Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de março 2011

Willian Cardoso é vice na Nova Zelândia

29 de março de 2011 0

Melling acreditou até o final e saiu com um belo presente de aniversário. Foto Cory Scott

O australiano Adam Melling tirou o título do O´Neill Coldwater Classic das mãos do brasileiro Willian Cardoso nos últimos segundos da decisão na Nova Zelândia, disputada na manhã desta terça-feira (segunda-feira à noite, no horário de Brasília). O catarinense liderou a final desde o início e tinha a maior nota da bateria, mas Adam Melling reagiu na última onda e virou o resultado fazendo 15,20 a 13,67 após arrancar um 8,03 dos juízes.

Melling comemorava 26 anos na terça-feira e o prêmio de 20 mil dólares foi um belo presente de aniversário, além dos 3.500 pontos, suficientes para trocar o 24º lugar no ASP World Ranking pelo 23º do brasileiro Heitor Alves. Para o catarinense, o vice-campeonato rendeu 10 posições no ranking e Willian subiu para 43º no ranking, mostrando que esse ano novamente é um forte candidato a buscar uma vaga na elite.

Willian começa bem o ano para desta vez conseguir sua vaga na elite. Foto Cory Scott

Apesar da previsão de ventos fortes e mar storm, o último dia em Gisborne foi de ondas perfeitas de três a cinco pés com vento terral, no pico The Pines, em Wanui Beach. Adam Melling passou fácil pelo primeiro duelo da terça-feira e também pela semifinal contra o conterrâneo Tom Whitaker, único a entrar na zona de classificação para o Dream Tour com a pontuação obtida nesse evento seis estrelas da Nova Zelândia.

Miguel Pupo foi bem e também é candidato a uma vaga na elite. Pode apostar. Foto Cory Scott

Na chave de baixo, Willian Cardoso começou o dia superando Thiago Camarão, melhor brasileiro até então nas ondas de Gisborne. Na disputa seguinte, Miguel Pupo perdeu por um ponto para Stu Kennedy, defensor do título da etapa. Mas, na semifinal Willian acabou com a chance do bi para o campeão na Tasmânia (o Oneill Cold Water mudou para Gisborne-NZ este ano).

Na final, o mar já não tinha as mesmas condições com a mudança da maré. William teve a iniciativa e começou a pontuar. A primeira onda de Adam Melling foi só na metade da bateria. Minutos depois entrou uma série mais consistente e Willian mandou suas tradicionais “patadas” para levar 8,5, que seria a melhor nota da bateria. Melling só entrou na briga a 7 minutos do fim, quando pegou sua primeira onda boa que valeu nota 7,17. O brasileiro tinha um 4,5 e conseguiu trocar a nota  na sua oitava e última onda, com 5,17. Faltando 40 segundos, Melling surfou uma onda parecida, mas não conseguiu a virada. Persistente, o aussie voltou ao “outside” e teve tempo ainda para pegar uma melhor, a parede abriu e ele encaixou duas manobras fortes e arrancou um 8,03 para selar o placar em 15,20 pontos contra 13,67 de Willian Cardoso.

Melling, o campeão do Oneill Cold Water da Nova Zelândia em 2011. Foto Cory Scott

- Não comecei bem, a maré subiu, mas ainda tinha umas ondas e eu sabia que estava no lugar certo do mar. Fiquei louco quando vi o Willian (Cardoso) indo pra praia, mas se viesse a onda eu sabia que podia conseguir a pontuação que precisava. Completei 26 anos hoje, ganhei o campeonato, então estou muito feliz – contou.

Willian Cardoso queria a vitória, mas não lamentou o resultado.
- Eu fiz o meu melhor na final, tirei a maior nota, mas perdi na segunda onda. O Adam  é um grande surfista e, no último segundo, mudou o resultado. Mesmo assim, estou feliz também por ter começado bem a temporada com o grande campeonato que fiz aqui
.

Tom Whitaker está determinado a conseguir seu reingresso na elite. Foto Cory Scott.

Lembrando que o O’neill Cold Water também é um circuito, oferecido pela O’neill, e que roda as ondas mais geladas do mundo, com etapas no Canadá, EUA e Escócia. Em 2009, o campeão foi o aussie de Maroubra, Blake Thornton, e no ano passado, Shane Cansdell, também da Austrália. A pontuação é a mesma do circuito mundial.

O ASP World Prime de Margaret River, o Drug Aware Pro, é o próximo desafio do circuito mundial, valendo 6.500 pontos, entre os dias 4 e 10 de abril nas ondas de Surfers Point, no Oeste australiano. Também em M-River será realizada na mesma data uma etapa nível 6 estrelas feminina de 3.500 pontos.

FINAL DO O´NEILL COLDWATER CLASSIC NA NOVA ZELÂNDIA:

Campeão: Adam Melling (AUS) US$ 20.000 e 3.500 pontos
Vice-campeão: Willian Cardoso (BRA) US$ 10.000 e 2.640 pontos
3º- US$ 5.000 e 2.080 pontos:
Tom Whitaker (AUS)
Stu Kennedy (AUS)
5º lugar – US$ 2.950 e 1.560 pontos:
Gony Zubizareta (ESP)
Joan Duru (FRA)
Thiago Camarão (BRA)
Miguel Pupo (BRA)

ASP WORLD RANKING 2011 – 9 etapas – 1 ASP Tour / 1 Prime / 7 Star:
1º: Kelly Slater (EUA) – 72.500 pontos
2º: Jordy Smith (AFR) – 50.750
3º: Mick Fanning (AUS) – 44.656
4º: Taj Burrow (AUS) – 40.307
5º: Dane Reynolds (EUA) – 37.557
6º: Adrian Buchan (AUS) – 37.500
7º: Owen Wright (AUS) – 37.250
8º: Bede Durbidge (AUS) – 35.870
9º: Jeremy Flores (FRA) – 35.266
10º: Michel Bourez (TAH) – 34.000
11º: Adriano de Souza (BRA) – 32.963
12º: Jadson André (BRA) – 29.549
13º: Brett Simpson (EUA) – 29.000
14º: Chris Davidson (AUS) – 27.875
15º: Damien Hobgood (EUA) – 27.307
16º: C. J. Hobgood (EUA) – 26.792
17º: Matt Wilkinson (AUS) – 26.200
18º: Tiago Pires (PRT) – 26.042
19º: Kieren Perrow (AUS) – 25.295
20º: Taylor Knox (EUA) – 25.050
21º: Joel Parkinson (AUS) – 24.557
22º: Alejo Muniz (BRA) – 24.148
23º: Adam Melling (AUS) – 24.099
24º: Heitor Alves (BRA) – 24.025
25º: Dusty Payne (HAV) – 21.500
26º: Patrick Gudauskas (EUA) – 20.810
27º: Fredrick Patacchia (HAV) – 19.500
28º: Travis Logie (AFR) – 19.299
29º: Julian Wilson (AUS) – 18.991
30º: Daniel Ross (AUS) – 18.456
31º: Gabe Kling (EUA) – 17.007
32º: Tom Whitaker (AUS) – 16.232
35º: Raoni Monteiro (BRA) – 14.869 pontos
42º: Miguel Pupo (BRA) – 13.329
43º: Willian Cardoso (BRA) – 13.123
44º: Gabriel Medina (BRA) – 12.849
52º: Wiggolly Dantas (BRA) – 11.533
65º: Hizunomê Bettero (BRA) – 9.860
67º: Neco Padaratz (BRA) – 9.630
73º: Leonardo Neves (BRA) – 8.844
82º: Bernardo Pigmeu (BRA) – 8.469
84º: Pablo Paulino (BRA) – 8.419
87º: Pedro Henrique (BRA) – 8.197
89º: Rodrigo Dornelles (BRA) – 8.001
90º: Marco Polo (BRA) – 7.756
91º: Yuri Sodré (BRA) – 7.645
92º: Leandro Bastos (BRA) – 7.596
93º: Jihad Khodr (BRA) – 7.466
97º: Jeronimo Vargas (BRA) – 7.095
100º: Thiago Camarão (BRA) – 6.518

Com informações de João Carvalho, ASP South America

Madeirite Trópico, resgate histórico

27 de março de 2011 0

Foto histórica, como em 1968. Foto Harleyson Almeida/Madeirite Tropico

O fim de semana foi de resgate da história do surfe no Rio Grande do Sul com o evento o Madeirite Trópico 2011, na Praia da Guarita, em Torres. Os pioneiros do esporte, seus filhos e amigos fizeram uma grande confraternização, com disputas entre surfistas dos anos 60, 70 e 80, além de baterias com pais e filhos, expression session e a dos campeões das Taças Trópico.

Marco Antonio Silva, como em 1968, na Guarite. Delírio na praia. Foto Harleyson Almeida/Madeirite Tropico

Os pioneiros mostraram como era praticado o surfe e encararam a água gelada da praia da Guarita, em cima de suas pranchas de época. Um dos pontos altos do evento foi refazer a foto comemorativa do primeiro Campeonato Gaúcho de Surf, ocorrido em 1968. Há 43 anos, Marco Antonio Silva subia ao pódio carregado em cima de sua prancha feita de madeirite. Hoje não foi diferente, os participantes das baterias de 1968 ergueram Marco Antonio em cima de uma das madeirites confeccionadas para o evento.
– Toda a história volta em minha cabeça, aliás, de todos que estiveram aqui. O surfe só me trouxe alegrias. Posso ver meu filho Felipe, hoje, pegando muitas ondas, e isto não tem preço. Acompanhei de perto até a terceira geração de surfistas, depois muitos despontaram com grande sucesso. Todos estão de parabéns, o resgate da história do nosso esporte foi feito – comentou Marco Antonio Silva.

Surfe na bateria dos anos 60. Foto Harleyson Almeida/Madeirite Tropico

Para o proprietário da Trópico, Gustavo Schiffino, o Guga, o evento superou as expectativas.
– Foi impressionante, o pessoal comprou a ideia e compareceu em massa. Foi fantástico. Pudemos ver no brilho dos olhos dos participantes a alegria de estar neste grande clima de família, a família do surf – declarou.

André, que também foi cavaleiro olímpico, reviveu os bons tempos de surfe na Guarita. Foto Caio Guedes/Madeirite Trópico.


Um dos pioneiros do surfe gaúcho e CEO do grupo Gerdau, André Bier Gerdau Johannpeter, participou do evento, caiu na água com o filho e curtiu tanto que prometeu comparecer no próximo:
– Aprendi a surfar com meu pai e hoje pude surfar ao lado do meu filho. Foi muito bom. Já surfo faz mais de 40 anos e aprendi aqui, na Guarita. Quando fui convidado não imaginava que seria tão bom assim. Estarei na próxima edição, já agendei a data para o ano que vem – prometeu.

Daison Pereira abriu o leque na bateria dos campeões da Taça Trópico. Foto Caio Guedes/Madeirite Trópico


O primeiro campeão da Taça Trópico veio de Brasília-DF só para participar do Madeirite Trópico. Roberto Carneiro venceu a competição em 1986, contra Dinga Colognese e Cezar Franco.
– Mesmo estando longe do mar, ele nunca deixou de estar em minha vida. Meu filho surfa, e isto é um motivo de orgulho para mim – comentou.

Léo Gianotti rasgando na bateria Pais & Filhos. Foto Caio Guedes/Madeirite Trópico

Antes da finaleira de domingo, rolou a festa do Madeirite Trópico, na Sociedade Amigos da Praia de Torres (SAPT), sábado à noite. Os pioneiros foram agraciados com troféu oferecido pelo evento Madeirite Trópico. Também houve a entrega dos prêmios aos campeões do circuito Gaúcho de 2010, pela Federação Gaúcha de Surf. O destaque foi o discurso emocionado do empresário Jorge Gerdau Johannpeter (pai de André), que lembrou os primeiros passos dados no esporte até entrão desconhecido dos gaúchos, no inicio da década de 60. Ao se referir a sua família, ele definiu:
– Somos da água, criados no mar!.

Primeiro campeonato de surfe no RS. 1968. Acervo Histórico Caldas Júnior
Os agraciados com o Troféu Pioneiros:
Patrono: Mario Pettini
Pioneiros: Jorge Gerdau Johannpeter, Klaus Johannpeter e Frederico Johannpeter
Registro Histórico: Eduardo Kuhn e Manoel Tostes
Serviços prestados ao esporte e a comunidade: Zeca Scheffer (em memória)
Empreendedor pioneiro: Marco Aurélio Raymundo, o Morongo
Competidor pioneiro: Paulo Sefton
Equipamento (prancha): Speedline
Mídia especializada: Quiver

Com informações de Gabriel de Mello, assessoria FGS e Madeirite Trópico

Fortalezas inaugura a Copa Veleiros de Oceano

27 de março de 2011 0

Tempo nublado marcou o sábado de regatas na baía norte. Foto Divulgação IASC-VI

O último sábado, 26 de março,  inaugurou as disputas da Copa Veleiros de Oceano 2011 na baía norte de Florianópolis, com a Regata Fortalezas. A prova aconteceu sob condições de vento constantes e com mar calmo, o que tornou tudo mais rápido para as tripulações.

Na classe ORC, o veleiro Katana, comandado por Fábio Filipon, mais uma vez faturou o 1º lugar, e muito pouca diferença: seis segundos de vantagem para o Kiron, e nove para o Best Fellow, segundo e terceiro colocados, respectivamente. O Zeus Ecco fechou na quarta colocação.

A classe BRA RGS, que apresenta o maior número de veleiros inscritos, foi dividida em três categorias de acordo com o tamanho e desempenho dos barcos. Na RGS A, o veleiro Bruxo, de Luiz Schaefer, foi o primeiro colocado, mesmo com o suporte da vela grande quebrado. Revanche, de Celso Faria, chegou em segundo, seguido dos barcos Feitiço e Scirocco.

Na RGS B, a vitória ficou com o Zephyrus, de Tarcisio Mattos, seguido pelo Vendaval V de Edmar Nunes Pires. Nemo, Tanto Mar e Bom Abrigo, completaram a tabela da classe. Na RGS C a vitória ficou com o Tigre II Mormaii, comandado por Christian Franzen, seguido por Neon II, Cresta e Banzai.

Outra novidade da temporada foi a criação da classe Solitário que, na prova de estréia, teve apenas um representante: Marcelo Gusmão, que com seu veleiro Moleque. Ele cumpriu as 22 milhas de percurso em 4h17min, pouco mais de 50 minutos de diferença para o Zeus Ecco, o primeiro barco a cruzar a linha de chegada.
- No mundo todo se corre regata em solitário, no Brasil algumas tentativas que foram feitas em eventos grandes não deram muito certo. Estamos criando a classe em eventos locais para habilitar os velejadores de Santa Catarina – explica Gusmão, que ainda teve que costurar uma de suas velas durante a regata.
Na classe Cruzeiro, a disputa foi entre dois barcos e a vitória ficou com o Carino diante do Misto Quente.
A Copa Veleiros de Oceano 2011 é organizada pelo Iate Clube Santa Catarina – Veleiros da Ilha (ICSC-VI) em parceria com a Flotilha Catarinense de Veleiros de Oceano. A 2ª etapa acontece no dia 09 de abril com a Regata Ilha dos Cardos. Ao todo, serão oito etapas até a grande final, com a Regata Volta à Ilha de Santa Catarina, em dezembro.

Com informações de Cesar Eugênio Dias, do ICSC – VI

Navarro vence a 3ª etapa em Barra Velha

27 de março de 2011 0

Matheus Navarro é candidato ao título amador da Open em 2011. Foto Basilio Ruy

Encerrou neste domingo a terceira etapa do Circuito Catarinense Oceano de Surf Amador 2011 realizada na Praia de Itajubá, em Barra Velha, com a participação de 128 inscritos na competição. As ondas, com um metro de altura, séries maiores e boa formação, ajudaram a molecada a mandar os aéreos, que consagraram o atleta de Balneário Camboriú, Matheus Navarro, Open.

Matheus não começou muito bem na bateria, mas as ondas apareceram para o surfista passar de terceiro para primeiro e garantir sua vitória na Open com 12,75 pontos contra 8,40, de Diego Michereff, local de Barra Velha e segundo colocado. Na terceira colocação ficou Deolir de Souza, de Itapema, com 7,30 pontos, e na quarta colocação ficou João Paulo Abreu, com 6,55 pontos. Com este resultado, João reassumiu a liderança do ranking Fecasurf 2011 na categoria Open.

Na categoria Junior, João também surfou bem e garantiu o lugar mais alto do pódio. Outro surfista de Imbituba que levou o título da etapa foi Giovane Picasky, na Infantil. A categoria Mirim teve a vitória de Gabriel Weber, de Florianópolis, e na Feminina, Aloha Maciel, foi a grande campeã da terceira etapa. Na Master, Ricardo Michereff, venceu a final de ponta a ponta, deixando seus adversários em combinação.

A próxima etapa, a quarta, acontece na Praia Mole, em Florianópolis, dias 14 e 15 de maio. O surfista de Imbituba João Paulo Abreu fez a maior somatória da competição nas suas duas melhores ondas – 15,55 pontos, e Matheus Navarro fez a maior nota da competição, 8,25 pontos, na primeira semifinal da categoria Junior.

Resultados – Barra Velha
OPEN
1º – Matheus Navarro           
2º – Diego Michereff
3º – Deolir de Souza
4º – João Paulo Abreu
JUNIOR
1º – João Paulo Abreu          
2º – Cainã Barletta     
3º – Matheus Navarro           
4º – Fernando Paulino           
MIRIM
1º – Gabriel Weber    
2º – Yuri Schoenau    
3º – Lucas Miguel
4º – Irvin Ravi            
INICIANTES
1º – Josmar Junior    
2º – Ian Tavares        
3º – Lucas Miguel      
4º – André Heiden
INFANTIL
1º – Giovani Picaski  
2º – Matheus Herdy  
3º – Lucas Vicente    
4º – Anderson Junior
FEMININO
1ª – Aloha Maciel       
2ª – Marina Resende
3ª – Evelin Conceição
4ª – Fernanda Espíndola       
MASTER
1º – Ricardo Michereff          
2º – Stewson Crippa
3º – David Husadel
4º – Steward Dean

Líderes do ranking Fecasurf 2011

Open – João Paulo Abreu      4916 pontos
Júnior – Cainã Barletta         5400 pontos
Mirim  – Yrvin Ravi                5078 pontos
Iniciantes – André Heiden     5058 pontos
Infantil – Lucas Vicente         5240 pontos
Feminino – Marina Resende   5112 pontos
Máster – Stewson Crippa       5800 pontos

Com informações de Norton Ewaldt, diretor de comunicação da Fecasurf

Novo Bianchini é campeão!

13 de março de 2011 1

Tiago Bianchini quebrou durante todo o campeonato e mereceu. Foto Basilio Ruy

Tiago Bianchini foi o grande campeão da primeira etapa do circuito Oakley Santa Catarina Surf Pro, o campeonato catarinense de surfe profissional. Na final realizada na tarde de domingo, em ondas de dois metros de altura com séries maiores na Praia da Joaquina, Bianchini venceu o carioca Leandro Bastos (vice-campeão) e os catarinenses Ricardo dos Santos e Alex Lima.

Com o resultado, Bianchini larga na frente em busca do título estadual 2011 que será decidido em mais quatro etapas durante a temporada. O trofeu da etapa foi um prêmio para Bianchini, que surfou as melhores ondas desde a primeira fase e fez o recorde da competição, com 9,23, neste domingo, na bateria semifinal. Na final, Bianchini somou 13,73, contra 12,54 de Leandro Bastos, 11,90 de Ricardinho e 6,96 de Alex Lima.

O pódio da primeira etapa, com Biachini no degrau mais alto. Foto Basilio Ruy/Fecasurf

A vitória também foi um recomeço para Bianchini, 25 anos, que era apontado como um dos mais talentosos surfistas  amadores de Santa Catarina e teve dificuldades para seguir com vitórias na carreira profissional:
- Estou muito feliz, daqui pra frente vou me dedicar cada vez mais, não quero mais vacilar, a gente erra, mas a gente aprende e daqui pra frente é vida nova, muita dedicação, fazer equipamento novo, eu sei que sou capaz – disse o atleta, ao dedicar o título ao pai, que está com problemas de saúde.

Parabéns Tiago! A segunda etapa do Oakley Santa Catarina Surf Pro 2011 acontece na Praia Mole, nos dias 15, 16 e 17 de abril.

RESULTADO FINAL DA 1ª ETAPA – Praia da Joaquina
Campeão: Tiago Bianchini (SC) – R$ 8.000
Vice-campeão: Leandro Bastos (RJ) – R$ 5.000
3º lugar: Ricardo dos Santos (SC) – R$ 3.200
4º lugar: Alex Lima (SC) – R$ 2.600

RANKING DO CATARINENSE PRO APÓS PRIMEIRA ETAPA

1: Tiago Bianchini (SC)        – 2.500 pontos           
2: Alex Lima(SC)                 – 1.675            
3: Marco Polo (SC)             – 1.525            
4: Willian Cardoso (SC)       – 1.388                       
5: Marthen Pagliarini (SC)   – 1.250            
6: Tomas Hermes (SC)       – 1.250            
7: Vicente Romero (SC)      – 1.250           
8: Felipe Ximenes (SC)       – 1.125            
9: Fábio Carvalho (SC)        – 1.000
10: Guilherme Ferreira (SC) – 1.000

Round 3 do Oakley SC Surf Pro definido

12 de março de 2011 0

Ricardo dos Santos gosta de surfar nas condições pesadas da Joaquina. Foto Basilio Ruy

No segundo dia de disputas do Oakley SC Surf Pro, na Joaquina, aconteceu a definição das baterias do terceiro round, a partir da realização do complemento das baterias da rodada inicial e outras 16 da segunda fase. O destaque do dia foi o carioca David do Carmo, que fez o maior somatório da competição, com 15 pontos, e a terceira melhor nota do evento (8,17) para vencer a última bateria do dia, deixando Willian Cardoso na segunda colocação.

O atual campeão estadual Tomas Hermes também avançou em segundo lugar na primeira bateria do round 2, atrás de Ricardo dos Santos. A diferença entre os dois surfista foi mínima: 0,2 pontos ( 10,06 a 10,04). O campeão brasileiro Jean da Silva foi outro que se garantiu na próxima fase, em bateria vencida pelo paulista Alex Ribeiro.

Tomas Hermes defende o título estadual e está na terceira fase. Foto Basilio Ruy/Fecasurf

Entre os top catarinenses que fizeram a estreia neste sábado e não se deram bem estão Pedro Norberto, Guga Arruda, Gustavo Santos, Bruno Moraes, Tânio Barreto, André Zanini$ e Beto Mariano. Já o veterano Fábio Carvalho venceu sua bateria, assim como Guilherme Ferreira, Marcos Pastro e Vicente RomeroDiego Rosa, Marthen Pagliarini e Felipe Ximenes passaram em segundo lugar.

Entre os ex-tops da elite mundial, Marco Polo, Paulo Moura, Rodrigo Dornelles e Jihad Kodhr seguem na briga pelo título. Polo e Moura também ganharam suas baterias, enquanto Pedra e Jihad avançaram na segunda colocação. Ou seja, domingão promete. Confira as próximas baterias:

Round 3
1ª bateria: Ricardo dos Santos, Jean da Silva, Franklin Serpa e Glauciano Rodrigues
2ª bateria: Tomas Hermes, Guilherme Ferreira, Alex Ribeiro e Felipe Ximenes
3ª bateria: Dodo Veiga, Alex Lima, Rodrigo Dornelles e Jihad Kodhr
4ª bateria: Marthen Pagliarini, Marco Polo, Igor Morais e Alanderson Martins
5ª bateria: Vicente Romero, Fábio Carvalho, Tiago Bianchini e Greg Cordeiro
6ª bateria:  Gilmar Silva, Robson Santos, Péricles Dimitri e Paulo Moura
7ª bateria: Pedro Gross, Marcos Pastro, Daison Pereira e Willian Cardoso
8ª bateria: Diego Rosa, Eduardo Oscar, David do Carmo e Leandro Bastos


Altas ondas no Oakley SC Surf Pro

12 de março de 2011 0

Tiago Bianchini detonou essa esquerda e levou 8,83 dos juízes. Foto Basilio Ruy

O segundo dia do Oakley SC Surf Pro já começou na Praia da Joaquina, com altas ondas, lembrando o ano passado, quando o paulista Gilmar Silva driblou a correnteza, adversários para levar o título. É a primeira etapa do circuito catarinense profissional com a presença de ex-integrantes da elite mundial. É o início da comemoração de 10 anos entre a Oakley e a Fecasurf e a entrada da Vivo no apoio ao surfe catarinense. No primeiro dia, na sexta-feira, o mar começou com ondas de até um metro, balançadas, mas melhorou no decorrer da tarde, alcançando um metro e meio, com boa formação.

Marco Polo foi o autor do maior placar (14,03), mas as melhores ondas do evento foram surfadas na bateria que eliminou Teco Padaratz da competição. Tiago Bianchini (8,83) e Pedro Husadel (8,33) fizeram a dobradinha e avançaram para a segunda fase.

Surfe de Pedro é sinônimo da nova geração catarinense. Foto Basilio Ruy


Outro ex-top mundial que acabou eliminado foi Peterson Rosa. Além de Polo, Fabio Silva, Danilo Costa, Paulo Moura, Rodrigo Dornelles e Jihad Kohdr também se classificaram, assim como o campeão brasileiro Jean da Silva.

Hoje, entram na água os top 16 do ranking catarinense de 2010. O campeão, Tomas Hermes, já estreou e passou ao lado de Ricardo dos Santos. Jean da Silva também já conseguiu a classificação para o terceiro round. Mais tarde atualizamos as informações do segundo dia de competição na Joaquina. O campeonato é transmitido on line pelo site www.surfpro.com.br .

Curso de Remo no Rio de Janeiro

12 de março de 2011 0

A Confederação Brasileira de Remo reúne a partir de segunda-feira, no centro de treinamento, em Saquarema, Rio de Janeiro, grandes nomes do remo mundial em curso para técnicos do Brasil. É o Crash Course/Alemanha – Brasil, que faz parte do trabalho iniciado visando o Pan-Americano de 2011 e as Olimpíadas de 2016. As aulas serão de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h30min.

O curso será ministrado pelos maiores nomes da Federação Alemã de Remo, como Hartmann Ulrich, membro da Academia de Técnicos em Colônia; Volker Grabow, ex-presidente da comissão de atletas da OlympicCommittee Nacional e integrante do “Anti-Doping-comité” da SportFederation; Stefan Piesik, ex-atleta e treinador; e Rolf Kilzer, da comissão de Educação, Ciência e Investigação da Federação Alemã de Remo.

Tudo pronto para o Oakley SC Surf Pro 2011

10 de março de 2011 0

Tomas Hermes durante a etapa da Prainha, em São Chico, no ano passado. Foto Basilio Ruy/Fecasurf

Já está tudo pronto para a primeira etapa do Circuito Catarinense de Surf Profissional, que começa nesta sexta-feira, dia 11, e termina no domingo, dia 13, na Praia da Joaquina, em Floripa. Assim como aconteceu no ano passado, o evento vai reunir os melhores surfistas de Santa Catarina e muitos convidados de outros estados que estão atrás do prêmio de R$ 30 mil.

O evento também festeja uma parceria de 10 anos com a Oakley no circuito catarinense profissional e a grande novidade é a inclusão da categoria feminina Pro em duas das cinco etapas que serão realizadas em 2011. A Vivo e o governo do Estado também confirmaram suas marcas no Circuito.
- Estamos prontos para começar mais uma edição do circuito da Fecasurf, pois estamos comemorando 10 anos de parceria com a Oakley, que lá atrás acreditou no nosso projeto, e nos ajudou a transformar este circuito num dos melhores do Brasil – explica o presidente da Fecasurf, Fred Leite.

O atual Campeão Catarinense de Surf Profissional, Tomas Hermes, já confirmou sua presença e espera começar com o pé direito na Praia da Joaquina.
- Inicio do ano sempre tentamos fazer o melhor, tive tempo para estudar o meu surf e estou bem empolgado para participar de varios eventos (WQS, BSP, Catarinense) e em várias condições. As expectativas são as melhores, espero fazer um bom inicio de ano no Catarinense, um circuito que adoro competir e encontrar os amigos – declarou.

As inscrições ainda estão abertas e podem ser feitas na Fecasurf no valor de R$150 ou via depósito em conta corrente: Banco do Brasil, Agência 5201-9, C/C 844759-4.
O comprovante de depósito deve ser enviado via fax (48) 3025-1880 para confirmação da inscrição. A festa oficial de abertura do circuito rola no sábado, dia 12, no El Divino Lounge da Beira Mar Norte. As baterias serão transmitidas ao vivo pela internet através dos sites www.fecasurf.com.br e  www.surfpro.com.br.


GALERIA DE CAMPEÕES CATARINENSES PROFISSIONAIS

1980 -Roberto Lima (RJ)
1981 -Picuruta Salazar(SP)
1982 -David Husadel
1983 -David Husadel
1984 -David Husadel
1985 -Waldemar “Bilo” Wetter
1986 -Luiz Neguinho(SP)
1987 -Ivan Junkes
1988 – Ícaro Cavalheiro
1989 – Ivan Junkes
1990 – Saulo Lyra
1991 – Não houve circuito
1992 – Carlos Santos
1993 – Fábio Carvalho
1994 – Junior Maciel
1995 – Guga Arruda
1996 – James Santos
1997 – Luli Pereira
1998 – Teco Padaratz
1999 – Guga Arruda
2000 – James Santos
2001 – Fábio Carvalho
2002 – Neco Padaratz
2003 – Raphael Becker
2004 – Diego Rosa
2005 – Jean da Silva
2006 – Diego Rosa
2007 – Marco Pólo
2008 – Marco Pólo
2009 – Tânio Barreto
2010 – Tomas Hermes

Rip Curl Grom Search em Itaúna-RJ

10 de março de 2011 2

Tube rider Bruno Santos é uma das atrações do Rip Curl Pro Search. Foto Daniel Smorigo/Arquivo

A primeira etapa do Rip Curl Grom Search 2011 acontece no próximo final de semana (12 e 13 de março) na praia de Itaúna, Saquarema (RJ). Além das disputas dentro da água, o evento conta com sessão de autógrafos com o tube rider Bruno Santos, disputa do Tag Team 900 Graus, gincanas ecológica e caça ao tesouro.
A competição abre o ranking do circuito para surfistas com até 16 anos e vale duas vagas na final internacional do evento em 2012 na Austrália. Ligados diretamente à competição, os atletas participam da Tag Team 900 Graus, divididos em equipes de quatro integrantes (um por categoria), representando seus Estados. A disputa é realizada antes das finais, no domingo, e terá a inédita atuação de juízes virtuais, escolhidos na página da transmissão ao vivo do evento.
O Rip Curl Grom Search conta com quatro categorias: Grommets (no máximo 12 anos), Iniciante (limite de 14 anos) e Mirim e Feminina, ambas para atletas com até 16 anos. Nestas duas últimas, os campeões do ranking (que terá a etapa final em Ubatuba) faturam passagens aéreas para a Austrália para disputar a final mundial em 2012, além de intercâmbio, com curso de inglês intensivo e hospedagem em casa de família, sempre perto do mar.
O evento é transmitido ao vivo pelo site Rip Curl Grom Search 2011. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (0xx13) 2101-0525 ou envie mensagem para marketing@ripcurl.com.br.

colaboração: FMA Comunicação e Pedro Monteiro