Gustavo venceram Paradeda e Baby na 470. Foto Fred Hoffmann

Entre as mulheres, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan mantêm a vantagem sobre Martine Grael e Isabel Swan.
– A classe está bem parelha com a presença dos principais velejadores. São alguns detalhes que fizeram a diferença na nossa campanha. A gente conseguiu evoluir depois de começar mal com ventos fracos. No final deu certo e terminamos bem – relata Oliveira.

Com técnico americano, a dupla era a primeira chegar no IASC. Foto Fred Hoffmann

MAIS RÁPIDOS

Na 49er, a dupla André Fonseca e Marco Grael nem precisava entrar na água, neste sábado, para ratificar a condição de melhor parceria do País na categoria. A diferença para a outra dupla brasileira (Rodrigo Monteiro/ Gabriel Borges) foi evidente na competição, principalmente na parte física.

- A gente tem o biotipo certo para 49er. Os nossos adversários brasileiros precisam ganhar um pouco mais de peso para se adequar à classe. Eu tenho experiência de 10 anos nesse barco e isso acaba fazendo diferença – declara Fonseca.

Bochecha e Marco Grael foram os mais rápidos da seletiva. Foto Fred Hoffmann

GRAND FINALE

A seletiva de Match Race terminou no sábado com o título da tripulação formada por Juliana Costa, Marina Jardim e Larissa Juk. As atletas devem disputar as principais competições internacionais com os barcos Elliott 6M, recentemente comprados para treinamento dos times femininos, visando classificação para a Olimpíada de Londres. A Semana Brasileira de Vela será encerrada neste domingo, com uma regata em cada classe a partir do meio-dia. A única exceção é a Classe Star que não competirá mais, pois os barcos serão retirados da água pela manhã. A premiação do evento acontece às 16h na sede do Iate Clube de Santa Catarina, e a oficialização do grupo de 16 velejadores que compõe a Equipe Brasileira de Vela Olímpica.

Na semana passada, outras quatro vagas foram definidas em Santa Catarina:
Hobie Cat 16: Bernardo Arndt e Bruno Oliveira
Lightning: Cláudio Biekarck, Gunnar Ficker e Marcelo Batista da Silva
Sunfish: Matheus Dellagnelo
Snipe: Alexandre Tinoco e Gabriel Borges

Resultados dia 4

Laser Radial - 10 regatas (2 descartes)
1- Adriana Kostiw (SP) – 9 pp (1+1+2+5+3+1+1+1+1+1)
2- Odile Ginaid (ES)- 18 (5+2+3+2+1+3+3+4+2+2)
3- Monica Matschinske (RJ) – 21 (4+3+1+1+4+4+4+2+3+3)

Laser Standard
– 10 regatas (2 descartes)
1- Bruno Fontes (SC) – 11 (4+1+6+4+1+1+1+1+1+1)
2- Eduardo Couto (RS) – 20 (3+3+1+5+13+3+3+3+2+2)
3- Adrion Santos (RS) – 26 (1+2+4+2+4+6+4+5+4+5)

RS:X Masculino
- 10 regatas (2 descartes)
1- Ricardo Winicki, o “Bimba” (RJ) – 8 (1+1+1+1+2+1+1+1+1+1)
2- Albert de Carvalho (RJ) – 15 (2+2+2+2+1+2+2+2+2+2)
3- Gabriel Carvalho (RJ) – 24 (3+3+3+3+3+3+3+3+3+3)

RS:X Feminino
– 10 regatas (2 descartes)
1- Patrícia Freitas (RJ) – 8 (1+2+1+1+1+1+1+1+1+1)
2- Patrícia Castro (RJ) – 15 (2+1+3+2+2+2+2+2+2+2)
3- Lélia Winkler (RJ) – 26 (4+4+2+3+3+3+4+4+5+3)

Finn - 10 regatas (2 descartes)
1- Jorge Zarif (SP) – 8 (1+1+1+1+1+1+1+1+2+2)
2- Henry Boening (RJ) – 14 (2+2+2+2+3+2+2+2+1+1)
3- Fábio Bodra (SP) – 28 (4+3+4+5+5+3+3+3+3+5)

470 – 10 regatas (2 descartes)
1- Fábio Pillar/Gustavo Thiesen (RJ) – 10 (6+1+1+6+3+1+1+1+1+1)
2- Fernada Oliveira/Ana Barbachan (RS) – 19 (5+4+3+2+1+3+2+2+4+2)
3- Martine Grael/Isabel Swan (RJ) – 22 (2+3+2+3+2+2+6+4+5+4)

Star – 10 regatas (2 descartes)
1- Robert Scheidt/Bruno Prada (SP) – 8 (1+2+1+1+1+1+1+1+1+1)
2- Torben Grael/Marcelo Ferreira (RJ) – 15 (3+1+3+2+2+2+2+2+3+3)
3- Admar Gonzaga/Rony Seifert (DF/SP) – 22 (2+5+2+4+3+3+3+3+3+3)

49er
– 15 regatas (2 descartes)
1- André Fonseca/Marco Grael (RS-RJ) – 16 (2+1+1+1+2+4+1+3+1+1+1+1+2+1+1)
2- Pablo Herman/Luis Herman (Chile) – 33 (1+3+2+3+3+3+3+1+3+2+3+3+3+3+3)
3- Santiago Silveira/Philipp Umpierre (Uruguai) – 34 (4+4+3+4+4+1+4+4+2+3+2+2+1+2+2)

Match Race
– classificação final
1- Juliana Mota/Marina Jardim/Larissa Juk – classificadas
2- Renata Decnop/Fernanda Decnop/Tatiana Ribeiro
3- Juliana Senfft/Gabriela Sá/Daniela Adler
4- Caroline Bejar/Andrea Grael/Kira Penido

A Semana Brasileira de Vela é organizada pela Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM) e pelo Iate Clube de Santa Catarina, com apoio do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), da Federação de Iatismo do Estado de Santa Catarina, da prefeitura de Florianópolis e do governo de Santa Catarina e a produção da Brasil1 Esporte. O patrocínio é do Bradesco e da CPFL Energia, apoiadores oficiais da CBVM.

Com informações da  ZDL Comunicação

Envie seu Comentário