Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 25 maio 2011

Jadson e Raoni detonam no Prime de Saquarema

25 de maio de 2011 0

Raoni tá surfando em casa e quer um bom resultado. Foto Daniel Smorigo/ASP South America

Dois tops do Brasil foram os destaques do primeiro dia de competição do Oakley Saqurema Prime, que começou nesta quarta-feira, na Praia de Itaúna, litoral fluminense. O mar amanheceu praticamente flat, mas quando a maré começou a secar as ondas apareceram e o evento teve início após a segunda chamada do dia, às 11h30min.

A primeira bateria foi vencida por uma das estrelas do ASP Tour, o taitiano Michel Bourez, ainda em ondas pequenas de meio metro de altura. Mas, elas foram subindo durante o dia, com as maiores séries entrando com 3 a 5 pés no auge da maré seca. Os destaques no point break de esquerdas foram dois brasileiros da elite mundial. O potiguar Jadson André usou os aéreos para totalizar 18,20 pontos de 20 possíveis. Já o carioca Raoni Monteiro, que mora em Saquarema, manobrou forte de backside numa onda da série para arrancar nota 9,40, a maior do primeiro dia na Praia de Itaúna.
– Eu já tinha algumas notas boas, então foquei em pegar só as maiores das séries porque as ondas estão muito boas, abrindo, com parede – falou Raoni Monteiro.

O carioca também comentou sobre a importância do Oakley Saquarema Prime para ele se manter no grupo dos 32 primeiros no ASP World Ranking e permanecer na elite do ASP Tour na segunda metade da temporada. No momento ele é o último colocado nesta lista.  – Eu preciso de resultados. Só penso nisso, não importa qual campeonato, eu preciso de resultados, pois só são 32 surfistas, no meio do ano tem um corte e eu não quero ficar de fora de jeito nenhum. Batalhei muito para voltar ao World Tour, consegui me classificar aos 45 do segundo tempo e não foi para ficar só seis meses, quero continuar dentro.

Jadson usando sua principal arma: o aéreo rodando. Foto Daniel Smorigo/ASP South America
Já o potiguar Jadson André está numa situação mais tranqüila, em 20º lugar no ranking unificado da ASP. Ele achou boas esquerdas na sua bateria e na primeira delas começou com um floater e emendou um aéreo rodando muito alto para ganhar nota 9,17, que só foi superada pela 9,40 de Raoni Monteiro na bateria seguinte. Em outra, já mandou o aéreo na primeira manobra, seguido por vários cutbacks até a beira, para somar um 9,03 no placar recorde de 18,20 pontos.
– Este é um evento muito importante pra mim não só por ser Prime, mas por ser uma etapa do meu patrocinador (Oakley), então quero fazer um belo resultado aqui – disse Jadson André.

Michel Bourez era dúvida, mas competiu e venceu a bateria. Foto Daniel Smorigo/ASP South America

Entre os 96 participantes do Oakley Saquarema Prime, a maioria é de surfistas estrangeiros (58 contra 38 brasileiros). Além disso, a competição tem a presença de metade do grupo dos 32 integrantes da elite mundial. Um deles venceu a primeira bateria na Praia de Itaúna. O taitiano Michel Bourez chegou a ser dúvida, pois contundiu o ombro numa queda durante o duelo com Adriano de Souza na etapa brasileira do ASP Tour na Barra da Tijuca.
– Ainda está bem difícil para surfar. Eu diria que estou com 60% das minhas condições, mas o mar ajudou bastante hoje. As ondas não estavam tão fortes e foi bom pra mim, pois continuo sentindo dores. Mas não vim para cá preocupado com o resultado e trouxe até minha namorada para curtir comigo. A praia aqui é linda, tem ondas muito boas e quero aproveitar também pra descansar para me recuperar – disse Bourez, 11º no ranking mundial.

Francês Marc Lacomare fez o primeiro high score do dia. Foto Daniel Smorigo/ASP South America
O segundo confronto do dia foi só entre estrangeiros e o francês Marc Lacomare arrancou o primeiro high-score do Oakley Saquarema Prime, 8.5, para derrotar o australiano Yadin Nicol, o taitiano Alain Riou e o francês Maxime Huscenot.
– É a primeira vez que surfo aqui em Saquarema e o estilo das ondas me agradou bastante. Tanto que consegui passar bem com uma bela onda, que aproveitei ao máximo. Gostei muito do lugar, é bem bonito, e quero fazer o meu melhor aqui”.

Matt Wilkinson também se garantiu na segunda fase. Foto Daniel Smorigo/ASP South America
Outro integrante do seleto grupo dos top-32 do ASP World Tour que conseguiu avançar para a rodada dos 48 melhores no primeiro dia foi o australiano Matt Wilkinson. Ele passou em segundo na bateria pelo norte-americano Nathan Yeomans.
Alguns resultados surpreendentes também marcaram o primeiro dia do evento. O havaiano Granger Larsen defendia a 31ª posição no ASP World Ranking, penúltima na lista dos 32 que se classificam para a divisão de elite do esporte, mas acabou eliminado. O brasileiro Léo Neves, que conhece Saquarema como poucos, também está fora da competição após levar a virada do neozelandês Jay Quinn no finalzinho.

Oakley Saquarema Prime – 3º=49º lugar (US$ 1.000 e 400 pts) / 4º=73º (US$ 750 e 380)

1ª: 1-Michel Bourez (TAH), 2-Jay Quinn (NZL), 3-Leonardo Neves (BRA), 4-Dale Staples (AFR)
2ª: 1-Marc Lacomare (FRA), 2-Yadin Nicol (AUS), 3-Alain Riou (TAH), 4-Maxime Huscenot (FRA)
3ª: 1-Lincoln Taylor (AUS), 2-Ben Dunn (AUS), 3-Granger Larsen (HAV), 4-Chris Waring (EUA)
4ª: 1-Bernardo Pigmeu (BRA), 2-Simão Romão (BRA), 3-Heitor Alves (BRA), 4-Tonino Benson (HAV)
5ª: 1-Jadson André (BRA), 2-Stu Kennedy (AUS), 3-David do Carmo (BRA), 4-Thiago Camarão (BRA)
6ª: 1-Raoni Monteiro (BRA), 2-Aritz Aranburu (ESP), 3-Ricardo Santos (BRA), 4-Brent Dorrington (AUS)
7ª: 1-Cory Lopez (EUA), 2-Leandro Bastos (BRA), 3-Davey Cathels (AUS), 4-Nat Young (EUA)
8ª: 1-Nathan Yeomans (EUA), 2-Matt Wilkinson (AUS), 3-Shaun Joubert (AFR), 4-Caio Ibelli (BRA)
9ª: 1-Pedro Henrique (BRA), 2-Patrick Gudauskas (EUA), 3-Rodrigo Dornelles (BRA), 4-Gony Zubizareta (ESP)
10ª: 1-Julian Wilson (AUS), 2-Nic Muscroft (AUS), 3-Kolohe Andino (EUA), 4-André Silva (BRA)
11ª: 1-Gabriel Medina (BRA), 2-Jihad Khodr (BRA), 3-Jean da Silva (BRA), 4-Billy Stairmand (NZL)

Baterias que abrem a quinta-feira:

12ª: Adriano de Souza (BRA), Junior Faria (BRA), Hodei Collazo (ESP), Gilmar Silva (BRA)
13ª: Jeremy Flores (FRA), Hizunomê Bettero (BRA), Shaun Cansdell (AUS), Yan Guimarães (BRA)
14ª: Tom Whitaker (AUS), Tim Boal (FRA), Dylan Graves (PRI), Yuri Sodré (BRA)
15ª: Miguel Pupo (BRA), Masatoshi Ohno (JAP), Neco Padaratz (BRA), Tomas Hermes (BRA)
16ª: Alejo Muniz (BRA), Kai Otton (AUS), Adam Robertson (AUS), Eric Geiselman (EUA)
17ª: C. J. Hobgood (EUA), Kai Barger (HAV), Heath Joske (AUS), Robson Santos (BRA)
18ª: Tanner Gudauskas (EUA), Glenn Hall (IRL), Jeronimo Vargas (BRA), Messias Felix (BRA)
19ª: Willian Cardoso (BRA), Richard Christie (NZL), Sebastien Zietz (HAV), Chris Ward (EUA)
20ª: Chris Davidson (AUS), Jessé Mendes (BRA), Blake Thornton (AUS), Marco Polo (BRA)
21ª: Adam Melling (AUS), Wiggolly Dantas (BRA), Pablo Paulino (BRA), Charlie Brown (BRA)
22ª: Josh Kerr (AUS), Nathaniel Curran (EUA), Joan Duru (FRA), Gustavo Fernandes (BRA)
23ª: Dion Atkinson (AUS), Gabe Kling (EUA), Jano Belo (BRA), Royden Bryson (AFR)
24ª: Damien Hobgood (EUA), Mason Ho (HAV), John John Florence (HAV), Krystian Kymerson (BRA)

Segunda fase -  3º=25ºlugar (US$ 2.000 e 800 pts) / 4º=37º(US$ 1.500 e 650 pts):

Baterias já formadas

1ª: Michel Bourez (TAH), Marc Lacomare (FRA), Ben Dunn (AUS), Simão Romão (BRA)
2ª: Yadin Nicol (AUS), Jay Quinn (NZL), Bernardo Pigmeu (BRA), Lincoln Taylor (AUS)
3ª: Jadson André (BRA), Matt Wilkinson (AUS), Raoni Monteiro (BRA), Leandro Bastos (BRA),
4ª: Cory Lopez (EUA), Aritz Aranburu (ESP), Nathan Yeomans (EUA), Stu Kennedy (AUS)
5ª: Julian Wilson (AUS), Pedro Henrique (BRA), Jihad Khodr (BRA) + 2.o da 12.a bateria da 1.a fase
6ª: Patrick Gudauskas (EUA), Gabriel Medina (BRA), Nic Muscroft (AUS) + 1.o da 12.a bateria da 1.a fase

Com informações de João Carvalho – assessoria de imprensa da ASP South America

Segundo bom dia da vela brasileira na Holanda

25 de maio de 2011 0

Scheidt e Prada mantém liderança da prova e do ranking da Copa do Mundo. Foto Fried Elliott - Divulgação

Os brasileiros tiveram mais um bom dia de regatas nesta quarta-feira, em Medemblik, na Holanda, durante a Delta Lloyd Regatta, etapa da Copa do Mundo da ISAF. Apesar dos ventos fracos, a dupla da Star formada por Robert Scheidt e Bruno Prada ficou em 5º na primeira e venceu a segunda regata para manter a liderança na classificação com apenas 10 pontos perdidos. Na vice-liderança, com 17 pontos perdidos, seguem os ingleses Iain Percy e Andrew Simpson, campeões olímpicos em Pequim/2008. A outra dupla brasileira na classe, formada por Torben Grael e Marcelo Ferreira, ocupa a 10ª posição.

Ao contrário do que ocorreu na abertura da competição, quando os ventos muito fortes, acima de 55 km/h, adiaram o início das regatas, nesta quarta-feira o atraso foi provocado pela falta de vento, que começou a soprar fraco, por volta de 4 nós (7,4 km/h), antes de se firmar em torno de 8, 9 nós (de 14,8 km/h a 16,6 km/h).
- O dia foi de ventos fracos, que não são a nossa preferência, mas conseguimos sair ilesos!”- comemorou o proeiro Bruno Prada.

A competição em Medemblik faz parte da programação da equipe brasileira de vela olímpica, que vai terminar no Mundial de Perth, em dezembro, na Austrália.

Para o catarinense Bruno Fontes foi outro dia bom na classe Laser, apesar do ventos fracos também não serem a sua especialidade. Patrocinado por Unimed, Eletrosul, Governo de Santa Catarina, Age do Brasil e integrante da equipe brasileira de vela olímpica, Bruno finalizou as regatas de quarta-feira em 4º e 1º lugares, e subiu três posições na classificação. Agora ele é o vice-líder da competição, empatado na classificação geral com o líder,  o croata Milan Vujasinovic, com 13 pontos perdidos. No desempate, o croata leva a melhor por ter vencido duas contra uma regata do brasileiro.

Na primeira regata, Fontes teve uma ótima recuperação após passar a primeira bóia na 14ª posição e finalizar em 4º lugar. Na segunda regata, o brasileiro liderou de ponta a ponta com uma grande diferença para o segundo colocado.

- Foi um grande dia, já que vencer uma regata e ficar em quarto na outra na condição de vento fraco não é o meu forte. Mas mostra que os treinos com meu técnico Bruno Di Bernardi estão no caminho certo – disse.

O velejador catarinense sabe que precisa manter a regularidade nas próximas regatas para atingir o objetivo, que é estar no pódio:

- Faltam muitas regatas e não tem nada definido. Vou me manter concentrado e assim buscar o meu objetivo  – destacou Bruno.

Outro brasileiro na classe, o catarinense Alex Veeren, é o 116º colocado. Na 49er, Andre Fonseca, o Bochecha, e Marco Grael estão na 10ª posição após 6 regatas, com 56 pontos perdidos. Na 470 feminino, a melhor participação brasileira, com uma briga interna.

Nesta quarta quem levou a melhor foi dupla do Clube Jangadeiros, Fernanda Oliveira e Ana Barbichan, que assumiram a primeira colocação com 12 pontos perdidos. As líderes então, Martine Grael e Isabel Swan, foram mal na primeira regata (19º), venceram a segunda e mesmo assim caíram para a terceira colocação com 25 pontos perdidos, e acabaram superadas também pela regularidade das japonesas Yuka Yoshisako e Noruki Okuma, com 21.

No 470 masculino, Fabio Pillar e Gustavo Thiesen fazem um trabalho de recuperação após terem queimado a largada no primeiro dia. Nesta quarta-feira, a dupla finalizouas duas regatas na 5ª colocação e ocupa a 28ª na geral. Na Laser Radial, liderada pela mulher de Robert Scheidt, a lituana Gintare Scheidt, a brasileira Adriana Kostiw teve um dia ruim, ao não completar a segunda regata, e caiu para 33ª colocação. Na RSX feminino, Patricia Freitas venceu a quarta regata, segunda e última do dia, e agora ocupa a sexta posição.

Patricia Freitas (E) fez um quinto e um primeiro lugar nesta quarta-feira. Foto Margie Tempelaars - Delta Lloyd Regatta 2011

Brasileiro de Jet Ski na represa de Guarapiranga - SP

25 de maio de 2011 0

Cesarini foi destaque na abertura do Brasileiro. Foto João Neto

Denísio Casarini Filho e Valdir Scremin são os destaques da segunda etapa do 24º Campeonato Brasileiro de Jet Ski, que rola neste sábado e domingo, na Represa do Guarapiranga (Av. Atlântica, 4.000, antiga Robert Kennedy), em São Paulo. O evento terá pilotos de São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Distrito Federal, além de convidados da Bolívia e Uruguai.

Casarini Filho conquistou três títulos mundiais em 2008 e no ano seguinte foi campeão em quatro categorias do Brasileiro. Este ano disputa a categoria Runabout Turbo GP, a Fórmula 1 da modalidade, e ocupa a terceira colocação. Na etapa de abertura, em Barra Bonita (SP), teve problema na primeira bateria e não pontuou, mas venceu a segunda. Além de buscar a vitória nas duas baterias da segunda etapa, Casarini quer garantir vaga para o Mundial desse ano, que será realizado de 1º a 9 de outubro, em Lake Havasu, no Arizona (EUA).

Valdir Scremin teve excelente performance na primeira etapa ao levar as duas baterias nas categorias Runabout Turbo Stock. Na Runabout Turbo Limited, venceu uma e ficou em segundo na outra bateria. Na Super Course Stock é disputada uma bateria por etapa, e ele foi o vencedor. Se conseguir vencer novamente na represa de Guarapiranga, Scremin ficará em situação privilegiada na classificação geral e poderá administrar as duas etapas decisivas, em junho, em Boa Esperança (MG).

A programação da segunda etapa do 24º Campeonato Brasileiro de Jet Ski

Sexta-feira: recepção dos pilotos, treinos livres das 13h às 16hs e acerto dos motores.
Sábado
: inscrições e vistoria – 9h às 11h30min.
Treinos oficiais – 12h às 13h30min
1ª série de baterias do circuito fechado – 14h.
1ªsérie  do Freestyle – 16h
Tomada de tempo da Super Course – 17h.
Domingo: Super Course – 10h
2ª série de baterias do circuito fechado – 13h
2ª série do Freestyle – 15h.
Entrega dos prêmios

Maiores informações no site www.bjsa.com.br e  www.jetski.com.br


Etapa de Canoagem de Descida em Schroeder

25 de maio de 2011 0

Divulgação

A Reserva Ecológica do Rio Bracinho, em Schroeder, Santa Catarina, sedia neste final de semana (28 e 29 de junho) a 3ª etapa da Copa Brasil de Canoagem de Descida. As provas acontecem num percurso de cinco quilômetros, com corredeiras classe 2 e 3 e, devido a necessidade de liberação de água através da Usina Hidrelétrica do Rio Bracinho, o volume de água será máximo durante o evento.
As condições serão muito favoráveis às disputas do título nacional. A briga pelo troféu de campeão brasileiro no 4,5 Sênior tem tudo para ser a mais esperada, pois o atual tricampeão da categoria, Abel Viegas Neto, tem como adversário Diom de Souza, atual tricampeão da categoria Plástico, que este ano migrou para o 4,5 e já mostra que é um canoísta de qualidade. Os dois seguem empatados em pontos no ranking de 2011.
Também vale lembrar que as três primeiras etapas da Copa Brasil de Canoagem de Descida são fundamentais para os canoístas da categoria 4,5 Junior que disputam o circuito nacional. Isto porque os três primeiros colocados no ranking parcial de 2011 estarão classificados para representar o Brasil no Campeonato Mundial Júnior de Canoagem de Descida, que acontece no fim de julho, em Opava, na República Tcheca.
A organização do evento é do Clube de Canoagem Kentucky, com apoio da prefeitura de Schroeder e patrocínio da empresa Metalnox.

Categorias:
4,5 – Júnior, Sênior, Master
Turismo – Júnior, Sênior, Master
Rotomoldado – Júnior, Sênior, Master
Rotomoldado – Feminino Open
Duck – Masculino Open
Duck – Misto Open
Duck – Open Iniciantes

Próximas etapas Copa Brasil de Canoagem Descida

4ª Etapa – Santo Antônio de Pádua/RJ – 25 e 26 de julho
5ª Etapa – Itaocara/RJ – 23 e 24 de agosto
Etapa Final – Tomazina/PR – 12 e 13 de novembro

Contatos:
(47) 3371 1331 ou (47) 9124 4208  com Harley Manske
(47) 9952 3009 com Adilson Pommerening

Mais informações no link:
http://www.cbca.org.br/newcbca/evento/index/eventos_id/355

Velejadores do Brasil na Holanda

25 de maio de 2011 0

Robert e Prada lideram na Star. Foto Thomas Scheidt

Os brasileiros fizeram uma boa estreia nas regatas de abertura do Delta Lloyd Ragatta, em Medemblik, na Holanda. A competição é válida pela Copa do Mundo de Vela da ISAF. Robert Scheidt e Bruno Prada estrearam com um terceiro e um primeiro lugares e lideram a classificação na classe Star, com quatro pontos perdidos, a frente dos ingleses Iain Percy e Andrew Simpson, com 5 pontos perdidos.
O vento muito forte em Medemblik, acima dos 30 nós (mais de 55 km/h), retardou as regatas da Star. Mesmo assim, quando a disputa teve início, ainda soprava a cerca de 20 nós (37 km/h). Scheidt e Prada, que gostam de velejar com ventos fortes, saíram da água cansados pela longa espera, mas satisfeitos com o desempenho e as condições da velejada.
– Foi um dia de ventos fortes e rondados. Tivemos uma primeira regata difícil. Fomos penalizados com uma bandeira amarela logo no primeiro popa da primeira regata, mas conseguimos nos recuperar e terminar em terceiro lugar – disse Scheidt.
A Delta Lloyd Regatta prevê a disputa de dez provas na fase classificatória, mais a Medal Race, no sábado (28/5). Com três regatas completadas, a competição será considerada válida. Quando cinco ou mais provas da fase classificatória forem completadas, os velejadores terão direito ao descarte do pior resultado. A Medal Race, para os dez primeiros colocados na fase de classificação, tem pontuação dobrada, que não pode ser descartada.
Os velejadores do Clube dos Jangadeiros também se deram bem.Nas regatas disputadas na terça-feira, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan, que competem na classe 470, conseguiram dois bons resultados (5º e 2º) e terminaram o dia na segunda colocação, na classificação geral. Em primeiro lugar está outra dupla brasileira, Martine Grael e Isabel Swan, que venceram uma regata e chegaram em quarto na outra. Na classe 49er, André “Bochecha” Fonseca e Marco Grael fecharam o dia na 10ª colocação, depois de três regatas disputadas. Bochecha e Grael fizeram um 13º, um 4º e um 19º lugares. Na classe 470 masculina, Fábio Pillar e Gustavo Thiesen queimaram a largada na primeira regata e chegaram na 23ª colocação, na segunda. Com isso a dupla terminou o dia na 56º lugar na classificação geral.
– O campeonato tem previsão de ventos fortes e variáveis, o que é importante para testarmos a velocidade do barco nesse tipo de velejada. Vamos nos concentrar ao máximo pra fazer o barco render, e alcançarmos uma posição nos top 15- afirmou Pillar.

Bruno Fontes beliscou as primeiras posições na Laser.
Na Classe Laser, o velejador catarinense Bruno Fontes (Unimed/Eletrosul/ AGE do Brasil/ Governo de Santa Catarina) terminou o dia na 5ª colocação ao somar um quinto e um terceiro lugar entre 130 velejadores. Na primeira regata Bruno fez uma regata de recuperação, pois não conseguiu largar bem, mas com uma boa tática e velocidade finalizou em 5º lugar. Na segunda, Fontes brigou até o final com o atual campeão mundial o australiano Tom e o sueco Emil pela liderança, porém com um erro no final o brasileiro acabou em 3º lugar.
– Foi um bom inicio de campeonato finalizar nas duas regatas entre os cinco primeiros. Agora é manter a média dia a dia e buscar o pódio – destacou Bruno.